Que Fazer no Rio de Janeiro durante Parada do Navio de Cruzeiro

Você certamente sabe quais são os principais pontos turísticos do Rio de Janeiro, cidade brasileira mais divulgada em TV, cinema, nas publicações de turismo, casa de paisagens mundialmente reconhecidas e de relevo marcante. Mas para quem tem poucas horas, um bom planejamento para aproveitar a parada do navio de cruzeiro no Rio é fundamental e aqui relato como foi nossa experiência ao mesmo tempo em que você vai colhendo as dicas.

Cruzeiro Rio de Janeiro
Nasce um dia lindo no RJ

A Chegada ao Rio

Levantei num sobressalto, pois o dia já estava nascendo e não queria perder esse espetáculo numa situação tão única. A primeira noite a bordo do navio havia sido de sono picado, afinal era meu primeiro cruzeiro e eu tinha levantado algumas vezes para espiar a luz da lua sobre o mar e ouvir o som das ondas quebrando no casco no navio. Nossa primeira parada era nada mais nada menos do que o Rio de Janeiro e eu faço uma confissão aqui: eu nunca tinha ido ao Rio! Pode parecer uma vergonha conhecer tantas cidades pelo mundo e não ter ido ao vizinho mais lindo, mas eu acho que vê-lo assim, com o sol despontando a partir do navio foi uma espécie de compensação divina. Nem todo mundo estava pronto para ele, no convés, apenas eu e mais duas mulheres, que desperdício!

O Museu do Amanhã

Como você pode ver nestas fotos iniciais, um cruzeiro que pára no Rio de Janeiro proporciona uma vista singular da orla e de seu relevo, potencializados pela altura do navio. Então minha dica é que você esteja sempre no convés quando o navio estiver se aproximando dos portos. Mesmo em Santos, que é bem feinho, foi interessante.

rio-janeiro cruzeiro fazer
A Iha Fiscal, em primeiro plano

Leia os demais posts sobre o cruzeiro que fizemos:
– dicas para escolher uma boa cabine no navio,
informações práticas para quem embarca em cruzeiro pela primeira vez
onde estacionar no porto de Santos
preços a bordo e o que está ou não incluso
– o que fazer nas paradas em Santos, Búzios e Salvador.

Que transporte usar no Rio de Janeiro

Como estávamos em 3, foi mais fácil e prático usarmos Uber para todos os pontos visitados. Do porto ao Corcovado, gastamos $17, mesmo valor pago de lá até Copacabana. De Copacabana de volta ao porto, foram $38; pegamos um pouco de trânsito e o motorista rodou bastante pelo centro, tentando encontrar a Confeitaria Colombo, mas o Waze o mandava entrar em ruas de mão contrária e acabamos desistindo, pois já estava ficando esquisito. Mas ele foi bem legal e fez uma espécie de tour, nos apontando pelo caminho o Palácio Guanabara, o Sambódromo e outros, embora eu já estivesse cansada de saber o que eram.

Eu bem queria ter usado o moderno bonde VLT, que pode ser uma boa opção de transporte se você vai ficar na região Porto e centro. Mas como não há cobrador, você precisará comprar o cartão RioCard/Bilhete Único Carioca, que é vendido em algumas estações do metrô. Ou seja, para quem chega de navio, não é tão prático.

As linhas e pontos do VLT

Nosso Roteiro no Rio de Janeiro na parada do cruzeiro

Como relatei, o navio chega ao amanhecer, mas ainda é preciso tomar café da manhã, então eram umas 8h quando pisamos em terra firme. Nesse horário, a região do porto estava bem vazia e isso nos incomodou um pouco. Perto de nós, apenas 2 ou 3 grupos de pessoas que também estavam à espera de um Uber. A construção de novos prédios comerciais e residenciais parece não ter atraído muita gente e 80% dos imóves corporativos encontravam-se vagos, além dos antigos e muitos galpões. Não vi comércio ou restaurantes, o que talvez explique o desinteresse pela região. Mas continue lendo, que isso vai mudar.

Turistas de primeira viagem ao Rio, planejamos visitar o Corcovado, um trecho da praia de Copacabana, tentamos ir à tradicional Confeitaria Colombo do Centro (há também uma unidade no Forte de Copacabana) e depois visitamos o Museu do Amanhã e o Boulevard Olímpico.

