Florença: Jardim Boboli e Palazzo Pitti

O Palazzo Pitti visto de seu "quintal"
O Palazzo Pitti visto de seu “quintal”, onde tem até obelisco egípcio

Mi dispiace, mas Palazzo Pitti não tem nada a ver com Brad Pitt, meninas. Mas outros nomes de peso e tão dramáticos quanto produções hollywoodianas envolvem a historia deste palácio de Florença: a própria família Pitti, que o construiu para rivalizar com os Médici (se você não se lembra deles das aulas de História ou de Arte, aposto que não vai esquecê-los depois de visitar Florença), que depois de falidos tiveram o edifício adquirido pela esposa de Cosimo I de Médici, em 1550. E aí a Granero entrou em ação e o Palazzo Vecchio perdeu o posto de residência oficial da família. E como a vida é feita de ciclos, também chegou a vez de os Médici dizerem adeus e o Palácio Pitti virou a residência dos Lorena e depois dos Sabóia. O palácio é hoje um complexo de museus e jardins – o conhecido Jardim Boboli, sobre o qual falarei mais adiante – e fica pertinho da Ponte Vecchio.

Agora, olha que legal: sabe o que é corredor vasariano? Existe um ligando o Castelo Sant’Angelo à São Pedro, em Roma e existe um em Florença, ligando o Palácio Vecchio ao Pitti – e que pode ser visitado! Esses corredores elevados eram construídos para que o monarca pudesse se deslocar de um ponto a outro em segurança. Se você já esteve em Florença notou as janelinhas acima da ponte Vecchio, não é?

O corredor Vasariano
O corredor Vasariano

blog-vasari-corridor-tours[1]

Museus do Palácio Pitti
É preciso visitar o complexo Pitti em mais de um dia, se quiser ver todos os museus e conhecer os jardins. Para quem não dispõe desse tempo todo – mesmo porque há tantos outros museus em Florença – sugiro que escolha os de seu interesse.

O ingresso que compramos (€10 em maio/15) incluiu acesso aos seguintes espaços e sobre os quais falarei mais abaixo:

  • Jardins de Boboli
  • Museu da Prata
  • Museu do Vestuário
  • Museu da Porcelana

Mas ainda tem:
– Galeria Palatina: arte dos séculos XVI e XVII
– Galeria de Arte Moderna Italiana: pintura e escultura do final do século XVIII ao fim da primeira guerra mundial.
– Aposentos Reais: salas ricamente decoradas com mobiliário, pinturas e tapeçaria do período dos Savoy.
– Museu da Carruagem (fechado para reforma)

Localização
Piazza de’ Pitti 1, do lado oposto do rio Arno ao Duomo, Uffizi, Galleria, etc.

Os Jardins de Boboli
Eu visitei o complexo com meus pais, em nossa última manhã em Florença, pois achei uma boa opção para sair do muvucado centro histórico e do sol de maio, dois elementos que cansam ainda mais os idosos. Chegamos bem cedo e compramos os ingressos na hora, sem filas. Eu não tinha feito minha lição de casa e não sabia o que esperar do palácio, pois meu interesse maior eram os jardins (meus pais não têm muita paciência para museus). Talvez por isso me surpreendi positivamente com o acervo dos museus que visitei- e me decepcionei com os jardins, cuja manutenção estava muito aquém de outros palácios que visitei na França e Áustria.

folheto e ingresso do Pitti
folheto e ingresso do Pitti

Ao comprar o ingresso (€10) na entrada do palácio, recebemos um folheto com o regulamento de visitação, em vez de um mapa ou guia, o que achei bem estranho. Nosso tipo de ingresso não dava acesso aos aposentos reais e à Galeria Palatina ou de Arte Moderna. Seguimos diretamente para os jardins.    Além de canteiros, árvores e plantas, elementos arquitetônicos como escadarias, fontes e estátuas adornam os Jardins de Boboli. Fiquei impressionada com o estado dos jardins: quase não havia flores (estávamos em maio, primavera!) e até a fonte Netuno (Fontana della Forchetta) estava coberta por mato e desativada.

