Lugares para Conhecer no Sudeste da Ásia

Não, eu ainda não pisei na Ásia – ainda -, mas estou sempre namorando roteiros, especialmente os do Sudeste.  O maior continente da terra guarda riquezas culturais surpreendentes, belezas naturais a perder de vista e, de nosso ponto de vista, exóticos. Tem tanta coisa para conhecer e vivenciar que seria impossível dar dicas em apenas um post. Então esta publicação não é um prato principal, mas apenas um aperitivo.

Mesmo restringindo-se a uma região do grande continente, montar o roteiro pelo Sudeste Asiático continua sendo um desafio especialmente para quem tem pouco tempo e é preciso escolher o que incluir e o que deixar de fora… O roteiro apresentado aqui foi pensado seguindo uma linha de Norte a Sul e que propicia experiências muito diferentes, podendo agradar a todos os gostos, começando na China e terminando na Indonésia.

Macau
Macau, na República Popular da China, é uma cidade surpreendente por dois aspectos. O principal, por ser considerada a ‘Las Vegas Chinesa’. O setor de turismo ligado aos jogos de cassino é fortíssimo, praticamente movimenta sozinho a economia local.

macau

Outra peculiaridade de Macau são as suas características culturais com influências ocidentais. A cidade foi colônia de Portugal até 1999 – a última colônia europeia a se tornar independente na Ásia. Seu conjunto arquitetônico com traços portugueses é mesclado a modernos hotéis de altíssimo padrão. Turismo na cidade é altamente recomendado para os fãs de jogos de cassino, pois lá encontrarão magníficas instalações nos mega cassinos, com máquinas caça-níquel, roletas, blackjack, poker, e outros. Inclusive, quem vai em busca de um bom carteado, a Poker Stars mantém uma sala fixa no Cassino City of Dreams – a Poker Stars LIVE.

Se você se cansar da jogatina, deixe a ilha Taipa, atravesse o rio e na ilha de Macau encontrará o centro histórico, com similaridades arquitetônicas presentes nas igrejas e edifícios, além do calçadão do Largo do Senado, que reproduz em pedra portuguesa as ondas de nossa Copacabana.

Ho Chi Minh City
Se você não conhece este nome, com certeza lembrará de seu antigo nome: Saigon, que é a maior cidade vietnamita. Eu incluiria o lugar como ideal para quem busca viver o dia a dia dos habitantes locais em uma viagem, pois é bem populosa e cheia de contrastes. Construções antigas são preservadas entre arranha-céus imponentes, que estão sendo erguidos para abrigar centros de negócios e comércio. O Museu da Guerra conta a história dos conflitos vividos no país, inclusive a mais recente conhecida por nós como a Guerra do Vietnã, tão retratada nos filmes norte americanos. Tanques, aviões, imagens e objetos fazem parte do acervo. Se esta não for sua praia, visite o Mercado Ben Thanh para exercer sua capacidade de pechincha.

Resquícios da dominação francesa no século XIX podem ser conferidos na Catedral Notre Dame e no edifício sede dos correios, projetado por Gustave Eiffel (aquele de uma certa torre) ambos localizados na praça Cong Xa Paris.

HCMC fica no sul do país, e é uma cidade meio caótica. Ruas movimentadas,trânsito, mercados e comércio de rua, lojas variadas fazem o turista conviver com a população simples e hospitaleira do lugar. Os restaurantes, com culinária típica, os museus e pontos turísticos têm preços bem acessíveis. Também um ótimo lugar para quem pensa em viajar com economia.

Siem Reap
Siem Reap, no Camboja, é um dos destinos mais completos do sudeste Asiático. A cidade tem uma excelente infraestrutura turística, com hotéis, restaurantes, lojas, mercados, museus, e muitos atrativos para todos os gostos, com programas diurnos e noturnos.

Para quem busca história antiga e religiosidade, um passeio na cidade monumento de Angkor Thom, construída no século XII, vale a visita e a viagem. A última capital do império Khmer (civilização que dominou o Sudeste Asiático entre os séculos IX e XV) ocupa uma área de nove quilômetros quadrados, toda cercada por muralhas e repleta de esculturas. O  lugar é impressionante também por abrigar o templo Bayon, o imponente Santuário Budista.

Já para quem não dispensa um programa noturno, a Pub Street é uma rua da região do Mercado Antigo – Phsar Chas. Por lá encontram-se restaurantes, bares, boates, e as famosas casa de massagem – inclusive a ‘fish spa’, famoso estilo de massagem que usa peixes para massagear os pés. Um programa cultural imperdível é o espetáculo do Phare, o Circo do Camboja. Para as compras, vale dar uma garimpada no exótico e movimentado Angkor Market –  lá tem objetos de decoração, estátuas do Buda de todos os tipos e tamanhos, acessórios, roupas de seda, e uma infinidade de curiosidades.

Kuala Lumpur
Para um turismo mais urbano, Kuala Lumpur, a capital da Malásia, é uma cidade com arquitetura contemporânea, onde grandes edifícios se misturam aos templos de influência multicultural. Torres ultramodernas como as gêmeas Petrona Towers, com 451 metros de altura, e a Mesquita Nacional Masjud Negara contrastam com Batu Caves, um dos maiores templos hindus fora da Índia. Batu Caves fica a 17 quilômetros de Kuala Lumpur, no distrito de Gombak.

Kuala Lumpur é muito rica culturalmente – teatros, galerias de arte e museus, principalmente para quem quer conhecer arte islâmica. City Gallery também é passagem obrigatória para quem quer saber todos os detalhes sobre a capital. Para quem não vive sem ir à compras, Central Market e Chinatown são as indicações.

Bali
Finalizando com a Indonésia, que não poderia ficar de fora do nosso tour, de jeito nenhum. E vamos diretamente para o destino mais obvio – Bali, uma das mais de 13 mil ilhas do arquipélago. Quando pensamos nesse lugar logo nos vem à cabeça as roupas com estampas de desenhos psicodélicos e cores típicas, com clima de praia. E é isso mesmo. A ‘Ilha dos Deuses’, como é conhecida, é o paraíso do surf, das praias espetaculares e da descontração.

bali

Vale incluir na viagem as Ilhas Gili, que ficam a umas duas horas de distância de Bali, com a travessia feita por fast boat (embarcação local que faz o transporte de passageiros entre as ilhas). Aqui no blog tem um post sobre a pequena ilha de Gili Trawagan, que faz parte de um arquipélago com outras duas ilhas: Meno e Air. E aí o aperitivo vira um prato principal. Bom apetite!

Anúncios

2 comentários sobre “Lugares para Conhecer no Sudeste da Ásia

  1. Claudeci Orsati 14 de julho de 2016 / 14:03

    Viagem de sonho! TJ,

    Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s