Viajar por conta, de pacote ou de excursão?

Entre 2002 e 2011, o mercado brasileiro de viagens ao exterior cresceu de 2,2 milhões de viagens para algo em torno de 7,5 milhões. Em 2015, estima-se que a classe média crescente e os brasileiros ricos farão mais de 11 milhões de viagens. (Fonte: viagemuol.com.br)

Mesmo com esses números expressivos, sempre tem a primeira vez de muita gente e paira a dúvida de que tipo de viagem fazer: por conta, em excursão ou de pacote. Acredito que todas tenham suas vantagens e desvantagens, embora eu sempre prefira viajar por conta. Mas essa escolha dependerá de vários fatores a serem considerados: suas preferências pessoais, da verba para viajar, do tempo disponível, do tipo de viagem que você vai fazer, entre outros.

No final deste post, tem um teste inspirados nos que minha filha faz na revista Recreio. Dê uma olhada e veja a melhor opção para seu tipo de viajante. Daí faça um comentário para sabermos se deu certo! Mas o que é viajar por conta, de pacote ou de excursão?

PACOTE: normalmente inclui o aéreo + hotel + traslados de chegada e saída+ city tour (ou passeio panorâmico) e às vezes meia pensão ou pensão completa. Os preços costumam ser bons porque as operadoras têm bloqueios com companhias aéreas e com hotéis. Além disso, há a possibilidade de parcelamento do valor da viagem. Vale muito a pena em destinos bastante procurados por brasileiros, como Orlando, Cancun, Buenos Aires ou em resorts do nordeste, pois os preços são competitivos.

Maaaas, a seleção de hotéis é limitada. O pinga-pinga de hotel em hotel na chegada e na partida vai consumir bastante do seu tempo. Os passeios oferecidos pela agência local nem sempre são os melhores ou oferecem os melhores preços (é aí que eles ganham o dinheiro!).  Por isso é importante ler sobre o destino e fazer alguma pesquisa antes da viagem para saber se o que está sendo oferecido vale a pena ou não.

EXCURSÃO: as operadoras e agências oferecem o chamado “terrestre” (mas é possível comprar com elas o aéreo, também), ou seja, o hotel + transporte (van, ônibus, trem, vôo doméstico) + passeios (e às vezes ingressos a museus, parques e igrejas, por exemplo). Refeições podem estar inclusas também. Acho bacana para países do leste europeu (por causa da língua) ou para países com cultura bastante diversa da nossa, como os árabes e orientais, pois haverá sempre um guia acompanhando para te ajudar num aperto. Se você é muito tímido também é uma boa escolha, pois acabará se entrosando com o grupo na marra. Também pode ser uma boa pedida para idosos ou para pessoas que nunca viajaram ao exterior. Boa opção para viagens temáticas (Gastronômicas, arquitetônicas, de História da Arte, etc.) pois o grupo tende a ser mais homogêneo e os guias especializados. Escolha certa para quem não tem tempo ou disposição para planejar sua própria viagem, pois tudo já está previsto no roteiro.

Maaaas, na minha opinião, tudo previsto no roteiro reduz a emoção de viajar  e há pouco tempo livre para você justamente ganhar experiência no “se vira, minha filha!”.  Assim como no pacote, os hotéis – e restaurantes, se inclusos, – são impostos e na Europa, por exemplo, os ônibus podem não ser permitidos em centros históricos e seu hotel poderá ficar em uma zona residencial ou financeira menos característica, sem charme, longe de onde tudo acontece. Faça sua lição de casa e use o Google para na Street View para saber da região do seu lar temporário. Outra coisa: considere se você quer embarcar num 20 dias em 30 países pela Europa. Você quer conhecer o destino ou aumentar sua lista do Tripadvisor? Com tanta informação cultural visual e intelectual, o que ficará registrado?

POR CONTA PRÓPRIA: guias impressos, revistas especializadas, blogs de viagem (claro!) existem aos montes para sua pesquisa. Leia, leia, leia, porque o sucesso da viagem depende de você! Comprar as passagens aéreas, os ingressos, reservar carros e passagens de trem, tudo está acessível na Internet. Com tanta pesquisa, você já chega ao destino mais seguro. Você pode ficar naquele B&B super charmoso ou em um apto. alugado, algo que pacote nenhum vai te dar. Será possível permanecer um pouco mais naquele museu ou naquela praça linda, sem ter que correr atrás do relógio. Ah, dormir até tarde quando quiser também pode, tá?

Maaaas, é preciso pesquisar, gostar de planejar, ter atenção, pesquisar e manter a organização. Se houver um erro em alguma reserva, como data, por exemplo, a responsabilidade é toda sua. Como esta modalidade exige um pouco mais de você, seguem algumas dicas.

1. Leia sobre o destino em diversas fontes.

2. espie o roteiro de agências para esse destino, mas não as copie, use-as apenas como base inicial de sua pesquisa, pois você não vai querer uma maratona em sua viagem, vai?

3. liste o que gostaria de fazer em cada cidade que visitar e pesquise o tempo necessário para cada atividade, o que é muito pessoal, mas ajuda a ter uma ideia. Para ideias, veja o post Orlando, Miami e Key West Roteiro e Hospedagem (http://wp.me/p48GyZ-3E )

4. deixe um dia ou outro livre, sem nada planejado. Você pode usá-lo para dormir um pouco mais; para rever o que gostou; para fazer o que não conseguiu; para se sentar na praça o na mesa de um bistrô e ficar olhando as pessoas passarem (adoro!).

5. Pesquise no http://www.tripadvisor.com.br os hotéis de seu destino e principalmente a opinião de pessoas como eu e você que lá se hospedaram. Se quer uma experiência mais pessoa, pode alugar um imóvel diretamente com o proprietário no https://www.airbnb.com.br/ ou trocar de casas no www.homeexchange.com  igual às personagens de Cameron Diaz e Kate Winslet em O Amor não tira Férias.

6. Veja a política de cancelamento de reservas de hotéis e afins.

7. inscreva-se em programas de milhagem de companhias aéreas, redes de hotéis, locadoras de veículos. De grão em grão a galinha enche o papo! Veja se seu cartão de crédito pontua para eles, pois é outra forma de acumular.

8. Consulte uma agência de viagens para a parte aérea, que talvez tenha tarifas e vôos mais bacanas do que as que você conseguiu on line.

9. Lembre-se de que cada destino exigirá um planejamento diferente e por isso é essencial ouvir quem já esteve lá, beber de diversas fontes. Fique atento a opiniões em blogs ou revistas que possam ter sido influenciados por patrocinadores.

TESTE

Vamos brincar? Assinale as malas que mais têm a ver com seu tipo de viagem e com sua senhoria, o viajante.

Sem título 2

Sem título

 

Resultado: Se marcou mais as malinhas laranjas, viajar por conta é sua praia. Se marcou mais a mala vintage, pacote ou excursão são mais adequados para você.

E boa viagem!

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s