Dirigindo na Califórnia #2: Sinais e Regras de Trânsito, Combustível, Estacionamento

Esta é a segunda parte do post com dicas para quem vai dirigir na Califórnia, como sinais de trânsto, combustível e estacionamento, mas as dicas cabem bem para outros lugares dos Estados Unidos, também. Não deixe de ler a primeira parte do Dirigindo na Califórnia, que dá dicas de pedágio, estradas, aluguel de carro e habilitação.

Não sei se foram as décadas de estudo e posteriormente de ensino de Inglês americano (ou serão décadas de filmes, animações e séries americanas?), o fato é que a sinalização e até algumas regras de trânsito a gente simplesmente sabe, mas ainda assim me surpreendi com uma delas, que nunca tinha reparado em outros estados, então o mesmo pode rolar com você. Estacionamento é sempre uma incógnita e neste post você encontra dicas muito legais sobre isso e mais ainda sobre combustível. Deixe a preguiça de lado e leia o post todinho!

Continuar lendo

Anúncios

Dirigindo na Califórnia #1: Pedágios, aluguel de carro, estradas e mais

 Sonhando em dirigir pelas estradas da Califórnia, mas não sabe se a CNH é aceita, quanto custa um galão de gasolina, como são as regras de trânsito e outras tantas dúvidas que surgem no planejamento ou que nos pegam de surpresa quando já estamos dirigindo pela Califórnia? Então fica aqui e leia a primeira parte do Guia para Dirigir na Califórnia, fruto de minha observação, experiência e pesquisa para você rodar tranquila/o pelas infinitas highways. Esta primeira parte compreende habilitação, fala sobre as estradas, limites de velocidade e aluguel de veículo.

Bay Bridge, em São Francisco

O que Fazer em Monterey, Califórnia

carmel-big-sur-california

Monterey é ofuscada por outras cidades californianas como São Francisco, Los Angeles e até San Diego, então saio em sua defesa e brado que você precisa ficar ao menos 2 dias por lá, no melhor estilo slow travel e passear a pé pela Coastal Trail, se entupir de peixe e frutos do mar, visitar a parte histórica da cidade e observar lontras e leões marinhos bem de perto, na natureza. Talvez queira visitar um dos aquários mais famosos do mundo ou apenas passear pelas ruas arborizadas com casas de madeira que parecem cenário de estúdio de Hollywood. E que tal visitar condomínios com campos de golfe à beira mar, ou comer nos restaurantes estrelados de sua vizinha Carmel-by-the-Sea? Neste post falo especificamente sobre Monterey e mais adiante descrevo nossos passeios por Carmel e pela 17-mile Drive em novas publicações.

Continuar lendo

USS Midway, o porta aviões-museu de San Diego

O tamanho impressiona já do lado de fora principalmente quando você se aproxima da bilheteria e o troço vira um paredão. Lá dentro, no hangar, você não acredita na quantidade de aviões restaurados em exposição e, quando chega no deck superior, a vista da cidade, da baía e de mais caças é inebriante. Estou falando do USS Midway, o porta aviões que mais trabalhou na historia da marinha americana, quase 50 anos. Virou um dos museus mais visitados de San Diego, instalado no waterfront, pertinho do centro.

O maior porta aviões do século 20
O mais longevo porta aviões do século 20 ao seu alcance

Continuar lendo

Por onde meus pés andaram em 2016

Não foi um ano fácil. Os resultados da crise política e econômica se escancararam e trouxeram grandes mudanças de comportamento na vida dos brasileiros. Muita gente cortou ou simplificou os destinos de viagem – e esses são os privilegiados, porque muitos fecharam seu pequeno negócio, perderam o emprego ou tiveram que aceitar fazer o trabalho de um colega demitido recebendo o mesmo salário e esticando a jornada.

