Lago de Braies, Misurina e Carezza: os melhores das Dolomitas

Lago de Braies
lago de Braies

Minha primeira viagem às Montanhas Dolomitas foi incompleta pois deixei de visitar o Lago de Braies e o Carezza, dentre outras coisas. Três anos depois reparei o erro e deixo aqui inspiração e informação para que você não deixe de conhecer estes lagos no norte da Itália. Foram eles os escolhidos do tema maravilhas da natureza para a blogagem coletiva deste mês. Quem acompanha o Mulher Casada Viaja sabe que todo dia 8 as blogueiras de viagem do 8on8 escrevem sobre um tema em comum e o post deve ter apenas 8 fotos, um desafio em alguns casos! Confira ao final suas sugestões de destinos de natureza.

Falando muito resumidamente e sem cores e floreios que os alpes orientais italianos merecem, as Dolomitas são um conjunto de cadeias de montanhas próximas da fronteira da Itália com a Áustria, entre as províncias de Vêneto, Trentino Alto-Ádige e Friuli, onde ficam os três lagos objeto deste post.

Gigantes lagos glaciares, como o Garda, o Maggiore e o Como, todos na macroregião norte da Itália, exigem dias para serem curtidos e minimamente conhecidos, mas os Lagos de Braies, Misurina e Carezza podem ser visitados em poucas horas, embora seja melhor conhecê-los individualmente a cada dia, pois ficam relativamente distantes uns dos outros – e assim você pode curti-los, não apenas vê-los.

Visitamos o Mirusina e o Lago de Braies no mesmo dia, quando hospedados em Cortina, mas eu já havia curtido o Misurina em outra viagem. O lago Carezza conhecemos no retorno ao lado oeste das Dolomitas, quase chegando em Bolzano.

Outro lago das Dolomitas, de um azul turquesa incrível, é o Lago Sorapis, mas como não o conheci, ele foi excluído deste post porque a política do blog é o compartilhamento de informações sempre em primeira mão. Quando eu voltar lá e visitá-lo, atualizo este post, pode deixar!

Como destinos de montanhas são meus preferidos, lagos estão sempre presentes, e talvez você se interesse em conhecer outros. Até me espantei com a quantidade, devo ter mais lagos do que praias no meu currículo!

lagos ao longo da Icefields Parkway e Lake Louise e Emerald Lake, no Canadá
Jasper, nas Montanhas Rochosas do Canadá
lagos do Glacier National Park, em Montana, Estados Unidos
Lago Minnewaska, em Nova Iorque
lagos andinos, na divisa entre Argentina e Chile
lagos do Parque Torres del Paine, no Chile
Lago del Inca, em Portillo, Chile
lagos do Deserto do Atacama
Argentino, em El Calafate, Argentina
Lago Halsstatt, na Áustria
Obersee e Konigsee, na Alemanha
Trubsee no Monte Titlis, Suíça
Brienz e Thun, dois lindos lagos da Suíça
Lugano, Suíça

Ainda não escrevi sobre Bellagio, no Lago di Como e sobre Sirmione e Limone Sul Garda, ambos no Lago Garda, então procure por atualizações no índice Itália-Norte.

Alugar um carro é a melhor forma de conhecer as Dolomitas e seus lagos, pois trens não chegam aos pontos mais bonitos desta fotogênica cadeia de montanhas. Em minha primeira viagem para a região, aluguei um carro em Veneza e nesta segunda vez em Milão, ambas no site de busca e reservas Rentcars. Leia minhas dicas para Dirigir na Itália.

Lago de Braies

Considerado o lago mais bonito das Dolomitas, além da cor e transparência da água, a majestade da montanha Croda del Becco (Seekofel), de 2.810m de altura, contribui generosa e harmoniosamente para a beleza do Lago de Braies, conhecido como Pragser Wildsee, em alemão, segunda língua oficial do Sul do Tirol.

O Lago de Braies fica na região Trentino Alto-Ádige, no município de Braies (Prags, em alemão). As cidades grandes mais próximas são Bolzano, 126 km a Oeste, e Cortina d’Ampezzo, 48km a Leste. Dobbiaco é outra cidade com relativa estrutura, a apenas 17 km do lago, e por onde passa a linha de ônibus 442 que chega até o Braies nos meses de verão.

A estrada entre Cortina e o Lago de Braies é muito bonita, como todas da região, com vistas para os picos pálidos e florestas de pinheiros. Quando nos aproximamos da cidade de Dobbiaco, vemos o cemitério de guerra Monte Piana e o lago Dobbiaco, ambos bem na beira da estrada. Correndo contra o tempo, seguimos adiante sem parar. O trecho final é um vale amplo, com casinhas em fazendas e celeiros. Aproveite para ligar o rádio e ouvir música local, abra a janela do carro e curta o clima.