A fonte de Netuno
A fonte de Netuno: mato verde e seco e maquinário desligado

Boboli Jardim Pitti

Dos lugares em que passeamos, o único jardim com flores era o de frente ao Museu da Porcelana, que é pequeno e não me interessou muito, mas tem uma vista magnífica da região e é a cara da Toscana.

O jardim em frente ao Museu da Porcelana
O jardim em frente ao Museu da Porcelana
Ao fundo, o Museu da Porcelana
Ao fundo, o Museu da Porcelana

Alessandra Griffo, Arte Historiadora e diretora dos Jardins, conta que no século XX cerca de 20 jardineiros prestavam serviços ali – hoje são apenas 5, segundo informação que li no livro disponível no quarto do hotel em que fiquei. As espécies plantadas são as mesmas escolhidas na época da idealização dos Boboli em 1549, com o intuito de preservar a historia. Dizem que o Boboli está para a história da jardinagem assim como o Uffizi está para a historia da Arte. Por isso, mesmo que o estado dos jardins não seja assim uma Brastemp, eu ainda sugiro uma visita.

Um dos cantos lindos dos Jardins
Um dos cantos lindos dos Jardins
Jardins Boboli Florença
Os jardins têm estátuas romanas e dos séculos 17 e 18 no Passeio

Jardins Boboli Florença

Há algumas placas indicativas de áreas importantes do jardim, mas elas não informam distâncias (algo importante para quem está com idosos ou mesmo quem tem tempo apertado), então acabamos por explorar apenas a área imediatamente atrás do palácio, sem visitar o que se encontra à direita, como você pode ver no mapa abaixo. Em minha pesquisa, notei que alguns museus de uma planta estavam diferentes da posição em outra. Que eu me lembre, o museu da porcelana, por exemplo, ficava no número 7, mas minha memória pode estar me enganando.

jd boboli c legenda

Museu do Vestuário
Depois de sairmos dos jardins, voltamos ao palácio e visitamos o Museu do Vestuário, que existe desde 1983 no Palacete Meridiano (Palazzina della Meridiana) e conta a historia da moda ao longo dos séculos. Estilistas como Valentinio, Versace, Armani e Saint Laurent estão representados, então,  se você gosta de moda, não perca. Se não gosta e tem tempo, vá também, pois está incluso no ingresso e não é um museu tão grande ou cansativo.

Traje pertencente a um membro dos Médici
Traje pertencente a um membro dos Médici
Um pouco mais contemporâneo
Um pouco mais contemporâneo

Como meus pais estavam cansados, levei-os para o pátio do Palácio, onde tem um agradável café. Eles voltaram ao hotel, mas eu ainda não estava satisfeita (quando estou em se tratando de viagem?) e prometi que em meia horinha os encontraria lá para almoçarmos e pegarmos o trem para Roma. Foi então que vi a Gruta.

Pátio do Palácio Pitti
Pátio do Palácio Pitti
A gruta
A gruta

Museu da Prata
Eu pensei que fosse um… museu da prata, mas acho que prata aqui significa riqueza. A coleção tem  objetos belíssimos e interessantes, que merece uma visitar muuuito maior do que apenas os 30 minutos de que eu dispunha. Então eu literalmente corri para ver um pouco de tudo. OK, tem objetos de prata, mas tem cristal, porcelana, camafeus, armas, objetos de marfim, esses retratos fotos em miniatura (acho que eram o 3X4 da época).
palácio Pitti Florença

Objetos de marfim
Objetos de marfim

O museu tem 14 salas no piso térreo e 13 no mezanino. Os afrescos são do século XVII, mas a sala da foto abaixo me impressionou pela pintura: as escadarias e sacadas não são reais, mas ilusão de ótica da técnica trompe l’oeil. Demais, não?

Palazzo Pitti firenze

Como o museu fica num antigo palácio, algumas salas são ricamente decoradas:

Sala do Museu da Prata, Palácio Pitti
Sala do Museu da Prata, Palácio Pitti

Claro que ao voltar ao hotel o tempo para o almoço antes do trem para Roma foi reduzido, mas valeu!

