San Quirico d’Orcia e Pienza: Toscaninhas do Vale d’Orcia

Não sei se é o sangue que corre em minhas veias, mas qualquer cantinho da Itália me emociona. Deve ser isso, o sangue, afinal a Toscana é o que? Uma região rural bela, mas não é única, você encontra muitas assim pela Europa ou Américas. Boh! Quem estou querendo enganar… Os campos são apenas o cenário para os personagens principais, as cidades muradas no alto de colinas, cheias de historia, charme, bons vinhos e aquela comida! Estive em Montalcino, San Quirico d’Orcia e Pienza e deixo aqui as dicas de o que fazer na sua visita a cada uma destas Toscaninhas.

que cidades visitar Toscana

Roteiro na Toscana Rural
Chamo de Toscana Rural para excluir desta categoria as duas cidades principais – e grandes -da região, Florença e Siena, só pra deixar claro. Se você vai visitá-las na mesma viagem, considere ficar na Toscana ao menos 5 noites (2 noites para Florença, 1 noite para Siena e 2 na Toscana ‘Rural’). Se puder ficar mais, melhor sempre.

Vale d'Orcia Toscana
Pienza vista da estrada

Esta viagem aconteceu no início de junho de 2016 e o roteiro na Toscana começou em Siena, onde retiramos pela manhã um Fiat Panda na loja da Hertz, perto da estação de trem. Nossa primeira parada do dia está relatada no post sobre Montepulciano, e Pienza e San Quirico d’Orcia foram as próximas cidades. Chegamos a Montalcino já de noitinha, só para dormir num agriturismo, e a visitamos no dia seguinte, quando também conhecemos Cole di Val d’Elsa e San Gimignano. Ou seja, em dois dias passamos por 6 cidades da Toscana rural.

‘Nossa, 3 cidades em um dia?’, muita gente pode se surpreender, mas elas são bem pequenas e se você não quiser ficar horas provando vinhos (eu estava dirigindo, não ia rolar) dá pra conhecê-las com calma, sim. Montepulciano, por exemplo, tem só 1 km de extensão, para você ter uma ideia, e a distância entre Pienza e Montalcino é de apenas 28km. Se você depender de transporte público ou estiver em excursão, o tempo em cada cidade certamente será reduzido e talvez não consiga visitar todas.

O que Fazer em Pienza
Chegamos a Pienza logo após o almoço e entramos no centro histórico – e murado – pela Porta al Prato. Ali, na Piazza Dante Alighieri fica o Ufficio Turistico. Atravessamos o pórtico, seguimos em frente, pela Corso Rosselino, e poucos metros depois já estávamos diante do Palazzo Piccolomini, da Prefeitura e da Catedral Santa Maria de Assunta, todos na Piazza Pio II, que leva o nome do papa nascido na região e que se inspirou no Renascimento para fundar Pienza, sobre o Castelo de Corsignano, que marcava as fronteiras entre Siena, Florença e Orvieto. O centro histórico de Pienza está listado como patrimônio da humanidade pela Unesco desde 1996 e a cidade tem apenas 2 mil habitantes. 

Pienza Toscana

O Palazzo Piccolomini foi construído entre 1459 e 1462 e desde 1960 se tornou público, podendo ser visitado internamente. Possui nos fundos uma loggia com vista para seus jardins e aquela bela vista do Vale d’Orcia e foi usado em cenas do Romeu e Julieta de Franco Zeffirelli (não adianta ir a Verona atrás das locações!). O ingresso custa €7 e há audio guide em Português.

Mas você sempre tem uma vista panorâmica gratuita nas cidades toscanas! Continue em frente pela Corso il Rosselino e entre na Via della Fortuna ou da dell’Amore, que você sairá em uma rua-terraço. Ao fundo, o Monte Amiata, vulcão adormecido que rendeu algumas termas na região, como em Bagno Vignoni e Bagni San Filippo. É a montanha mais alta da Toscana, com 1738 metros, e no inverno é uma opção para esquiar, principalmente para principiantes.

Pienza Toscana
Vale d’Orcia a partir do mirante

Em frente ao Palazzo Piccolomini está a Prefeitura de Pienza, com destaque para a torre do relógio e os arcos em sua fachada.

Pienza Toscana

O Museu Diocesano fica no Palazzo Borgia, ao lado da Catedral Santa Maria Assunta, e exibe obras de artistas renomados de Siena, do século 14.

Pienza Toscana
A catedral de Pienza

Renomado mundialmente, o pecorino, o queijo de cabra de Pienza, deu origem à Fiera del Cacio, festival que acontece desde 1960 no início de setembro (em 2018 será no dia 2), quando Pienza tem il gioco del cacio al fuso: os participantes têm que atirar um queijo de cabra redondo com o objetivo de atingir um espeto fincado num círculo de pedra na piazza Pio II. Então se você for a Pienza em outra data e se perguntar ‘cos’è questo circolo?’,  já sabe.