Tomamos o Uber direto para o Corcovado. Eu tinha comprado os ingressos do trenzinho (que na verdade é um funicular) antecipadamente pelo site oficial e sugiro que você faça o mesmo, partindo logo cedo para lá, pois as filas são longas.

saguão de espera para o trenzinho do Corcovado

Achei o percurso bem chatinho e pensei que poderia ter algum vídeo ou monitor falando sobre a mata atlântica que se vê pela janela, algo a que estamos acostumados, mas não os gringos. Não tem ar condicionado, então prepare-se! Sentar-se do lado direito na subida parece ser mais interessante.

Depois que chegamos, ainda tem uma escadaria para vencer – ou encarar a fila dos elevadores, mas há também escadas rolantes, Glória a Deush! E aí você leva dois sustos: vê a paisagem maravilhosa e a multidão posando para selfies.

A Lagoa Rodrigo de Freitas, os Dois Irmãos e a Pedra da Gávea

Mas a vista compensa as escadas, o tumulto que se forma aos pés do Cristo… o Rio é lindo, mesmo, né? O ruim é que tinha tanta, mas tanta gente, que foi impossível conseguir uma foto com o Cristo sem alguns papagaios de pirata. Mas taí: Cristo Redentor, checked!

Praia de Copacabana

Claro que eu queria pisar no calçadão de Copacabana, então tomamos novo Uber para lá, onde tirei minha foto com a estátua de Drummond e tomamos uma cervejinha e água de coco num dos bares na areia. No melhor estilo turistas, fomos abordados por um grupo que tocava samba em troca de um troco.

O Museu do Amanhã

Como eu já disse, tentamos ir tomar um café na Confeitaria Colombo, mas não rolou, então fomos direto para o Museu do Amanhã. Eu também tinha comprado ingresso antecipado, com horário para o período da manhã, mas não tivemos problemas para entrar à tarde.

Eu achei o edifício projetado pela badalado arquiteto espanhol Calatrava um espetáculo, especialmente pelas coberturas em balanço sobre a praça e sobre o espelho d’água. Quanto ao acervo, ficou devendo muito, na minha humilde opinião.

O Boulevard Olímpico

Réplica do 14 Bis em frente ao Museu do Amanhã

O corredor formado com a demolição de uma via elevada deu lugar a uma área de lazer com ciclovia e calçadão, além dos trilhos do VLT, o bonde moderno que infelizmente não usamos, mas pode te levar ao Aquário, ao centro, ao aeroporto Santos Dumont e à Rodoviária.

Mas a grande atração é o mural de Eduardo Kobra, Etnias. Feito para as Olimpíadas de 2016, Kobra teve a ideia de homenagear os grupos étnicos de cada continente e entrou para o Guinness em agosto daquele ano como o maior grafite do mundo.

rio-janeiro cruzeiro-roteiro
O mural Etnias do artista Kobra no Boulevard Olímpico, visto do navio

Os telhados da foto acima são de galpões que hoje funcionam como espaço para eventos e onde fica a entrada para o embarque nos navios de cruzeiro. Ali há alguns stands de souvenirs e roupas e acessórios para praia, além de alguns alimentos.

Quando voltávamos ao navio, a região do porto, que de manhã estava morta, vivia uma festa: turistas e locais circulavam, famílias curtiam atividades lúdicas e culturais nos galpões do pier Mauá, cheiro de comida pairava no ar.

Roteiro no Rio de Janeiro: região do Porto Maravilha

Se você não quer se afastar muito do navio, seja lá qual for o motivo, saiba que é possível, sim, montar um roteiro de atrações no entorno do pier Mauá. A região portuária do Rio passou por revitalização para as Olímpiadas de 2016 e ganhou 4 pontos turísticos: o Museu do Amanhã e o Boulevard Olímpico, sobre os quais falei acima, e AquaRio e Museu de Arte do Rio. Como não fomos lá, te indico dois blogs legais que têm dicas a respeito, o Let’s Fly Away e o Turistando.in. 

Saguão do AquaRio. Foto blog Let’s Fly Away

Mas pontos bem antigos merecem sempre ser visitados e, como estão a no máximo 1,5km do Museu do Amanhã, dá até para ir a pé:
Igreja da Candelária  (Praça Pio X, s/n)
– Mosteiro de São Bento (Rua Dom Gerardo, 68) 
Real Gabinete Português de Leitura (Rua Luís de Camões, 30-só abre em dias úteis)
Confeitaria Colombo (a 1,5km do Museu do Amanhã – não abre de domingo)

Em um dia, dá pra fazer tanto o roteiro que fizemos como o do Porto Maravilha, mas não dá tempo de mesclar os dois. Uma pena o navio não ficar mais tempo, já que temos horário de verão e o sol se põe bem tarde. Podíamos partir do Rio vendo o sol se pôr, um ciclo completo que a programação do navio nos tirou.