 

Anúncios

Florença: guia para planejar sua viagem

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Florença, ou Firenze em Italiano, é um encanto porque está na Toscana ou a Toscana é um encanto porque tem Florença? Certamente as duas afirmações! A região da Toscana encanta pelos campos e colinas, pela mesa, pela luz e pela Arte, presente não apenas em Florença, embora ela seja sua maior representante. Já reparou que até os ciprestes e os pinheiros parecem ter sido esculpidos para que tivessem a estética do belo? E os campos de girassol, lado a lado com os cilindros de feno? Uma viagem pelas estradas da Toscana é mesmo inesquecível! Mas não menos do que apreciar as fachadas e o interior de igrejas e museus.

Neste post estão dicas práticas para você começar a organizar sua viagem à cidade. Mais adiante escreverei sobre meu roteiro, restaurantes e hospedagem às margens do Arno, além de outras dicas mais pessoais.

É muita boniteza, mesmo!
É muita boniteza, mesmo!

Localização

Quase na dobra da bota
Quase na dobra da bota

 

 

 

 

 

 

Língua
Italiano. O Inglês pode ser usado em lojas, na maioria dos restaurantes e até mesmo taxistas arranham a língua de Shakespeare. Mas adoro escutar Italiano! É tão lindo ouvi-los dizer “Che belo!” e divertido quando soltam um “porca miséria!”. E quando voltei, estava assistindo a um programa sobre a Ferrari. Eu tive que perguntar para meu marido se o entrevistado falava português ou italiano! Que engraçado como nossos ouvidos se acostumam à língua… Amei, quero voltar a aprender italiano lá!!!!!😉

Fuso Horário
Cinco horas a mais do que Brasília.

Hospedagem
Qualquer lugar do centro histórico é bem localizado e se faz tudo a pé. Como tínhamos apenas uma noite, nos demos de presente um hotel em frente ao Rio Arno, entre as pontes Vecchio e Santa Trinita, o Berchielli. Leia mais sobre ele no post Roteiro de Florença em 2 dias a ser publicado logo logo.      

20150511-IMG_1031
Vista de nosso quarto no quinto andar

Em minha primeira vez em Florença fiquei numa zona residencial, afastada do centro histórico, como a maioria dos hotéis de grandes redes, o Gabriele D’Annunzio, que tinha um agradável jardim e boas instalações. Uma alternativa para sair do husstle and bustle do centro histórico ou para economizar na diária.  Hotéis próximos à estação de trem costumam ser mais em conta, mas a região também é vista como menos segura. Estou só repassando esta informação, já que nunca fiquei por lá. Confira preços de hotéis no site Booking.com. Eu sempre reservo por lá e se você reservar pelo link do blog não paga nada por isso e eu ainda ganho uma pequena comissão que ajuda a manter o blog no ar. Os anjos agradecem!

Eu, virando anjo no jardim do hotel Gabriele D'Anunzio
Eu, virando anjo no jardim do hotel Gabriele D’Annunzio

Permanência
Duas noites permitem conhecer bem as principais atrações e começar a se apaixonar pela cidade.
Muita gente faz bate-volta a partir de Roma. Eu acho um pecado do tipo que mama-vestida-de-preto-com-crucifixo-no-pescoço-e-lenço-na-cabeça também acharia! Eleja Florença como base para bate-voltas a cidades como Pisa, Luca e até Bolonha, seja de carro ou de trem.

Florença vista da Piazza Michelangelo
Florença vista da Piazza Michelangelo

Como chegar
A Tam e a Alitalia têm voos diretos para Milão e Roma. Para voos domésticos, você pode chegar a Florença pelo aeroporto Americo Vespucci (sim, aquele mesmo que fez os primeiros mapas da América) que está localizado a 4 km do centro da cidade.  Lembre-se que aeroportos demandam um tempo maior para deslocamentos e procedimentos de embarque que os trens dispensam, então pense seriamente em riscar esta opção em distâncias que podem ser tranquilamente percorridas por trem. 

