Giverny: Casa de Monet

Quando minha filha era um bebê, li em um lineia consultório médico um livro chamado Lineia nos Jardins de Monet. Imaginei que um dia ela estaria lá, feliz por ter a oportunidade de visitar a casa do pintor e os jardins por ele criados. Não foi ainda dessa vez. Em vez dela, havia outra criança sapeca, fotografando os cômodos da casa escondido (eu sempre respeito os museus, juro, mas desta vez não deu! acho que foi culpa da criança sapeca), rindo de alegria ao ver a ponte japonesa e chorando de emoção dentro da casa. Não sei explicar porque Monet me emociona tanto. Quando vi seus quadros no Museu Orsay chorei de forma tão descontrolada que precisei sair ao terraço para respirar. E o mais interessante é que racionalmente eu prefiro as pinturas de Van Gogh e são suas as reproduções que tenho em casa! Monet, só no coração…

DSC_1282
A felicidade é entrar em um campo florido…

Claude Monet (1840-1926) é um dos pintores mais importantes do Impressionismo e a casa que visitamos foi onde ele  viveu por 43 anos, pintando e planejando seu jardim, que serviu de assunto para suas obras. É um grande prazer caminhar por lá e reconhecer o barco, os campos de papoulas, a ponte japonesa. Impossível não lembrar da Lineia do livro!

Continuar lendo