Pienza Toscana

Como você vê, não há muitas ‘atrações’ e o mais gostoso, assim como em outras cidades, é caminhar sem rumo pela ruelas e ir encontrando pequenos tesouros. Pienza Toscana

Pienza Toscana

Pienza Toscana

O final de tarde pedia um café e um agrado ao paladar, e paramos no Cafe Piccolomini para uma fatia de Panforte, a torta típica da região de Siena.

Pienza Toscana

Estacionamento em Pienza
Estacionamos numa rua residencial, fora dos muros da cidade, bem perto da Porta al Prato, mas há um bolsão de estacionamento ao norte e outro ao Sul da cidade, na SP-18, coladinhos na muralha. Lembre-se de que não é permitido dirigir nas ZTL (leia Diringindo na Itália).

Pienza Toscana
O estacionamento aos pés da muralha e mirante


A capela Madonna di Vitaleta
Saindo de Pienza em direção a Oeste (Montalcino) coloque em seu GPS ou outra ferramenta qualquer o nome da capela Madonna di Vitaleta, porque não vi qualquer indicação de placas na estrada. Eu perdi a entrada, mas fotografei de longe e, sinceramente, acho mais bonito o conjunto da capela, flores e colinas do que fotografar a capelinha de perto.

Val dorcia capela Toscana

Para conhecer estas cidades, a melhor opção é alugar um carro. Não há estações de trem por perto e você dependeria de excursões ou ônibus de linha, o que te privaria de parar em um cenário arrebatador ou outro, que a gente sempre encontra pela Toscana. Você pode alugar um carro em Siena, cidade grande mais próxima destas toscaninhas. Confira na Rentcars, plataforma com as maiores locadoras de veículos, com a vantagem de pagar em reais, livre de IOF, e ainda poder parcelar no cartão de crédito. Confira aqui.

Não vai rolar um desses, afinal, nem caberiam as malas!

San Quirico d’Orcia
Viajar no verão tem a vantagem de ter a luz do dia a favor do turista incansável e apesar de serem quase 17h demos uma passadinha em San Quirico d’Orcia, afinal, eram apenas 10 km de distância. Estacionamos aos pés da muralha, na Via dei Fossi, onde tem uma escadinha para chegar ao centro histórico. Ao longo da muralha, você verá várias torres de pedra, que hoje devem ser residências.

San Quirino d'Orcia Toscana

Sem mapinhas ou GPS, caminhamos despretensiosamente pelas ruas estreitas e de casas de pedra, e encontramos um grupo de jovens que praticavam sbadieratori, uma espécie de esporte que tem origem nas batalhas medievais e que consiste numa competição de coreografia e lançamento de bandeiras ao alto. Claro que eu não sabia disso na ocasião, mas pesquisei pra compartilhar aqui.

San Quirino d'Orcia Toscana

Na terceira semana de junho, os participantes de 4 ‘times’ (algo parecido com o que acontece no Palio de Siena) vestem roupas medievais e se apresentam durante a Festa del Barbarossa, quando além do sbadieratori há competição de Arco e tavernas medievais servem vinho toscano e comida local. A festa é em comemoração à visita do imperador Romano Frederick I Barbarossa, em 1155.

Como eu não tinha ‘estudado’ sobre a cidade, acabei perdendo a visita ao parque local, o Horti Leonini, jardim renascentista. Se você foi, me conta o que achou nos comentários.

Na via Dante Alighieri fica o Palazzo Chigi-Zondadari, sede da prefeitura, e a igreja San Quirico e Giulitta. Não perdi a chance de fotografar mais um poço, adoro!

San Quirino d'Orcia Toscana

San Quirino d'Orcia Toscana

Seguindo pela mesma rua, chegamos a um mirante onde há o busto de Tazio Nuvolari, corredor dos anos 1930 que venceu duas vezes a corrida das Mil Milhas. Embora minha amiga tenha dado um high 5, o gesto da estátua representa saudação a Mussolini. Oops.

San Quirino d'Orcia Toscana

O belo viaduto em arcos foi renomeado Mille Miglia por ocasião da inauguração do busto. Parece que o traçado da lendária corrida passava por ali.

San Quirino d'Orcia Toscana

Voltando pela Dante sentido Sul, passamos ainda em uma loja de decoração com objetos super fofos, uma boa chance de comprar um souvenir original.

San Quirino d'Orcia Toscana

Ainda tivemos tempo de provar alguns vinhos e comprar frutas e queijos antes de partir para Montalcino, onde chegamos já era noite (ai, como nos perdemos!), mas um amanhecer dos sonhos, com direito a brumas pelos vinhedos. Mas esta historia eu contarei num próximo post.

Onde Ficar no Vale d’Orcia
Muita gente prefere ficar em Siena ou Florença e fazer bate-voltas, mas eu sou do time que prefere ficar nas cidadezinhas ou num agriturismo, fazenda produtora de vinho ou azeite que aluga apartamentos que geralmente têm cozinha completa. Veja abaixo algumas sugestões:

Antico Podere la Martinella
Agriturismo Bagnolo 
Agriturismo La Buca di Bellugi

Val d'orcia Toscana onde ficar
Vinhedo no agriturismo em Montalcino

Não se esqueça que o Booking é a melhor plataforma para reserva de hotéis e eles andam cobrindo ofertas! Veja outras opções e faça sua reserva no Vale d’Orcia através deste link. 

E aí, o que achou destas Toscaninhas do Vale d’Orcia? Deixe seu comentário ou dúvida. Baci!

Anúncios

22 comentários sobre “San Quirico d’Orcia e Pienza: Toscaninhas do Vale d’Orcia

  1. fabiopastorello novembro 2, 2018 / 12:37 am

    Amei o post. Essa região foi uma das mais queridas de nossa viagem pela Toscana, seu post tá cheio de detalhes e lugares encantadores, vontade de voltar logo! Beijos.

    Curtir

    • Marcia novembro 5, 2018 / 3:42 pm

      Difícil eleger uma preferida na Toscana, são todas parecidas e ao mesmo tempo únicas, mas Val d’Orcia é a região que melhor define Toscana. Obrigada pela visita e comentário.

      Curtir

  2. Deisy Rodrigues julho 25, 2018 / 5:04 am

    Apaixonada por esse post e todas essas cidades encantadoras, um roteiro lindo e cheio de charme, as fotos ficaram lindas, parabéns.

    Curtir

    • Marcia julho 26, 2018 / 1:04 am

      Obrigada, Deisy. É mesmo um destino encantador.

      Curtir

  3. rui batista julho 23, 2018 / 6:52 am

    Fiquei a sonhar com esses belos lugares e dengosa gastronomia 🙂 A Itália é mesmo incomparável… Belas fotos, fazem-nos querer partir já!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Fábio Mendes julho 20, 2018 / 3:49 pm

    Que região maravilhosa, encantadora! Muitas saudades de visitar a Toscana. Espero voltar em breve, é uma região inesquecível. Adorei o seu relato!

    Curtir

  5. Gisele Ramos julho 20, 2018 / 11:34 am

    Que delícia conhecer todos esses encantos em poucos dias! A região da Toscana parece realmente linda, um dia ainda vou visitar!

    Curtir

    • Marcia julho 21, 2018 / 5:49 pm

      Vida e dinheiro curtos, senão eu ficaria mais, num dolce far niente!

      Curtir

  6. Gabi Torrezani julho 20, 2018 / 5:41 am

    Nossaaaaa, a Toscana é realmente um cenário de filme! Cada foto, cada cantinho… lindo demais! Adorei o post 😀

    Curtir

  7. Nana julho 20, 2018 / 12:14 am

    que lugar mais fofo!! adorei!! muita vontade de fazer essa viagem!!!

    Curtir

  8. Lais julho 19, 2018 / 10:52 pm

    Não tem como não amar essas paisagens da Toscana, sério, é muita beleza.. os campos, as construções.. tão bucólico.

    Curtir

    • Marcia julho 21, 2018 / 5:42 pm

      Então não é o sangue nas minhas veias, né? rsrsrs

      Curtir

  9. Murilo Assunção julho 19, 2018 / 9:46 pm

    Em Montalcino ficamos em um agriturismo il Cocco, 5km da cidade, um jantar show, produtores de Brunello, tudo maravilhoso.

    Ahhhh, homem casado também viaja, com a mulher dele.

    Curtir

    • Marcia julho 21, 2018 / 5:41 pm

      Tão legal agriturismo, né? Também viajo com marido, mas nesta ele não pôde ir, ahaha

      Curtir

  10. Fabiane julho 19, 2018 / 6:43 pm

    Quando você acha que não dá para se apaixonar mais pelas “Toscanas”, vem uma coleguinha que faz um passeio desses, e compartilha a experiencia só para te deixar com vontade – hehehe – Amei. ❤

    Curtir

    • Marcia julho 26, 2018 / 1:03 am

      A gente sempre se apaixona mais. Viajar tem disso: paixão durante o planejamento, durante a viagem, depois quando revemos… não acaba nunca, por isso é ótimo investimento para a alma.

      Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.