🚅  A partir de Veneza, o trem com algumas paradas  levou duas horas de viagem. De Roma, a viagem de trem sem paradas leva 80 minutos. De Milão, 1h40. Eu viajei pela Italo, empresa privada, e a estatal é a Trenitalia. Caso você esteja com malas e não for se hospedar em Florença, a estação de Florença tem guarda volumes que funciona das 6h às 23h e o custo é de €6 pelo período de 5 horas, com hora adicional a €0,90 até o limite de 12 horas. Fica próximo à plataforma 16. Estas pesquisas foram feitas em março/16, quando eu planejava minha terceira viagem à Toscana.

Trem Toscana
Paisagem da janela do trem


Como circular
A pé, pois as atrações mais distantes estão a 20, 25 minutos de caminhada e estacionar no centro histórico é bem complicado. Se for explorar outras cidades da Toscana, aí sim, alugue um carro. Agências de turismo local promovem passeios pela Toscana em vespas ou em Fiat 500, leia mais abaixo.

Estacionamento e circulação de veículos particulares (ou alugados)
Muitas cidades Toscanas – e Florença é uma delas – têm em seus centros históricos a chamada Zona de Tráfico Limitado, o que significa que somente veículos públicos (ônibus, táxis, governamentais) ou autorizados podem circular. Converse com o gerente de seu hotel para saber como receber permissão para entrar com o carro no Centro Histórico para descarregar a bagagem e recarregar o carro no dia do check out.

A ZTL de Florença
A ZTL de Florença



Dinheiro
euro
Compras
Florença é famosa pelos artigos de couro e ouro, lenços de seda, mas os preços são bem altos. Cuidado com as imitações de bolsas que estão por toda parte. A China chega a todos os lugares. Como não sou do tipo compradora (a viagem é meu principal objetivo e me satisfaz), respondendo a uma leitora que me enviou mensagem perguntando sobre outlets da região, descobri que há dois:

– o The Mall, que fica em Leccio
– o Prada Space outlet, que fica em Levanella.

Clique aqui para acessar o site da agência que faz passeios até lá, saindo da Piazza Stazione  às 14h, com duração de 6 horas e custa € 35 com transporte incluso.

As joalherias sobre a Ponte Vechio, que existem desde a Idade Média, substituindo o antigo mercado de peixe e carne
As joalherias sobre a Ponte Vechio, que existem desde a Idade Média, substituindo o antigo mercado de peixe e carne


Preços  médios (em maio/2015, em euros)
– taxi da estação de trem  até o centro histórico, às margens do Rio Arno: 10
– gelato pequeno: 2,50
– pizza individual: 9
– salada individual, mas generosa: 7
– massa: a partir de 10
– garrafa de vinho: a partir de 15
– Coca-Cola: 6
– café: 4 euros
– litro de água mineral: 3

clique para ampliar a imagem
clique para ampliar a imagem

– ingresso para Jardim e Museu Boboli: 10
– ingresso para a Torre Giotto: 10
– ingresso para Basílica Santa Croce: 6
– ingresso para Galeria da Academia e Uffizi: 12 cada
– visita guiada às Galerias Academia e Uffizi: 73
– tour de meio dia por Florença (com ingresso da Academia): 47
– tour de dia completo a San Gimignano, Siena, Monteriggioni e Chianti: 55
– tour de meio dia a Pisa:  45
– tour de dia inteiro ao Museu da Ferrari em Maranello: 110
– tour de dia inteiro a Veneza: 95

O interior de um dos museus do Jardim de Boboli
O interior de um dos museus do Jardim de Boboli

O que comer/beber
O vinho produzido na Toscana é delicioso e mais barato do que Coca-Cola, aproveite!
O prato típico é o Fiorentina, uma bisteca de porco. Veja a descrição e preço no cardárpio acima.

Última refeição em Florença
Última refeição em Florença

Visto
Não é preciso visto para entrar na Itália, apenas passaporte com validade mínima de 6 meses. Mas é obrigatória a apresentação da Carta Schengen e para isso é preciso contratar Seguro Viagem com cobertura de 30.000 euros. O Mulher Casada Viaja fez parceria com a Mondial, que oferece Assistência ao Viajante e um desconto de 15% para os leitores. O código promocional você encontra nesta página do blog, no item 4. Seguro de Viagem.

O que Fazer
As atrações principais estão no centro histórico, de ruas estreitas e cheias de surpresas, como mostra o mapa abaixo.