O primeiro estacionamento é o mais distante do lago. Se ele estiver relativamente vazio, arrisque seguir adiante pois o próximo fica a passos do lago de Braies. Pagamos na saída, com sistema de caixas eletrônicos. O preço é fracionado, e para deixar o carro o dia todo custa 8 euros.

E então você caminha pelo estreito corredor entre o hotel e a lanchonete e chega à margem norte do lago, diante da casa de barcos. Seu primeiro impulso é fotografar, capturar o momento, guardá-lo em silício para o dia em que sua memória falhar ou para, numa tentativa infeliz, provar a amigos e familiares o quanto o lago é lindo.

Seguindo pela margem direita, vemos uma capela de pedra construída em 1904. Além de sua beleza simples, carrega um momento histórico: durante a Segunda Guerra Mundial, 137 presos políticos foram retirados de campos de concentração na Alemanha por ordem de um comandante da SS, a fim de barganhar sua liberdade. A troca aconteceu no hotel Pragser Wildsee, e os prisioneiros liberados rezaram na capela.

Lago de Braies

O que fazer no Lago de Braies

É difícil resistir, mas não fizemos a atividade mais popular e talvez mais prazerosa do lago de Braies: alugar um barquinho a remo para curtir o visual. A casa de barcos e bilheteria fica logo na entrada do lago e funciona de junho a setembro, das 9h30 às 17h. A hora custa €25, acrescido de €15 a cada 30 minutos posteriores.

Na trilha de 4 km em volta do lago você encontra bancos, praias e mirantes, e o passeio proporciona diferentes vistas do lago e entorno. Para quem busca maiores desafios, a trilha #1 Croda del Becco começa na parte Sul do lago. É uma trilha de 11km, com ascensão de quase 1 km, ou seja, no mínimo requer um bom preparo físico.

Lago de Braies

Lago Misurina

Situado entre a cidade Cortina d’Ampezzo e a estrada que leva a uma das mais populares trilhas das Dolomitas, a Tre Cime di Lavaredo, o Lago Misurina pode não ter os tons azul turquesa ou verde esmeralda de outros lagos de degelo, mas seu entorno é lindo e sugiro que você não perca a oportunidade de conhecê-lo.

Além de hotéis, o entorno do lago tem um supermercadinho/lanchonete e um restaurante com mesinhas externas, ótimo em dias de verão. Mas em baixa temporada quase tudo fecha.

Há uma trilha fácil em volta do lago, e pedalinhos para aluguel. Um estacionamento pago maior fica neste ponto de onde fiz a foto abaixo.

Leia sobre minha primeira visita ao Misurina em Lago Misurina e Refúgio Auronzo

Lago Carezza

Foi nossa última parada de um dia inteiro entre Cortina e Bolzano, percorrendo a histórica Grande Strada delle Dolomiti. O lago Carezza (Karersee, em alemão) fica a apenas 25km da cidade Bolzano, colado na estrada 241, one há uma 5 vagas pequenas e gratuitas para carros. Preferimos deixar o carro com segurança no estacionamento do outro lado da estrada (primeiros 15 minutos grátis, 1 euro por hora), onde também há lojas e lanchonetes.

Diferente dos outros lagos, não há barquinhos no Carezza, mas uma plataforma proporciona a vista ideal. Caminhamos um pouco pela trilha beirando o lago, fizemos algumas fotos e logo partimos para um gelato antes de pegar o carro.

As fotos que escolhi não aparentam, mas em nossa visita, em junho de 2019, as árvores do entorno estavam literalmente no chão! Não parecia incêndio e duvidei que fosse desflorestamento, então pesquisei e descobri que no final de outubro de 2018 uma tempestade com ventos de 200 km/h derrubaram os pinheiros como um castelo de cartas.

A belíssima montanha que faz o pano de fundo do Carezza pertence à cadeia Latemar e lembra outra cadeia mais famosa a de Funes, mas que em vez de lago tem um vale e a igrejinha de Santa Madalena.

O Lago di Carezza vsito da estrada

Leia sobre as Montanhas Dolomitas aqui no Mulher Casada Viaja

Passeios e excursões para os Lagos das Dolomitas

Muita gente me pergunta como conhecer as Dolomitas sem ter que dirigir. O transporte público é muito ruim, pois ali prevalecem carros, bikes e motos, mesmo. Mas há excursões para atender a esta parcela de gente que merece conhecer os lagos e outras belezas deste pedaço da Itália:

Para quem está em Bolzano, tem uma excursão com duração de 10 horas, para grupos de até 7 pessoas, que passa pelos lagos citados neste post e vai até Cortina, com guia em Inglês, Alemão, Italiano, Português ou Russo.

Melhor época para conhecer o Lago de Braies, Lago Carezza e Lago Misurina

Os meses de verão, final de junho, julho e agosto, alta temporada nas Dolomitas, são os melhores para aproveitar dias quentes, claros e longos para curtir os lagos. Suas margens são preenchidas por pessoas lagarteando em busca de sol e sossego, mas a temperatura da água é meio impeditiva para mergulhos, atingindo no máximo 14°C. Como a região das Dolomitas é vasta, estar por lá na alta temporada não causa a sensação de estar numa ilha cercada de gente por todos os lados. Pelo menos por enquanto.

Vi imagens do Lago de Braies no outono, uma visão estonteante, mas o ponto negativo é que na baixa temporada tudo fica fechado e meio sem vida. E no inverno todos os lagos congelam, apresentando uma roupagem completamente diferente, mas igualmente linda. As temperaturas em janeiro no Lago de Braies, Misurina e Carezza variam entre -2 e -10 em janeiro, enquanto no verão atingem 21 graus celsius.

Lago de Braies no inverno
O Braies no inverno, em foto de Riccardo Chiarini, by Unsplash

Onde ficar para conhecer o Lago di Braies, o Carezza, e o Misurina

Perto do Lago di Carezza

Na parte oeste das Dolomitas, passamos uma noite em Bolzano, num estúdio bem no centro da cidade, numa rua arborizada, com prédios baixos e charmosos, o Villa Jasmine Guest House. Bem decorado, tudo novinho, cozinha equipada e com estacionamento.

Se você preferir ficar na praça principal de Bolzano, num prédio clássico com jardins e serviço 4 estrelas, confira o Parkhotel Laurin .

Outro bem localizado é o Stadt Hotel Città. Se você prefere alugar um apartamento, confira as sugestões do Booking.

Também na parte ocidental das Dolomitas, ficamos 3 noites em Ortisei, cidadezinha típica dos Alpes, com boa estrutura de hotéis, comércio e acesso a pé a teleféricos para chegar a Alpe di Siusi e Seceda. Adorei a cidade e o B&B onde ficamos, tudo novinho, lindo, com jardins com vista para a montanha, o Villa Angelino.

Perto do Lago Misurina

Para conhecer o lago Misurina (e o Sorapis), você pode ficar em um dos hotéis à frente do lago ou na cidade de Cortina d’Ampezzo. No Lago Misurina, eu fiquei no hotel Sorapis. O ponto positivo foi ficar num lugar incrível, mas faltou estrutura para jantar, por exemplo, pois preferi não dirigir à noite pelas estradas sem iluminação. Mas os hotéis de montanha oferecem meia pensão, em geral o jantar, ou você pode contratar à parte.

Veja outras opções no Lago Misurina.

Em nossa segunda viagem, ficamos em Cortina, num hotel fora do centro, mas dá pra caminhar para o centro para jantar, sem problemas, aproveitando o ar fresco das montanhas. O Hotel Villa Nevada fica em um prédio típico alpino, com muita madeira, gerâneos nas janelas, e vistas lindas dos picos, além de estacionamento grátis.

Se você não se importar ficar a 10 km de Cortina, numa zona rural, passamos no La Locanda del Cantoniere para almoçar, um lugar maravilhoso, com jardim, quartos novos e muito pinho aparente na decoração. Veja outras opções em Cortina d’Ampezzo.

O jardim e restaurante externo do Locanda del Cantoniere

Perto do Lago di Braies

Como eu disse, tem um hotel bem em frente ao lago, o Hotel Lago di Braies, com estacionamento gratuito. Veja outras opções próximas do Lago di Braies.

Sobre outras maravilhas da Natureza deste 8on8

Clique na imagem para salvá-la no Pinterest

26 COMENTÁRIOS

  1. Marcia do céu, esses três lagos até parecem foto do windows de proteção de tela! Que lugares incríveis mulher. Que louco isso dos ventos terem sido tão fortes que derrubaram várias árvores, dá até um pouco de receio né? Acho que é sempre bom olhar a previsão do tempo também, pq vai que você é escolhido pra ver isso acontecer de pertinho hehe.

