Estrasburgo: o que Fazer e Dicas da Capital da Alsácia

Estrasburgo é a capital da Alsácia, região francesa produtora de vinhos que faz fronteira com a Alemanha. Neste post você encontrará o que fazer e outras informações práticas, como melhor época para ir, como chegar, como se locomover, onde ficar e outras dicas mais – e certamente se encantará com a cidade, assim como eu.

Como começar a falar de Estrasburgo sem dizer que me apaixonei pela cidade a ponto de sonhar um dia voltar para estudar francês e ficar ao menos 1 mês? Tal qual uma testemunha de Jeová das viagens, bato à sua porta pra te convencer a incluir em seu roteiro pela Europa esta cidade tão rica culturalmente, com um passado conturbado, cujas arquiteturas e culinárias francesa e alemã coexistem e se escancaram aos olhos de qualquer um.

Estrasburgo Alsácia dicas de viagem
Bilinguismo em Estrasburgo> uma rua, dois nomes

Desde 1988 Estrasburgo Grande-Ile está na lista de patrimônios da Unesco. O centro histórico, em vez de muralhas, hoje é cercado por canais navegáveis do rio Ill, atravessados por 21 pontes ornamentadas com flores que te convidam a cruzá-las várias vezes. Monumentos, igrejas católicas e protestantes, praças escondidas com típicos bistrôs e um moderno sistema de transporte público que facilita a vida do turista, para ir do centro medieval ao mais moderno complexo de edifícios do Parlamento Europeu.

Quando ir a Estrasburgo

Acho que a cidade é linda em qualquer estação, e sempre pensei em visitá-la na primavera por causa de suas pontes com jardineiras, mas a oportunidade surgiu no início do outono (primeira semana de outubro) e Estrasburgo se mostrou igualmente encantadora: flores continuavam decorando as inúmeras pontes e jardineiras das janelas e as folhas das árvores ganharam os característicos tons amarelados e alaranjados. O céu decepcionou um pouco pela manhã, bem nublado, mas ao longo do dia se transformava. O frio pela manhã e noite podia ser encarado de boa com uma jaqueta leve. Os dias ainda são longos, escurecendo por volta das 19h.
No verão, a cidade deve explodir de turistas, já que os dias são mais longos e com temperaturas que podem chegar a 26 graus, além dos festivais.

Veja o quadro de temperatura média em Estrasburgo e confira os festivais ao longo do ano no post Dicas e Roteiro de 3 Dias na Alsácia.

outono em Estrasburgo Alsácia

No inverno, principalmente em dezembro, os mercados de Natal atraem turistas para muitas cidades da Europa central, e Estrasburgo, com suas casinhas enxaimel de telhados inclinados, parece um presépio. Confira as imagens do blog Ligado em Viagem que esteve por lá várias vezes.   

Informações práticas sobre Estrasburgo

Como eu já escrevi sobre a Alsácia, e para não ser repetitiva, te peço para dar um pulo no post Dicas e Roteiro de 3 Dias na Alsácia e sua Rota do Vinho, onde você vai encontrar muitas informações sobre:
– como chegar a Estrasburgo
– comidas típicas de Estrasburgo
– compras na Alsácia
– breve contextualização histórica da Alsácia

Estrasburgo que fazer

Seguro Obrigatório

O Tratado de Schengen da Comunidade Europeia permite cruzar fronteiras sem qualquer controle, mas você precisará de um seguro viagem com valor mínimo de cobertura de 30 mil euros para cobrir acidentes ou doenças.

Faça sua cotação com a Mondial Allianz, com quem o blog mantém parceria e por isso oferece descontos. Se você gostar do preço e das condições, adquira seu seguro através do link acima, pois eu recebo uma pequena comissão que ajuda a manter o blog no ar – e entregar tantas dicas legais!

