Nova Iorque: filmes que são um roteiro de viagem

Acho que há muito pouco romance neste blog, então aproveitei a proximidade do Dia dos Namorados no Brasil para pesquisar sobre filmes rodados em Nova Iorque e compartilhar os endereços para você conferir ao vivo quando visitar a Big Apple, pois muitos filmes parecem roteiros de viagem!

central park ponte nova iorque
Bow Bridge, no Central Park, local de inúmeros romances reais e fictícios

Continuar lendo

Anúncios

NY: Bate-Volta a Minnewaska State Park

Parques americanos conhecidos dos brasileiros são o Grand Canyon, o Yosemite (e olhe lá!), o Yellowstone. Não, parque americano é Disney, para a grande maioria dos brasileiros. Que pena, estão perdendo e muito! Dos 50 estados americanos, 27 têm um ou mais parques nacionais e só a Califórnia tem 9 parques! Mas existem também os parques estaduais e hoje vou falar de um deles, o Minnewaska, que fica no estado de Nova Iorque, num possível e tranquilo bate-volta a partir de Manhattan, cujo percurso fica especialmente lindo no Outono.

Minnewasca scenic byway Shawangunk

Continuar lendo

Nova atração em Nova Iorque: One World Observatory

Recentemente escrevi sobre outro observatório com inauguração prevista para maio, o Orlando Eye (leia a respeito aqui). Em um mês, 29 de maio, será a inauguração oficial do Observatório do edifício mais alto de NY – e do Ocidente, o One World Trade Center.

o One WTC um mês antes de sua inauguração, em out/14
o One WTC um mês antes de sua inauguração, em out/14

O edifício foi construído para substituir as Torres gêmeas atacadas em 11 de setembro de 2001 e tem a mesma área de base delas, 60,96 metros (200 pés). Outro número simbólico é sua altura: 1776 pés (541 metros), o ano da Declaração de Independência dos EUA.

altura prédios
O One World ficou mais alto por conta da peça arquitetônica

São três andares que podem ser explorados pelo turista: o 100, 101 e 102. Em menos de 60 segundos o elevador chegará ao 102º andar, enquanto um time-lapse da história de NYC é exibido. Se os elevadores ficarem cheios, essas imagens ficarão escondidas. Por que não colocaram no teto de uma vez?! No 100º andar, monitores em HD interativos permitirão aos visitantes descobrir informações sobre os símbolos e bairros que estão sendo avistados.

Projeto do Elevador
Projeto do Elevador

Eu fui ao observatório do WTC em 1997 e quando vi a foto abaixo, divulgada em 2013, do One WTC, confesso que senti um arrepio. Não se trata de espíritos ou fantasmas, mesmo porque estou aqui, em frente a uma tela de computador, a muitos quilômetros de distância de NY, mas eu acho que o lugar tem uma energia pesada. Falei um pouco a respeito neste post.

Me dá arrepios

Os ingressos começaram a ser vendidos em 8 de abril no website oficial a 32 dólares para adultos, 26 para crianças entre 6 e 12 anos e 30 dólares para quem tiver mais de 65 anos.

Ainda em NY: The New York Wheel

Outro observatório, mas na linha do London Eye, o percussor desta nova linha de “rodas gigantes”, que inicia construção agora e tem inauguração prevista para 2017, é o The New York Wheel. Não sei o que vocês acharam, mas pela foto abaixo, você vai precisar de um potente binóculo se quiser observar qualquer coisa em Manhattan!

NY Wheel 2 NY Wheel

Estes observatórios não ficam em andares ou no topo de edifícios, mas funcionam como rodas gigantes, que em vez de cadeiras têm cápsulas fechadas por vidros onde podem permanecer várias pessoas. O tempo para completar o giro de 360 graus pode variar de 30 minutos para mais. Veja o comparativo entre algumas delas na imagem abaixo:

New York Eye
As “rodas gigantes” pelo mundo e suas alturas

Localizado a nordeste de Staten Island, a roda foi anunciada como a mais alta do mundo, para ser ultrapassada pela de Dubai mesmo antes do início de sua construção.

E você, em que observatório já esteve? Me conta, aí nos comentários!

Vai a NY? Encontre seu hotel pelo site de busca Booking.com. É seguro, prático e não custa nada você fazer a reserva clicando no logo da Booking aqui no blog. Você será direcionado para o site deles e com isso eu recebo uma comissão. É uma maneira de remunerar o trabalho da blogueira. Thank you!

Posts Relacionados (clique sobre cada título para ir ao respectivo post)

Nova Iorque: planejando sua viagem

NY em 5, 6, 7 dias

Roteiro New York: dia 1

Roteiro New York – dia 2: Upper West Side

Roteiro Nova Iorque – dia 3: Downtown

Roteiro Nova Iorque – dia 4

Roteiro NY – dia 5: Brooklyn Bridge e High Line Park

Roteiro NY – dia 6: Central Park e seu zoológico

Outono e o Fall Foliage em NY

Atração turística em NY: lojas de brinquedos

Aeroporto La Guardia e Delta NY-SP NY

Roteiro Nova Iorque – dia 6: Central Park e seu zoológico

Este post faz parte do relato de uma viagem realizada em -outubro de 2014 por dois adultos e uma pré-adolescente. Descreve a última manhã em Nova Iorque, quando visitamos o Central Park mais uma vez e seu zoo.

central park brigde nova iorque

Continuar lendo

Roteiro NY – dia 5: Brooklyn Bridge e High Line Park

Este post relata o dia 5 de nosso roteiro de 5, 6 ou 7 dias em NY, quando atravessamos a Ponte do Brooklyn e passeamos pela região do Soho e pelo High Line Park. Foi uma viagem de dois adultos e uma pré-adolescente feita em outubro de 2015, veja no final, links para os demais posts com dicas de NY.

High Line Park

Continuar lendo

Roteiro Nova Iorque – dia 4: Metropolitan Museum, Central Park e Museum Mile

Este post apresenta o itinerário de nosso quarto dia em Nova Iorque, quando visitamos o Museu principal da cidade, o Metropolitan e passeamos pelo Central Park. Se você caiu de balão por aqui, leia os anteriores para entender melhor a ilha de Manhattan e para conhecer o que entra no roteiro completo.

Museu Metropolitan Nova Iorque

Continuar lendo

Roteiro Nova Iorque – dia 3: Memorial 11 de Setembro, Hard Rock Cafe e Times Square

Este post relata o dia 3 em Nova Iorque, quando exploramos a região de Lower Manhattan: tomamos o ferry para Staten Island e apreciamos a Estátua da Liberdade, visitamos a região de Wall Street e o Memorial 11 de setembro, e jantamos no Hard Rock Cafe da Times Square.
Se você começar o planejamento de sua viagem a NYC por este post, vai perder algumas informações relevantes, tais como se localizar e se orientar em Manhattan, dicas de preços, melhor época, hospedagem… Então vá até o final deste post e veja o link para as publicações relacionadas a NY.

Nova Iorque litinerário
O sul de Manhattan

Continuar lendo

Roteiro New York – dia 2: Upper West Side e o Museu de História Natural

O segundo dia em Nova York foi no Upper West Side, quando visitamos o Museu de Historia Natural e parte do Central Park. Sugiro que leia os demais posts relacionados a esta viagem cujos links estão no final desta publicação.

Museu Historia Natural Nova York

Entendendo a ilha de Manhattan
A Quinta Avenida (grudadinha no Central Park, essa área retangular verde aí no mapa) divide a cidade entre East (leste) e West (Oeste) e as ruas são, em sua maioria, numeradas em ordem crescente em direção ao Norte. Na parte mais antiga da cidade, ao Sul, até mais ou menos os bairros Greenwich e East Village, as ruas têm nomes e não são planejadas (paralelas), mas mesmo assim não é difícil se localizar.

mapa de Manhattan dicas de Nova York

Continuar lendo

Roteiro New York: dia 1 – Midtown com Times Square, NYC Library e mais

Este post faz parte da série que descreve o roteiro em Nova Iorque em nosso primeiro dia na cidade. Além de Grande Central Terminal, da Times Square, da NYC Library,  você vai encontrar sugestões de outros pontos turísticos nas proximidades. Não deixe de ler os posts relacionados a planejamento, roteiro e dicas aos demais dias do roteiro. Os links estão no final desta publicação.

A ilha de Manhattan é plana em quase sua totalidade e relativamente fácil de se localizar, por isso esta parte do roteiro foi feita a pé. Além do mais, a arquitetura merece ser observada de pertinho, então não se esqueça de olhar para o alto de vez em quando, pois muitas fachadas são belíssimas. Distâncias mais longas ou dedos com bolhas (calçado confortável é seu grande amigo) pedem táxi ou metrô. Uma amiga perguntou se vale a pena usar os ônibus turísticos. Vale, dependendo de seu perfil. Eu gosto da liberdade de parar e fotografar algo que me encanta e de cima de um ônibus isso não é possível – hop in, hop off, mas nem tanto, né! Mas já usei desses ônibus turísticos de dois andares em Londres (claro!) e foi bom, porque não tinha feito um planejamento para visitar a cidade e o tour ajudou a me localizar. Outra vantagem é poder ficar sentadinho enquanto se observa a cidade. Para quem não é inquieto como eu, é uma boa.

Manhattan dicas

Continuar lendo

Aeroporto La Guardia e o voo Delta SP-NY-SP

Este post faz parte de uma série de 12 sobre nossa viagem a NYC em outubro de 2014. Veja no final desta publicação os links para os demais posts. Este descreve a experiência de voar pela Delta,  em voo internacional e local (EUA),
e fala do aeroporto La Guardia, em NYC.

Nova Iorque tem três aeroportos: JFK, La Guardia e Newark (clique sobre a imagem para ampliá-la).

KSKxZdZPKMEdtWoRo7OcLETmzzjCg91aIFn6VRPFCl5J9QCvfQdw6HOghI-OwcMW1ZQszTB7jEz--_DiIL24dwmzxysEskkrZEM8asNU4RUIsOW-1IwuiMXPJQfDrTdOT4uZ1UdWisFUhv4oEEN7XoCdImSR-sonpzQTuj-okwS0
Da esquerda para a direita: Newark, LaGuardia e JFK

Foi a primeira vez que usei esse aeroporto e achei o trajeto de taxi ($ 42 dólares no taxímetro, pouco depois das 12h de um dia de semana) bem tranquilo, com trânsito apenas na saída de Manhattan e nada próximo do trânsito de quem vem ou vai ao JFK, o aeroporto internacional. Cada companhia aérea tem seu terminal, então vou falar do terminal C, da Delta.

Eu já tinha feito o check in on line, então só precisamos escanear os passaportes nas máquinas de autoatendimento e emitir nossos boarding passes. Depois fomos ao guichê para despachar a bagagem, que seguiu direto para Guarulhos, destino final. Na sequência, procedimentos de segurança: tira cinto, sapato, celular, tablete, esquecemos de jogar a garrafa de água fora! O funcionário disse que teria que nos fazer algumas perguntas e se podiam ser feitas ali ou se queríamos uma sala para isso. Nossa, já levei um susto achando que ia “pra salinha”. Mais do que depressa eu me desculpei pelo esquecimento e ele perguntou se queríamos dar um último gole antes de jogar a garrafa. Fiquei pensando se não é truque pra ver se é água mesmo ou apenas gentileza.

Mas chegamos ao saguão dos portões de embarque e nossos olhos brilharam! Mesas, balcões, todos TODOS tinham tomadas para recarga de baterias e – pasmem – um I pad por assento!!!! wi-fi de graça e menu do restaurante na tela. Fizemos o pedido e veio tudo como solicitado. A era Jettson chegou! OK, você é jovem e não sabe quem eram os Jettsons. Pergunte a seus pais. O pagamento também é self-service: entre as mesas há um slot para colocar o cartão e teclado para a senha. Só não entendo porque tive que deixar gorjeta de 18% se o máximo que a atendente fez foi trazer as bandejas! O preço como em todo aeroporto é salgado e a comida ruim. Um burger por 18 dólares e $16 por um spaghetti carbonara.