    • As Dolomitas são lindas, mesmo, coitado do meu marido que me aguentou falando delas por 3 anos, até que o convenci a ir. Sempre bato nesta tecla de que é preciso escolher bem a época para ir a alguns lugares, mas às vezes podemos ter surpresas, sim. Quase peguei uma tempestade nas ilhas da Flórida, tava doidinha pra acontecer e eu estar lá. espírito jornalístico!

    • Oi, Diego, olha eu acho lindo tudo branquinho, mas pra ver da janelinha do quarto rsrsrs. E pra quem curte caminhadas, o verão é o ideal, tanto que apesar de ser destino de esqui, as Dolomitas recebem mais gente no verão que no inverno.

  2. Oi Márcia, quantas imagens lindas você trouxe neste post! Não conheço nada dessa parte da Itália, mas confesso que fiquei com vontade de embarcar agora direto para a região das Dolomitas. Seus artigos sempre super completos e contagiantes. Bjs

  3. q maravilhoso q fica o lago quando não está congelado haueahe quando fui em abril tava super congelado e com muita neve ainda, foi bem bizarro! quero ver se volto esse ano

    • Na primeira vez em que estive lá, eu tinha comprado um bilhete promocional pra fim de março, mas como vi que ainda estaria tudo fechado e congelado, paguei uma diferença enorme pra ir em junho, mas valeu a pena. Mas este ano junho foi diferente, estava muito mais quente e já com a cara do verão.

  4. Nossa, cada foto um cartão postal, hein! 🙂 Eu não conheço ainda esses lagos, mas vi que precisamos incluir a região das dolomitas em nossa lista de destinos.

    • Perfeita esta palavra: impactante. Sempre digo que tomo um susto bom quando vejo uma paisagem assim: o coração pula, é muita beleza…

  5. Que lagos maravilhosos, Márcia, amei as fotos. Conheci e fiz o passeio de barco no Lago de Como, fiquei encantada com tudo que vi. Esses são incríveis também, super dicas pra gente conhecer, gostei de saber.

    • Lagos não faltaram neste meu roteiro pela Itália e Suíça! Fiz o Lago di Como, Garda e Lugano, também, lindos e charmosos, e no verão são imbatíveis, mas uma experiência completamente diferente destes lagos pequenos nos Alpes.

  6. A cada post da região das Dolomitas eu fico mais encantada e com vontade de conhecer. Esses lagos são sensacionais e nem precisam de photoshop. rsrs As dicas estão bem detalhadas para conhecê-los. Excelente post!

  7. oi Marcia… que post mais lindo!

    A foto que abre este texto mostra uma paisagem apaixonante! Gostei muito da ideia de fazer uma trilha no Lago de Braies, em meio a este cenário maravilhoso!

    O contraste das montanhas com a floresta de pinheiros no Lago Carezza está incrível! Que impressionante os ventos que os derrubaram! Espero um dia poder ver tanta beleza de perto! 🙂 bjuus

    • Então, Ana, quando estive lá não entendi o que eram todas aquelas árvores derrubadas, sem sinal de incêncios, nunca tinha visto algo parecido.

  8. Marcia, que lugar maravilhoso! Eu adoraria alugar um barquinho e passear pelo Lago de Braies! Adorei as fotos, lindas e inspiradoras como sempre! Gostei de ver o contraste entre as estações, mas o lugar é incrível de qualquer jeito. Com certeza uma maravilha da natureza que merece um destaque! Bjs, Mari

  9. Marcia, que viagem maravilhosa! Sou apaixonada por lagos e montanhas, principalmente quando elas ficam geladas no inverno. Mostrei as fotos deste post por meu marido e já estamos convencidos de que precisamos conhecer a região das Dolomitas. Obrigada por compartilhar tamanha lindeza! Quando nós formos, pegarei este post como guia. Super completo! beijos

    • Cecília, talvez você ainda não saiba, mas as Dolomitas são meu lugar preferido na Itália, voltaria fácil quantas vezes pudesse. Tem bastante material já aqui no blog, pode usar e abusar e, se precisar de mais dicas, pode me chamar que terei prazer em ajudar. beijos

  10. Dà para entender porque os “altoatesinos” não se sentem italianos. Essa paisagem é incrível, mas não tem nada a cara de cidade italiana.
    Eu não conheci essas dolomitas, mas estive em uma no sul, com mais cara italiana que se chamam “Dolomitas Lucanas”…. Deixe anotado para uma pròxima
    😉

    • Olha, nunca tinha ouvido falar das Dolomitas Lucanas. Fui espiar e ahcei bem bonitas as formações, mas Alpes são alpes…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui