Budapeste: o museu do Castelo Real de Buda

O Castelo Real de Budapeste, assim como a região alta de Buda, é tombado pela Unesco e tem muita história para contar. Neste post relato como foi caminhar pelos corredores, capela medieval, salões e exposições do museu do castelo real de Buda e deixo dicas práticas para que você faça o mesmo.

Continuar lendo
Anúncios

10 atrações gratuitas em Budapeste

Viajar para a Europa pode ser caro devido ao câmbio desfavorável, mas em compensação muitas cidades oferecem atrações gratuitas, desde museus (geralmente no primeiro domingo de cada mês) até o básico passeio pelas ruas para admirar a arquitetura, observar os locais e curtir o lugar. E Budapeste é uma cidade ideal para isso, além de ser mais barata do que outras capitais.

O prazer que temos ao caminhar às margens de rios como o Sena de Paris ou o Danúbio em Budapeste pode ser explicado pelo complexo que acabei de inventar: CCRP, complexo do cidadão com rio poluído. OK, o rio Pinheiros ficou mais bunitim com a ciclofaixa e o Tietê menos feio com as árvores e os arbustos plantados em suas margens, mas fazer essas intervenções é como gastar uma fortuna num vestido de grife para ir a uma festa embora você esteja infeliz e devastada por dentro. Fortuna, mesmo: 2,4 bilhões DE DÓLARES foram gastos no nosso pobre Tietê e o rio continua poluído, feio e mal cheiroso. Mas vamos a Budapeste, que tem o Danúbio: navegável, limpo, integrado à historia e vida (ou morte) dos budapestenses.

O Parlamento Húngaro
O Parlamento Húngaro


1. O Parlamento Húngaro –
Terminado em 1902 e recentemente restaurado, o Parlamento Húngaro é o principal cartão postal do lado Peste e conhecê-lo por dentro não é de graça. Mas ele é tão lindo por fora que você vai se satisfazer. Se gostar de fotografar, então, ele é modelo perfeito, de dia e de noite, de vários ângulos diferentes. Como ele é imenso, pode ser avistado de vários pontos da cidade, como da Citadella, do Castelo de Buda, das duas margens do rio Danúbio e da Praça Vertanuk, como na foto abaixo.

Primeiro Ministro
O Parlamento visto da Vertanuk Ter

2. Sob o Sol de Budapeste – Não é um por do sol festejado como o de Key West ou de Jericoacoara, mas muita gente sobe a Colina Gellert para ver o sol se pondo sobre a bela Budapeste. Se estiver com pressa, tome um ônibus, mas o caminho sinuoso – e cansativo – para pedestres é prazeroso, embora a vista seja um presente só ao chegar lá, pois a colina é toda arborizada, tampando a vista. Além da vista, a colina guarda uma construção do império asutro-húngaro, a Citadella, erguida pelos Habsburgs, no tempo do império austro-húngaro.

Budapeste o que fazer
O Danúbio visto da Colina Gellert


3. Bastião dos Pescadores –
Nem todos os pontos deste monumento construído na comemoração do aniversário de mil anos da Hungria são acessíveis gratuitamente, mas, sinceramente, 4 metros acima não farão muita diferença. Além da vista, a construção tem arcos lindos para emoldurar o Danúbio e o lado Peste, além de ser vizinho da bela Igreja Mathias.

Budapeste o que fazer
Bastião dos Pescadores e a Igreja Mathias, no centro


4. Basílica de Santo Estevão –
Seu interior é muito bonito e embora a entrada seja gratuita, há uma caixinha para doações. Mas eu acho que vale investir uns trocados para subir à Torre, de elevador. 

Santo Estevão Budapeste
Parte da Cúpula da Basílica Santo Estevão


5. Praça dos Heróis –
 
A grande praça anexa ao Parque da Cidade foi construída em 1896 em comemoração aos mil anos de historia da Hungria. Localiza-se no final da larga e movimentada Avenida Andrássy e fica entre dois importantes museus: o Museu de Belas Artes e o Kunsthalle (Hall of Arts).

Parque da Cidade Hero's Square

6. Parque da Cidade
Se você gosta de passeios ao ar livre, visite a maior área verde de Budapeste, que foi o primeiro parque público do mundo, cujas primeiras árvores e caminhos datam de 1751. Muitas atrações ficam no parque, como o Zoológico de Budapeste, o Museu do Transporte, Parque de Diversões e as famosas Termas Széchenyi. O castelo Vajdahunyad foi construído para exibir os vários estilos arquitetônicos da Hungria e seu lago artificial é usado para passeios de barco no verão e patinação no gelo no inverno.

Parque da Cidade Budapeste

7. O Danúbio e suas pontes – Um passeio pelas margens do Danúbio é uma ótima maneira para admirar os edifícios que sobreviveram às guerras. Cruzar as pontes sobre o rio permite que se vá de Buda a Peste. A Ponte das Correntes é a preferida dos turistas por sua beleza e proximidade a atrações como o Parlamento e o Castelo de Buda.

Ponte das Correntes
o Sol produz sombras estéticas na Ponte das Correntes

8. Estátuas: Arte e Historia pelas ruas – O mais famoso e visitado conjunto de esculturas é certamente o Sapatos do Danúbio, que fica perto do Parlamento, literalmente à margem do rio, e presta homenagem aos judeus mortos por nazistas. Mas Budapeste tem muitas outras esculturas e é uma delícia surpreender-se ao encontra-las. Pena eu não ter um mapa de onde se localizam, mas jogue no Google Statues in Budapest e confira a variedade de estilos.

escultura Budapeste

9. O Mercado de Budapeste – A passos da ponte Elisabete, o Mercado Central de Budapeste fica em um prédio do século XIX de belas linhas arquitetônicas e o tradicional telhado cerâmico colorido. Seu interior não é menos atraente e é uma boa opção para conhecer os queijos, salames, frutas e legumes locais, inclusive a famosa páprica. No segundo andar você encontra muitas opções de artesanato e suvenires.

mercado IMG_0579

10. Opera House – OK, o tour não é gratuito, mas ninguém vai te impedir de conhecer ao menos o saguão. Eu fiquei boquiaberta.

opera Budapeste

Está planejando uma viagem? Pesquise seu hotel pelo site Booking.com, o mesmo que utilizo para fazer as minhas viagens. Leia as avaliações de hóspedes, veja as fotos do quarto e do hotel, a localização e faça sua reserva clicando aqui.

O blog também te ajuda com o seguro viagem, que inclui desde problemas de saúde a extravio de bagagem. Temos parceria com a Mondial Assistance, que oferece 15% de desconto para os leitores do Mulher Casada Viaja. É só clicar aqui e fazer seu orçamento para uma viagem tranquila e segura. O código para fazer valer o desconto é atualizado nesta página do blog.

Links para posts relacionados (clique sobre o título para ler)
Budapeste: Guia para Planejar sua Viagem
Nas Águas Termais de Budapeste: Hotel Gellert
Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião?

 

 

Budapeste: Guia para Planejar sua Viagem

Budapeste é das capitais mais lindas da Europa e merece entrar em qualquer roteiro pelo Leste Europeu. Confira aqui dicas práticas para planejar sua viagem à capital da Hungria.

Não sei se foram os dias ensolarados, as noites frescas de Outono, as áreas turísticas espalhadas, evitando a concentração em um único ponto… Talvez tenha sido a arquitetura ou o rio Danúbio que dá ares menos urbanos à capital da Hungria. Talvez tenha sido a simpática região de Buda ou as agradáveis praças de Peste. Caprichos como as lindas tampas de bueiro ou as muitas estátuas divertidas ou tristes que encontramos também contaram pontos e certamente a simpatia dos muitos imigrantes que elegeram Budapeste como sua casa. A mistura de tudo isso e mais um pouco me permitiu eleger Budapeste como uma das cidades europeias mais gracinha que já conheci. Não graciosa como Bruges ou encantadora como as cidades da Alsácia , onde você se sente dentro de um livro de contos de fada. Budapeste é grande, real, com defeitos e poeira. E eu ainda estive por lá no auge dos imigrantes refugiados vindos da Síria, mas estava tudo sob controle, pelo menos aos olhos dos turistas.

Primeiro Ministro
Estátua de Imre Nagy, Primeiro Ministro nomeado pelo povo em 1956. Fica na Vértanúk Tere, atrás do Parlamento

Gostei tanto de Budapeste que a comparei a Paris, e escrevi um post chamado Budapeste ou Paris, qual é a mais bonita?  onde tentei entender o porquê, mas essas coisas são do coração, não da razão.

Outro lugar lindo para um fim de tarde: Bastião dos Pescadores, em Buda
Lugar lindo para um fim de tarde: Bastião dos Pescadores, em Buda

🌏 Onde fica Budapeste

Budapeste é a capital da Hungria, país que fica na Europa Central.Budapeste dicas

Como Chegar a Budapeste

✈Não há voos diretos para Budapeste a partir do Brasil. A cidade de conexão dependerá na companhia aérea escolhida: pela Swiss, conexão em Zurique; pela Lufthansa, em Frankfurt; pela Alitalia, Roma etc. O aeroporto fica a 25 km do centro.

Se você parte de Praga, em vez de viajar por 7 horas de trem até Budapeste, pode pegar um voo com a Czech Airlines com 1h20 de duração. Sai bem mais caro, €105, mas foi o que fizemos para ganhar tempo.

A estação Keleti
A estação Keleti

🚄 Chegamos a Budapeste de trem, pela companhia austríaca OBB (€19), e desembarcamos na estação Keleti, que tem ligação com o metrô. Três estações depois estávamos a duas quadras do hotel. Leia o post Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião? e O Jogo do Planejamento de uma Viagem Internacional, onde dou detalhes sobre os preparativos para a viagem a Munique, Viena, Budapeste e Praga, com dicas de compras de bilhete de trem e avião entre as cidades.

O interior do vagão da OBB, de Viena a Budapeste
O interior do vagão da OBB, de Viena a Budapeste: cabines de 6 lugares na segunda classe

🚢 Se você vem de Viena, há ainda a opção de chegar por navegação no Danúbio, que leva 6 horas e custa €109 (só ida) ou €125 (ida e volta). Mais informações aqui.

Como Circular em Budapeste

O Google agora funciona off-line, mas quando fui usei um aplicativo chamado CityMaps2Go. Você marca os pontos a visitar enquanto está online e eles aparecem no seu mapinha, inclusive com informações sobre o ponto turístico. Se estiver conectado, melhor ainda, pois ele funciona como um GPS.

Há ônibus, bondes e metrô. Os taxis são amarelos, assim como os bondes. O bilhete unitário do metrô e do bonde custa 350 florins e você pode comprá-lo nas máquinas automáticas das estações do metrô. É preciso validá-lo nas máquinas laranjas das estações ou nas vermelhas dos bondes. Mantenha o bilhete carimbado ou perfurado com você até o final da viagem, pois se um fiscal o solicitar você pode ser multado caso não o apresente.

metrô Budapeste

🚕 Só usei taxi para ir ao aeroporto, que foi chamado pelo hotel, chegou no horário marcado e o preço tabelado estava exposto no vidro ao lado do passageiro. Mas há pontos de taxi em várias partes da cidade. Certifique-se que além do sinal “taxi” no teto do veículo haja também a inscrição na porta, pois assim são os taxis regulamentados pela prefeitura. Não posso tirar um exemplo como padrão, mas o motorista que nos levou ao aeroporto não falava Inglês.

O Bonde amarelo, carros e bikes sobre a ponte Elisabete (Erzsébet)
O Bonde amarelo 47, que vai de Buda a Peste. Carros e bikes sobre a ponte Elisabete (Erzsébet), pertinho do Mercado Municipal (Fővám tér)

🚃 Eu já tinha me esbaldado de andar de bonde em Viena, então não fiz tanta questão de turistar no bonde, mas a linha 2 é um verdadeiro roteiro turístico, passando ao longo do Hotel e Colina Gellert, (já leu o post sobre as Termas do Gellert?) da colina do castelo, do Parlamento e de todas as pontes sobre o Danúbio. Fiz isso num domingo de manhã e foi realmente prazeroso. 

budapeste pontes
Você desce do bonde e tem esta vista de Buda do outro lado do Danúbio

🚄 Há 3 linhas de metrô e como foram construídas em momentos diversos da historia política da cidade, são bem diferentes entre si. A linha amarela é de longe a mais turística, não só por alcançar o Parque da Cidade (Városliget) onde fica o mais popular complexo termal da cidade, o Szechenyi, praças, zoo e museus, mas também pela arquitetura e jeitinho de trenzinho da Disney. Mas todas precisam ter o bilhete validado e embora não haja bloqueios, um “bedel de catraca” garante que todos validem seu bilhete, que é carimbado pela máquina.

O mapa das linhas de Metrô de Budapeste
O mapa das linhas de Metrô de Budapeste

metrô Budapeste
O metrô não é padronizado. Este tem uma cara sisuda

Este tem cara de brinquedo da Disney
Este tem cara de brinquedo da Disney. Menina valida o bilhete na máquina laranja

🚲 Há 200 quilômetros de ciclovias cortando a cidade e a rota internacional EuroVelo também passa por lá. O sistema de bicicletas compartilhadas da cidade se chama Bubi (Budapeste bike) e requer cadastro. Os primeiros 30 minutos são gratuitos, depois é cobrada a tarifa do transporte público, 350 HUF. O passe de 24 horas custa 500 HUF e por 1000 você pode pedalar durante 3 dias. Há 76 pontos de aluguel. Clique aqui para ver o mapa das estações.

🚲🍺Que tal pedalar e tomar cerveja ao mesmo tempo? Em Budapeste é possível! Há várias empresas e escolhi a Beer Bike Budapest para divulgar aqui, porque oferecem três tamanhos de carrinho.

O carrinho movimentado por pedaladas movidas a cerveja. Só em Budapeste!
O carrinho movimentado por pedaladas movidas a cerveja. Só em Budapeste!

🔰 Documentação

Não é necessário visto para entrar na Hungria, apenas passaporte que não esteja vencendo dentro de 6 meses. Mas como em outros países europeus, é importante fazer um seguro viagem.

Seguro Viagem

O blog também te ajuda com o seguro viagem, que inclui desde problemas de saúde a extravio de bagagem. Temos parceria com a Mondial Assistance, que oferece desconto para os leitores do Mulher Casada Viaja. É só clicar aqui e fazer seu orçamento para uma viagem tranquila e segura. O código para fazer valer o desconto é atualizado nesta página do blog.

 🏨 Onde Ficar em Budapeste

Buda é mais tranquila, mas cheia de ladeiras, e Peste tem mais opções de restaurantes, lojas e atrações, mas é bem muvucada.

Nós ficamos no Hotel Cosmo City na Váci Utca, rua de pesdestres cheia de restaurantes e lojinhas para a turistada, a um quarteirão do Mercado Central e a outro do rio Danúbio. A agitação noturna não atrapalhou meu sono (nossa janela era para o pátio do hotel). Fiquei satisfeita com a localização, limpeza e atendimento, embora o quarto fosse bastante apertado. A decoração é contemporânea, cama confortável, ducha boa, café da manhã razoável, mas bom para os padrões europeus de hotel econômico.

Fiz minha reserva pelo Booking.com, com quem o Mulher Casada Viaja tem parceria e que sempre uso para reservar os hotéis. Leia as avaliações de hóspedes, veja as fotos do quarto e do hotel, a localização e faça sua reserva clicando aqui. O blog ganha uma pequena comissão, que ajuda os custos com sua manutenção no WordPress. Não custa nada a mais pra você!

📆Quantos dias ficar em Budapeste

Em 3 dias dá para cobrir a maior parte das atrações, mas se você tiver mais disponibilidade, melhor.

🔠 Língua

OMG! E eu que reclamava do alemão! Você já deve ter ouvido que o húngaro é a única língua que o diabo respeita, só para dar uma ideia da coisa. São 14 sons vocálicos e 27 consonantais. Sem a menor noção do que está escrito, a gente fita as placas e brinca de adivinhação. Às vezes isso rende situações engraçadas, em outras, embaraçosas. Mas não tivemos nenhum grande problema. Nas lojas e restaurantes dos locais turísticos sempre alguém falava Inglês. Nas estações de metrô foi mais difícil a comunicação com os funcionários, mas aí é só perguntar a um turista passante. Residentes mais jovens conhecem o idioma, pois com a queda do regime comunista esta geração teve oportunidade de viajar e aprender não só Inglês, mas outras culturas.

Leia, se for capaz! Estção fofa de Budapeste
Leia, se for capaz! Estação de metrô fofa de Budapeste

Não se assuste: há cardápios bilíngues
Não se assuste: há cardápios bilíngues

💰 Dinheiro/Moeda

Florim húngaro, cujo símbolo é HUF. Baixe um aplicativo de conversão de moedas para facilitar sua vida. Você vai precisar pois tudo custa na casa dos milhares.

Como Budapeste estava na mesma viagem de países com outras moedas, saímos do Brasil com euros, fazendo a troca para a moeda local em uma casa de câmbio com taxa razoável. Em Budapeste, muitas lojas e restaurantes aceitam euros, mas faça as contas para saber se vale a pena, pois o câmbio costuma ser desfavorável. Nós trocamos na Northline, da Váci Utca.

Budapeste moeda câmbio
A casa de câmbio confiável e o Mercado Municipal, ao fundo

 

🎁 Compras em Budapeste

Talvez os anos sob a cortina de ferro tenham atrasado a industrialização proveniente de países capitalistas e contribuído para a manutenção dos trabalhos manuais, pois Budapeste oferece uma variedade rica em lembrancinhas realmente artesanais. Bonecas húngaras com trajes folclóricos, bordados, brinquedos de madeira e louças pintados a mão podem ser encontrados em lojas pela cidade ou no Mercado Central.

algumas das muitas opções de artesanato
algumas das muitas opções de artesanato

Também há uma variedade de brechós e lojas de antiguidade que você acaba encontrando se caminhar pelas travessas de ruas mais movimentadas.

💵 Preços médios em florins, em outubro/2015

Alimentos:

– pizza margherita tamanho italiano: 1.200
– espaguete a bolonhesa: 1.850
– porção de fritas: 750
– omelete: 2.490
– salada: 1.990
– cerveja: 700
– coca cola: 550
– café expresso: 440
– fatia de torta ou bolo: 720

Passeios:

– Funicular do Castelo de Buda (budavári Sikló): 1.200
– Museu Castelo de Buda (Királyi-palota): 2.000
– Bastião dos Pescadores (Halászbástya): 700
– Igreja de São Matias (Mátyás templom): 400
– Torre da São Matias: 1.400
– Torre da Basílica Santo Estevão (Szent Istvan Bazilika): 500
– acesso às termas do Hotel Gellert: 4.900 com armário; 5.300 com cabine (dias de semana)

🍴 O que comer e Beber em Budapeste

Não tivemos dificuldade para comer bem, pois há vasta oferta de restaurantes, principalmente de cozinha italiana. Mas minha última refeição não poderia deixar de ser o prato típico mais popular: o goulash, uma sopa de carne e legumes bem ardida.

Se você gosta de páprica, este é o lugar para você comer!

comida_143137

Voltagem/Tomadas em Budapeste

Tomadas de dois pinos redondos e corrente de 230v. Leve seu adaptador.

⛅ Temperatura em Budapeste

Como quase toda Europa, as melhores épocas são a Primavera (abril-maio-junho) e o início do Outono (fim de setembro, início de outubro).

temperatura Budapeste

🕘 Fuso Horário

São 4 horas mais tarde em relação ao horário de Brasília.