DSC_1971
Fazendo o pedido no Cibo Express Gourmet Market Laguardia

DSC_1975

Voando pela Delta
No voo de ida (SP-JFK), comi bola e deixei para fazer o check in um dia antes de nossa partida (e vc acha que blogueiro faz tudo certinho!). Resultado: só tinha assentos separados ou nos piores lugares (perto do banheiro, por exemplo). Opção: pagar um pouco mais por assentos logo à frente da classe econômica, os de números 15, 16, 17 e 18 onde o espaço é ligeiramente maior, e foi isso o que fiz. Outra vantagem de se sentar bem à frente é que você desce logo do avião não fica no final da fila da imigração. Mas depois ficam todos juntos esperando pelas malas, então nem sempre é vantajoso. Só fiz a compra porque não tive escolha, porque pagar quase 500 dólares a mais só para ficar com a perna um pouco mais esticadinha, não vale mesmo… well, it’s up to you! Além de pagar mais caro, o encosto retrátil da cabeça só funcionou no assento do meu marido. O meu e o da minha filha estavam quebrados. A mídia tem uma pesquisa de satisfação, mas não tem espaço para escrever problemas como esse.

O assento "diferenciado" na econômica da Delta
O assento “diferenciado” na econômica da Delta
20141007_203541
Bom leg room. E olhe que as pernas do homem casado viaja são bem longas

Ah, na hora de fazer o check in on line, não se esqueça de entrar no site The Seat Guru , que além de trazer o mapa da aeronave traz comentários como “esse assento tem pouco espaço para os pés pois tem uma caixa de controle de som.”

O embarque foi muito organizado, primeiro o pessoal do fundão, e assim por diante, entrando pela primeira classe, para nos aborrecer (rsrsrs).

Entretenimento: som ruim, que me desestimulou ouvir música ou mesmo assistir a um filme, que não tem legenda em Português, só dublagem. Não usei os canais de música por causa disso.

refeição de bordo
jantar: massa ou arroz e feijão com frango refogado no molho; salada verde com tomates, pãozinho, manteiga, queijo processado tipo Polenguinho, biscoito salgado e cookie de chocolate. Café e chá são oferecidos duas ou três vezes e eles dão uma garrafinha de água mineral a cada passageiro, o que achei muito inteligente. Bebidas incluem vinho e cerveja.

Café da manhã: chá ou café, suco, barrinha de cereal, sanduíche quente de cheddar com verdura surpresa (não sei o que era, pois não consegui comer o lanche). Ainda bem que guardei biscoito e cookie que sobraram do jantar!

No voo doméstico (NY-Detroit), foram servidos refrigerantes e pacotinhos de mini pretzels. Bebidas alcoólicas poderiam ser adquiridas mediante pagamento.

Pontualidade: Tivemos uma hora de atraso no voo NY-Detroit e quase perdemos a conexão para São Paulo.

Programa de Milhagem
Delta faz parte do SkyTeam e seu programa de fidelidade é o Skymiles, tendo a Gol como parceira brasileira.
Leia sobre emissão de bilhetes aéreos e sobre programas de fidelidade aqui.

A Conexão em Detroit
Adorei fazer a conexão em Detroit, pois esperava ver uma cidade industrializada ou quase fantasma devido à crise automobilística e o que vi do avião foram os subúrbios coloridos pelo Outono. Não me entendam mal, eu tenho consciência de que Detroit tem muitos problemas econômicos, mas eles não apareceram na janelinha do avião. Conto o que vi.  Quanto ao aeroporto, parece ser muito legal (parece, porque não tive como explorar): como ele é uma reta longa, há um trenzinho aéreo ligando os portões de embarque, além de todas as esteiras horizontais que facilitam o deslocamento dos passageiros. Igalzim aqui.

O metrô interno do aeroporto de Detroit
O metrô interno do aeroporto de Detroit

E você, já voou pela Delta ou usou o aeroporto La Guardia ou de Detroit? Deixe seu comentário logo abaixo. Outras pessoas podem aproveitar as dicas.
Conhece alguém que está planejando viagem a NYC? Indique o blog Mulher Casada Viaja. Brigadinho.

Posts Relacionados (clique sobre cada título para ir ao respectivo post)

Nova Iorque: planejando sua viagem

Outono em Nova Iorque e o Central Perk de Friends

NY em 5, 6, 7 dias

Roteiro New York: dia 1

Roteiro New York – dia 2: Upper West Side

Roteiro Nova Iorque – dia 3: Downtown

Roteiro Nova Iorque – dia 4

Roteiro NY – dia 5: Brooklyn Bridge e High Line Park

Roteiro Nova Iorque – dia 6: Central Park e seu zoológico

Outono e o Fall Foliage em NY

Atração turística em NY: lojas de brinquedos