Dirigindo na Califórnia #2: Sinais e Regras de Trânsito, Combustível, Estacionamento

Esta é a segunda parte do post com dicas para quem vai dirigir na Califórnia, como sinais de trânsto, combustível e estacionamento, mas as dicas cabem bem para outros lugares dos Estados Unidos, também. Não deixe de ler a primeira parte do Dirigindo na Califórnia, que dá dicas de pedágio, estradas, aluguel de carro e habilitação.

Não sei se foram as décadas de estudo e posteriormente de ensino de Inglês americano (ou serão décadas de filmes, animações e séries americanas?), o fato é que a sinalização e até algumas regras de trânsito a gente simplesmente sabe, mas ainda assim me surpreendi com uma delas, que nunca tinha reparado em outros estados, então o mesmo pode rolar com você. Estacionamento é sempre uma incógnita e neste post você encontra dicas muito legais sobre isso e mais ainda sobre combustível. Deixe a preguiça de lado e leia o post todinho!

Continuar lendo

Anúncios

Dirigindo na Califórnia #1: Pedágios, aluguel de carro, estradas e mais

 Sonhando em dirigir pelas estradas da Califórnia, mas não sabe se a CNH é aceita, quanto custa um galão de gasolina, como são as regras de trânsito e outras tantas dúvidas que surgem no planejamento ou que nos pegam de surpresa quando já estamos dirigindo pela Califórnia? Então fica aqui e leia a primeira parte do Guia para Dirigir na Califórnia, fruto de minha observação, experiência e pesquisa para você rodar tranquila/o pelas infinitas highways. Esta primeira parte compreende habilitação, fala sobre as estradas, limites de velocidade e aluguel de veículo.

Bay Bridge, em São Francisco

Emissão de Passaporte Brasileiro

Com antecedência de um mês do vencimento, recebi um e-mail da Polícia Federal me lembrando que meu passaporte venceria em 6 meses, olha que coisa inesperada de um serviço público, mal acreditei. Poucas semanas depois de eu fazer o agendamento, veio a preocupante notícia de que a Polícia Federal deixaria de emitir novos passaportes por falta de verba.  Compareci ao posto da Polícia Federal em São Caetano do Sul em 4 de julho e ainda não havia previsão de entrega dos passaportes, mas a funcionária me assegurou que em setembro, quando viajarei, a situação “já” deve estar normalizada. Aproveito para deixar dicas de como emitir (ou renovar, já que é o mesmo processo) o passaporte brasileiro.

Continuar lendo

Aprender uma nova língua: outra forma de viajar

Sem grana ou tempo pra viajar? Que tal mergulhar em outra cultura enquanto aprende uma língua? Fiz duas grandes viagens (leia-se caras) logo no começo deste ano e estou no período entre viagens, ou seja, fase de abstinência, sofrendo cold turkey (esta veio direto do túnel do tempo, do livro Christiane F, quem lembra?), então tive a ideia de compartilhar como tenho mantido a sanidade (aff, Marcia, que exagero digno de uma canceriana!): aprendendo italiano.

Continuar lendo

Receita de Viagem 📝

A receita para planejar uma viagem perrengue-free ainda não inventaram, mas é só ter ingredientes de boa qualidade e o modo de preparo, e acrescentar um segredo da vovó ou de uma amiga (ou de uma blogueira), que certamente é o que vai dar o gostinho especial!

Procurei organizar aqui uma lista do que você precisa para começar o planejamento de sua viagem, mas não se esqueça que cada prato destino tem suas peculiaridades, então leia os posts de cada cidade aqui no blog, tá?  É só ir no menu em “destinos”, que está organizado por Continentes. Voltando, arregace as mangas, coloque o avental e siga minha receita. Não posso dizer que seja a de melhor sabor, mas nunca desandou! Agora, se você acha que é muito trabalho, tem como comprar um prato congelado no supermercado (pacote de viagem), mas você sabe, o sabor não é o mesmo de um prato feito por você!

viagem planejamento

Continuar lendo

Sugestões de Destinos em 2016

O que calendário e viagens têm em comum além das datas marcadas com entusiasmo e contadas ansiosamente até que as tão sonhadas férias ou feriados libertadores cheguem? Folhinhas. Acho que já não existem n Brasil, não iguais às da minha infância, quando minha mãe ganhava do comércio local onde abastecíamos a casa, em dezembro ou no início do ano, uma “folhinha”, um bloquinho de 12 folhas com cerca de 45 cm de altura e 30 de largura, unidas por um perfil de lata onde havia um furinho para a gente pendurar no prego. Havia de vários tipos: com fotos de carros, reproduções de pinturas, motivos infantis, mas é claro que eu gostava mais daquelas com paisagens, que mudavam de acordo com as estações do ano. Dezembro, por exemplo, tinha sempre um vilarejo de janelas amareladas pela luz, montanhas nevadas, o típico cartão de natal importado da Europa. Setembro mostrava um riacho, flores campestres amarelas e lilases bordando seu caminho. Na Amazon calendários de parede similares, com uma folha para cada mês do ano, ainda podem ser encontrados, mas não achei aqui no Brasil, numa busca pela Internet.

feriados 2016

Achei um aplicativo de papel de parede que se parece muito com a ideia de Folhinha, mas à velocidade que surgem novas tecnologias e aplicativos, duvido que alguém de 2045 seja capaz de lembrar com tantos detalhes como eram os calendários dos smartphones ou de PCs de 2015. E eles podem ser práticos e não ocupar espaço ou poluir o ambiente, mas não creio que terão espaço na memória afetiva de quem os usa como as folhinhas têm na minha geração e nas passadas.

Eu gosto de ter calendários no escritório e também os compro em viagens, que viram quadrinhos que além de decorativos trazem uma lembrança gostosa.  Não faz isso? Eu faço e ainda compartilho aqui: Lembranças de Viagem na Decoração.

Mas é 2016 o objeto deste post, então listo feriados nacionais e aniversários das capitais brasileiras. Não entraram na lista feriados restritos a um grupo, como do funcionalismo público, por exemplo, nem de feriados restritos a uma cidade ou estado, como o Dia da Consciência Negra. De quebra, fiz uma seleção de destinos bem populares ou que estão na lista de lugares para conhecer antes de morrer aqui na América do Sul. By the way, essa expressão é meio sem sentido, como se desse para conhecer depois de morrer… Então vamo que vamo que cada vida é curta!

Janeiro
Calor, verão, todo mundo quer ir a destinos praia, mas na minha opinião é a maior furada pois tudo é cheio e caro, além de ser insuportavelmente quente. Sugiro que você resista e aproveite para conhecer destinos que ficam frios demais no inverno, como o Sul da Patagônia: El Calafate, El Chalten, Ushuaia, Torres del Paine. Os dias são longos, com por do sol às 22h, a temperatura amena e a paisagem inesquecível. Experiência própria e aprovada! Confira as dicas aqui.

El calafate Perito Moreno
a Perito Moreno, em El Calafate


Monte Roraima
entrou no meu campo de sonhos, então um dia vou! E em janeiro começa a temporada seca, facilitando a caminhada pelas trilhas até chegar ao topo do monte, a 2.875 metros de altura. Quem traz dicas é o Rafael do blog Seu Mochilão.

Feriados Nacionais
Começamos bem: dia 1 cai na sexta, mas imagino que você já tenha programado onde tomar espumante e pular as sete ondinhas.

Aniversários de cidades
12 (ter) – Belém (PA)
25 (seg) – São Paulo (SP)

Fevereiro
Em pleno verão, passado o Carnaval, os preços caem com a volta às aulas. Se você puder aproveitar, curta as praias do Nordeste.

Se o que você quer é curtir o Carnaval, não faltam opções pelo Brasil: das festas de rua com marchinhas tradicionais de São Luís do Paraitinga ao frevo e maracatu de Olinda, passando pelos blocos e escolas de samba do Rio e pelo trio elétrico de Salvador, o Carnaval é daquelas coisas que se devem viver ao menos uma vez na vida!

E você sabia que o Uruguai tem o Carnaval mais longo do mundo? Confira as dicas no blog Brasileiros no Uruguai.

 Feriados Nacionais
9 (ter) – Carnaval

Aniversários de cidades

Março
Boa época para ir a Jericoacoara: as chuvas encheram as lagoas e a alta temporada já passou.
Eu fui em Novembro, mas como era uma emenda de feriado, tudo estava cheio demais. Leia meu relato aqui.

