O Turismo e as Igrejas

O que acontece quando um restaurante ou uma casa noturna perde público? O imóvel fica disponível para um novo uso, às vezes no mesmo campo de atuação, às vezes para algo completamente diferente. Você já pensou o que acontece quando uma igreja perde seus fiéis e já não faz sentido sua existência, seja pelo pouco e consequente falta de verba para manutenção? Eu nunca tinha pensado nisso até que vi há alguns anos a notícia de que as igrejas da Holanda têm se transformado em restaurantes e livrarias porque a população de ateus cresce numa proporção maior do que as igrejas fecham. Aí resolvi dar uma sapeada no Google e fiquei boquiaberta ao saber que não é uma tendência holandesa apenas. Compartilho com vocês agora o que aprendi, mas antes, alguns números, porque só as fotos não bastaram para mim.

Países como Suécia, Noruega, Japão, Dinamarca, Finlândia e até França possuem índices de ateísmo entre 85% e 54%. Todos eles países ricos e com boas taxas de alfabetização, isto é, onde a leitura é parte integrante da vida, tornando-se uma cultura (eu já vi alemão lendo livro em trilha de parque nacional, por exemplo). Segundo o Censo de 2010 realizado pelo IBGE,  86,8% dos brasileiros definem-se como cristãos. Uma pesquisa de 2011 afirma que brasileiro lê, em média, 2 livros por ano.

Nestes dois extremos, uma coisa fica a martelar em minha mente: um levantamento da ONU apontou que países com boa taxa de alfabetização tendem a ser mais descrentes, mas será que o fato de os habitantes desses países terem segurança social e política e qualidade de vida invejável estaria relacionado ao ateísmo, além da educação?

Não quero dizer que somente pessoas mais pobres sejam cristãs ou expressem alguma forma de crença, mas quando penso em todas as dificuldades que os moradores da periferia de São Paulo, por exemplo, enfrentam, entendo perfeitamente porque precisam tanto se apoiar na fé. Porque não podem contar com ninguém e como se dizia antigamente, vão reclamar com quem, como o Bispo? Porque não há segurança nas ruas, não há educação de qualidade, não há opções de lazer onde moram. Porque passam 4 horas por dia dentro do transporte coletivo lotado e desconfortável e entre essas horas encaram uma rotina estressante e/ou desestimulante. Porque não lhes é permitido sonhar, pois sabem o quanto impossível pode ser realizar sonhos atrevidos. Precisam rezar. Precisam ter fé. Precisam de algo que lhes dê sentido a toda dor e dificuldade porque passam. Precisam de uma recompensa pós-vida, porque nesta vida será difícil encontrar. Talvez eu seja muito materialista, no contraponto ao espiritual, já que muitos deles acham que quem sofre são os que não creem em Deus. Talvez eu seja hedonista e por isso os veja como sofredores. Talvez muitos deles não se vejam assim, apoiados em sua fé.

Moro em São Paulo e há cerca de um ano a Igreja Universal do Reino de Deus inaugurou um super mega hiper blaster templo no bairro do Brás, Zona Leste da cidade. Alguns números retirados do website oficial: “O Templo, com 126 metros de comprimento e 104 metros de largura (…). São cerca de 100 mil metros quadrados (m²) de área construída num terreno de aproximadamente 35 mil metros e com altura de 55 metros.” Enquanto isso, igrejas dos países ricos estão sendo transformadas em casas, cafeterias, clubes noturnos, pista de skate. Food for thought!

Enquanto os países ricos fecham igrejas, por aqui...
Enquanto os países ricos fecham igrejas, por aqui…

 

Alguns exemplos de novos usos dados a igrejas cristãs:

Igreja Metodista de South Williamsport na Pensilvânia (EUA) transformada em espaço de brincadeiras infantis, com escorregadores, paredes de escalada, playground, labirintos e vídeo games.

foto de City Data
foto de City Data

Igreja na Holanda, transformada em pista de skate:

igreja holanda

Esta se tornou uma casa no valor de 2,3 milhões de dólares. Fica em Denver, Colorado (EUA):

modern-church-home[1]

Livraria Selexyz Dominicanen, na Holanda:

church-bookstore[1]

Igreja Ortodoxa Grega em Estocolmo (Suécia) agora é um centro de startups:

mulher casada viaja

Outra igreja que virou pista de skate, desta vez em Surrey (England):

skatepark[1]

E como este é um blog de viagens, na minha opinião, visitar igrejas ou templos locais, admirar sua arquitetura, assistir a um encontro de fiéis e observá-los continua sendo uma das atividades mais importantes quando se viaja, seja no exterior, seja no Brasil. Afinal, a religiosidade (ou a ausência dela) diz muito sobre um povo, não acham? E se você for uma pessoa de fé, aproveite e agradeça a chance de poder viajar e conhecer outras culturas.

Que a Força esteja com você!

 

Anúncios

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s