Florença o que fazer
Clique sobre a imagem para ampliá-la

Florença tem passe? Tem, sim senhor! Custa € 72 euros para uso em 72 horas consecutivas, para museus e igrejas. Faça suas contas e se quiser, compre aqui.

Coisas diferentes para fazer por lá
Se você já visitou Florença outras vezes e a ponte Vecchio, os museus e as ruas medievais já não bastam, experimente novos sabores:

V517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5oar de balão e ver o sol nascer na Toscana. Encontrei duas empresas que fazem o passeio: a Balloon on Tuscany e a Tuscany Balloning. É carinho, mas é daquelas coisas para se fazer uma vez na vida.

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Passeie pela Toscana em um vintage Fiat 500 anos 1960. O passeio pode ser de 1h45 ou 3h30 e o valor inclui guia café da manhã, ou almoço. A partir de € 60 pela Ciao Florence.

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5

Jantar renascentista no Palácio Borghese. Garçons e músicos vestidos na última moda do século XVI promovem uma festa dentro do palácio ao custo de € 59 pela Ciao Florence.

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5

Curso de culinária: aprenda a fazer uma pizza napolitana e preparar o famoso gelato italiano em um curso ultra mega rápido de 3 horas. € 55. Um outro curso oferece acompanhamento para compra de produtos no Mercado Central de Florença para fazer uma típica refeição toscana de 4 pratos. A partir de € 73.

Com exceção dos passeios de balão, os demais podem ser agendados aqui.

Voltagem/tomadas
A voltagem é 220 e a tomada é de três pinos redondos. Se seu aparelho tem 2 pinos redondos, não haverá problema, mas leve adaptador se for de pino chato.

Temperatura
average-temperature-italy-florence

WiFi
WiFi gratuito em todos os pontos turísticos. Se preferir, confira o mapinha aqui.

De Florença a…
… Roma: são 285 km
… Veneza: são 256 km

Florença fica em uma das mais belas regiões da Itália, a Toscana, com muitas cidades medievais bem preservadas, vinículas, além de campos que podem ter papoulas vermelhas, girassóis ou palha enrolada, dependendo da época do ano. Por causa disso, muita gente opta por fazer de Florença a base para viagens pela Toscana,  como Lucca e Pisa. Mas considere outra boa opção de base: Siena, que tem ao Sul cidades como Montepulciano, Pienza e Montalcino, e a Noroeste Monteriggione, S. Gimignano e Volterra.

O mapinha abaixo mostra algumas opções na região:

opções de passeios na Toscana
opções de passeios na Toscana

 

Aplicativos

Eu baixei no meu celular dois aplicativos (em Inglês) gratuitos que funcionam off-line com algumas limitações:

📍  o Florence Map –  lista as principais atrações e POI (points of interest=pontos de interesse) da cidade, tem um pequeno dicionário e temperatura

📍 o Santa Croce EBook – Esse é muito legal para quem visitar a basílica, com textos e áudio explicando sobre os principais monumentos e túmulos que guarda.


Posts Relacionados à região Toscana (clique sobre o  título para ler mais):

 

10 Coisas Gratuitas para Fazer em Florença

Ah, todo mundo gosta deste tipo de post, né?
O Skyscanner, ferramenta de busca de passagens aéreas que mantém uma página no Facebook e um site com dicas de viagem, também gosta. Tanto que me convidou para escrever este post, meu primeiro da blogosfera.

Então tomem nota, quer dizer, salvem estas informações porque…

HÁ 10 COISAS PARA FAZER EM FLORENÇA SEM GASTAR SEUS EURO$$$

Florença está para Arte assim como Roma está para História e Veneza para romance. Não que falte cada um desses elementos nessas encantadoras cidades italianas, claro. Mas Florença foi o berço do Renascimento e então governada pela família Médici, grandes mecenas (lembram-se das aulas de História?) que patrocinaram entre tantos artistas o grande Michelangelo. Muitas obras estão na magnífica Galleria degli Uffizi, mas o Impressionante Davi te aguarda no museu Accademia. Museus e algumas igrejas não são gratuitos, mas a maioria das atrações é, então aproveite e boa Florença para você!

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5

Ponte Vecchio. Não há muitas dessas ainda em pé na Europa, ou seja, pontes que sustentam – ou ostentam – construções. É a mais antiga das seis outras pontes de Florença e originalmente ela tinha cinco arcos (hoje são três). Dá encantamento ver as joalheiras ao longo da ponte, com suas espessas “janelas” de madeira com trancas e cadeados. Essas joalherias estão lá desde o século XV, quando substituíram as peixarias e açougues devido ao mau cheiro. Atravesse-a, fotografe-se com ela ao fundo, a partir das pontes vizinhas. Fotografe-a duplicada sobre as águas do Arno. De dia e de noite, mas sobretudo no por-do-sol.

Florença roteiro

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5A Piazza dela Signoria, construída no século XIII no lugar de torres de famílias poderosas e até de uma igreja, abriga importantes edifícios medievais, como a Loggia dela Signoria e o Palazzo degli Uffizi. Entre 1400 e 1500, era local de festividades e torneios, mas desde o século XVI é o museu a céu aberto que se vê hoje, com esculturas de bronze e mármore, a fonte Ammannati, uma cópia do Davi de Michelangelo. Sabe quando você encontra um amigo antigo e não quer que o encontro acabe? Eu me senti assim ali na praça.

varias-0404

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Loggia del Mercato Nuovo e o Porcellino  – me parece um javali, não um leitão!
O espaço que abriga a feira que hoje vende produtos variados (bolsas de couro, mulheres!) existe desde o século XVI, onde se comercializavam seda e outros objetos preciosos, veja só. Mas o pessoal visita a feira principalmente por causa da fonte do porcellino. Claro, muitas cidades guardam uma superstição que convida o visitante a tocar numa escultura para trazer-lhe boa sorte e Florença tem a sua tradição: esfregue o nariz do javali e volte a Florença! Se você achar uma bobagem, faça assim mesmo, pela tradição.

firenze-porcellino

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Piazzale Michelangelo é mais que uma praça, é um mirante, pois fica no alto da colina e traz uma vista linda da cidade. Uma réplica do Davi está lá, observando-a.

Florença

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Mercados. Comprinhas para o corpo e a alma. OK, não é exatamente de graça, mas pode ser se você resistir. O mais famoso: Mercato San Lorenzo (Piazza S. Lorenzo até Via Ariento) – artigos de couro, suvenires, alimentos.

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Tours a pé, um com ênfase no Renascimento, outro nos Médice. Saídas diárias em
frente à Basílica Santa Maria Novella. Mais informações aqui 

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Praças. Cada praça guarda esculturas, arquitetura, gente circulando. Não é uma atração das boas?

o que fazer em Florença
Parte do grupo em excursão de 2013 pela Itália

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Cansou do agito de turistas e filas? O verde é sempre relaxante! Florença tem parques e jardins gratuitos como o Garden of Cascine, às margens do Rio Arno.

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5

A Catedral (Duomo) Santa Maria Del Fiori começou a ser erguida no final do século XIII é a terceira maior igreja do mundo (atrás apenas da São Pedro de Roma e da São Paulo de Londres), mas era a maior do mundo quando sua construção chegou ao fim, no século XV. Além da grandiosidade métrica, a arquitetônica e artística também merecem destaque.

IMG_0449

517dcfa31ef15a15fc7a2f2bf7a084b5Basílica Santa Maria Novella. Embora carregue o nome de nova (novella), a construção desta igreja também teve início no século XIII. Sua fachada é ricamente trabalhada em mármore, como a catedral, mas não deixe de dar a volta nela para ver os tijolos aparentes, assim como do campanário.

Santa_Maria_Novella_florenc

Gostou das dicas? Então acompanhe-me em cada viagem seguindo o blog. É fácil e rápido e grátis, como as atrações que listei: basta preencher o formulário com seu nome e e-mail. Também temos uma página no Facebook

Posts Relacionados (clique sobre o  título para ler mais):

Itália: Roteiro

Florença: guia para planejar sua viagem

Florença: Jardim Boboli e museus do Palazzo Pitti