IMG_2044

A invasão dos hermanos argentinos e uruguaios às praias de Florianópolis diminui, mas as águas ainda estão em uma temperatura agradável e os dias são lindos, combinação boa para aproveitar a ilha. Leia o guia da capital de Santa Catarina aqui.

Feriados Nacionais
25 (sex) – Paixão de Cristo

Aniversários de cidades
1 (ter) – Rio de Janeiro
12 (sáb) – Recife
17 (qui) – Aracaju
23 (qua) – Florianópolis
26 (sáb) – Porto Alegre
29 (ter) – Curitiba e Salvador

Abril
Começa a estação seca em Machu Picchu e as temperaturas estão amenas, caindo bastante à noite. Vários posts sobre minha visita a Cusco e Lima, também, podem ser encontrados aqui no blog.

IMG_2677

Praia e Cultura? Cartagena, na Colômbia, é boa pedida. O blog Bora lá Comigo traz as dicas.

Feriados Nacionais
21 (qui) – Tiradentes

Aniversários de cidades
8 (sex) – Cuiabá
13 (qua) – Fortaleza
21 (qui) – Brasília

Maio
Feriadão dia 26, que tal conhecer nossa Amazônia antes que acabe? Quem dá as dicas é um leitor do blog Viaje na Viagem, com várias sugestões.

Feriados Nacionais
1 (Dom) – Dia do Trabalho
26 (qui) – Corpus Christi

Aniversários de cidades
20 (sex) – Palmas

Junho
Parece Carnaval, mas é Festa de São João e no Nordeste e Norte do Brasil o bicho pega com as festa juninas embaladas a forró, como Festival Folclórico de Parintins (Amazonas), de Caruaru e Bumba meu Boi, em São Luís.

Agora, se você quer fugir da bagunça, no Sudeste e Sul do Brasil começa a temporada de frio (será?) e é uma boa opção subir as serras e curtir a fase da engorda. E quem quiser pode pegar trilha para queimar as calorias nos cânions Itaimbezinho e Fortaleza.

itaimbezinho

Julho
Temperaturas amenas e redução do volume das águas pedem uma visita às Cataratas do Iguaçu. Há alguns anos visitei as Cidades Históricas em um Julho lindo, quente e ensolarado. Também já fiz de SP a Gramado de carro nesta época, passando por Curitiba e cidades serranas catarinenses. Tivemos a sorte de pegar dias claros e de temperatura agradáveis apesar de ser inverno.

Curitiba Opera de arame

Ceará é sempre quente e ainda dá pra curtir praia mesmo no inverno. Também é ótima opção para os Lençóis Maranhenses. Quem tem dicas é a Silvia, do Matraqueando.

Junho, Julho e Agosto
Feriados Nacionais
Segura na mão de Deus e vá – trabalhar! Não há feriados nacionais nestes três meses. Ótima opção para tirar férias…

Aniversários de cidades
9 de julho (sáb) – Boa Vista
5 de agosto (Sex) – João Pessoa
16 de agosto (ter) – Teresina
26 de agosto (sex) – Campo Grande

Agosto
Quer neve? A partir de Agosto ela é mais garantida em Bariloche. Escrevi, inclusive sobre o belíssimo Cruce Andino. Lá você encontra links para outros posts sobre a região dos lagos andinos.

Cerro Catedral

Setembro
Segundo o Rafael do blog 360 Meridianos, setembro é quando a transparência das águas fica ainda mais marcante em Fernando de Noronha. Também é boa opção para ir a Bonito. Se você puder emendar o feriado de 7 de setembro é uma boa, pois normalmente se ficam poucos dias nesses destinos.

Feriados Nacionais
7 (qua) – Independência do Brasil

Aniversários de cidades
8 (qui) – Vitória e São Luís
21 (qua) – Porti Velho

Outubro
A Oktoberfest, em Santa Catarina, para muvucar, ou o Atacama para se isolar. Dicas do Atacama vêm do blog Vambora, enquanto eu ainda não for, e da Oktoberfest do website oficial.

Blumenau Oktoberfest
Se é outro líquido que te interessa, Alter do Chão tem em outubro sua melhor época. O blog Aventuras pela Amazônia traz as dicas.

Feriados Nacionais
12 (qua) – Nossa Sra. Aparecida

Aniversários de cidades
24 (seg) – Manaus e Goiânia

Novembro
Gosta de praticar mergulho de flutuação? a partir de novembro é uma boa ir a Angra dos Reis e Ilha Grande, pedaço de paraíso no Sudeste brasileiro.

Feriados Nacionais
2 (qua) – Finados
15 (ter) – Proclamação da República

Aniversários de cidades

 
Dezembro

O Carnaval começa cedo em Natal, no início de dezembro, com o nome de Carnatal e de quebra você aproveita as praias da capital do Rio Grande do Norte.

Mirante Pipa Natal

E se você acha que Bariloche é legal só no inverno, errou. Argentinos e europeus vão até os Andes especialmente no verão para fazer trilhas e passear nos lagos e em dezembro acontece o Cruce Andino Moutain Bike.

Feriados Nacionais
25 (dom) – Natal

Aniversários de cidades
5 (seg) – Maceió
12 (seg) – Belo Horizonte
25 (dom) – Natal
28 (qua) – Rio Branco

Ah, se desse para conhecer um destino por mês, né? Bons planos para você!

Viena: guia para planejar sua viagem

   Mais um guia com informações práticas e objetivas para você começar
o planejamento de sua viagem, desta vez para a linda Viena, capital da Áustria. Não deixe de ler também os demais posts de Viena com roteiro, visita a museus e outros. É só clicar aqui.

belvedere museus Viena
Não se esqueça de espiar pelas janelas do Alto Belvedere pois a vista pode ser como esta


Localização
Capital da Áustria, localizada na Europa Central, Viena fica no extremo Nordeste do país. Por isso, se você pretende conhecer Viena, pode ser uma boa ideia combinar na mesma viagem cidades de países ao Leste da Áustria, como Bratislava, Budapeste e Praga. Nada impede que você estique a outras cidades austríacas, como Innsbruck e Salzburgo, mas elas estão mais perto de Munique, por exemplo, do que de Viena. Mais abaixo você encontra as distâncias até algumas dessas cidades. Viajar por regiões e não por países, foi uma forma de viajar que aprendi depois de gastar muito tempo e dinheiro em deslocamentos aéreos para conhecer um país de uma só vez, como fazer o Leste e o Oeste do Canadá na mesma viagem. Viajar por regiões algumas vezes traz a desvantagem de ter de trocar moeda e passar por fronteiras, mas ainda acho que compensa. Sem contar que tem uma certa contrariedade à ordem política. Adoro lembrar que fronteiras entre países quase nunca são naturais, mas objeto de guerras, disputas, acordos que quase nunca respeitaram as diferenças religiosas ou culturais da população.austria-map-0[1]
Como Chegar
✈ Não há voos diretos para Viena partindo do Brasil. Você terá que fazer conexão em alguma cidade europeia, como Paris, Lisboa, Roma, Zurique, Frankfurt, dependendo da nacionalidade da companhia aérea escolhida. Eu voei pela Lufthansa, com conexão de 8 horas em Munique. Este período longo foi proposital, pois assim poderia fazer um reconhecimento da cidade, que está numa viagem futura pela Rota Romântica, no Sul da Alemanha. Leia dicas sobre como se organizar para uma conexão e o roteiro de Munique neste post.

Para dicas de como planejar sua viagem de maneira autônoma,
sem agentes ou agências, completamente livre e desempacotado,
acesse Receita de Viagem.

trem Viena Áustria

🚄 Em alemão, bahnhof é estação de trem. Viena tem duas principais, a Westbahnhof e a Hauptbahnhof. Se você vem de Budapeste, são 2h30 de viagem. De Praga, são 4h10. Você pode comprar sua passagem de Budapeste a Viena no site da Máv, a companhia de trem húngara. Mas atenção: não pode comprar na Máv se quiser fazer o trecho Viena-Budapeste, como eu fiz. Nesse caso, compre na Obb, a companhia austríaca. Como essas companhias não imprimem e-tickets e não entregam pelo correio, você precisa retirar o bilhete em uma estação de trem do país. O site deles não é tão friendly, mas não é impossível de navegar. Qualquer dúvida, mande nos comentários que eu ajudo. Eu paguei € 19 na segunda classe, mais €3 de reserva de assento. Se preferir, pode comprar no site da RailEurope, que é mais fácil de navegar e está em Português, mas as tarifas costumam ser mais altas: 50 dias antes da viagem estavam € 47 . Compare os preços e faça sua escolha. De Praga a Viena, compre na empresa tcheca, a Ceské Dráhy .Paguei €16 mais €3 para a taxa de reserva de assento, que valeu a pena pois o trem estava bem cheio – e já era Outono.

trem Praga a Viena
Interior do trem de Praga a Viena

Leia sobre a escolha do transporte entre Viena, Budapeste e Praga neste post.

