Fotografando pessoas em viagens: legal e ou invasivo?

Embora eu não seja fotógrafa, sempre gostei de ver fotos profissionais e de fotografar, desde antes das câmeras digitais, dos smartphones, das redes sociais, que democratizaram como nunca antes a fotografia. Se você tem menos de 40 anos já deve ter ao menos ouvido alguém dizer que registrar viagens nessa pré historia era mesmo uma arte. Ou se compararmos com hoje, uma m…! A gente economizava nos cliques porque podíamos tirar no máximo 36 poses em cada rolinho e a revelação era cara (ou eu que não tinha grana mesmo?) e o resultado muitas vezes frustrante. Comprei minha primeira câmera semiprofissional (analógica, claro) em minha primeira viagem ao exterior. Ela fotografava super bem e era bem mais intuitiva do que a EOS Rebel que uso hoje, a fotógrafa é que não tinha experiência: perdi todas as fotos de minha primeira parada, porque não encaixei o rolo do filme corretamente, e as que consegui revelar (quem aí ainda deixa escapar “quero revelar minhas fotos”? ahaha) tinham enquadramento ruim e nenhuma criatividade. Mas este post não é uma viagem ao tempo e o que eu quero é saber sua opinião sobre fotografar pessoas desconhecidas, pela rua, então vai lendo…

Itália, claro

As paisagens são assunto preferido de qualquer viajante, afinal queremos guardar na caixinha mágica que é a câmera ou o smartphone todos aqueles lugares – e momentos – lindos e diferentes e maravilhosos para onde vamos em nossas férias. Mas alimentos, elementos naturais ou criados pelo homem também fazem parte do acervo deste museu interativo e fantástico que é o mundo. Gosto de registrar comidas, bebidas, caixas de correio, tampas de bueiro, janelas, portas, roupas no varal, enfim, tudo o que for característico e único de um lugar. E pessoas. Mas fotografá-las não é a mesma coisa que apontar a câmera para uma ponte ou para um drink, o que fazer, como fazer? Se você nunca se perguntou isso, talvez seja porque nunca tenha sido fotografado pela rua e se sentido invadido de alguma forma.Você está num parque, câmera na mão, e vê uma criança bebendo água da fonte, que sozinha já seria assunto de fotografia, uma vez que no Brasil poucas cidades contam com fontes para saciar a sede dos moradores. O que você faz? Tira a foto e depois fala com os pais da criança ou tira a foto dá meia volta e segue sua viagem?

Domingo na Plaza de Armas de Cusco, turistas se misturam aos locais, mas as roupas e a aparência te permitem claramente distinguir uns dos outros. Você tira a foto e ouve o xingamento da senhora e sai meio envergonhada pelo que fez, ou nem liga?

Casais também são assuntos interessantes para fotografar, mas me sinto a invasora do momento cheio de carinho que é tão só deles – e às vezes das redes sociais ahaha.

Momento não tão íntimo do casal, então me senti mais à vontade para o clic

E por falar nisso, as redes sociais devem ter engrossado o caldo da discussão sobre a ética neste tipo de fotografia, porque se antes apenas umas poucas pessoas tinham acesso à imagem, hoje uma foto compartilhada é vista por um número sem fim de seguidores das redes sociais.

Se você tem uma teleobjetiva, é possível que ‘furte’ o momento sem ser percebido, o que invalida parte desta discussão. Seu assunto não vai notar sua presença, agirá naturalmente e não modificará “a cena” que você captou antes do clique. Mas se como eu, você denuncia a intenção de fotografar, vai ter que vestir sua melhor cara de pau e lidar com o humor dos fotografados. Abaixo, os londrinos até sorriram sem que eu pedisse – ou será que rolou uma piadinha?

Não sei se rolou uma piadinha, mas pelo menos sorriram

O Vinicyus do Viagem.grafia fez esta foto linda usando zoom. Aproveite e confira o perfil dele no Instagram, você vai gostar!

Poliziotto guardando la Fontana.

A post shared by VIAGEM'GRAFIA (@viagem.grafia) on

E fotografar pobreza, miséria, tristeza, morte, pessoas expressando fé, pode? Não seria invasão de um momento tão particular? De certo que a fotografia tem o poder de emocionar, disparar empatia, compartilhar alegrias e denunciar horrores da humanidade, mas penso que eu não conseguiria ser jornalista fotográfica, pois sempre há polêmica em imagens fortes e impactantes. Acho que a mais recente é a imagem do corpo do menino sírio numa praia turca em 2015, mas me lembro bem daquela menina do Sudão espreitada por um urubu, cujo fotógrafo se suicidou um ano depois, de remorso, segundo dizem.

O universo de um turista é muito mais leve, mas já levei empurrão de vendedor em Praga por estar fotografando sua banca e já fui xingada por italianas à janela estendendo roupa no varal – va bene, quem é que elas não xingam?!

Criança e sempre fácil fotografar!

Mas como você faz para fotografar monges budistas, pessoas rezando, dançando, namorando, comendo? Já passou por alguma saia justa por causa disso? Conte aí nos comentários.

 

 

26 comentários sobre “Fotografando pessoas em viagens: legal e ou invasivo?

  1. Juliana Moreti (turistando.in) abril 17, 2017 / 10:12 pm

    Eu não me sinto bem! Jà perdi momentos fantàsticos para uma boa foto, mas não tive coragem de morar minha câmera até o meu objetivo. Um amigo fotògrafo faz muita foto de pessoas, mas assim como o Vinicyus, ele também usa uma lente com um bom zoom (mas eu não me atrevo a levar uma lente pesada durante uma viagem).

    Porém, passei por uma situação curiosa. Eu estava na StephanDom em Viena e fui fazer o tour nas catacumbas. Como tinha escada e estàvamos com o carrinho do Léo, meu marido resolveu ficar dentro da igreja.
    Quando acabou o tour, voltei para là e vi meu filho fazendo arte e fui fotografà-lo sem que ele percebesse. Na mesma hora apareceram diversas japonesas com suas câmeras e celulares fotografando meu filho. Fiquei sem reação!
    rs

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja abril 26, 2017 / 11:59 pm

      Eu também fico supre constrangida, mas acho que sou mais atrevida ahaha. E quanto às fotos com seu filho, que engraçado, né? É instantâneo: ningué está fotografando a pessoa ou o lugar, basta um apontar a câmera e os demais se voltam para fazer o mesmo!

      Curtido por 1 pessoa

  2. Lu abril 21, 2017 / 6:23 pm

    Nunca faço isso de tirar fotos de pessoas, apesar de querer muito! Acho que eu falaria com a pessoa sobre a fotografia antes de fazer qualquer coisa com ela.

    Lembro de uma conhecida que se interessava por fotografia e queria fazer um trabalho com uns moradores de rua. Ela se enfiou embaixo de um viaduto e disse pro pessoal que tava ali que queria fotografá-los. Achei muito corajoso levar um equipamento caríssimo no meio do centro de são paulo, logo ela mulher, jovem e solteira. A maior admiração veio do fato de ela ter perguntado se podia fotografá-los, isso deu muita humanidade pro trabalho dela e fez com que ela ganhasse respeito dos fotografados.

    Acho que respeito é tudo, principalmente quando lidamos com uma imagem que o indivíduo tem de si.

    Abraços!

    Curtir

  3. Marianne Rangel abril 21, 2017 / 6:29 pm

    Eu já ouvi reclamações de algumas pessoas por estar fotografando. Nos Souks no Marrocos eles não curtem muito, e tenho até uma foto com o cara escondendo o rosto com a mão. No Peru as mulheres vestidas não gostam tb, a não ser que você pague pra tirar a foto! Hoje em dia fico meio sem graça de fotografar, e algumas vezes disfarço pra tirar uma foto com uma pessoa na cena, quando eu acho que vai ficar muito legal. Recentemente tirei uma de uma criança na fonte, como a sua, mas fiquei sem graça olhando para os lados pra ver se os pais iam fazer cara feia.
    Mas uma vez eu fui a personagem da foto de alguns turistas japoneses. Confesso que achei estranho, porque eles tentaram disfarçar e eu notei. Acho que se tivessem me pedido, eu teria deixado, na boa!

    Curtir

  4. Camila Lisbôa abril 22, 2017 / 1:30 pm

    Olha… depende! Tem vezes que tiro a foto tão escondidinha que ninguém percebe… rs… Mas normalmente tiro a foto e mostro pra pessoa depois. Se ela não gostar, apago… paciência. Mas já aconteceu de me passarem o email para que eu mandasse a foto depois 🙂

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja abril 27, 2017 / 12:01 am

      Pois é, Camila, também já apaguei foto porque a pessoa não gostou – e nem era dela, mas sim de sua banquinha, mas o problema é que às vezes não dá para pedir permissão, como na foto das crianças esquiando, que etavam sem os pais… E ficou uma foto linda, espontânea, adorei o resultado!

      Curtir

  5. Keul Fortes Ana Raquel abril 22, 2017 / 6:11 pm

    Nunca tirei fotos de pessoas! rs. Alias eu adoro fotografar paisagens. Cada um tem seu estilo né? Dependendo da região acho que as pessoas são mais tranquilas quanto serem fotografadas, já em outras acho que um click pode gerar um certo constrangimento.

    Curtir

  6. Aline Dota Naganawa abril 23, 2017 / 5:25 am

    Quem cuida das fotos do blog é meu marido, ele popucas vezes tira foto de pessoas. Prefere tirar quando a pessoa não vai notar..rsrs. Acho que tudo depende da situação!!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Deisy Rodrigues abril 24, 2017 / 12:45 am

    Não tiro foto de desconhecidos, mas achei a discussão bem interessante, gosto mesmo de tirar fotos de lugares, detalhes, objetos, coisas que muitos não ligam mas eu acho cheio de encanto.

    Curtir

  8. Katarina Holanda abril 24, 2017 / 10:17 am

    Acho esse um assunto bem delicado e uma discussão importante. Eu amo fotografia de rua e acho que o bom senso deve ajudar a definir essa linha entre arte, trabalho e intromissão. O livro “Leia isto se quer tirar fotos incríveis de gente” tem um capítulo bem bom sobre isso.

    Curtir

  9. quartodeviagem abril 24, 2017 / 10:26 am

    Realmente uma questão a se pensar, eu sempre tento não invadir o espaço alheio, mas às vezes é irresistível não tirar! Um grande beijo

    Curtido por 1 pessoa

  10. blogdiasdeoutono abril 24, 2017 / 11:01 am

    Acho que nunca tinha pensado “de verdade” nisso. As pessoas, atualmente, são muito de pegar e sair fazendo, sem pensar nas consequências ou no aborrecimento. Acho lindas aquelas fotos feitas em momentos certos (ou não, porque geralmente o fotógrafo faz mais de um clique), que passam uma emoção, um sentimento, uma angústia, uma alegria, mas confesso que nas poucas vezes que tentei fotografar pessoas aleatoriamente me senti constrangida.

    Curtir

  11. Ju Garzon abril 24, 2017 / 1:34 pm

    Acho que vou dar a repostas mais anti-social de todas: não gosto de ninguém nas minhas fotos. Kkkkk Sei lá, eu quero guardar a paisagem, não as pessoas. Mas acho o tópico SUPER válido porque nesta era de redes sociais, acho que as pessoas esquecem um pouco dos limites da privacidade. É bem delicado. Sigo uma pessoa no Instagram que anda pela rua mostrando o look das pessoas na rua no Stories, por exemplo. Sei que não gostariam que fizessem isso comigo.

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja abril 27, 2017 / 12:06 am

      Cada vez mais difícil não ter ninguém na paisagem, né? Nossa, isso de street photo é complicadíssimo, mas sempre existiu… Acho que na questão de fotos de moda ou de corpo, cabelo, enfim, que apontem “erros” ou defeitos, é uma invasão, porque vai além de expor a imagem, você expõe elementos que podem interferir na autoestima da pessoa.

      Curtir

  12. Josiane Bravo abril 24, 2017 / 11:13 pm

    Que texto mais lindo Márcia, realmente algo para refletir. Eu amo fotografias, mas não tenho a habilidade de um profissional hehe. Amo fotografar paisagens, etc, mas sempre procuro tirar fotos quando não tem gente justamente por medo de está incomodando a pessoa ou pelo fato de não agradar. Agora vou confessar uma coisa hehe, sou muito mais fã de fotos com pessoas do que apenas paisagem 😉 Principalmente fotos espontâneas.

    Abraços

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja abril 27, 2017 / 12:08 am

      As pessoas na paisagem criam um elemento de referência e acho que enriquecem. Quando viajo com alguém, uso a pessoa ou eu mesma como “modelo”, mas e se você estiver sozinha? E quando a pessoa tem elementos que representam a cultura local, o resultado é muito mais rico do que se eu fotografasse um turista qualquer…

      Curtido por 1 pessoa

  13. Vickawaii abril 26, 2017 / 9:03 am

    Bah, tu trouxe uma discussão bem legal aqui pro blog. As fotos que ilustram o blog, por exemplo, são muito legais e seria uma pena “desperdiçar o momento”. Eu acho que está tudo bem fotografar em espaços públicos, mas tem que ter bom senso da pessoa, de sentir que é melhor pedir autorização ou que a foto não vai prejudicar nem nada. É melhor pedir perdão do que permissão huieheiuheu
    E ah, muito legal sua história no início do blog! Imagino que tenha sido muito complicado fotografar a viagem no passado hiuehuei, mas aposto que essas fotos antigas tem um valor sentimental muito maior do que as 1500 fotos que tiramos atualmente, afinal, escolhia-se um click pra cada lugar hueiheiu
    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

    Curtir

  14. Mariana abril 26, 2017 / 12:32 pm

    Marcia, acho esse um ponto bem delicado da fotografia… Eu não fotografo pessoas exatamente por esse motivo, porque acho que registrar um momento de alguém sem autorização é algo extremamente invasivo. Eu não gostaria de ter fotos minhas circulando internet afora sem que eu soubesse. Caso as fotos não sejam divulgadas, aí ok. Por outro lado, se há a autorização da pessoa fotografada (de preferência por escrito), a história muda completamente de figura. Sou jornalista e quando trabalhava em revistas, as pessoas que eram fotografadas em lugares públicos (e nós não tínhamos autorização de imagem) tinham a face borrada para evitar reconhecimento.

    Curtir

  15. Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja abril 27, 2017 / 12:14 am

    Verdade, Mariana, mas em blogs de viagem não dá pra “borrar” a rosto das pessoas porque o enfoque está nas pessoas e suas expressões diante da paisagem, do lugar. Imagino que na revista em que trabalhou o assunto não era a pessoa em si, mas talvez o modo de se vestir, estou certa? E isso muda tudo. Mas você está certa, acho que pedir autorização é o melhor!

    Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s