Trem na França, Bélgica e Holanda: dicas

Cometi o pecado dos viajantes apressados: agarrei uma oferta de passagem SP-Paris ida e volta sem negociar uma SP-Amsterdã-Paris-SP, que atenderia melhor aos meus planos. Que sorte a minha! Tive a chance de aprender como viajar de trem pela Europa e conhecer algumas lindas estações de trem – e outras nem tanto, mas todas com pontualidade britânica!

Outro pecado (ou virtude, se você é viciada em viagem como eu) dos viajantes é o “já que”.  “Já que estou indo a Amsterdã, por que não dar uma paradinha na Bélgica?” E dá-lhe passagem de trem!

Conto aqui um pouco sobre minha passagem (olha o trocadilho aí, gente!) por estas estações de trem e, claro, vão dicas de como proceder no embarque e antes de fazer as malas!

Comprando as passagens

Este item mereceu um post próprio (link no final do post), principalmente porque não há página em Português no site que vende as passagens do trem de alta velocidade, conhecido como TGV.

Primeira ou segunda classe?

Se a diferença do valor for muuuito pouca, vale a pena a primeira classe, que tem wifi (embora lento) e serviço de bordo com suco e um lanchinho inclusos no custo. As poltronas reclinam um pouquinho. E só. Se a viagem for curta, acho que não vale a pena.

O lanche da primeira classe do trecho Amsterdam-Paris (3 horas de viagem)
O lanche da primeira classe do trecho Amsterdam-Paris (3 horas de viagem)
CDG indicação de terminais
indicação dos terminais no CDG

CONTINUE LENDO

Anúncios