🚌 Se você optar pelo ônibus vindo de outro país europeu, chegará à estação Wien Mitte.

Como circular por lá

A divisão dos bairros de Viena
A divisão dos bairros de Viena

👣  Viena é dividida em distritos (bairros), começando pelo central 1, onde está a maioria das atrações. Se você estiver em um hotel dentro ou nas proximidades da Ringstrasse, que é a avenida que circunda o distrito 1, exatamente onde antes ficavam os muros da cidade, dá para fazer muita coisa a pé.

Transporte público em Viena
Ônibus, metrô e bonde servem a cidade e Viena se orgulha de ser detentora do recorde europeu de maior número de usuários de transporte público. Os trens são ligados às estações de trem  que levam ao aeroporto ou a outras cidades.
Para circular por Viena, usei o cartão VOR (Vienna Card) oferecido ao blog pelo Vienna Tourist Board (obrigada, Florian!), que tem validade de 24, 48 ou 72h e pode ser usado em ônibus, metrô e bonde. Compre nos guichês ou nas máquinas automáticas das estações. Você o valida no primeiro uso de qualquer um dos meios de transporte e depois só precisa apresentá-lo em caso de  fiscalização. Veja valores no item Preços, mais abaixo.

 🚃 Os charmosos bondes vermelhos percorrem boa parte dos pontos turísticos, mas são usados por moradores também. Se você estiver sem o cartão de transporte VOR, é possível comprar um bilhete unitário nas máquinas dentro dos bondes e validá-los. Os bilhetes unitários são perfurados na validação e cartões têm a data da validação estampada. Não é preciso dar sinal para subir neles, pois param em todos os pontos e para descer, nos mais novos é preciso apertar o botão laranja.

dicas de  Viena
Os charmosos bondes de Viena

🚌Como em toda capital turística, Viena também tem o BigBus, ônibus turístico de dois andares com áudio em diversos idiomas (tem em Português) que passa por várias atrações, permitindo a quem compra o passe subir e descer do ônibus durante o período válido de 24 ou 48h. Clique aqui para saber mais.

blog de viagemViena
A ciclovia de Viena é pintada apenas onde há maior movimento de pedestres. E de verde.

🚲 As bikes com detalhes laranja são oferecidas em 120 estações. A primeira hora de empréstimo é gratuita e as demais podem ser pagas com cartão Visa ou Mastercard depois de um cadastro nas máquinas das estações ou no site.  As avenidas principais e os arredores de parques têm ciclovias bem sinalizadas e deve ser um grande prazer descobrir a cidade sobre duas rodas.

🚄  Viena, que linda, parabéns! Todas as estações de metrô foram adaptadas para pessoas com mobilidade limitada. E nós turistas de mala e cuia agradecemos os elevadores, também, claro! Além disso, as linhas servem bem a cidade, com vagões limpos e confortáveis. Viena é mesmo invejável. Não bastasse a limpeza, o grande número de áreas verdes, a cordialidade e educação dos moradores, o metrô faz questão de esfregar na sua cara que ali as pessoas são honestas e as estações de metrô não têm bloqueio, apenas a máquina para validar seu bilhete (azuis). Morra de inveja, Brasil!

Viena roteiro e dicas
Na confiança: sem bloqueios ou catracas

 

 Dicas para organizar seu roteiro estão em Viena: Roteiro de 3 dias

Onde Ficar
 Os bairros são divididos por números, começando pelo centro histórico e mais antigo, chamado Innere Stadt, onde fica a maioria das atrações turísticas, como museus, palácios e igrejas, além do Parlamento, Prefeitura. Muitos consulados ficam perto do Palácio Belvedere. É também a região mais cara e agitada, então se você quer economizar e fugir da muvuca, talvez valha a pena ficar fora do distrito 1, onde conseguirá preços melhores.

O 2 é o Leopoldstadt, situado entre o Danúbio e o canal Donaukanal, onde fica o Prater, grande área verde da cidade que abriga eventos e onde fica o parque de diversões com a famosa roda gigante mais antiga do mundo. Ah, nos últimos dias de setembro havia uma edição do  WienFest, a Oktoberfest deles. A foto abaixo mostra um dos três galpões de cervejarias onde as festas acontecem.

Octoberfest
Oktoberfest de Viena: no Prater

Não se esqueça que você pode pesquisar diversos tipos de hospedagem e fazer suas reservas através do site Booking.com. O Mulher Casada Viaja tem parceria com o Booking e a cada reserva recebe um pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e contribui para os custos de manutenção do blog no WordPress.

Os distritos 3 (Landstraße), 4 (Wieden) e 5  (Margareten) são residenciais, embora tenham algumas atrações turísticas.
Os 6º e 7º  Distritos, Mariahilf e Neubau são onde a vida noturna de Viena acontece, com muitos bares e restaurantes. A maior rua de comércio de Viena, a Mariahilferstrasse, divide os dois distritos.  Eu fiquei no distrito 7 coladinho no 1, num apartamento, pois achei o custo-benefício melhor do que ficar em um hotel.

Leia post AirBnB: dá para confiar? Como escolher um imóvel para alugar

Visto
Brasileiros não precisam de visto para permanências de até 90 dias.

Viena guia blog
A sede da Prefeitura


Permanência
Três dias dão conta de conhecer os principais pontos e visitar alguns dos muitos museus da cidade. Mas se você tiver mais tempo, não faltarão opções de o que fazer.

Língua
A língua oficial é o alemão, mas o Inglês é compreendido e falado muito bem por habitantes, atendentes de restaurantes e lojas e por funcionários de estações de metrô e trem. Morra de inveja, Brasil!

Dinheiro/Moeda: Europreços em  Viena


Compras
Há muitas lojas espalhadas pela cidade, mas a maior concentração que vi foi na Graben, onde há lojas de grife, e na Mariahilfer Straße, comércio mais acessível. Ambas são ruas de pedestres.

compras Viena
A Graber: rua turística de comércio e com edifícios belíssimos


Como em todo país europeu, não residentes podem solicitar o reembolso dos impostos pagos, que em Viena é de 20%. É preciso ter gasto acima de €75 numa mesma loja, solicitar o – formulário (tax back) e apresentar o  passaporte. Mantenha os produtos comprados nas embalagens originais, sem uso e sem retirar etiquetas, caso seja necessário apresentá-los na alfândega. Já li em muitos blogs que as pessoas desistem de solicitar o reembolso porque precisam se deslocar de uma área a outra e enfrentar filas no aeroporto de saída da Europa.

A rede de supermercados Billa é onipresente e está até em algumas estações de metrô. Explore frutas, legumes e produtos industrializados consumidos pelos locais e de quebra faça umas comprinhas e curta um piquenique em um dos lindos parques de Viena. E que tal uma barra de chocolate Lyndt por 1,99?!

Preços em Viena (em euros, em setembro/2015)
Museus e igrejas
– ingresso para a Torre Norte da Catedral Santo Estevão: 5,50
– ingresso para o Museu da Carruagem, anexo ao Schonbrunn: 8
– Sisi Ticket (Schonbrunn, Museu da Sissi e Museu do Mobiliário): 28
– ingresso para ambos os palácios Belvedere (e O Beijo, de Klimt): 20

museu sissi Viena
A entrada do Museu Sissi

Se você vai ficar bastante tempo em Viena e pretende visitar várias atrações, faça as contas e confira se vale comprar o Vienna Card, que inclui descontos em museus e transporte gratuito. Você pode comprar em hotéis, no Centro de Informações Turísticas (na Albertinaplatz) ou no site. Preços variam de 18,90 a 21,90.

igreja Viena o que fazer
Telhado da Igreja S. Estevão, Torre Norte
Os bilhetes do transporte, da esquerda para a direita: trem para aeroporto, bilhete unitário, não lembro (rsrs) e o Vienna Card
Os bilhetes do transporte, no sentido horário: trem para aeroporto, bilhete unitário, bilhete comprado no bonde antigo e o Vienna Card 72h

Transporte Público
– bilhete de trem VOR do Centro para o aeroporto: 4,40
– bilhete VOR transporte público 72h: 21,90
– bilhete VOR unitário: 2,30

Suvenires
– ímã de geladeira: 4,90
– caixinha de metal e louça da Sissi: 12,90
– porta óculos Sissi: 13,90
– caneca suvenir Viena: 7,99

Alimentação
– chocolate quente na Starbucks (sim, eles estão em todos os lugares!): 3,70
– croissant de queijo: 2,60
– cerveja Ottakringer 500 ml: 4,90
– Salada alface e legumes: 10
– Schnitzel vienense (filé de frango empanado e fininho): 10
– suco de laranja natural: 3,80
– torta de maça (apfelstrudel) na histórica confeitaria Demel: 4

A cerveja fica ainda mais gostosa nos jardins do palácio Belvedere
A cerveja fica ainda mais gostosa nos jardins do palácio Belvedere

 

o que comer em Viena
Hot dog vienense: delicioso!

O que Comer e Beber
Uma tia conheceu Viena pouco antes de nós e enquanto ela não comeu um Sarshichão não paramos de incomodá-la com brincadeiras de duplo sentido. Então era óbvio que nossa primeira refeição por lá fosse numa barraquinha num lugar mega turístico, comendo o tal salsichão vienense recheado de queijo emental, acompanhado de uma cerveja, claro! Esqueça o que você sabe sobre salsichas. Os caras manjam da coisa! Olhando o tamanho do lanche chego à conclusão que talvez o 1 quilo que ganhei nesta viagem não seja culpa dos copos exagerados de cerveja de Munique, Viena, Praga e Budapeste…

Outro clássico vienense é o Schnitzel, um filé de carne vermelha, porco ou frango bem fininho e empanado. Não demos sorte na escolha do restaurante onde provamos o nosso, então nem vou indicar.

Faça uma visita à confeitaria Demel, que fornecia para ninguém menos que a família imperial e mantém seu negócio de nos engordar até hoje. Não é caro, não, dá para encarar de boa. Além dos doces maravilhosos servidos no local, a ante sala tem opções maravilhosas de lembrancinhas literalmente doces.

Cerveja, cerveja, cerveja. São deliciosas e os canecos de meio litro impõem respeito!

Da cozinha internacional, os vienenses são como os paulistanos: adoram comida italiana e há mais de 500 restaurantes especializados. Restaurantes de todas as nacionalidades são encontrados e os Vietnamitas começam a aparecer com força.

Se você quiser indicações mais específicas, o Centro de Informações turísticas traz uma lista de restaurantes, cafés e até de barraquinhas para um lanche rápido

demel Viena dicas
Um dos muitos cantinhos charmosos da Demel


Voltagem/Tomadas
A rede elétrica é de 220 volts e as tomadas são de dois pinos redondos.

Quadro de Temperatura e Clima
clima em viena
Fuso Horário
São cinco horas a mais em relação ao horário regular de Brasília.

Concertos
Ir a Viena e não assistir a um concerto é como um gringo vir ao Brasil e não visitar uma escola de samba. E foi o que eu fiz sniff – ou não fiz: bati tanta perna durante o dia que não tive pique para me arrumar e ir a um concerto (afinal, dizem que todo vienense tem um smoking no armário!), mas a Gabriela do blog Estrangeira listou 5 concertos imperdíveis em Viena. Confira.

De Viena a:
Praga está a 330 quilômetros de Viena e pode ser alcançada de carro, ônibus, trem ou avião.
Budapeste é outra cidade comumente incluída no planejamento de uma viagem a Viena, pois fica a 240 quilômetros. E é linda!
Bratislava fica a apenas 60 quilômetros e pode ser uma opção de bate-volta. Há um passeio de barco pelo Danúbio para chegar até ela. Muita gente vai de barco e retorna de trem, mais rápido.
Innsbruck fica na região Tirol (dos tiroleses, lembra?), nos Alpes, a 480 quilômetros de Viena. Muito visitada no inverno para a prática de esqui, já foi sede dos Jogos Olímpicos de inverno por duas vezes. Conta com um palácio imperial e outros edifícios de destaque, e ali pertinho tem a fábrica de cristais  Swarowvski, que virou atração turística. No verão, é possível fazer caminhadas nas trilhas de montanhas e lagos. Nem gosto!
O centro de Salzburgo, a 300 quilômetros,  foi declarado Patrimônio Cultural pela Unesco, então espere encontrar construções do período barroco bastante preservadas.

De avião, cidades mais distantes como Estocolmo ou Lisboa podem ser alcançadas em 3 horas a partir de Viena. Berlim, Amsterdam, Roma, Paris, em 2 horas. Tipo: “vamos passar o fim de semana em Paris ou Praga?” Brasileiros, morram de inveja!

Wi-fi
Vários pontos da cidade têm wifi gratuito:
– o belo centro de Informações Turísticas na Albertinaplatz
– praças: MuseumsQuartier, Stephansplatz, Rathausplatz
– Mariahilfer Strasse (rua de pedestres) e Westbahnhof (estação de trem)

turismo Viena
O belo centro de Informações Turísticas


Links para outros posts relacionados a Viena

O jogo do planejamento de uma viagem internacional⚽
Roteiro de 3 dias em Viena – dia 1
Roteiro de 3 dias em Viena: o dia 2 não queria acabar!
 Roteiro de 3 dias em Viena: dia 3 no Belvedere

 

E você, esteve em Viena e tem alguma dica para acrescentar ao guia? Ou quer ir e tem alguma pergunta? Deixe nos comentários. Seu email não será divulgado.

 

Roteiro de Munique e dicas para uma conexão longa

Você sofre de (ou se diverte com o) “já que”? Como diz meu marido, quando precisa pintar uma parede eu quero derrubar as três outras para aproveitar a reforma (rsrsrs), então quando se trata de viagem eu não resisto se tem um “já que” na história. Foi assim em nossa viagem rumo a Viena, Budapeste e Praga: nosso voo teve conexão em Munique e, já que havia uma grande disponibilidade de horários para o trecho Munique-Viena, escolhi um que nos permitisse algumas horas na cidade do Oktoberfest.

Munique o que visitar

Além de Munique, pratiquei o “já que” em Buenos Aires numa conexão para El Calafate. Leia no post Buenos Aires em Conexão no Aeroparque como foi.

Aproveitando uma conexão de longas horas
Ao aproveitar uma conexão para conhecer uma cidade, é importante considerar alguns detalhes para calcular se vale a pena deixar o aeroporto para visitá-la. Eu listei alguns:

  • em média, a conexão precisa ter mais de 5 horas para valer a pena, mas pode variar a cada cidade, dependendo da distância do aeroporto das atrações a visitar e da oferta de transporte;
  • verifique se a cidade de conexão fica em um país que exige visto de entrada. Se você não tiver o visto, não poderá entrar;
  • considere o tempo de desembaraço no aeroporto: imigração (no Espaço Schengen, a imigração é feita no primeiro país europeu onde você coloca os pés), retirada de malas (às vezes elas não vão direto ao destino final) e circulação pelos corredores (muitos são tão grandes que têm trens para unir um terminal a outro);
  • pesquise se o aeroporto de conexão tem guarda-volumes para você armazenar sua bagagem de mão/bordo ou a bagagem toda caso ela não tenha sido enviada ao destino final;
  • programe o tempo (e custo) de deslocamento do aeroporto até o centro da cidade, na ida e na volta, e o tempo que sobrará para visitar o local;
  • liste o que terá oportunidade de ver. Numa cidade muito grande, como Paris, Londres, Nova Iorque, não seria um desperdício passar apenas algumas horas? Aproveite conexões em cidades menores ou para revisitar as grandes que já conhece. Mas esta é minha opinião, não uma verdade universal. Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é;
  • verifique o clima local e vista-se de acordo com ele. Eu levei uma camiseta mais grossa para colocar por cima da que usei no voo, pois sabia que estaria mais frio em Munique.
  • Evite conexões que varem a madrugada. Você gasta com hotel e fica no stress de ter de voltar ao aeroporto no dia seguinte – ou passa uma noite horrorosa nos bancos do aeroporto.
  • Confira se os voos de conexão chegam e partem do mesmo aeroporto em uma mesma cidade. Muita gente não presta atenção nisso no momento da emissão do bilhete e tem que se deslocar entre aeroportos no intervalo da conexão, por sua conta e risco.
  • Vai passar a noite no aeroporto? Pesquise se há um hotel dentro dele ou nos arredores.
  • E que tal dormir na horizontal com privacidade e segurança, na sala de embarque do aeroporto? Aeroportos mais movimentados, geralmente os hubs, já contam com essa comodidade. Aqui no blog eu listei alguns deles. Leia no post Dormindo no Aeroporto

Munique o que fazer

Roteiro de 4 horas em Munique 
Munique atraçõesJá dei essa dica aqui no blog, mas não custa repetir: baixei um aplicativo no meu smart phone chamado CityMaps2Go. Você carrega o mapa, salva pontos turísticos, restaurantes, lojas, etc., enquanto faz o planejamento conectado e tudo fica disponível mesmo quando estiver offline. É gratuito e as poucas propagandas são discretíssimas, sem atrapalhar a imagem principal. O mapa também traz as opções de transporte, mas não calcula a rota. Por outro lado, funciona como um GPS, apontando onde você se encontra no mapa e que direção seguir. Acho um auxílio bacana e, por não traçar a rota, ainda te dá a oportunidade de ter que explorar mapa, pesquisar transporte, se perder e ter que pedir informação, o que sempre traz uma interação maior com a população local do que traria se você simplesmente tivesse tudo planejado.

As atrações foram escolhidas pela proximidade e relevância turística, considerando as poucas horas que teríamos. Muita coisa que eu gostaria de conhecer em Munique ficará para uma visita de verdade, já no campo dos sonhos para quando eu fizer a rota romântica da Alemanha. O roteiro foi todo feito a pé e começa e termina na estação Marienplatz, por onde chegamos e de onde saímos para voltar ao aeroporto.

1. Marienplatz, onde estou na foto acima, é a praça principal do Centro Histórico de Munique e é onde se encontra a velha e a nova Prefeitura e seu famoso relógio, o obelisco da Virgem Maria, a Fonte do Peixe e o Centro de Informações Turísticas. Saiba um pouco sobre cada um deles nos próximos parágrafos.

relógio de Munique

A nova sede da prefeitura (Neues Rathaus) levou 4 décadas para ser concluída, tendo início em 1867, e impressiona primeiramente pela arquitetura. Mas é muito famosa pela torre do relógio, com um carrilhão (Glockenspiel) de 43 sinos, em dois andares, o maior de toda Alemanha, que soam às 11h, 12h, 17h (no verão) e 21h. Eu acabei perdendo a apresentação das 12h, o único horário em que estaria na cidade… Fica para  próxima. Mas não é só um badalar compassado que perdi: há um show de bonecos com duração de 15 minutos que conta uma história: no andar de cima, representação de um festival de duas semanas de duração que aconteceu em 1546 na Marienplatz para celebrar o casamento do Duque Wilhelm Quinto. No andar inferior,  há uma dança em comemoração ao fim da Peste em 1517, que no folclore local teria sido espalhada por uma dragão, Wurmeck, morto com um tiro de canhão por um guardião da cidade. Li uma blogueira dizendo que visitou o local e não achou graça. É verdade que não precisamos gostar de tudo o que vemos, mas é preciso de um pouco de imaginação para voltar à época de sua construção, quando não havia cinema, muito menos TV ou qualquer tecnologia, para entender o quanto esse espetáculo era atrativo. Tudo vale a pena, já dizia o poeta.

A coluna da Virgem Maria (Mariensäule) data de 1638, quando Maria foi declarada a nova padroeira da cidade após ser ocupada pela Suécia durante a Guerra dos 30 Anos. Os quatro guerreiros na base lutam com criaturas que representam a guerra (leão), a peste (galo), a fome (dragão) e a heresia (serpente) – é, eram tempos medievais…

Munique oktoberfest

A Fonte do Peixe (Fischbrunnen) é de 1954, mas remete a uma fonte medieval que existia no local até 1831 quando a praça era um mercado e onde os peixes eram mantidos frescos para a venda. É muito legal saber desses detalhes porque eles dão vida a um monumento, não acham? Eu fiquei olhando a fonte e vi os mercadores, os compradores e seus trajes, os produtos à venda e até os peixes na fonte. Mulher casada viaja…

Munich roteiro

Antiga Prefeitura (Altes Rathaus) é um edifício construído entre 1470 e 1480 e que foi muito danificado na segunda guerra, passando por restauro e reconstrução que terminou em 1975. Os arcos que se vêem foram acrescentados em 1877 e 1934 para passagem, mas li também que já serviram como porta de entrada da cidade. Sua torre é parte de uma fortaleza do século XII e tem 55 metros de altura. Atualmente abriga o museu do Brinquedo (Spielzeugmuseum) em quatro andares diferentes.

Prefeitura de Munique

Verona doou a versão da Julieta a Munique
Pobre Julieta! Assediada em duas cidades turísticas…

Ah, ali também que fica uma réplica da estátua da Julieta (aquela do Romeu), doação da cidade de Verona. Claro que botei a mão no seio dela! Ao contrário da original em Verona, aqui ninguém liga muito para isso e não tinha fila! rsrsrs Mas se houver constrangimento em tocar as partes da estátua, você pode deixar flores, alternativamente. Eu entro nessas mais pela brincadeira do que pela superstição, claro. Afinal, já tenho sorte no amor (essa foi pro marido, que vai ler o post, claro! rsrsrs).

Bem, só por essas atrações na Marienplatz, já teria valido aproveitar a conexão e visitar rapidamente Munique! Mas tem muito mais.

 

Munique o que comerVictuals Market (Viktualienmarkt): Imaginei que depois dessas atrações já estaria na hora de almoçar e planejei visitar o mercado da cidade, que existe desde o século XVIII. Li sugestões de sopa de goulash (que provei em Budapeste), sanduíches Krustis (lembrei dos Simpsons kkkk) e salsicha com sauerkraut, vulgo chucrute. Foi lá que comi o primeiro hot dog dentre muitos dessa viagem. E o primeiro tem um gostinho especial! Não achei lugar para sentar, então comemos enquanto caminhávamos pelas ruas próximas. Afinal, não havia tempo a perder! Mas se você tiver tempo e quiser se sentar, há vários restaurantes no pátio interno da Nova Prefeitura e nos calçadões de pedestres, como o da  Kaufingerstraße, onde fica a loja de departamentos Kimer, com gerânios nas janelas e que na época de natal parece parte de um presépio.

Munique roteiro de 1 dia
A fachada da Kimer: capricho puro!
Oktoberfest
O que acharam da camiseta, meninas?
A Igreja São João Nepomuceno (Asamkirche) é para quem curte o estilo barroco, aquele cheio de rebuscamentos, colunas torcidas, detalhes mil. Construída no século XVIII, ela é colada à antiga residência dos irmãos que a encomendaram, os Asam, por isso ela é conhecida como Asamkirche. Não chegamos a visitá-la, mas estava na lista.😢

Porta Nova Sendlinger (Sendlinger Tor). Eu adoro portas de cidade medievais. Fico imaginando os viajantes  (sempre eles!) chegando em peregrinação ou para vender seus produtos e pagando as taxas na entrada. É como a Imigração dos aeroportos… Suas torres marcam o local do primeiro muro de Munique, no final de 1200, e o nome remete à estrada medieval que levava à Itália- e trazia gente de lá. Outra coisa que estava na minha lista, mas não tivemos tempo de ver.

Frauenkirche é a Catedral de Munique e marca presença no horizonte da cidade, pois suas torres gêmeas têm 99 metros de altura e nenhum outro edifício da cidade está autorizado a exceder esta altura. É possível subir em uma de suas torres, mas adivinha: só entramos na igreja, que é gratuita, e não tivemos tempo de subir à torre. Sua construção começou em 1468 e diferente de muitas dessa época, é inteiramente feita de tijolos. Confesso que me surpreendi com a simplicidade de seu interior, mas não é assim mesmo que deveriam ser os templos? Entretanto, a simplicidade se deve à falta de dinheiro, mesmo, quando de sua construção. Se você gosta de lendas, há uma muito legal envolvendo a construção dessa igreja, com direito a pacto com o diabo! O aplicativo que sugeri acima conta várias versões dessa lenda, mas não vou compartilhar aqui por falta de espaço.

Munique roteiroMunique igrejas

 Odeonplatz. Assim como Marienplatz, esta praça tem alguns pontos históricos e arquitetônicos relevantes: a igreja Theatine, Dodger’s alley e o Field Marshall’s Hall.
A Igreja dos Teatinos e São Caetano (Theatinerkirche) tem uma história típica do catolicismo medieval: em troca de um herdeiro que não vinha mesmo após uma década de casamento, o então rei Ferdinando prometeu uma igreja em homenagem a São Caetano, tendo sido atendido dois anos depois da promessa, e em 1663 a construção começou e a inauguração em 1674 foi literalmente de fachada, pois outros 16 anos foram necessários para completar seu belíssimo interior barroco.
Quando eu vi a foto do Field Marshall’s Hall (Feldherrnhalle), lembrei-me da Loggia dei Lanzi de Florença, e depois soube que ele realmente foi inspirado nesse terraço-museu italiano! Apesar da inspiração, enquanto Florença exibe figuras mitológicas, Munique dedica o espaço aos militares, que foi construído em 1841 para homenagear os soldados bávaros, representados pelas duas estátuas nas laterais. A estátua maior foi acrescentada em 1870 para honrar os soldados mortos na guerra Franco-Prussiana e os dois leões chegaram no início do século XX.  Mas o acontecimento mais peculiar e significativo do Hall foi quando Hitler foi ferido e aprisionado por um ano, nos primórdios do nazismo, durante o Golpe chamado Beer Hall.
Munique e o nazismo
Viscard Alley ou Dodger’s Alley (Drueckebergergasse) é uma rua com história interessante. Em Inglês, dodge significa desviar, daí o nome. Não sei se em alemão é o mesmo. Quando Hitler ergueu um memorial para honrar os 16 companheiros mortos no fracassado Golpe Beer Hall de 1923, todos que por ali passavam precisavam saudar os soldados que guardavam o memorial com o tradicional “Heil Hitler”. Quem não concordava com o regime nazista fazia um desvio, que hoje é marcado de uma cor diferente sobre o calçamento de pedra.
No caminho de volta da Odeonplatz, passamos pela Max Joseph Platz, onde fica a Bavarian State Opera e o Residenz, museu-palácio. Ao lado do museu começa uma avenida larga, a Maximilianstraße, onde as lojas de grife do mundo todo mantêm filiais e onde os homens ficam malucos com os carrinhos simples estacionados por ali…
museu em Munique
O Residenz
Hofgarten. Também não tive tempo de ir a este parque, mas deixo a dica. Como muitos parques europeus, pertencia à realeza no início do século XVII e em 1780 foi aberto ao público. Caminhando na direção nordeste, à esquerda da sede do governo da Bavária (Bayerische Staatskanzlei) – edifício que mais se parece uma estufa -, encontramos uma faixa imensa, maior do que o Central Park de Nova Iorque, onde há um jardim Inglês, um pagode chinês, um beer Garden.  O Memorial da Segunda Guerra Mundial e o Palácio Real de Munique (Residenz) ficam ali pertinho.
Mesmo sem muito tempo disponível, paramos para uma cerveja (caneco de 1 litro!) no Hofbräuhaus Beer Hall, o mais famoso de Munique pois é o berço da Oktoberfest e a primeira cervejaria da Bavária, que começou a produzir em 1589. O espaço existe desde 1607, mas era reservado à família real e seus convidados até que em 1828 o imperador Ludwig a tornou pública. Gente como Sissi, a imperatriz austríaca, e Mozart foram alguns de seus frequentadores.
Munique Oktoberfest
O HB não é apenas um bar, é um ícone!
Munique Orktoberfest como é
Muitos se vestem a caráter

Apesar de tanta cerveja, não vi uma só discussão ou tumulto. Também não vi tanta festividade como esperava (será que é porque era segunda-feira?) e, pra ser sincera, a banda estava meio derrubada. Mas de vez em quando um grupo se animava e fazia a dancinha tradicional de levantar as pesadas canecas e balançar de lado a lado cantando.

Cervejaria em Munique
A fachada do HB
Estou louca para escrever sobre a historia dessa cervejaria, mas como ainda tenho tanta coisa pendente, deixo o link para o vídeo oficial que conta um pouco dela (em inglês).
Oktoberfest onde beber
Só para fazer gênero: uma latinha de cerveja já me basta
Achei a cidade uma graça, limpa e com mais atrações do que eu esperava. Infelizmente era segunda-feira, quando não há Oktoberfest, mas mesmo assim tinha muita gente vestida a caráter pelas ruas e quase todas as lojas exibiam os trajes típicos. Nossa, agora que percebi que os caras da foto abaixo, tirada na Kaufingerstraße, são os mesmos que fotografei no Hofbräuhaus, mas eu juro que tinha muita gente com trajes típicos pelas ruas, não só eles (rsrsrs).
Oktoberfest
Conexão curta em Munique: o que fazer
S
e você não tiver tempo suficiente para deixar o aeroporto e visitar Munique, pegue a saída do aeroporto e tome uma cerveja no beer garten Airbrau, que fica entre a saída do aeroporto e o acesso ao trem. É uma praça linda, entre o centro de convenções em formato de U e é coberta. Foi o que fizemos na volta, aproveitando para jantar. Gastamos €15,40 em 2 cervejas de meio litro cada e numa porção de 4 salsichas com chucrute, com direito a um pretzel e pães saborosos. Na volta será preciso passar pelos procedimentos de segurança novamente, mas acho que é muito melhor do que ficar de bobeira no portão de embarque.

bier garten aeroporto Munique
O Airbrau, bier garten na saída do terminal 2

restaurante em Munique

 

Última dica: muitas cidades europeias têm tours gratuitos, geralmente na língua local ou em inglês, e você só paga uma gorjeta ao final da visita. Em Munique, tem duração de 4 horas e passa por todos os pontos que listei aqui. Mais detalhes no site oficial. 
Para saber sobre o aeroporto, como comprar os bilhetes de trem e como chegar ao centro de Munique, leia o post Do Aeroporto ao Centro de Munique, que publicarei na próxima semana.
E você já foi a Munique? Tem alguma dica legal para compartilhar? Deixe aí nos comentários. Abraços!

O jogo do planejamento de uma viagem internacional⚽

Geralmente os posts que escrevo aqui no Mulher Casada Viaja acontecem depois da viagem. Isso significa que os perrengues do planejamento foram esquecidos, convertidos no câmbio favorável da moeda prazer de viajar. O mesmo acontece com a vitória do time querido. Quem se lembra dos sufocos dos 90 minutos depois da vitória? Então resolvi registrar no calor do momento o planejamento de minha próxima Eurotrip, que acontecerá no início do Outono no hemisfério Norte, quando finalmente pousarei meu olhar sobre o Rio Danúbio, escutarei música erudita mesmo que não queira, tocarei em muros de castelos imperiais, respirarei tristes memórias do holocausto, banquetearei meu paladar com salsichas recheadas de emental. Sim, vamos para Viena, Budapeste e Praga.

Estas três cidades estavam na minha lista desde 1998, quando troquei de emprego e fiquei sem férias. Depois veio um período de muito trabalho, o nascimento da minha filha e com ela os destinos de viagem passaram a ser escolhidos atendendo às suas necessidades de criança. Privilegiei outros destinos na Europa quando ela já estava grandinha para ficar aos cuidados de meus pais e só agora conhecerei as cidades imperiais. Nada contra quem viaja com filhos pequenos à Europa, mas eu não sou desse time.

Torço para que este post motive você a realizar o planejamento de sua viagem. Sim, é mais trabalhoso do que comprar um pacote, mas muitas vezes mais econômico. Se mesmo com essas dicas você ainda se sentir inseguro/a, leia na página inicial do blog, no menu superior, Personalize sua Viagem.

No início do planejamento a gente pode se sentir meio perdido/a, sem saber como dar o pontapé inicial, mesmo para quem já jogou várias vezes planejou várias viagens. Mas é só dar o primeiro chute e a bola sai rolando. Abaixo estão os tópicos na ordem em que foram aparecendo no planejamento.

Viena Budapeste Praga

0. Pesquisa de preço de pacotes
Na verdade eu pulei esta etapa, porque não queria viajar empacotada, mas registrei este passo aqui para servir como diretriz para você. Mas depois que comprei o aéreo, vi um pacote de apenas 8 noites (ficarei 11) com valor mínimo aproximado de US$ 2,673.00. Leia rápido: O Ministério da Blogagem de Viagens adverte: em pacotes os trechos entre as três cidades são feitos em ônibus e não em trem rápido, o que significa menos tempo em cada uma para conhecer museus, caminhar com calma, etc. O custo-benefício deve ser colocado na balança, também.

1. Bilhete aéreo (pesquisa com 6 meses de antecedência. Comprei 3 meses antes da viagem)
O jogo começa morno, sem grandes chances de marcar gol. Até que uma das duas coisas acontece: aparece uma oferta ou a data da viagem se aproxima e é preciso garantir sua passagem. Comigo foi a segunda. Eu tinha feito várias simulações, em três diferentes companhias aéreas e datas aproximadas. Lembre-se de que se você for viajar na alta temporada, é mais seguro comprar com antecedência maior. Nos valores abaixo não estão inclusas as taxas de embarque. Bilhete para uma pessoa em classe econômica.

booking-holiday-online-fraud-stay-safe[1]

✈ Air France
SP-Viena em 27 ago e Praga-SP em 8 set: R$ 3.703,00
SP-Viena em 27 ago e Viena-SP em 8 set: R$ 3.560,00
SP-Viena em 29 set e Praga-SP em 12 out: $ 3.470,00

✈ TAM
SP-Madri-Praga em 18 out e Praga-Madri-SP em 02 nov: R$ 2.470,00
SP-Viena em 29 set e Viena-SP em 10 out: R$ 3.419,00
SP-Viena em 29 set e Viena-SP em 12 out: 150 mil pontos Multiplus
SP-Viena em 28 set e Praga-SP em 11 out: 130 mil pontos Mulitiplus

✈ Ponto-Viagem pelo programa Sempre Presente do Banco Itaú, voo pela Lufthansa
SP-Munique-Viena em 28 set e Viena-Munique-SP em 10 de out: R$ 1.140, + 60 mil pontos

Como eu não teria pontos suficientes para dois passageiros se emitisse pelo Multiplus, achei melhor emitir pelo programa Sempre Presente. Além disso, se eu transferisse 120 mil pontos do Sempre Presente para o Multiplus, seriam creditados apenas 90 mil pontos. Está cada vez mais difícil aproveitar os programas de milhagem… Anyway, escolhi um voo com conexão de quase 9 horas, então terei a chance de visitar Munique, em plena Oktoberfest!!!

Mais ou menos minhas caras e bocas ao tentar emitir o bilhete
Mais ou menos minhas caras e bocas ao tentar emitir o bilhete

Mas não foi assim tão fácil, só apertar um botão. Eu sempre digo: não tente emitir bilhete em programas de milhagem se estiver na TPM! Calculo que tenha levado mais tempo do que uma final com prorrogação e pênaltis. A cada nova tentativa, uma bola na trave: ou o voo que eu queria não estava disponível (sumiu da lista, num intervalo de 3 minutos!), ou o cartão não era aceito, ou o site simplesmente travava. Cartão amarelo. Liguei para a Central do Cartão de Crédito e, depois da terceira vez que me identifiquei e expliquei o caso, recebi um número de protocolo (piada!) e o telefone da central que só funcionaria na próxima segunda-feira (era o mítico dia para compra de passagens, a sexta-feira, bem tarde da noite). Insisti mais algumas vezes e ALELUIA! consegui emitir os dois bilhetes. Só que não! Recebi um aviso de que o meu bilhete tinha sido bloqueado pelo cartão de crédito. Penalty!!! Eu tinha digitado a data de validade errada. Respirei fundo, fiz todo o processo novamente e finalmente: Goooool!

bilhete aéreo recompensa

2. Roteiro (pesquisa começa 80 dias antes da viagem)
Sempre que tinha um tempinho livre, lia sobre as atrações e impressões das cidades em outros blogs. Se você não conhece muitos blogs, pode recorrer ao Google, digitando termos como “O que fazer em …” ,  “Atrações em ….”  ou “Pontos turísticos em …”. Mas o TripAdvisor é muito bom e já organizou isso em lista para você. O problema é a qualidade das avaliações, que na maioria das vezes limitam-se a “Muito legal” ou “lindo”. Sim, meu caro ou minha cara, prestigie o/a blogueiro/a, que tanto tempo dedica para explicar sua impressões dos lugares que visita, um torcedor leal e fiel para que seu jogo sua viagem seja até melhor do que a dele ou dela.

Ainda 2. Hospedagem (pesquisa começa 80 dias antes da viagem)
Ao mesmo tempo em que pesquisava as atrações, li sobre hospedagem nas avaliações do TripAdvisor e pesquisei preços no Booking.com. Uma vez por semana dava uma olhada no Booking para comparar preços e disponibilidade.

3. Trechos entre as cidades (pesquisa e compra do voo: 80 dias antes; dos trechos de trem: 60 dias antes)
Entrei no site RailEurope, que tem navegação em Português e vende bilhetes de várias  companhias europeias, e fiz uma simulação dos trechos para a segunda classe. Ainda não sei se teremos tempo de pegar um trem para um bate-volta a Bratislava, então não a inclui na pesquisa. Fiz um registro no site e salvei a pesquisa para nova consulta. Os preços estavam assim:

🚄 Viena-Budapeste (€ 36, 2h30 de viagem)
🚄 Budapeste-Praga (€ 90, 7h de viagem) – faremos de avião.
🚄 Praga-Viena (€ 40, 4h de viagem)

Cerca de 10 dias depois, os valores estavam mais altos (45 o trecho Viena-Budapeste). Segui a dica do Ricardo Freire, o pai dos blogs de viagem brasileiros: pesquisei diretamente nos sites das empresas que operam nos países. Leia o post Viena-Budapeste-Praga: bilhete de trem barato, em que listo os links para todos os trechos e dou um passo a passo da compra pela Internet. 

Como o jogo tem hora pra terminar, não queríamos passar 7 horas dentro de um trem, então o trecho Budapeste-Praga será feito de avião. Fui direto nas aéreas lowcost EasyJet e Ryanair e Bola na Trave! para minha surpresa elas não fazem esse trecho. Apelei para os buscadores de voos, como o Voopter e o Skyscanner, mas o custo de aéreas como a KLM ou Lufthansa era muito alto. Numa cobrança de escanteio, encontrei uma empresa chamada Czech Airlines, com tarifa de menos de € 30 na Decolar. Muito bom pra ser verdade, não é? É. No final das contas, com todas as taxas, a tarifa subia para R$ 1.088. Fiz uma busca por avaliações da Czech e no TripAdvisor os passageiros a isentavam de qualquer problema, principalmente por se tratar de um voo com uma hora de duração. Dica da boa: se você souber Inglês, faça a pesquisa no fórum do TripAdvisor em Inglês, pois há mais conteúdo. Entrei no website oficial da Czech e comprei os dois bilhetes por 209, ou seja, mais barato do que na Decolar. O site deles não tem a opção  de selecionar o Brasil para navegar em Português, mas além do Inglês, pode-se navegar em Espanhol. A bagagem a ser despachada é limitada a 15 quilos na classe econômica. Acima disso, paga-se € 30. É possível escolher esse acréscimo no momento da compra, mas preferi esperar para ver o que rola. Quando eu voltar eu conto a experiência.

Trem Europa
Trem na Itália: repare no espaço exíguo para as malas – de todos no vagão!

4. Montando o roteiro e pesquisando os meios de transporte
Tendo as atrações mais ou menos definidas (às vezes eu mudo tudo na hora por causa de chuva, sol ou do meu humor: deixo de ir a um museu para fazer fotossíntese numa praça, por exemplo), usei o Google Maps (ou o Earth) e marquei os endereços, distribuindo-os em dias disponíveis em cada cidade considerando: a) a proximidade entre si; b) o tempo médio dedicado a cada atração.

5. Passe
A maioria das cidades turísticas disponibiliza um passe com validade de 24, 48 ou 72h, que inclui entrada ou descontos em atrações e ingresso no transporte público urbano. Sabendo o custo do transporte e de entradas de museus e outras atrações, fica fácil calcular se vale a pena comprar esses passes ou não. Mas até o momento da escrita deste post eu ainda não tinha feito esse cálculo.