Pão de Açúcar e a Ilha Fiscal

Segurança na região portuária

Eu não me senti insegura em nenhum momento, mas não usei minha câmera fotográfica pela rua nem dei bobeira com bolsa ou celular, cuidados que tenho até mesmo na minha cidade, São Paulo. Por outro lado, não circulamos pelo centro por estar muito vazio no domingo. Valem as orientações de não usar jóias, relógios e afins.

E acabou!

Depois desta visita fugaz, só posso dizer que conheço o Rio de vista – e que ele realmente é lindo. Mas se você estiver por lá com mais tempo, não deixe de ir a ao Parque Lage. Quem foi e dá as dicas é a Carol do blog Viajar Correndo, em Parque Lage, uma opção de passeio no RJ e a Luciana do Let’s Fly Away, em O Verde do Parque Lage.

cruzeiro Rio Janeiro que visitar

Espero que este roteiro te ajude caso vá passar algumas poucas horas no Rio de Janeiro, seja num cruzeiro ou noutro tipo de viagem.

rio-cruzeiro oque fazer
Assine a nossa Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba dicas imperdíveis de viagem!

28 COMENTÁRIOS

  1. Deu pra fazer bastante coisas! Seu roteiro está impecável e as fotos estão lindas!
    O Museu do Amanhã é fantástico, né? Visitei no fim do ano passado e adorei.

  2. Adoreeei seu relato! Eu já morei no RJ muito tempo (e sempre volto pra lá) e fico espantada com a quantidade de coisas que se faz em um dia turistando por lá. Tem coisa aí que eu nunca fiz kkkkk mas ô cidade linda, né? Valeu por compartilhar!

  3. o Rio de Janeiro é ainda a minha cidade preferida no mundo, e espero voltar logo, e espero que um dia ela seja essa cidade que todos queremos que seja, maravilhosa e sem violência!

  4. Que delícia de passeio. Fui no Rio em 2015 e tive menos de 2 dias para conhecer as principais atrações. É muita coisa para fazer em tão pouco tempo né, e que pena que tiveram que voltar para o navio cedo, com horário de verão dava para aproveitar até o pôr do sol.

  5. É muito maravilhosa essa cidade!!! Já fui trocentas vezes e é sempre uma experiência incrível. Não dá pra enjoar nunca!

  6. Que interessante, Marcia! realmente chegar pelo mar é uma outra perspectiva, muito bonita. Eu ainda não visitei o Museu do Amanhã nem o píer e fiquei louca para ver pelas suas fotos!

  7. Para quem passou só um dia no Rio você fez muita coisa! Chegar na Colombo do Centro é meio complicadinho mesmo, porque não passa na rua, é preciso saltar em alguma rua principal e andar um pouco. O Cristo Redentor é cheio em qualquer horário, não tem jeito. Mas o visual é imperdível!!!

      • Poderia ter ido na confeitaria colombo do forte de copacabana. O visual de lá é espetacular. E obrigada por falar da minha cidade com tanto carinho, Volte sempre e querendo dicas só falar.

        • Sabe que pensei nisso? Mas quando estávamos em Copacabana, ainda achava que conseguiria ir à do centro… Obrigada pela oferta de dicas, são sempre bem-vindas!

  8. Que legal seu passeio! Eu conheço a maioria dessas atrações e não me canso do Rio! Adoro essa cidade e adoro o mural do Kobra!

  9. Parabéns pela disposição! Vocês aproveitaram MUITO para uma parada rápida de navio. E amei o ângulo do painel do Kobra visto do navio! Arrasou na foto!!!
    Um super beijo,
    Carolina

  10. Oi Márcia, essa chegada no Rio de Janeiro de cruzeiro é linda né? Eu já saí de cruzeiro daqui para a Patagônia, achei o máximo! Você levantou um bom ponto sobre o VLT. Também acho bem ruim isso de só poder andar com o RioCard. Deveria existir máquina de venda e recarga nos pontos, concorda? E você visitou pontos bem bacanas do Rio! Faz anos que eu não vou ao Cristo. E a região do Porto também ficou ótima para passear depois da reforma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui