Roteiro de 12 dias pelo Norte da Itália e pela Toscana

Toscana figura no roteiro da maioria dos turistas que vão à bota, mas a região dos Alpes, no Norte da Itália, ainda é pouco conhecida dos brazucas. Aqui compartilho meu roteiro de 12 dias, em minha terceira (e espero que não última) viagem à Italia.

Val di Funes, nas Dolomitas
Val di Funes, nas Dolomitas

Quem foi Cabra Montanhesa em outra encarnação como eu, ficaria 10 dos 12 dias somente nos Alpes italianos, sem sombra de dúvida. Seja no inverno, para praticar esportes de neve ou curtir o friozinho perto de uma lareira, ou no verão para fazer caminhadas e apreciar os contornos dos vales e picos, o Norte da Itália vai muito além de Veneza e Milão e eu descobri em minhas pesquisas nomes menos conhecidos, como Auronzo, Bolzano, Carezza, Val di Funes e Gardena, todos na cadeia de montanhas Dolomitas. Um pouco mais ao Sul, os nomes já soam mais familiares, como Sirmione, Verona e Trento. Mas minha colega de viagem fazia questão de visitar a Toscana, então só tivemos 4 dias nas montanhas.

Cabra das Rochosas, eu em outra encarnação
Cabra das Rochosas, eu em outra encarnação

Como comprei o bilhete aéreo com antecedência de sete meses e adiei a viagem por mais três, tive aí quase um ano para sonhar com essas montanhas. Um problema nas pernas me fez mudar objetivo da viagem, que seria me inscrever em grupos de trekking, viajar sozinha e caminhar entre as montanhas, caminhar e caminhar. Cheguei até a divulgar na página do Facebook que organizaria um grupo de leitoras do blog para viajar à Itália, mas tive receio de me comprometer como responsável por um grupo estando com esse probleminha mal resolvido nas pernas.

Estou a pouco mais de um mês para pisar em solo italiano de novo, tentando manter a calma por estar sem viajar há meses (gente, consegui!!!), aprendendo um pouco de italiano de forma autônoma, e controlando os pensamentos negativos que passeiam de vez em quando pela minha mente: “Que pena, seria sua primeira viagem à Europa sozinha.” ou “Que pena que você não vai ter a experiência de fazer trekking nas Dolomitas e dormir em refúgios a 2 mil metros de altitude.”. Tudo tem um porquê, mesmo que a gente não consiga enxergá-lo, conforto-me ao pensar.

Alpe di Siussi
Alpe di Siussi

Geralmente acho o planejamento da última viagem o mais trabalhoso e certamente chegar a este roteiro exigiu muitas horas de pesquisa e com uma colega de viagem, alguma negociação. Eu queria ficar só nas montanhas, nos Alpes Italianos, suíços e austríacos, que embora pertençam a três diferentes países possuem traços culturais tiroleses e relevo em comum. Minha amiga achava que montanhas eram muito parecidas entre si, algumas mais altas, outras mais baixas (rsrsrs) e queria mudar de paisagem e fazer a Toscana de carro, como eu disse, o que acabei topando (ai, que sacrifício, fazer a Toscana de carro!). Entre uma conversa e outra, havíamos flertado com a possibilidade de ficar apenas no Norte da Itália e incluir:

  • Vale d’Aosta
  • “já que” estaremos em Aosta, uma esticadinha até a francesa Annecy
  • Bellagio, no Lago di Como, e Sirmione, no Lago di Garda
  • percorrer os trilhos especiais do trem panorâmico Bernina Express, que liga Itália à Suíça
  • continuar nas paisagens alpinas fazendo o trecho St. Moritz (Suíça) a Innsbruck (Áustria) de trem, que é belíssimo. Dá uma olhada neste vídeo do trajeto!
dolomitas
cenário dos meus sonhos nos últimos meses

A versão final do roteiro continuou apertada, com uma noite em cada cidade, coisa que eu não faço há pelo menos uns 20 anos e que não recomendo devido ao desgaste e à impossibilidade de explorar e sentir a cidade, mas toda regra tem uma exceção e nesta viagem há justificativas para uma noite em cada cidade:

  1. Milão, Verona e Veneza são cidades que já havíamos visitado, então menos tempo nelas foi aceitável
  2. era mais fácil ficar uma noite em cada cidade da Toscana do que fazer bate-voltas a partir de Siena, além de ser mais charmoso dormir numa pousada do tipo agroturismo
  3. o mesmo nas Dolomitas: já que são roteiros de carro e cidades/vilas com características parecidas, será menos cansativo, espero, percorrer menos quilômetros do que trocar de hotel.
Castelo Banfi, em Montalcino
Castelo Banfi, em Montalcino

Roteiro de 12 dias na Itália
dia 1 – chegada a Milão no final da manhã. Ainda não decidi se faço um bate-volta rapidíssimo ao Lago di Como ou se curto um pouco Milão
dia 2 – trem de Milão para Siena (não há direto, é preciso trocar de trem em Florença)
dia 3 – de carro alugado: Siena-Montepulciano-Pienza-San Quirino d’Orcia-Montalcino

Siena
Siena

dia 4 – Montalcino-S. Gimignano-Volterra-Colle di Val d’Elsa-Siena
dia 5: trem de Siena a Veneza (quem resiste a ela no meio do caminho, entre o ponto A e o B?)
dia 6: Veneza

Veneza no verão
Veneza no verão

dia 7: de carro alugado: Veneza-Cortina d’AmpezzoRifugio Auronzo-Lago Misurina
dia 8: Lago Misurina-Falzarego Pass-Val di Funes
dia 9: Val di Funes-Alpi di Siussi-Bolzano-Trento
dia 10: de trem: Trento-Verona
dia 11: de trem: Verona-Milão
dia 12: de avião: Milão-Lisboa (conexão longa, aproveitamos para passear lá)-SP

Milão
Milão

Leia também os posts Dirigindo na Itália,  Dolomitas: guia para sua viagemDolomitas: roteiro de 3 dias, além dos sublinhados ao longo do texto.



Anúncios

2 comentários sobre “Roteiro de 12 dias pelo Norte da Itália e pela Toscana

  1. ana paula julho 25, 2017 / 12:39 pm

    Ola,

    td bem?

    Estou sem carro e queria muito para Val di Funes-Merano-Bolzano-Trento, ”e possivel fazer esses trajetos de trem? Tem alguma cidade base para conhecer os arredores?

    obrigada

    Ps: adorei o roteiro

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja julho 25, 2017 / 2:33 pm

      Oi, Ana Paula. Trento e Bolzano eu sei que têm estaçoes de trem (leia sobre Trento: https://mulhercasadaviaja.com/2017/06/29/o-que-fazer-em-trento-roteiro-de-1-dia/) e tanto uma como outra podem servir de base para as Dolomitas. Mas os lugares mais aos pés das Dolomitas, como Val de Funes, Val Gardena e Lago Misurina (mais perto de Cortina dAmpezzo), só de carro ou ônibus.
      Leia este post que tem informação de linhas de ônibus saindo de Milão para Gardena, no “meinho” das Dolomitas.
      Depois volte aqui pra me contar como fez o roteiro. Posso publicar pra ajudar quem nao vai de carro.
      Bom planejamento!

      Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.