6. Reserva dos hotéis
Este item vai depender, claro, do seu orçamento, mas sabendo onde se concentram as atrações e as estações de metrô, busque hotéis próximos. Use o Booking.com, que tem opção de pagamento antecipado ou no local. Escolha o filtro “oferta esperta” para a lista de hotéis com desconto.
Momento publicidade no intervalo do jogo, sem cerveja ou mulher seminua: Não se esqueça que você pode fazer um gesto simpático e reservar seu hotel pelo Booking clicando no logo presente aqui no blog. Eu recebo uma pequena comissão sem você ter que pagar nada a mais por isso. Essa graninha ajuda a manter o blog no ar e a continuar a fornecer dicas.😉 

reserva hotel

7. $$$$$ Moeda e câmbio, custo de alimentação e transporte
Talvez você precise deslocar este item lá para o início do planejamento a fim de saber se vai dar para encarar a viagem ou não. Muita gente vai à Europa com orçamento de € 50/dia, mas eu acho isso um verdadeiro milagre – ou privação. Prefiro economizar em tantas outras coisas antes da viagem para não deixar de fazer passeios ou de me sentar em um restaurante legal para comer. Viajar não é só estar em um lugar, mas viver experiências. É verdade que elas podem estar tanto num restaurante como no mercado local. Equilíbrio é a chave de tudo.
Mas com exceção de Viena, essas cidades são das mais baratas da Europa.

Já leu o post 58 maneiras de economizar para viajar?

💰 Praga, República Tcheca: CZK, a coroa tcheca. CZK$ 1 = R$ 0,15
💰 Budapeste, Hungria: HUF, florim húngaro. HUF$ 1 = R$ 0,013
💰 Viena, Áustria: , euro. 1 = R$ 4,32 (quando escrevi este post)

currencyweathervan_1817597b[1]

Quando eu voltar, publicarei post Guia para planejar sua viagem sobre as três cidades, nos quais incluirei preços de passeios, refeições, suvenires, etc., bem como outras que sempre publico nos guias das cidades que visito. Já tem Paris, Roma, Nova Iorque, Bariloche, Veneza, Florença, El Calafate e tem mais Europa nos planos. Me aguarde 2016!

Não se esqueça de baixar um aplicativo de conversão de moeda no seu Smartphone, de preferência um que funcione off-line. O Currency é um deles. Baixei pelo Google Play, e é gratuito. Mas não se esqueça de atualizá-lo sempre que estiver conectado.

Para ter uma ideia do quanto se gasta em uma viagem, eu já falei aqui no blog sobre o site Quanto Custa Viajar, mas descobri um bem mais completo, disponível apenas em Inglês, o Numbeo. A dica veio do blog do Alessandro, o Fui e Vou Voltar, que tem textos ricos e sempre divertidos. Passe lá pra conhecer o blog dele.

Se você vai para a Europa, a escolha certa é comprar Euros e, se o país usar outra moeda, fazer o câmbio por lá. Isso porque é difícil encontrar algumas moedas em casas da cambio aqui no Brasil. Também é possível utilizar o cartão de débito do seu banco para saques internacionais.

8. Temperatura média e previsão do tempo
Este item é para ajudar a decidir o que colocar na mala e, mais importante, distribuir no roteiro passeios ao ar livre ou em lugares fechados, como museus.  

9. Seguro viagem
Viajar sem seguro é roubada na certa. Se você vai à Europa, na maioria dos países é obrigatório contratar seguro com cobertura de 30 mil.
Olha outro momento publicidade: PLIM PLIM! O Mulher Casada Viaja firmou parceria com uma das melhores seguradoras para sua viagem, a Mondial Assistance, o que significa que seus leitores ou leitoras têm desconto especial ao clicar no logo da Mondial aqui no blog e inserir o código promocional, que é em Setembro é Promosete. Aproveite! Eu sempre atualizo novos códigos na página Receita de Viagem, que fica no menu superior da página inicial do blog. PLIM PLIM!

10. Outros itens que merecem atenção MESES antes da viagem
– alguns países exigem vacinas específicas para permitir sua entrada. Pesquise.
– verificação da validade ou (re)emissão do passaporte
– pesquisa da necessidade de visto para entrada no(s) país(es)
– situação política do país. Este site do governo britânico se mantém atualizado quanto à situação social e política da maioria dos países do mundo.

11. Versão final do Roteiro
Monto meu roteiro em um doc do Word mesmo, inserindo uma tabela de 4 colunas com o cabeçalho horizontal:
– DIA/HORA: além das datas e horário de voos ou trens, anoto a previsão do tempo.
– O QUE FAZER: check in em hotéis, número e trecho de voo, nome da atração
– ONDE: nome do aeroporto ou estação de trem, endereço de hotel e de atrações. Também marco observações sobre transporte público
– MONEY: além de anotar o custo do transporte ou da atração, também escrevo se o passeio, transporte ou hotel foi já pago.

Eu ainda uso papel e caneta para as anotações. Com o roteiro pronto, digito as informações, imprimo e salvo o documento no Dropbox, para pesquisa caso eu perca as folhas do planejamento.

12. Liberação do cartão de crédito e de débito para uso no exterior
Não sei se todos os bancos trabalham assim, mas o Itaú e o Bradesco exigem a liberação dos – cartões antes da viagem.

⚽ ⚽ ⚽ ⚽ ⚽ ⚽

Outros posts que tratam de planejamento (clique sobre o título para ler):

Check list
Como chegar a 45 cidades a partir do aeroporto

– Dicas sobre câmbio
Receita de Viagem
O Planejamento de uma viagem e as relações
Programas de Fidelidade
58 maneiras de Economizar para Viajar
Emissão de bilhete aéreo

Um bom jogo pra você!

 

O planejamento de viagem e as relações

viagem planejamento

Faz tempo quero escrever sobre isso, e hoje veio o estímulo que faltava: num desses blogs em que a gente tropeça ao navegar pela Internet li algumas dicas de como planejar a viagem da família sozinha, algo que sempre fiz mesmo que frustradamente, mas o que me chamou a atenção foi uma afirmação logo no primeiro parágrafo do post. Segundo a autora, o marido não participava do planejamento da viagem da família e isso era muita sorte dela, a esposa autora, porque assim poderia fazer tudo como desejasse: escolha de hotel, lugares para visitar, compra das passagens aéreas. Justifico a escrita de um post só para isso: não acredito que seja só uma questão de participação no planejamento, acho que o buraco é mais embaixo.

Será que chegamos ao ponto em que é melhor fazer as coisas sem interferência, participação, opinião ou diálogo, simplesmente porque assim podemos fazê-las de nosso jeito?

Uma outra questão:

Um casal não precisa fazer tudo junto, mas algumas coisas deveriam ser decididas e conduzidas pelo par, e o planejamento de uma viagem em que os dois estarão presentes é uma delas.

Não vejo como essa ausência pode ser chamada de sorte. O planejamento é um terço da viagem (o outro terço é a viagem em si e o terço final é o retorno, quando contamos as historias, organizamos as fotos e compartilhamos com amigos um pouco do que vivemos) e fazê-lo sozinho ou sozinha é como embarcar numa viagem sozinho. Pior, quando você viaja sozinho/a, sabe que conta apenas com você mesmo/a para tudo. Guardadas as devidas proporções, é como uma mãe solteira que sabe que não tem com quem contar além dela mesma para criar e educar o filho, em contraste à que tem um marido ausente, peso morto. Sabe, a coisa do antes só do que mal acompanhada…

A ausência no planejamento produz um/a companheiro/a de viagem que parece ter sido ejetado/a do assento do avião, com quem você não dividiu nada de tudo o que estudou sobre o lugar. E isso não é ruim só para quem não planejou, mas também frustrante para quem planejou e não teve com quem dividir.

mulher-pensando-g-cópia[1]Talvez seja da minha natureza. Gosto de dividir o que sei, tanto que escolhi ser professora. Mas acredito no professor como o mediador de discussões, não o transmissor de conhecimento, e por isso não quero ficar dando palestra sobre um monumento durante minhas viagens. Nem que eu quisesse, afinal não basta ler sobre uma cidade em guias e blogs para ser capaz de se tornar um guia.

E você, o que pensa disso?