Também senti diferenças em dois pontos: como professora de Português para estrangeiros, vi a diminuição da chegada de alunos de pós graduação por aqui (meu público alvo), afinal, o Brasil já não está com a bola toda que Lula vendeu ao exterior. Ou seja, minha renda caiu. Como blogueira de viagem, percebi que imagens compartilhadas que falavam sobre a dificuldade de viajar ganhavam mais likes do que imagens de destinos turísticos e o blog teve menos acesso agora em novembro e dezembro (quando as pessoas planejam as féras de verão e Carnaval) do que em anos anteriores.

imagem que circulou nas redes sociais
imagem que circulou nas redes sociais

Continuar lendo

San Diego: Point Loma

Cabrillo National Monument, em Point Loma
Cabrillo National Monument, em Point Loma

Point Loma é uma pensínsula que protege outra, a de Coronado, e a baía de San Diego, no extremo sul californiano, e marca a chegada dos europeus à costa da Califónia espanhola.

San Diego Point Loma
a área do parque

Visitamos Point Loma no dia de nossa chegada à Califórnia, ainda de roupas usadas no voo internacional, bagagem no porta malas, cansados mas cheios de expectativa com a viagem. Escrevi sobre o primeiro dia no post anterior, quando visitamos La Jolla e Old Town, e como o post já estava longo demais, Point Loma ganhou um espaço só para ele, este aqui.

Continuar lendo

San Diego: La Jolla e Old Town

Este post é complemento da publicação anterior, em que compartilhei minhas impressões sobre San Diego e também o roteiro de 3 dias na cidade. Aqui descrevo o primeiro dia em detalhes, com valores dos passeios e refeições, entre outras dicas.

O mapa abaixo mostra o que eu tinha planejado para o dia. Você perceberá que há uma discrepância entre o mapa e a descrição do dia e isso é porque deixamos de fazer Sunset Cliffs (havia muitas nuvens baixas no horizonte e a ideia era ir até lá só para ver o por do sol) e colocamos Old Town no lugar. Também não fomos até Pacific Beach, apenas passamos de carro por lá.

Continuar lendo

San Diego: Roteiro de 3 dias e impressões

La Jolla Cove
La Jolla Cove

Difícil colocar num roteiro de 3 dias tudo o que há para fazer em San Diego e claro que não foi possível ver todas as principais atrações da “última” cidade ao sul da Califórnia antes da fronteira com o México. Por isso, além de compartilhar o que efetivamente fizemos, deixo para você uma listinha dos lugares para onde não fomos e assim você monta seu próprio roteiro.

Uma das áreas mais fotogênicas do Balboa Park
Uma das áreas mais fotogênicas do Balboa Park

Continuar lendo

Coronado: a ilha de San Diego – que não é ilha!

A gente aprende na escola que ilha é um pedaço de terra cercado de água por todos os lados e, falando assim, Coronado parece ser uma ilha, principalmente porque chegamos lá atravessando a ponte San Diego-Coronado. Bem, sabendo o nome da ponte, inferimos que Coronado não pertence a San Diego, é um município autônomo – e não é uma ilha, mas sim uma península. Neste post dou dicas de como circular, o que fazer, como chegar lá e falo sobre minhas impressões deste lugar exclusivo e ao mesmo tempo tão acessível.

Pra começar, quando planejei minha ida a Coronado as expectativas eram grandes e nos meus planos ia parecer um comercial de imóvel: a gente ia alugar bikes e percorrer as ruas sorrindo e brincando, depois de ter atravessado a baía de San Diego de ferry, apreciando o skyline da cidade e os veleiros branquinhos. Na real, a gente foi de carro, depois de um dia cheio, estávamos cansados, marido e filha contrariados porque queriam voltar para o hotel e descansar e eu mau-humorada porque minha câmera resolvera quebrar no início da viagem (se você acompanhar os posts da Califórnia vai ver algumas fotos fora de foco). Mas as opções eram ir assim, anos-luz de uma família de comercial de TV, ou não ir. Fomos assim.

Coronado San Diego

Vale a pena ir a Coronado?
Se você tiver ao menos umas 2 horas a mais no seu roteiro de San Diego, vale a pena, sim. A praia é muito bonita e se você curte arquitetura colonial americana vai adorar as casas de madeira em ruas sem iluminação pública. 