Mala

Não se esqueça de colocar maio/biquíni/sunga na mala, pois certamente você vai desejar conhecer uma das muitas termas de Budapeste.

De Budapeste a… (em quilômetros)

Bratislava: 161
Viena: 215
Cracóvia: 288
Belgrado: 329
Praga: 444
Salzburgo: 453

Budapeste o que fazer
Bastião dos Pescadores e a São Matias

O que Fazer em Budapeste

Escrevi o post de 10 Atrações Gratuitas em Budapeste, mas o roteiro de 4 dias ainda não tinha saído quando publiquei este post, então confira na página-índice Budapeste. A Cris do blog Viajante Comum compartilhou o roteiro pela encantadora Capital da Hungria. O Christian do blog Tur Mundial deu dicas em Budapeste – Quando você for para o Leste Europeu, não a deixe de fora – eu certamente concordo!

Budapeste

Nas águas termais de Budapeste: Hotel Gellert

O saguão de enrtada das Termas de Gellert
O saguão de entrada das Termas de Gellert

Friozinho de outono, dia nublado com possibilidade de chuva, voo que só sai no início da noite são a combinação perfeita para visitar uma das muitas termas de Budapeste, tema deste post.

Cada cidade tem atrações do tipo “must see” e eu como boa viajante-turista-blogueira geralmente incluo a maioria delas nas viagens que faço. Budapeste é também conhecida como a cidade dos spas, e uma das poucas capitais europeias onde se pode relaxar em águas termais. Dentro de minhas possibilidades financeiras, sigo a máxima “faça ao menos uma vez na vida”, e como aprecio arquitetura, escolhi o Hotel Gellert para sentir literalmente na pele o que é passar algumas horas em um spa húngaro. Além disso, minha memória tinha arquivado na caixinha ‘ah, seria bom ir um dia’ a imagem abaixo, da piscina maravilhosa do hotel. Na época eu não sabia que qualquer mortal poderia utilizá-la, pensando ser restrita aos hóspedes. Na época não havia blogs de viagem!!!

Quando ir ao St. Gellért ou a outro spa de Budapeste
Caso seu trem ou voo parta no final da tarde ou à noite, vale a pena fazer o check out no hotel, pedir que guardem suas malas no depósito e se dirigir a uma das termas de Budapeste para morgar em água morna, ainda mais se o dia estiver nubladão e frio, como foi nosso caso. De quebra, você vai viajar de banho tomado e relaxado/a para encarar a viagem. Mas muita gente vai no meio da visita à cidade, mesmo. E se você quer uma balada molhada, não perca a Szecska Sparty, quando as Termas de Szechenyi abrem a noite toda com shows de laser, DJs e bebidas, durante os sábados de verão. Nas demais estações, a festa acontece nas Termas Lukacs.

A piscina principal: só com touca
A piscina principal: só com touca


Termas de St. Gellért

Primeiro, o encantamento com a arquitetura: piso de mosaicos, paredes revestidas de pastilhas, colunas, vitrais, teto, tudo é muito bonito e merece um olhar mais demorado – e fotos, claro.termas St Gellert Budapeste

Detalhe arquitetônico
Detalhe arquitetônico na coluna de uma das piscinas

Além da arquitetura, a quantidade de cabines para massagem também impressiona e é onde você pode desfrutar de massagens variadas, como um simples tratamento nos pés à massagem tailandesa ou com pedras vulcânicas. Há também tratamento de pele à base de chocolate (eu preferiria comer, mesmo), banho de ervas, tudo a um custo adicional, claro.

Um dos salões de cabines de massagem
Um dos salões de cabines de massagem

Há piscinas cobertas com temperaturas que variam de 19º a 38º. Do lado de fora, duas piscinas: uma a 36º e outra, de ondas, a 26º. No total, o spa oferece 8 piscinas, com 1.317m2 de superfície aquosa quentinha, que dá uma preguiça danada, maior que leseira de nordeste brasileiro!

Área externa
Área externa


As termas recebem pacientes para fisioterapia e, como todo complexo de águas minerais, prometem acabar com problemas vertebrais, articulares, circulatórios e respiratórios. Com isso, é muito comum ver carequinhas e cabecinhas brancas e cinzentas por lá. Caso esta informação faça algum sentido para você, estes são os elementos encontrados na água: sódio, cálcio, magnésio, hidrogênio, flúor.

Completam a estrutura lanchonetes, restaurante, loja de artigos de natação, aluguel de tocas, toalhas e até de roupas de banho.

termas IMG_1316
Cúpula do St. Gellert Spa: status de igreja, biblioteca, edifício governamental…

O que Levar
1. Se você quiser nadar na piscina coberta principal, terá que usar uma touca de cabeça. Uma loja no térreo vende toucas lindas, mas modelos mais simples são vendidos no mesmo ponto onde você aluga as toalhas, roupão e até maiôs e sungas.

A fila do empréstimo de toalhas
A fila do aluguel  de toalhas


2. Sabonete, xampu, condicionador e, se for muito vaidosa, um secador de cabelos, pois os secadores disponibilizados pelo Gellert são muuuito ruins. Ah, não se esqueça de suas havaianas por causa do csúszásveszély. Não entendeu? Magina, húngaro é tão fácil! Esse palavrão significa “piso molhado”.

Área de secadores, no mezanino acima do balcão de aluguel de toalhas
Área de secadores, no mezanino acima do balcão de aluguel de toalhas

3. Biquini ou maiô e sunga e, se não quiser pagar pelo aluguel, toalha.

Toucas e acessórios à venda na lojinha do Spa
Toucas e acessórios à venda na lojinha do Spa

Onde se trocar
Há duas opções para quem visita as termas: cabine ou armário.

Nosso ingresso incluía uma cabine para cada um. Trata-se de um cubículo com banco, espelho, prateleira e cabides, que usei para me trocar e guardar minha bolsa. Você recebe uma pulseirinha codificada que, ao ser aproximada do sensor na fechadura, destrava a porta.

As cabines no térreo
As cabines no térreo

St Gellert Spa Budapeste
A Cabine do St Gellert


No segundo andar ficam os lockers, mais baratos, onde você pode guardar seus pertences. Mas se você levar em conta que o banho é do tipo vestiário, sem portas, não há motivo para a cabine, pois a privacidade acaba lá no banho. Talvez a cabine valha a pena se você não quiser tomar banho. E não há necessidade de comprar um para cada pessoa, dá pra dividir, pois os espaços não são separados por sexo.

E se eu não souber nadar?
Com exceção da piscina principal e da piscina externa de ondas, as demais são de imersão e não são profundas, então não há nenhum problema se você não souber nadar.

Endereço das Termas de Gellert
O spa é anexo ao Hotel Gellert, mas a entrada para não hóspedes é pela Kelenhegyi útca 4. Simplificando: do lado Buda do rio Danúbio, à direita da montanha Gellert, onde fica a Citadela. Aliás, não pule esta atração: a vista da Citadela é ainda mais bonita do que a do Castelo de Buda. Confira horários, preços e outras informações no website oficial do Gellert Spa Budapeste.

Fachada do Hotel Gellert
Fachada do Hotel Gellert


Avaliação da visita
Limpeza e Higiene – Eu estava um pouco receosa por causa da higiene, mas achei tudo bem limpo. Entretanto, preciso levar em consideração que não era temporada e era uma segunda-feira, então estava meio vazio, o que contribui para a manutenção, acho. Mas não é feito nenhum tipo de exame médico do tipo olhar as frieiras, doenças de pele, etc., o que achei uma falha. Apenas uma maquininha espirra um líquido para desinfetar seus pés, mas ninguém por perto garante que todos façam uso.

Gel para higienizar os pés antes de entrar na piscina
Gel para higienizar os pés antes de entrar na  área das piscinas

 

Organização – Acho que algumas coisas poderiam ser mais simples, como oferecer o aluguel de toalha e outros itens já no momento da compra do ingresso. Evitaria ter que fazer outro pagamento em tão pouco tempo. Embora haja placas, achei bem confuso se locomover nos espaços de cabines e para acessar as piscinas. A planta é linda, simétrica e cheia de curvas, mas talvez isso tenha tornado a distribuição dos ambientes confusa.

Piscinas – As internas são bem pequenas – ainda bem que existem várias termas na cidade para distribuir os usuários. A piscina de ondas estava com apenas 1/4 da capacidade de água e o maquinário para fazer as ondas estava desligado, mas as pessoas a usavam mesmo assim.

Eu, a 40 graus!
Eu, a 40 graus!

 

Duchas: refresco depois da sauna finlandesa
Duchas: refresco depois da sauna finlandesa


As termas de Budapeste ao longo do tempo

No século I, romanos já utilizavam 15 termas e em Óbuda ainda é possível ver algumas fundações e paredes remanescentes do período.

O adorado rei Mathias visitava as casas de banho com frequência e havia corredores que ligavam o castelo de Buda à Termas de Rác.

150 anos de ocupação turca também deixaram legado nos banhos de Rudas e Király.

A segunda metade do século XIX marcou a escavação do primeiro poço artesiano de águas quentes de Budapeste, antigos banhos foram renovados e novos surgiram.

O complexo Széchenyi Thermal Baths surgiu em 1913 como o primeiro de Peste e é o maior, mais festivo e mais visitado por turistas (é o que tem balada noturna).

termas Széchenyi Budapest
termas Széchenyi: só vi pela janela

Está prometida para 2016 a construção de um “palácio de natação” nas Termas de Dagály, que sediará o Campeonato Mundial de Natação em 2021.

Como surgem as águas Termais
Fiz minha pesquisa e descobri que a água quente é a mesma que abastece represas, lagos e rios: da chuva. Só que essa água vai até camadas profundas em terrenos mais porosos, esquentando 1º a cada 33 metros de profundidade. O caminho para cima é mais rápido, principalmente se há tubulação de poços profundos, que aceleram a volta, impedindo que a água esfrie.

Gostou das dicas? Não se esqueça que você pode retribuir colaborando com o blog ao fazer sua reserva de hotel pelo Booking.com e também ao comprar seu seguro de viagem pela Mondial Assistance. É só clicar nos logos das duas empresas que aparecem aqui no blog. São empresas confiáveis e seguras e eu só firmei parceria com elas porque já utilizei seus serviços várias vezes.

Posts Relacionados (clique sobre o título):

Budapeste ou Paris: qual é a mais Bonita?

Budapeste: Guia para Planejar sua Viagem

Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião?

Budapeste: Roteiro de 4 dias (em breve)

10 Coisas Gratuitas para Fazer em Budapeste (em breve)

Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião?

Infelizmente no Brasil não estamos habituados a viajar de trem ente cidades ou estados, mas na Europa esta é a melhor opção em muitos casos. Acabei de percorrer os trilhos entre Viena, Budapeste e Praga, e fiz um dos trechos, o mais longo, de avião, então compartilho com vocês como foi orientada essa escolha. Espero que ajude a planejar sua viagem a estas três cidades tão lindas e que nada deixam a desejar se comparadas a outras capitais mais visitadas por brasileiros. Em Budapeste eu falava baixinho, com medo de cometer uma heresia:
“esta cidade é tão bonita como Paris!” e isso rendeu até um post: Budapeste ou Paris, qual é a mais bonita?

Conforto e paisagem - e snacks, porque ninguém é de ferro!
Conforto e paisagem – e snacks, porque ninguém é de ferro!


Trem ou avião entre países da Europa?

Como toda escolha, esta também é pessoal, mas em geral o trem vale a pena em percursos com duração de 3 a 5 horas. Para viagens mais longas, o avião é boa opção pois faz o percurso em tempo bem menor. Há quem viaje em trens noturnos para economizar tempo e estadia em hotel, mas na minha opinião esta é uma opção para quando você tem 20 e poucos anos. Depois dos 40 uma noite mal dormida pesa e a disposição para explorar o destino no dia seguinte cai. Por isso não considerei esta opção. Num trem como este da foto abaixo, que tem cabines para seis pessoas, é possível se esticar nos três bancos e dormir na tão sonhada posição horizontal, contando com a sorte de não chegar o dono dos assentos vizinhos ou de não ser incomodado por um fiscal.

O interior do vagão da OBB, de Viena a Budapeste
O interior do vagão da OBB, de Viena a Budapeste

Para fazer a escolha entre trem ou avião, fiz um comparativo dos dois meios de transporte e considerei:

– o tempo gasto no deslocamento até a estação ou aeroporto e seu custo, seja de taxi, seja de transporte público. Em geral, as estações de trem europeias ficam dentro dos centros das cidades, enquanto aeroportos se localizam no mínimo a 15 quilômetros. Em muitas cidades europeias, tanto aeroportos como estações de trem têm fácil acesso por transporte público. A gente morre de inveja!!! Leia os guias sobre cada cidade publicados aqui no blog, onde sempre dou as opções de transporte aeroporto-cidade;
– o tempo gasto na viagem de cada meio de transporte;
– o custo da tarifa de cada modalidade.

Aéreo entre Brasil e Europa
Já começo dizendo que esse negócio de voltar ao ponto de partida está longe de ser o ideal. Chegar a Praga de avião, ir a Viena e a Budapeste de trem e tomar o voo de retorno ao Brasil em Budapeste, seguindo uma linha de Norte a Sul, ou o sentido oposto, seria perfeito. Mas como usei passagem premio de programa de milhagem, eu não tinha essa opção e fiz SP-Viena com conexão em Munique (que aproveitei para conhecer e escrever dois posts: Do Aeroporto ao Centro de Munique e Roteiro de Munique e Dicas para uma Conexão Longa) e no final da viagem Viena-Munique-SP.

Munique dicas
A bela Munique ainda com cara de primavera no início de outubro

Nossas malas foram despachadas diretamente a Viena, e a SP na volta, então não precisamos usar o guarda-volumes do super aeroporto de Munique. O carimbinho da imigração você recebe em Munique (ou na cidade europeia em que fizer conexão) e depois não há controle de passaporte para entrar nos demais países, já que todos fazem parte do Tratado de Schengen.

Não se esqueça que os países signatários desse tratado exigem a emissão de um seguro viagem. O Mulher Casada Viaja tem convênio com a Mondial Assistance e por isso oferece 15% de desconto aos leitores. A cada mês há um código promocional, que é atualizado na página Receita de Viagem. Clique sobre o logo da Mondial presente aqui no blog para ser direcionado à página deles. Você ganha um desconto e contribui para a manutenção do blog. Obrigada!

Viena-Budapeste de Trem
Para o trecho Viena-Budapeste, escolhi viajar de trem porque eram apenas 2h40 de viagem. A estação Keleti, em Budapeste, é a mais centralizada e rodamos apenas 3 estações de metrô para chegar ao hotel na vizinhança do Mercado Municipal. O custo também foi excelente, € 19 por pessoa na segunda classe, então só vi vantagens.

Leia o primeiro post sobre a capital da Hungria: Budapeste: guia para planejar sua viagem.

Para viajar de Budapeste a Praga, eu gastaria cerca de 7 horas dentro do trem ao custo aproximado de €93 a €124, no site RailEurope, dependendo da classe, então optei por gastar 1h20 no avião, a €105. Mesmo considerando os deslocamentos até o aeroporto achei que ainda sairia ganhando em tempo. A tarifa mais barata e de voo mais curto que encontrei foi da Czech Airlines. Antes de bater o martelo pesquisei em fóruns de viajantes e não havia nada preocupante a respeito dessa companhia que não faz voos par o Brasil. O voo foi tranquilo, embora o turbo-hélice seja barulhento.

Budapeste-Praga

Leia post que publicarei em breve Praga: guia para planejar sua viagem.

Finalmente, de Praga a Viena, outro trem, desta vez com duração de 4h10, por € 19 por pessoa. Comprei pela Internet (link no final deste post) e recebi por e-mail o eticket da fotinho abaixo:

Que língua de assutar!
A língua que assusta ainda mais do que a alta do Euro! Brincadeirinha!, a desvalorização do real não tem comparação no quesito show de horror


Sobre Viena, comece pelo post Viena: guia para planejar sua viagem. Há outros três posts e os links ~podem ser encontrados no Roteiro de 3 Dias por Viena.

Bilhete de trem entre Viena e Budapeste: passo a passo para comprar
Partindo de Viena, compre seu bilhete no site oficial da empresa ferroviária austríaca, http://www.oebb.at, Geralmente sai mais barato do que comprar pelo site da RailEurope (em Português). Na minha pesquisa, uma diferença de quase €20 por pessoa na segunda classe. Veja como fazer:

1. Entre no site da companhia austríaca OEBB. O site está em alemão mas se você não fala esta língua, há opção em Inglês na barra superior à esquerda. Ao clicar no menu, o botão em vermelho mostrará “Deutsch”, que significa alemão. Quando você clicar sobre o botão cinza ao lado direito de Deutsch, a palavra English ficará em vermelho e o site em Inglês.

trem de viena a budapeste

2. Digite Vienna no campo From e Budapeste no campo To. Escolha a data de sua viagem e o horário. Não precisa ser exato, será possível escolher outros horários na próxima tela.

term para Budapeste

3. Em Who is traveling, clique sobre “+ Passengers” apenas se quiser comprar mais de um bilhete. Do contrário, clique em “Calculate Fare“. Esta será a nova tela, com as opções de trens, horários e estações.
Atenção: a estação mais central em Budapeste é a Keleti.

bilhete de trem Viena-Budapeste

Se você preferir um trem que saia mais tarde, clique em later e novas opções aparecerão. Depois que você escolher o trem, um alerta de que não é possível imprimir seu bilhete em casa é emitido.

Screenshot_2015-07-28-12-43-24

Atençãocomo não se emitem e-tickets, você tem que ir a uma estação de trem em Viena de posse do código de retirada informado pelo sistema (este você pode imprimir) para retirar seu bilhete. Pode ser no auto atendimento ou num guichê. No guichê é cobrada uma taxa de €1, mas é muito fácil imprimir na máquina.

Pegadinha
Mas acho que o mais importante é esta pegadinha em que eu quase caí: entrei no site da cia. ferroviária húngara, que tinha o trecho Viena-Budapeste mais barato, e quase comprei por lá. Só que eu teria que retirar o bilhete em Budapeste, estando em Viena! Portanto: compre seu bilhete na companhia ferroviária do país de origem da passagem. Os links estão no final desta publicação.

Como eu não tinha cadastro, precisei fazer um. Então, já logada, o passo seguinte foi concluir o pagamento. Ah, esqueci de dizer que eles oferecem a opção de reservar assento. São apenas €3, então acho que é melhor do que ficar procurando lugar vago, principalmente para quem está com malas.

4. Depois de inserir os dados do cartão de crédito, a instituição financeira pede uma autorização e assim que você libera recebe o “Collection Code”, a sequência de números que digitará na máquina da estação austríaca para imprimir seu bilhete.

Quando comprar o bilhete
A maioria das empresas começa a comercializar os bilhetes com 60 dias de antecedência. Se você tentar antes, pode se confundir, achando que o trecho escolhido não existe.

trem Europa malasBagagem no trem
Lembre-se que em trens não há bagageiro de porão como em ônibus ou aviões. Você sobe de mala e cuia no vagão. Em geral há um compartimento sobre os assentos para bolsas e malas pequenas e um único espaço por vagão, perto da porta, para as malas de todos os passageiros, como mostra a foto ao lado. No trecho Viena-Budapeste, os vagões tinham cabines com assentos para 6 pessoas e espaço sobre nossas cabeças para até 4 malas grandes e outra prateleira para bolsas. Ficamos mais tranquilos porque não ficamos na neura de vigiar as malas a cada estação em que o trem parava.

Paisagem
Não há muito o que ver e eu não orientaria minha escolha baseada na paisagem, mas no Outono o colorido das árvores deixa o trecho Praga-Viena especialmente bonito.  O trecho Viena-Budapeste é bem plano, sem relevo, e plantações e hélices de energia eólica dominam a paisagem depois de 30 minutos de partida.

Da janela. Depois não entendem porque eu só penso em viajar...
Da janela. Depois não entendem porque eu só penso em viajar…

serviço de bordo à venda
serviço de bordo à venda: chocolate por 40 coroas tchecas

Conforto e serviços dentro dos trens
Os bancos não reclinam, mas em trechos curtos isso não é um problema. Há banheiros e serviço de bordo, incluso na primeira classe e vendido na segunda. No trecho Praga-Viena, nosso trem tinha um café com janelas panorâmicas, o que facilita o bate papo com outros viajantes e faz o tempo passar mais rápido.
O espaço para pernas é bom e, diferente de aviões, não há entretenimento como música ou vídeo.

O espaço para pernas no trem
O espaço para pernas no trem


Últimas Dicas
1. Locomover-se entre as estações de metrô até o terminal de trem de viagem demanda tempo, então programe-se com antecedência para não perder o trem.

2.  Ao chegar à estação, procure os painéis de orientação para descobrir de qual plataforma seu trem partirá. O acesso às plataformas de muitas estações não tem elevador ou escadas rolantes, então lembre-se de viajar com malas pequenas. Se viajar no Outono ou Inverno, agasalhe-se: as plataformas são cobertas, mas como são abertas faz muito frio.

Plataforma da estação de Praga
Plataforma da estação de Praga


3
. Depois de achar a plataforma, é preciso adivinhar onde é sua cabine pois algumas estações trazem essa orientação, mas outras não, e a gente só sabe quando o trem chega, lendo no painel luminoso ao lado da porta. Informe-se com um local –  acostumado a tomar trens – para se posicionar mais ou menos próximo de seu vagão, pois as paradas são rápidas.  Em último caso, entre em qualquer vagão e caminhe até achar o seu.

A orientação do número do vagão só chega junto com otrem
A orientação do número do vagão só chega junto com otrem

A ligação entre vagões
A ligação entre vagões

4. Mantenha o voucher ou bilhete sempre à mão, pois o fiscal o solicitará para conferência e carimbinho.

5. A velocidade desses trens é em média de 120 km/h.

6. Dentro dos trens painéis informam em Inglês as paradas.

7. Tenha sempre uma echarpe com você! Isso nunca tinha acontecido comigo, mas na entrada do trem de Praga para Viena algumas pessoas exalavam um odor insuportável de suor + falta de banho que eu mal conseguia respirar!untitled-36
8. As estações de Praga e Viena assemelham-se a aeroportos: têm muitas lojas, corredores infinitos e em Praga muitas placas ininteligíveis! Volte à dica número 1.

A estação de Praga. Ao fundo, o quiosque de informações
A estação de Praga. Ao fundo, o quiosque de informações


Links para comprar os bilhetes

Partindo de Viena, compre da Oebb.
Partindo de Praga, compre da CD
Partindo de Budapeste, compre da Máv
Se preferir, voe de Budapeste a Praga ou vice-versa pela Czech Airlines.

Mais posts com dicas de compra de bilhetes, estações, fotos. (clique sobre os títulos para ler)

Sobre o planejamento da viagem a Viena, Budapeste e Praga

Paris a Amsterdam, passando por Bruxelas, Bruges e Antuérpia

Trem, Luzes, Câmera, Ação!

Minha experiência cruzando o canal da Mancha, entre Paris e Londres

Passo a passo da compra de bilhetes da companhia férrea francesa, entre Paris e Bruges

 

 

Budapeste ou Paris, qual é a mais bonita?

Budapeste o que fazer

“Olha, esta cidade é tão bonita quanto Paris!”,

falei baixinho para meu marido, com receio de estar cometendo uma heresia. Rapidamente ele discordou. É difícil mesmo competir com nomes de peso como Paris ou Roma – ou Praga, que acaba sempre entrando na disputa de “a mais bonita” por estar na Europa Central, assim como Budapeste. Dois meses depois que a visitei, escrevo agora enquanto penso no porquê daquela confidência meio sem jeito. Bem, a razão para a comparação é facilmente explicada: palácios à beira de um rio lindo, igrejas ricas em arquitetura, praças arborizadas aqui e ali e detalhes que formam sua identidade única. O distanciamento me leva a pensar que Budapeste é uma das capitais mais bonitas da Europa e é, sim, tão linda quanto Paris, talvez mais agradável e simpática, por não ser tão lotada de turistas.
Então é hora de ir antes que fique! Encontramos vários brasileiros, mas a capital da Hungria ainda fica em segundo ou terceiro plano quando brazucas pensam em ir à Europa. Que pena!

Compartilho algumas das coisas que me trouxeram encantamento, mas o maior você sabe: a gente sente e é difícil de explicar ou listar! Vá lá, então, e confira por você mesmo!

Budapeste roteiro

Multiculturalismo
Em cada restaurante ou loja, havia pessoas de outros países, estivessem trabalhando ou tocando seu próprio negócio. E todos com quem falei estavam felizes por viver na Hungria.

O Mercado de Budapeste
Fachada do Mercado, do lado Peste


Regime Comunista
A Hungria foi o primeiro país que visitei que havia estado sob a Cortina de Ferro do regime comunista. E os reflexos podem ser vistos na arquitetura de prédios mais afastados do centro, no jeito meio rude de os mais velhos falarem e agirem, e até nos avisos sonoros de uma das linhas do metrô, quando tive a sensação de que as portas fechariam e cortariam meu braço fora caso eu estivesse passando pela porta. Que exagero!, mas gostamos de extremos para marcar nossas experiências. Algo muito interessante e que merece respeito é o fato de os húngaros não apagarem seu passado. Com a queda do comunismo, as esculturas e monumentos de Lenin, Marx e tudo o que se produziu no período de 1949–1989 estão hoje expostos no Memento Park. Ponto para Budapeste!

Memento Park Budapeste

Protesto
Ainda sobre manter a memória, senti uma inveja danada quando vi a reação desfavorável do povo por causa de um monumento erguido na Praça da Liberdade (Szabadság Tér).  Desde então as pessoas vêm protestando no local porque o governo aprovou a construção, na véspera do ano de 2014 (!), de um monumento que simboliza a inocência da Hungria durante a ocupação nazista, que teria sido não só pacífica como bem-vinda.  Mas eu conto essa historia direitinho no próximo post porque ela me emocionou muito.

Budapeste monumentos

Arquitetura
É o tipo de cidade que te convida a olhar  para o alto e apreciar os adornos e detalhes dos edifícios. Os telhados coloridos de cerâmica de vários edifícios garantem o encantamento. Talvez empate com Viena ou Praga nesse quesito. E ganhe de Paris!

Budapeste o que fazer

Budapeste do alto
As vistas do alto são servidas à mesa em prato farto. Além do Morro de Buda (o rio Danúbio dividia a cidade em Buda, onde fica o castelo, e Peste, onde fica o Parlamento), a Basílica de Santo Estevão, o castelo de Buda e Bastião dos Pescadores oferecem vistas lindas da cidade. E quem visitou a cidade na Primavera, verão ou outono de 2015 teve a chance de subir na maior roda gigante móvel da Europa, montada na Erzsébet Tér em apenas 8 dias. A Budapest-Eye tem 65 metros de altura, 41 cabines e leva 332 pessoas de uma só vez. E o melhor: ela não se destaca no horizonte, deixando o protagonismo para os edifícios históricos. Legal essa cidade, não é?

Hungria Budapeste

O Rio Danúbio e suas pontes
Danúbio e Viena são nomes que se conectam, mas é em Budapeste que o rio é lindo, lindo, lindo. Todo mundo conhece Danúbio azul, mas eu juro que em alguns momentos eu vi o rio verde. Paris venceria numa competição “caminhada às margens do rio da cidade”, mas não fosse o ruído incessante dos veículos, Budapeste empataria, na minha opinião, claro. Mas passear por suas margens além de prazeroso traz muitas informações e estímulos: ciclovias, o simpático bonde amarelo, largas calçadas, a vista de belos edifícios e palácios. De noite e de dia. Em uma margem e noutra. De bicicleta ou a pé. Ou ao navegar pelo rio, por que não?

Ponte das Correntes (Széchenyi Lánchíd)
Ponte das Correntes (Széchenyi Lánchíd)


O mais belo dos belos: O Parlamento Húngaro
O Parlamento encanta, hipnotiza. É lindo e estava limpinho, branquinho (depois de quase duas décadas de restauro), o que o deixou ainda mais atraente. Lindo de dia e de noite. Não entrei porque achei salgadinho o preço para visitar poucas salas apenas.

Parlamento Budapeste
O Parlamento dá panos pra manga: vamos compará-lo com o de Londres! Just kidding…

O artesanato húngaro
Há décadas eu não visitava uma cidade tão rica em artesanato. Tudo agora é feito em escala industrial, e as lembrancinhas de nossas viagens são muitas vezes feitas na China. Em Budapeste os bordados, ovos de ganso pintados e perfurados, bonecas com trajes folclóricos e brinquedos de madeira nos fazem lembrar uma época em que havia tempo e disposição para o trabalho artesanal. Fiquei imaginando que se a historia recente da Hungria tivesse sido diferente no início do século passado talvez essas habilidades tivessem se perdido.

Budapeste dicas

As termas
Eu adoro uma aguinha quente, então foi uma delícia passar as últimas horas em Budapeste relaxando ora em 38 graus, ora em 24. De quebra, saí para o aeroporto de banho tomado mesmo já tendo feito check out no hotel. Dicas de como aproveitar melhor as Termas do Hotel Gellert, que visitei, estão em post próprio e é só clicar aqui para ler.

Budapeste termas Gellert
Duas das piscinas do Hotel Gellert, com temperaturas de até 40 graus!


As ruas de pedestres

Nosso hotel ficava em uma, a Váci, e à noite era uma delícia passear pelos restaurantes com mesas no calçadão, luzinhas, floreiras… Fez o início do Outono parecer uma eterna primavera. Mais um motivo para morrer de inveja. Sou de São Paulo e sempre penso como nosso centro histórico afasta as pessoas em vez de convidá-las a vivenciá-lo. Temos calçadões, mas não temos segurança.

Budapeste passeios
Uma das pontas da Váci Utca. A outra fica em frente ao Mercado


Do que não gostei em Budapeste
Pode até ser uma observação superficial demais, pois três dias em uma cidade não nos permite ler seu povo. Mas falo de impressões. Chegamos a Budapeste de Viena, onde usamos o transporte público diversas vezes e fomos muito bem recebidos. Ao usar metrô e bondes de Budapeste, notamos, em relação a Viena, um povo mais carrancudo, com cara mais sofrida e mais simplória na maneira de se vestir e de se relacionar. A cordialidade de funcionários do metrô ou mesmo de moradores de Viena não se repetiu em Budapeste. Talvez tenha sido minha experiência. Talvez seja assim mesmo. Apesar disso, olha que engraçado, senti Budapeste mais aconchegante do que Viena. Outro comparativo: se as pessoas acham os parisienses ríspidos, é porque ainda não foram a Budapeste. Mas não deixe que este meu julgamento pese em sua decisão de conhecê-la. Veja bem: se eu tivesse que escolher entre voltar a Viena ou a Budapeste, com certeza eu voltaria à capital da Hungria! Paris ou Budapeste? As duas! Budapeste ou Praga? As duas! Porque eu peguei 3 dias de chuva em Praga e preciso ver a cidade seca um dia.

Buda vista de Peste: A Igreja São Matias, o Bastião e o Castelo
Buda vista de Peste: A Igreja São Matias, o Bastião e o Castelo

 

Gostou de Budapeste e decidiu ir? Leia o guia que escrevi para começar seu planejamento clicando aqui. Pesquise seu hotel pelo site Booking.com, o mesmo que utilizo para fazer as minhas viagens. Leia as avaliações de hóspedes, veja as fotos do quarto e do hotel, a localização e faça sua reserva clicando aqui. O blog recebe uma pequena comissão para reservas efetuadas aqui e isso ajuda a pagar os custos de manutenção no ar.

O blog também te ajuda com o seguro viagem, que inclui desde problemas de saúde a extravio de bagagem. Temos parceria com a Mondial Assistance, que oferece 15% de desconto para os leitores do Mulher Casada Viaja. É só clicar aqui e fazer seu orçamento para uma viagem tranquila e segura.

 

 

 

 

 

O jogo do planejamento de uma viagem internacional⚽

Budapeste turismo
O Danúbio e o Parlamento, vistos do Castelo de Buda, em Budapeste

Neste post compartilho como é o jogo durante planejamento de uma viagem internacional, especificamente para Budapeste, Praga e Viena, mas cujos passes passos servem para qualquer destino.
Torço para que este post motive você a realizar o planejamento de sua viagem. Sim, é mais trabalhoso do que comprar um pacote, mas mais econômico e na minha opinião chega a ser quase tão prazeroso quanto a viagem em si.

Continuar lendo