Santiago: Parque Quinta Normal e Araucano, Centro

Este post encerra os relatos de 5 dias em Santiago do Chile em março. Neste penúltimo dia visitamos o Museu de Historia Natural, o Parque Araucano e o Shopping Arauco, e na última manhã passeamos mais uma vez pelo centro de Santiago, visitando novamente a Plaza de Armas e o Cerro Santa Lucia, entre outros.

Depois de fazer as principais atrações de Santiago, sobrou um tempinho para passeios ainda na cidade, mas não alcansáveis pelo meio de transporte mais antigo da humanidade (leia o roteiro pelo centro, quando fizemos tudo a pé), então usamos o Uber para chegar aos dois extremos do dia: o parque Quinta Normal e o Parque Araucano e seu vizinho shopping Arauco. Já é uma tradição a gente passear pelo parque principal da cidade se temos a sorte de estar lá num domingo, quando podemos observar melhor a vida local, mas como viajaríamos logo após o almoço, tivemos que fazer isso no sábado.

O Quinta Normal  foi fundado em 1841 e é considerado o parque mais bonito de Santiago. Abriga vários museus: o Infantil, o de Historia Natural, o Ferroviário, o de Ciência e Tecnologia, O Artequin, o de Arte Contemporânea e o da Memória e dos Direitos Humanos. Nem todos ficam dentro do parque, mas como se localizam em frente ou atrás dele, acho que dá pra passar o dia todo por lá para conhecer todos os museus.

Nós optamos pelo Museu de Historia Natural, de 1876, um dos mais antigos da América Latina e mesmo sem estar com nossa filha, que adora este tipo de museu, foi interessante ter uma visão das regiões do Chile, que são tão distintas como o deserto do Atacama, as florestas exuberantes da região dos lagos e o extremo sul da Patagônia, aprender mais sobre vulcões, geleiras, guanacos e condores, tudo o que a gente gosta de ver e fotografar, explicadinho sem dar sono.

Fiquei surpresa com a organização e cuidado do museu – e com pesar por não termos um museu de historia natural no Brasil! Sim, tem bicho empalhado, o que incomoda algumas pessoas, mas tem também muita informação acessível. Como mãe e professora, gostei especialmente de um recurso presente no final de cada exposição, com objetivo de revisar o que foi visto, propondo uma espécie de teste em forma de jogo. É pra crianças, mas aproveitei pra me testar ehehe!

Outra coisa legal do museu é que especialistas trabalham em salas envidraçadas, recuperando objetos, empalhando animais, enfim, algo que eu só tinha visto no Animal Kingdom da Disney-Orlando e fiquei feliz por encontrar em nossa América.

O Museu abre de terça a domingo, das 10h-17h30 (11h aos domingos), e a entrada é gratuita. Para chegar lá, tome o metrô até a estação Quinta Normal:

a entrada do parque, na estação do metrô
enfim, a explicação!

Novo Uber (6.139 pesos) nos levou até o outro lado da cidade, ao longo da Costanera, quando tivemos a chance de avistar o Sky Costanera e conhecer uma região nova e próspera da cidade. O Shopping Parque Arauco, é elitizado, tem boas lojas, inclusive internacionais, e uma praça de alimentação ao ar livre deliciosa, e foi lá que fizemos nosso almoço.

E foi na Trattoria Rita que tomei o pisco sour mais forte da minha vida! No primeiro gole já senti algo diferente, mas continuei a beber mesmo assim, afinal, é uma de minhas bebidas preferidas. Resultado: depois do almoço tive um pileque equivalente a beber uma garrafa de vinho sozinha! Falei pro meu marido: preciso deitar e dormir! Sério, eu precisava. Atravessamos a rua e fomos para o Parque Arauco, uma delícia em pleno sábado: picnics, artistas de rua, famílias aproveitando o sol de fim de verão, pistas de skate. Tem até KidZania, um ambiente educacional e interativo. E o melhor para mim: uma graminha convidativa pra dormir – e sem formigas! Sim, a perfeição em forma de gramado: verdinho, na sombra, num canto tranquilo do parque e sem insetos. Dez minutos depois, acordei como se nada tivesse acontecido. Mujer Borracha Viaja! Meu marido fez um vídeo do momento em que acordei, mas eu não vou compartilhar, não. Fique em sua imaginação! ahaha

Voltamos para o hotel no centro novamente de Uber (4.729 pesos) e à noite encontramos nossas amigas do Atacama para o último jantar em Santiago, no Pátio Bellavista. A Rua Pio Nono estava em festa: muita gente circulando, mesas nas calçadas lotadas e tinha até uma rodinha de samba, com mulheres passistas e fantasias! Aí o coração da gente aperta e dá uma saudade de casa… Não da minha, não da nossa, mas da casa que é nosso país. Tenho muitas críticas ao Brasil, mas jamais deixarei de me emocionar com o que nos identifica como brasileiros.

Você conhece o Pinterest? É uma plataforma de imagens que você pode salvar em pastas, dentro da plataforma mesmo – e pode salvar também as imagens dos blogs! Isso ajuda muito a voltar àquele post com dicas legais. Quando você passa o mouse sobre uma imagem no blog Mulher Casada Viaja, vai aparecer um P vermelho, ícone do Pinterest. Aí é só salvar, caso já tenha uma conta lá. Na plataforma, as imagens são assim, com títulos:

museu de Historia Natural

Já está chegando a hora de partir…
Nossa última manhã em Santiago, então acordamos cedo e caminhamos pela Av. Libertador Bernardo O’Higgins até o Cerro Santa Lucia. Este trajeto de 2 km permite passar pelo La Moneda (sede do governo), pela Biblioteca Nacional do Chile e Universidade do Chile. Era um domingo tranquilo no centro e havia poucas pessoas pelas ruas. 

Quando chegamos ao Cerro, seus portões ainda estavam fechados, então fomos os primeiros a assinar o livro de visitas e consegui fotos sem ninguém nas escadas ou terraços.

Para voltar ao hotel, pegamos a Rua Augustinas e fotografamos o Teatro Municipal e depois a Moneda, que tem edifícios neoclássicos lindos, como o da Bolsa de Comércio.  Na Rua Bandera, dois prédios são unidos por uma ‘ponte’ de vidro.

teatro municipal de Santiago
Bolsa de Comércio
Detalhe na Rua Bandera

Caminhamos para a Plaza de Armas, que parecia uma praça de cidade interiorana naquela manhã, e finalmente fotografei os edifícios com uma luz favorável, porque todas as vezes que havia passado por lá era final de tarde e, ou havia sombra, ou o sol ofuscava demais – ou eu ficava com receio de sacar a câmera da mochila.

A Catedral e o prédio dos Correios ao fundo
Museu Histórico Nacional

Deixei Santiago com uma impressão muito boa da cidade e com a vontade de voltar no inverno para conferir se a cara dela muda e aproveitar a neve nas montanhas.

Para completar seu planejamento de viagem ao Chile, leia os demais posts sobre Santiago, e na página Chile você encontra dicas sobre Atacama, Torres del Paine e Região dos Lagos (Puerto Varas).

 

 

Anúncios

8 comentários sobre “Santiago: Parque Quinta Normal e Araucano, Centro

  1. Viviane Carneiro 24 de outubro de 2017 / 18:39

    Adorei o post e as dicas! Estive em Santiago este ano pela primeira vez e simplesmente me apaixonei pela cidade. Pretendo voltar em breve. Bjs

    Curtir

    • Marcia 26 de outubro de 2017 / 10:46

      É mesmo uma cidade que merece ser (re)visitada. obrigada pelo comentário. bjs

      Curtir

  2. Ana 24 de outubro de 2017 / 19:46

    Que passeio gostoso! Já visitei Santiago algumas vezes e ela sempre terá um gostinho doce em minhas memórias porque foi a primeira vez que corri uma meia maratona em menos de 2 horas. Foi uma prova dura, mas saborosa! ehehe

    Cidade plana, boa mesmo para caminhadas! Tomara que você consiga voltar no inverno. Sou suspeita pois adoro um friozinho e SCL fica gelada! rsrsr bjs

    Curtir

    • Marcia 26 de outubro de 2017 / 10:46

      Que legal, Ana, parabéns pela conquista. Eu não preciso de desculpa pra viajar, mas ser maratonista é um incentivo a mais, né?

      Curtir

  3. amamelo 25 de outubro de 2017 / 7:25

    kkkk. Adorei a parte do pileque de pisco, eu também adoro e tomo vários pileques quando estou no Chile. Não conhecia esse museu de história natural, mas no Brasil temos sim, o da Quinta da Boa Vista, no RJ, é maravilhoso!!! Os parques chilenos são fantásticos, né?

    Curtir

    • Marcia 25 de outubro de 2017 / 10:38

      Ah, que bom saber que existe um. Fiz uma pesquisa e não achei nada. Valeu!

      Curtir

  4. Ana Carolina Miranda 27 de outubro de 2017 / 13:50

    Muito bem explicado seu post, gostei muito. Vai nos ajudar a fazer nosso próximo roteiro em Santiago. Obrigado pelas dicas e cuidado com o pisco sour!!!! Brincadeirinha, rsrsrsrs.

    Curtir

  5. Leo Vidal 30 de outubro de 2017 / 16:24

    Taí um lugar que não conheci em Santiago, o Museu de História Natural e o Parque Arauco. Parece bem interessante, em especial pela explicação sobre as regiões de Chile, que são tão distintas e igualmente belas.

    Curtido por 1 pessoa

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s