Como Chegar a Coronado

Há várias formas de chegar a Coronado: de carro, de ferryboat e de trolley, caso você tenha comprado o passe do hop on/off do Old Town Trolley, que vai aos principais pontos turísticos da cidade de San Diego. Ele atravessa a ponte San Diego-Coronado e faz parada perto do Hotel Del Coronado.

a baía de San Diego sobre a ponte, a caminho de Coronado
a baía de San Diego sobre a ponte, a caminho de Coronado

Ferry para Coronado
Há dois pontos de partida: ao lado do USS Midway Museum e no Pier da 5th ave., em frente ao San Diego Convention Center. A viagem de 15 minutos proporciona avistar o skyline de San Diego e observar as embarcações ancoradas e navegantes da baía. Custa $5.

coronado-4
A marina de Coronado, na bela Glorietta Bay

Como circular em Coronado
🚶 Se você chegar de ferry, para ir a pé até Coronado Beach, do outro lado da península, dá uma caminhada superior a 30 minutos.

🚴 Há várias lojas para alugar a sua bike convenientemente perto do desembarque do ferry: a Bikes & Beyond e a Rays Rentals (2000 Second Street) têm, além de bikes, aqueles carrinhos coletivos movidos a pedaladas para até 4 pessoas, os surreys. No Hotel Del Coronado (1500 Orange Ave.) tem a Wheel Fun Bike Rentals.

🚘 Eu tinha lido que seria um problema ir de carro por causa do alto custo de estacionamento, mas encontramos vaga na Avenida Del Sol, sem parquímetro, a passos da praia. Também é permitido estacionar gratuitamente na Ocean Drive, a avenida costeira. Mas não era alto verão quando fomos, então não sei se é fácil achar vagas em Julho ou agosto. Onde há parquímetro, a permanência é de no máximo 2 horas, a $0,25/hora.

🚌 Para ir ao outro lado da ilha de ônibus, na praia ou no hotel Coronado, a partir do centro de San Diego pegue a linha 901 e, se você já pegou o ferry (balsa), o ônibus é o 904.

Este ano (2016) a prefeitura da cidade ofereceu até o início do outono (fim de setembro) duas linhas de ônibus gratuitos para evitar que as pessoas usem carros. E olhem que legal a customização do ônibus:

coronado-6
🚃 Sabe o velho conhecido da turistada, o hop on hop off? Acho que só usei em San Diego e em Londres! Em San Diego é uma boa opção para quem está sem carro, pois as atrações não são concentradas num centro. Ele te leva a Old Town, Coronado e Balboa Park, mas tem linha que vai até La Jolla! Há passes de um dia ou mais e o nome do hop on hop off de San Diego é Old Town Trolley.

o Hop on Hop off
o Hop on Hop off

O que Fazer em Coronado

O mapa abaixo mostra o que eu pretendia fazer, mas o tempo curto não permitiu.  

Hotel del Coronado
Não é uma atração turística, mas é! O hotel branquinho construído todo em madeira em 1888 e com a torre cônica é tão símbolo de Coronado quanto a Golden Gate é de São Francisco. Ganhou popularidade mundial quando Marilyn Monroe, Tony Curtis e Jack Lemmon rodaram cenas da comédia Quanto Mais Quente Melhor (They Like it Hot). Apesar de classudo e de receber presidentes e gente famosa, dá pra fazer reserva até pelo Booking.com, usado por mortais como eu. Eu bem que queria comer em um de seus restaurantes, mas os preços me assustaram!

coronado-31

Descobri que há tours guiados ($20) às 10h30 de segundas, quartas e sextas e aos Sábados e Domingos às 14h, com duração de 90 minutos, caso você esteja interessado na história do hotel ou se quiser conhecê-lo por dentro sem se hospedar lá.

Coronado Historic Association é o museu da cidade. Não tive tempo nem de chegar perto, então não posso opinar se vale visitá-lo ou não.

Esportes e passeios aquáticos
Este tipo de atividade é bem óbvio para um destino de praia: tem caiaque, stand up paddle, surfe, passeio de catamarã, lancha, etc. Mas eu fiquei surpresa com o passeio de gôndola! Sim, igualzinhas às de Veneza, conduzidas por gondoleiros de camiseta listrada e chapéu de palha. Como dizia um querido professor: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Mas se você quiser, as informações estão no site da empresa que promove o passeio.

coronado-30
Não rolou pôr-do-sol no mar por causa das nuvens baixas. Não rolou foto mais legal por causa da câmera quebrada. Nem sempre os dias perfeitos são aqueles programados…

Praias

Silver Strand Beach: não fui, mas vi fotos e achei meio feinha para os padrões de praias paradisíacas que temos. Mas é o paraíso para quem está de trailler ou, como se diz em inglês, RV (recreational Vehicle): estacione sua casa sobre rodas bem na areia e divirta-se!

Municipal Beach: é a praia em frente ao hotel Del Coronado e foi onde passeamos no final de tarde, esperando o pôr do sol. A areia é branquinha e fina, há algumas rochas bonitas perto do calçadão. Caças voam bem baixo e fazem um barulho ensurdecedor, então se você quer silêncio esta não é sua praia! Você pode alugar cadeiras de praia e guarda-sol ($20 e $25) ou cabaninhas ($60).

coronado-24
Ju descansando nas proximidades do Hotel del Coronado

Coronado Dog Beach: está tendo uma viagem de cão? Leve-o para esta praia!

Centro de Visitantes
1100 Orange Ave, Coronado

Onde ficar em Coronado
Se você quiser um ambiente praiano bem família em San Diego, Coronado é uma boa opção. Eu quase reservei um hotel lá, mas acabei ficando no centro de San Diego pela conveniência e porque não ia curtir praia, mesmo. Veja aqui as opções de hospedagem em Coronado.
coronado-18

Em breve, dicas de San Diego. E você, tem alguma dica de Coronado pra compartilhar? Deixe nos comentários.

 

O Sol, o mar, a Golden Gate num passeio de barco em São Francisco

sao-francisco-59
If you’re going to San Francisco…

Passeios de barco são sempre prazerosos, sejam fluviais, lacustres ou marítimos, seja ao sabor da brisa morna de uma praia ou do vento frio e cortante de montanhas. Convido você a passear pelas águas da baía de São Francisco – e com vento frio de verão!

Era nossa primeira tarde em São Francisco e chegamos cansados após uma viagem de carro a partir do parque Yosemite e sem a mínima chance de cumprir o roteiro planejado para o dia, culpa da parada no San Francisco Premium Outlet (mas essa historia eu conto no post Roteiro de 3 dias em São Francisco). Foi só deixar as malas no hotel e rumamos para o ponto mais turistão de San Fran: o Pier 39.

sao-francisco pier 39
Pier 39 (e o quiosque da sorveteria)

O dia tinha sido lindo, ensolarado, sem o fog típico do verão. Depois de um sorvete e de muitas fotinhos, parei na cabine do Blue&Gold Fleet para retirar os ingressos cedidos para mim e minha família para que eu pudesse ter a experiência e contar aqui para vocês.

pier 39 sao-francisco
a bilheteria do Blue&Gold Fleet

passeio de barco pier 39

o barco de nosso passeio pela baía
o barco de nosso passeio pela baía

Deixo abaixo informações bem práticas para você se programar e fazer o passeio também:

Quanto custa o passeio pela baía de São Francisco (em dólares)?
Adultos pagam $30 (acima de 65 anos, $24), adolescentes $24  (12 a 18 anos), e crianças $20 (de 5 a 11 anos).

Onde Comprar Ingressos para Passeio de Barco em São Francisco?
Você pode adquirir seus ingressos no site oficial da Blue&Gold Fleet, mas eu sugiro que você espere pra ver o clima e compre diretamente no guichê, no pier 39, num dia que estiver limpo, porque passeio de barco para ver neblina não rola, né? Nos dias em que estive na costa da Califórnia (fim de verão), notei que as manhãs são sempre mais nebulosas, então programe-se para o período da tarde. Se você for no inverno, os dias costumam ser mais claros e o foggy típico dá uma folga.

Tipos de passeios do Gold&White Fleet
Há três tipos de passeios turísticos:

  • Escape from the Rock – É o tour que fizemos, com duração de 90 minutos e que passa por debaixo da Golden Gate, circunda a Ilha de Alcatraz, passa bem pertinho dos leões marinhos mais famosos da Califórnia, que tomaram conta do lugar após o terremoto de 1989. Em janeiro de 1990 decidiu-se que eles não seriam removidos dali, onde dispunham de abundante oferta de alimento e cuidados dos profissionais do Aquarium of the Bay. Desde então, viraram atração turística do Pier 39.
  • Bay Cruise Adventure – com duração de 60 minutos, é similar ao Escape from the Rock, só não passa pela Ilha de Alcatraz, que serviu de presídio por 29 anos.
  • Rocketboat – este só funciona no verão. É um passeio em lancha de alta velocidade com duração de 30 minutos. Deve ser emocionante!

Horários dos passeios de barco
Há vários tours ao longo do dia, mas eu particularmente acho o do final do dia, o ideal, principalmente em dias sem fog, porque assim você pega o pôr do sol inesquecível junto à Golden Gate, vê o brilho dourado californiano sobre o skyline da linda São Francisco e depois na volta as luzes dos prédios se acendendo.

Além dessa vantagem, um dos funcionários me informou que no final da tarde é sempre mais tranquilo, porque os grupos de turistas (pessoal que viaja de excursão) já foram embora – e constatamos isso mesmo: o barco estava praticamente vazio, foi muito bom porque a gente ficou na fila do gargarejo, com a frente do barco (proa) todinha pra quem como nós conseguiu enfrentar o vento da baía de São Francisco.

Em que língua é o tour?
O áudio disponível pelo barco está somente em inglês, mas há uma aplicativo (app) em várias línguas, então leve seu celular! Não, não tem em Português, mas tem em espanhol.

Eu confesso que mal prestei atenção ao áudio, de tanto que curti o passeio – e porque precisava tirar zilhões de fotos para selecionar as melhores e colocar aqui no post, claro. E porque minha filha adolescente estava se divertindo de montão e isso não é uma coisa lá muito comum na vida de um adolescente em companhia dos pais, não é? Eu precisava estar ali pertinho dela para aproveitar o momento! rsrsrs De qualquer forma, o áudio conta a historia da baía de São Francisco, do porto, da construção da Golden Gate, e sobre os tempos em que Alcatraz funcionava como presídio, sempre concomitante ao que se avista do barco.

O que levar, como se vestir…
Se for no verão em horário de sol quente, protetor solar. Se tiver cabelos longos, preda-os ou leve uma escova para dar um jeito na juba que se formará com o vento. Calças ou bermudas, por favor. Uma passageira estava com uma saia de fenda enorme e ela mal conseguia se movimentar porque o vento queria ver suas vergonhas, como diria Pero Vaz de Caminha. Ah, mesmo no verão, leve um casaquinho, o vento é sempre frio em São Francisco. Minha filha tinha uma legging na bolsa e se trocou no banheiro do barco assim que embarcamos.

E agora, algumas fotinhos do passeio na ordem cronológica:

dicas de São Francisco
o interior do barco
pier 39 San Francisco
o barco zarpa e os turistas sacam suas câmeras: piratas digitais
Golden & White Fleet Passeios barco São Farncisco
Forbes Island é o restaurante flutuante da baía
São Francisco vista
o dourado californiano sobre o skyline de São Francisco
sao-francisco-69
a grande atração do passeio (depois do pôr do sol)


Golden Gate sao-francisco-54

A Ilha de Alcatraz
A Ilha de Alcatraz
são Francisco skyline
as luzes da cidade começam a se acender
Os leões marinhos, quase não dá pra vê-los nesse horário...
Os leões marinhos: quase não dá pra vê-los nesse horário…

passeios em São Francisco

Espero que você goste tanto do passeio como nós. Abraços!

Gostou das dicas? Então que tal contribuir com a manutenção do blog sem pagar nada além do que você já gastaria no planejamento de sua viagem? O blog tem parceria com três empresas renomadas e se você clicar no logo delas aqui no blog ou nos links abaixo, eu recebo uma pequena comissão – e agradeço por isso! Antes de me filiar a elas, usei, testei seus serviços para que você tenha segurança e tranquilidade – e eu também, porque não dá pra indicar sem confiar, não é?

Booking.com – para reservar seu hotel, pousada ou apartamento

Mondial Assistance – para viajar tranquila e com cobertura em caso de acidentes, doença, extravio de malas… E leitores têm desconto de 15% com o código AFILI2016 (se estiver lendo depois de 2016, procure o código atual em “Receita de Viagem”, no menu.

Travelmobile – para chegar ao seu destino já com o celular conectado, compre um chip (SIM card) ainda no Brasil e receba-o em seu endereço. Foi o que usei nesta viagem à Califórnia.

Na página-índice da Califórnia você encontra os demais posts desta viagem.