Por falar nisso, ganhei um souvenir em Estrasburgo: uma infecção urinária. Como eu tenho uma frequentemente (a penúltima tinha sido também em viagem, em Bariloche), já conheço os sintomas e até o antibiótico, o funcionário da recepção do hotel conseguiu uma farmácia 24h que se dispôs a vender o medicamento sem prescrição médica – olha eu fazendo a coisa errada, mas acho que turista tem uma isenção limitada neste campo. Fomos a uma cidade a 11 km de Estrasburgo, o que em SP equivaleria a ir a um outro bairro. Mas já pensou se fosse algo mais sério? Ou se o funcionário não tivesse sido prestativo e eu tivesse que encarar um hospital francês? Eu tinha feito o seguro, mas o problema pra mim era tempo, foi um roteiro muito apertado, todo planejadinho e gastar algumas horas num hospital não estava nos planos, claro.

estrasburgo outono

Quantos dias Ficar em Estrasburgo

Suplico que você não conheça Esrtasburgo em bate-volta! A cidade é linda à noite e a multidão que se vê durante o dia desaparece, tornando possível curtir melhor e fotografar deliciosamente. 
Se puder, passe ao menos 1 noite e 1 dia completo. Nós ficamos 2 noites e 1 dia e meio. Em 1 dia é possível conhecer os principais pontos turísticos, listados no tópico O que Fazer em Estrasburgo, mais abaixo, mas nós fizemos com calma e vimos muito mais da cidade.

Strasbourg Pass, o Cartão para as Principais Atrações

Estrasburgo tem um passe de 3 dias que custa €19,50 e inclui acesso gratuito ou com desconto a várias atrações. Você pode encarar uma filinha no Centro de Informações Turísticas ou comprar online, como eu fiz, no Get Your Guide.
Gratuito: Visita a 1 dos museus; acesso à plataforma da catedral; passeio no batorama; observação do relógio astronômico da catedral. 
Desconto de 50%: visita a um segundo museu; tour guiado; tour no minitrem; tou

Nós aproveitamos a viagem ao Sul da Alemanha para esticar até a Alsácia. Confira o Roteiro de 14 Dias entre o Sul da Alemanha, a Alsácia e Áustria e entenda a viagem toda

O que Fazer em Estrasburgo

A Catedral de Estrasburgo, o relógio astronômico e a plataforma – A igreja data da idade Média e impressiona pela arquitetura e tamanho. Pode-se visitar seu interior, onde está o famoso relógio astronômico, e subir até a plataforma para ver Estrasburgo do alto. O ingresso à catedral é gratuito, mas é preciso pagar €2 para ver o relógio astronômico e €5 para subir à plataforma de 332 degraus. Confira na página-índice Alsácia todos os detalhes de nossa visita. 

As Pontes Cobertas e as Torres são outro ponto que você não deve deixar de visitar – e não estranhe, as pontes perderam os telhados no século 18. As torres do século 14 faziam parte da muralha quando Estrasburgo era independente. Qaundo foi anexada pela França em 1681, uma nova linha de defesa foi construída, e percebe-se o estilo arquitetônico da Barragem Vauban.

Barragem Vauban é uma obra de 1690 de defesa incrível, usando as águas como arma: se necessário fosse, poderia causar uma enchente na parte Sul da cidade e afogar os inimigos (e a população?). Não deixe de caminhar pelo terraço panorâmico sobre a barragem, onde se tem uma vista bem legal da cidade e das Pontes Cobertas. Acesso gratuito e há banheiros públicos no local.

Estrasburgo principais atrações

Pequena França é uma das regiões mais fofas de Estrasburgo, com casas enxaimel dos séculos 16 e 17, entre 4 canais usados então para moagem ou navegação. Não deixe de observar a enclusa em funcionamento para a passagem do barco turístico e a ponte levadiça, com o mesmo fim.

Palácio Rohan é uma das residências reais, e atualmente um complexo de museus. Confira como é a visita em Museu de Artes Decorativas no Palácio Rohan.

Alsácia museus
O Palácio Rohan visto da plataforma da Catedral

Batorama é o passeio turístico de barco que circunda a ilha de Estrasburgo, além de prazeroso e educativo vai proporcionar uma nova perspectiva dos edifícios e da historia da cidade. O trajeto leva pouco mais de 1 hora e é gratuito para quem tem o Strasbourg Pass. Para quem não tem, custa €9,90. Quando publiquei este post ainda não tinha escrito sobre o passeio de barco, mas confira na página da Alsácia as atualizações. Por enquanto, a dica que dou é: o passeio é para ver e entender Estrasburgo, não para faça o fotografar. Como o barco é fechado (acrílico ou vidro?) com um material azulado, as fotos ficam com coloração ruim e também cheias de reflexos.

Estrasburgo-barco batorama

Para qem tem mais que 1 dia

Quando publiquei este, ainda não tinha feito nosso roteiro em Estrasburgo, quando conhecemos muitos lugares além dos ‘obrigatórios’. Confira na página Alsácia por atualizações. Mercy.

Onde Ficar em Estrasburgo

Estrasburgo não é tão pequena como outras cidades europeias, e detalhes como localização, faixa de preço, conforto, entre outros, merecem um post exclusivo então leia o Onde Ficar em Estrasburgo e Preço de Hotéis, com dicas de vários hotéis e apartamentos para alugar, agrupados por faixa de preço. 

hotéis baratos em Estrasburgo
praça no quarteirão do hotel onde ficamos

Como circular por Estrasburgo

👣Como muitas cidades históricas, o miolo central de Estrasburgo é formado por ruas de pedestres. Embora Estrasburgo seja grande se comparada a outras cidades, caminhei, caminhei, caminhei. Quando você se sente seguro e cercado de belezas, caminhar é só mais um prazer que a vida nos deu. A presença dos canais ajuda na nossa localização, mas se você estiver conectado ainda melhor. Leia sobre chip internacional mais abaixo.

Estrasburgo Alsácia
minha foto preferida de Estrasburgo

Uma boa ideia pode ser passar no centro de informações ao Turista, do lado esquerdo da catedral, e comprar um tour guiado. Custa €7,50 e leva 1h30. 
Outra opção é o audio guide, você terá uma gravação te informando sobre os lugares e maior liberdade para fazer tudo ao seu tempo. Custa €7,50 pelo período máximo de 3 horas. 
Crianças, estudantes e portadores do Strasbourg Pass pagam meia em qualquer um dos tours.

Estrasburgo turismo

🚲 Se você quiser rodar em estilo, alugar uma bicicleta retrô! A diária fica em salgadinhos €20, mas sera uma de suas melhores lembranças, aposto! Confira no Get your Guide. Pela metade do preço você aluga uma mais simples e frágil, no site da Velhop. 

estrasburgo bicicleta

  🚈 Estrasburgo tem um moderno sistema de tram, um trem elétrico e de superfície que vi percorrendo desde a região mais moderna da cidade, onde ficam os edifícios governamentais da União Europeia, até o centro histórico, mas como não o usei, não tenho maiores informações.

Estrasburgo- tram
o tram perto do Parlamento Europeu

🚗O carro, deixamos na garagem durante os dois dias que ficamos em Estrasburgo e precisamos de estacionamento. Na ilha há apenas 2 estacionamentos públicos (que são privados), que custam €2,10/hora. Fora dela, o custo varia entre €0,50/h a €1,70/h. Saiu caro, mas evitamos o transtorno de entregar o carro na locadora e ter que pegar outro novamente em tão pouco tempo, pois depois de Esrasburgo, rodamos pelas vilas da Alsácia e voltamos à Alemanha e Áustria.

Caso vá visitar outras cidades da Alsácia, o que recomendo firmemente, aconselho a, se possível, alugar um carro. Muitas cidades não têm estação de trem por perto, e você vai perder mais tempo em deslocamentos. Eu sempre alugo com a Rentcars, que dá a vantagem de pagar em reais, sem IOF, e ainda parcelar. 

Esrtasburgo roteiro o que fazer
uma das praças deliciosas de Estrasburgo

Chip na Alemanha e França (Sim card)

Nesta viagem comprei um chip numa loja do aeroporto de Munique, e o usei também na Alsácia. Se você não tem fluência em uma outra língua, ou prefere não perder tempo e já sair do Brasil com um chip internacional, faça como eu já fiz várias vezes: compre um na Travel Mobile.

Espero ter te inspirado a conhecer Estrasburgo ou a entender o que fazer na capital da Alsácia. Se precisar de outras informações, deixe um comentário que terei prazer em ajudar.  À bientôt!

Anúncios

Colmar, a queridinha da Alsácia

Alsácia é uma região francesa caracterizada por influência alemã, bons vinhos, cidades medievais bem preservadas, e Colmar é uma das cidades queridinhas desta Rota do Vinho cheia de charme.

Colmar Alsácia França
La Petite Venise ao anoitecer

Continuar lendo

Estrasburgo: Museu de Artes Decorativas no Palácio Rohan

Estrasburgo é tão lindinha que eu só queria bater pernas por suas ruas, atravessar pontes sobre canais e observar a rica arquitetura produzida ao longo dos séculos, mas a chuva do final de tarde me convenceu a entrar no Palácio Rohan e escolhemos visitar o Museu de Artes Decorativas instalado no térreo. Que bom pra mim que conheci um pouco mais da historia de Estrasburgo e pra você, porque agora dou detalhes desta visita e você decide se vai espontaneamente ou estimulado por uma eventual chuva. Estrasburgo Palácio Rohan

Continuar lendo

Igreja Sainte Chapelle, a pérola de Paris

Sainte-Chapelle-Paris-inngresso

Capelas de castelos e palácios são sempre low profile mas muitas vezes guardam riquezas, tal qual uma concha guarda belas e delicadas pérolas. Assim é Sainte Chapelle (leia sant-shah-pel), a capela sagrada de Paris localizada no complexo do atual Palácio de Justiça na Ille de la Cité, a mesma ilha onde fica a Catedral de Paris, Notre Dame, onde a cidade começou. E é sobre esta pérola que escolhi falar nesta Blogagem Coletiva do 8on8, quando todo dia 8 publicamos 8 imagens sobre um assunto escolhido entre as blogueiras do grupo. Apesar de a ideia do projeto é que sejam posts fotográficos, não consigo me conter e acabo escrevendo um pouquinho, afinal, tenho certeza que os leitores esperam por um pouco de informação, também. Continuar lendo

Onde Ficar em Estrasburgo e Preço de Hotéis

Este post é parte de uma série sobre a Alsácia, e traz sugestões de hotéis em Estrasburgo em três faixas de preços e apresenta dicas de como encontrar um bom hotel.

Estrasburgo hotéis e preços
As Pontes Cobertas de Estrasburgo

Continuar lendo

França: Dicas e Roteiro de 3 dias na Alsácia e sua Rota do Vinho

A França tem muitas regiões lindas e a Alsácia passou a ser uma de minhas preferidas. Neste post você vai saber muito do que precisa para organizar sua viagem pela Rota do Vinho da Alsácia e conhecer nosso roteiro de 3 dias pela região, que pode ser incluído em férias pela França, Suíça ou Alemanha. Em publicações futuras, dedicarei um post a cada uma das cidades que visitamos, como Estrasburgo, Colmar, Ribeauvillè, Kaysersberg e Riquewihr, mas já vou adiantando: você vai querer ir também e eu terei cumprido um dos objetivos do blog: te inspirar!

Riquewihr, uma das pequenas que não pode faltar em sua viagem à Alsácia

Continuar lendo

Alemanha (Baviera), Áustria (Tirol) e França (Alsácia): planejamento e roteiro

Neste post você vai encontrar o roteiro e o planejamento da viagem de 14 dias a 3 países europeus: Alemanha, França e Áustria. Percorreremos as regiões da Baviera, onde ficam cidades de contos de fada na chamada Rota Romântica, e de Baden-Wurttemberg, cuja maior cidade é a capital automobilística alemã Stuttgart e onde fica a Floresta Negra, e alguns dos castelos mais lindos do país e talvez do mundo. Uma França à la chucrute nos espera na Alsácia, que é uma rota de vinhos e tem como cidades mais conhecidas as belas Colmar e Estrasburgo. Para fechar o roteiro e voltar a Munique, incluímos o castelo Neuschwanstein e o Linderhof, e uma bela esticada até Salzburgo e Hallstatt, na Áustria. É um roteiro estilo maratona, mas acredito que por serem cidades bem pequenas (nas menores, um roteiro a pé tem apenas 2 ou 3 quilômetros), conseguiremos cumprir com tranquilidade, principalmente porque não é alta temporada.

O Castelo Neuschwanstein visto da Marienbrucke

Continuar lendo

15 Bate-Voltas e Viagens a partir de Paris

Sempre rola esta pergunta nas redes sociais: “vou a Paris e queria dicas de outras cidades próximas”, por isso deixo uma ajudinha aqui no blog com cidades e lugares para conhecer a partir da capital da França. Além disso, saiba o que considerar para decidir se e quais bate-voltas vale a pena fazer tendo como base Paris – e a reflexão serve para qualquer outra cidade.

Paris bate voltas
Salve esta imagem no seu Pinterest para compartilhar com amigos e voltar aqui quando quiser

Antes de falar sobre as cidades para conhecer a partir de Paris, preciso te falar uma coisa. Se você acompanha o blog, sabe que sou a favor do planejamento regional, desconsiderando as fronteiras; vou exemplificar que ficará mais fácil para você entender.
Continuar lendo

Paris: Roteiro de 2 dias e meio!

Ultraje ficar dois dias em Paris, pensei. Espremer Paris entre outros destinos, então, parece desrespeitoso. Mas era o que tínhamos.
E valeu muito a pena! Esta senhora, Paris, não merece 2 ou 3 dias de sua vida, apenas, então só siga esse roteiro caso não seja sua estréia.  A segunda visita não tem a expectativa da primeira, mas tive um certo medo de perder a paixão por Paris (clique para ler: Paris, Sonhe Comigo). Por outro lado, a segunda vez traz a sensação (irreal – ou surreal?) de que já somos do pedaço (São Francisco de Paula, padroeiro dos turistas, lucidez para esta pessoa, por favor!).

Chegamos de trem (todas as informações aqui), a partir de Amsterdã, desembarcando na Gare du Nord, o que já facilita locomoção e economiza minutos preciosos. Isso a gente pensa quando está planejando, porque quando chegamos ao destino, o gostoso é jogar o relógio no fundo da mala, comer quando se tem fome e dormir quando o sono bate, flanar pelas ruas…Corta! Voltando: Três estações depois, descemos na Luxemburgo, a um quarteirão de nosso hotel. Se você nunca esteve em Paris, talvez não saiba que precisará carregar suas malas escadaria acima, pois não há escadas rolantes nas estações de metrô. Talvez também não saiba que é super comum caminhar com a mala de rodinhas pelas ruas. Imagine isso em SP! Caso esteja chegando de avião, também é possível chegar em Paris pelo metrô. Confira as linhas do metrô parisiense aqui.

DSC00106

Mas como foi uma passagem relâmpago, vou escrever em tópicos, que são tão rapidinhos quanto nossa passagem pela cidade! Considere que o roteiro leva em conta a localização do hotel e nossa preferência por caminhar. Só usamos metrô quando chegamos. Fizemos tudo a pé, afinal,  caminhar é a melhor atração de Paris.

Paris se divide em distritos numerados, embora também tenham nomes. Quanto menor o número, mais central é sua localização, isto é, mais perto das atrações turísticas você estará!

Paris e suas principais atrações turísticas, com a numeração dos bairros
Paris e suas principais atrações turísticas, com a numeração dos bairros

Nosso roteiro

🗼 tarde da chegada – sexta-feira

0. Check in no Hotel Best Western Trianon Rive Gauche, na Rue de Vaugirard, no 6º arrondissement.

Fachada de nossa rápida morada em Paris
Fachada de nossa rápida morada em Paris

1. Algo para enganar o estômago: crepe e baguete nos arredores do hotel, mais pela simpatia do proprietário do que pelo sabor. O cara falava sem parar, num Inglês que eu precisava franzir a testa para entender. Isso sempre me deixou mais com rugas do que com compreensão!

2. Pantheon. O ingresso a 4,50 euros dá direito a conhecer a arquitetura interna desta antiga igreja e a visitar a cripta – Urgh! A história do Pantheon é longa e envolve igreja, realeza e Revolução Francesa, que tirou seu caráter religioso para se tornar mausoléu dos grandes nomes franceses. O folheto recebido (inclusive tem em Português) resume algumas das transformações. O site exibe informações em inglês, espanhol e francês. Estava em restauração desde janeiro/2014. Visite o website oficial clicando aqui.

DSC_1006

Maquete do Pantheon
Maquete do Pantheon

3. Boulevard St Michel e sua imensa fonte.

St Michel Blvd

4.  Postar-se diante da Notre Dame é uma boa pedida não só para admirá-la, mas para observar os turistas que fazem selfies, brincam, fazem picnic por ali. Não entramos pois já a conhecemos em nossa primeira visita a Paris.

5. Passeio pelos arredores de Marais, o bairro gay de Paris. Passadinha em frente do prédio da Prefeitura, que no final da tarde ganhou um dourado maravilhoso.

DSC_1020

6. Jantar no Bistrô Paris Beaubourg, com vista para o Centro Georges Pompidou

20140530_221123

7. Mais uma olhada sobre o Sena,  esse rio que hipnotiza. Não sei se é ele próprio ou se são os lindos edifícios construídos a suas margens. Você sabia que as margens do Sena são Patrimônio tombado pela UNESCO?

DSC_1026

DSC_1017

8. Nem Notre Dame, nem Sacre Coeur. Minha igreja parisiense preferida é a Sainte Chapelle e fui prestar reverência a ela. Mas já estava fechada, então fiquei olhando tal qual cachorro em vitrine de frango. Leia post exclusivo sobre as Igrejas de Paris, a ser publicado logo logo. Abaixo, fotos da visita que fiz em 2009:

DSC00194

DSC00199
9. Fotinhos noturnas em frente à Notre Dame.

Notre Dame 2

🗼 segundo dia – sábado

1. Café da manhã no bistrô Le Comptoir du Pantheon, na Rue Soufflot.

Oui!
Oui!

2. Igreja St Etiennen du Mont.

DSC_1032

3. Passeio pela feirinha de St. Germain. Abastecidos de cereja e morango.

feira 2 feira

4.  Aquecer sob o sol parisiense no Jardim de Luxemburgo.

DSC_1052

Luxemburgo 2

5. Igreja St Sulpice. Informe-se sobre as apresentações de coral. Tivemos a sorte de estar por lá durante uma. Inesquecível!

6. Almoço no Rim Café, na Rue St Severin, porque estávamos por ali, mas não recomendo.

7. igreja St Severin

8. Doces deliciosos na Patissier Confiseur, na Rue Saint Jacques

patissier Confiseur

9. Caminhada até a Torre Eiffel, passando pelo Hotel des Invalides e finalmente chegando até Champ de Mars. Caso você prefira usar o metrô, desça na Trocadero e sua primeira vista da Torre será inesquecível! Se preferir gastar sola, siga pelas margens do Louvre, sempre um grande deleite. Nossa rota não tinha grandes atrativos, mas conhecemos partes de Paris mais residenciais e menos turísticas, digamos assim. Mas chegamos e lá estava ela – e centenas de turistas fazendo picnic e esperando a noite para ver a Torre brilhar ainda mais. Os elevadores da Torre ficam abertos até meia noite, mas como estava muito frio, eu preferi não subir, desta vez. Além disso, os ânimos entre mulher casada viaja e homem casado viaja não estavam para romance. Péssima ideia ter briguinhas a caminho de Paris…

DSC_1069 DSC_1073 DSC_1085

10. Caminhada de volta ao hotel às margens do Sena.

Pont Neuf (3)

conciergerie 2

🗼 dia 3 – domingo

1. Como o dia começou frio e cinzento, o café da manhã foi no Paul’s da St Michel, que tem uma sobreloja quentinha.

2. Passeio pelo pátio do Louvre e pelo Jardin Des Tuileries.

20140601_103722

20140601_105837 20140601_110145

3. Hora do arrepio: cara a cara com as Ninfeias de Monet, no Museu L’Orangerie. Mais um sonho de viagem realizado!

20140601_112507

4. Agora era a vez do Homem Casado Viaja realizar o sonho de dirigir uma Ferrari, alugada na Place de La Concorde.

20140601_134059

4. Caminhada pela Champs Elysees – e compra da boneca do Frozen pra filhota! Gosta de decoração? Visite a Zara Home. Coisas lindas!

O Arco do Triunfo ficou meio longe, mas eu nunca gostei muito dele, mesmo, rsrsrs
O Arco do Triunfo ficou meio longe, mas eu nunca gostei muito dele, mesmo, rsrsrs

5. Almoço no L’Entrecote de Paris, na Rue de Marignan, travessa da Champs des Elysées

6. Grand Palais – Exibição dos painéis Guerra e Paz, de Candido Portinari. Além da obra, a exibição trouxe documentários sobre a retirada dos painéis, seu transporte e restauração no Brasil, que desde sua criação estavam na sede na ONU em NY. Se você já esteve no estrangeiro, como diziam antigamente, sabe que a coisa pega quando lá se vê algo que nos represente. Eu fiquei emocionadíssima nessa exibição, mas não cabe aqui detalhar os porquês.

20140601_182306

DSC_1161

8. Último passeio pelas margens do rio. Aproveitamos o wifi livre entre a ponte Royal e a Passarela Solferino e ficamos apenas sentamos nas escadarias de frente ao Sena, mandando um selfie com nossa cara mais feliz, tendo além do rio, o Museu D’Orsay e o Louvre como paisagem.

20140601_193653

cadeados (3)

9. Passeio pelos jardins da Notre Dame

As tulipas se foram, mas as rosas não fazem feio!
As tulipas se foram, mas as rosas não fazem feio!

10. Sobremesa tardia no  Le Parvis, na Rue Arcole, na Ile de La Cite.

20140601_210704
Acho que o garçom foi com a nossa cara!

20140601_205052

11. Recordar é viver. Fomos caminhar na região do Quartier Latin onde nos hospedamos em 2009 e passamos em frente ao hotel da Rue Monge. It felt like home…

12. Última foto da Torre, vista da janela que foi minha por 3 noites, em Paris.

Última noite em Paris, última vista da janela de nosso quarto
Última noite em Paris, última vista da janela de nosso quarto

Há pouco tempo escrevi Paris, sonhe comigo, em que divagava se continuaria apaixonada por Paris após uma segunda visita. Algumas pessoas disseram que “Paris é Paris, a gente sempre se apaixona”. É verdade. Paris é linda, É grandiosa. É charmosa. Descrever Paris parece tão difícil quanto descrever o amor. Ou explicar porque a gente ama alguém. E mesmo que o clima não estivesse tão bom como da primeira vez; mesmo que as tulipas já houvessem sido substituídas por outras flores menos nobres no Luxemburgo; mesmo que as cerejeiras na Notre Dame não exibissem mais seu rosa-Paris; ainda que não tenhamos elegido um bistrô para chamar de nosso; apesar de a cidade ter estado lotada demais de turistas (como os parisienses aguentam!), sim, eu continuo apaixonada por Paris. E me aguarde que um dia eu volto!

PRÁTICAS E RÁPIDAS

Localização
Paris é a capital da França e fica na Região Ile de France (existem outras 25 no país).

Visto
Não é necessário visto para entrar na França, mas aguente a “dedetização” no avião antes de sair de solo brasileiro. Eu juro que preferia ter de tirar um visto!

Língua
Francês, mon chéri, mas nas regiões turísticas o Inglês é aceito. Vale a velha dica de soltar um bom jour antes de falar Inglês.

Hospedagem
Em geral, quanto mais central a localização, mais caro será o hotel, mas vale a pena o esforço bancário e ficar em um dos bairros (do número 1 ao 10) onde estão as principais atrações e a partir de onde você pode caminhar – olha eu falando em flanar, de novo! Também acho legal ficar em hotéis pequenos, nos prédios típicos de Paris. Os hotéis das grandes redes não têm características parisienses nem na decoração, nem na arquitetura. Mas você pode escolher de acordo com suas preferências: gosta de luxo e elegância?  Fique perto da Champs Elysees. Prefere estar perto dos estudantes?  Fique ao redor do Jardim de Luxemburgo e da Sorbone, no Quartier Latin. Quer badalar?  Marais. Interesses gastronômicos?  Madeleine e Opera.
Ficamos no Trianon Rive Gauche, pertinho do Parque de Luxemburgo e do Blvd St Michel. Provavelmente são dois prédios unidos, pois há dois elevadores. O da nossa ala era um elevador minúsculo, em formato triangular, que na concepção parisiense serve a três pessoas. Só se for a três parisienses. Vá colocar 3 americanos ali! O quarto era bem espaçoso para os padrões de Paris e o banheiro maravilhoso (adoro aquela luz natural vinda da porta-balcão). Tudo limpinho, novo, cama e travesseiros macios e decoração aconchegante. E quando abri a porta-balcão e vi a Torre Eiffel, adorei o hotel! Tudo bem, a Torre é vista de muitos pontos da cidade, mas era da minha janela! Pelo menos naqueles 2 dias e meio. O café da manhã não era incluso, mas no último dia comemos lá e gostamos bastante, pois havia grande variedade.  Mas não espere um atendimento cordial ou mesmo simpático do pessoal do restaurante. Com exceção da recepcionista filha de portugueses, ninguém mais nos deu um sorriso sequer. A decoração dos espaços sociais é clássica, mas leve, sem excessos.

Atualização: Acabo de fazer parceira com o excelente Booking.com, site de busca e reserva de hotéis, pousadas e B&B.  Seja lá qual for o destino de sua próxima viagem, lembre-se de reservar seu hotel através do blog Mulher Casada Viaja. Basta clicar no logo do Booking.com à direita (se você estiver em um PC) ou no final do blog (se estiver em smartphone). É uma forma gentil, indolor, gratuita de contribuir com quem escreve mais que dicas, mas compartilha sonhos e realizações de viagem com você!

A escadaria do Trianon Rive Gauche
A escadaria do River Gauche

Permanência
Se for a primeira vez, ao menos 5 noites. Se quiser visitar os principais museus – bem, o que é principal, afinal?  estou considerando o Louvre e o D’Orsay -, talvez precise de 3 ou 4 dias só para eles. Lendo meu roteiro, dá pra ter uma ideia do tempo, que pode ser reduzido se você pular as caminhadas e usar o metrô – e não ficar babando a cada esquina. Cada viajante tem seu próprio estilo e alguns ficam felizes em passar em frente de um monumento ou igreja estando dentro de um ônibus de excursão. Considere seu tipo, faça a lista das atrações e bon voyage!

Como Circular por Lá
Circule, vá em linha reta, perca-se pelas ruas sem “atração turística”.  Seus pés serão seu grande meio de transporte. Mas o metrô está sempre por perto quando suas pernas pedirem arrego!
Os batoux também são ótima opção para ver a cidade sob outra perpectiva – e para descansar!

Dinheiro
Euro

Preços (em euros em maio/14)
– Refeição para casal: de  25 a 70
– Café da manhã para casal:  17 a 35
– Aluguel de Ferrari ou Lamborghini por 8 km: 89
– Entrada de Museus: de 13 a 15. No primeiro Domingo de cada mês, alguns museus são gratuitos (não, o Louvre não está na lista, sorry). ao contrário do que esperava, não havia filas gigantescas nos dois museus que visitamos no Domingo. Perdemos 10 minutos na fila do Orangerie.  Se você adora museus – e vê tudo passando rápido à frente de seus olhos – compre um passe de 2 dias (49 ), 4 dias (68 ) ou 6 dias (80).
– Moulin Rouge: 112
– Hop on, Hop off bus*: 32
– Hop on, Hop off boat*: 16
– Day trip para Londres: 229
– Day trip para Bruges, na Bélgica (leia dicas sobre essa linda cidade medieval clicando aqui): 214

*hop on significa entre, suba no veículo e hop off, desça. É um sistema de ônibus e barco turísticos conhecidos em várias cidades do mundo, em que você compra um passe de tarifa única, com validade de 24 ou 48 horas e pode subir ou descer em vários pontos da cidade. O trajeto normalmente inclui os principais museus, igrejas, praças, parques e monumentos.

Fuso Horário
São 4 horas de diferença (de Brasília), mas considere 5 durante o horário de verão Francês, que vai do último domingo de março ao último de outubro. Em nosso horário de verão, a diferença cai para 3 horas.

Outras dicas

Paris deve ser caminhada. Se você, como eu, não aguentar andar 15 horas por dia, tire um hora para voltar a seu hotel e dormir. Sem medo nem culpa. Vai se sentir revigorada para aproveitar a noite, que na primavera e no verão só chega depois das 22h. Mas se você preferir, use o metro que chega a todos os pontos turísticos. Guarde o bilhete durante o trajeto, pois é preciso apresentá-lo se solicitado.

Use calçados confortáveis – e mais para velhos do que para novos. Calçados novos e viagem não combinam!

Comprar ingressos pela Internet poupa minutos preciosos em fila de bilheteria, mas se o dia estiver lindo, você não vai querer estar enfiado em um museu! Para algumas coisas, vale a pena decidir no dia anterior, de olho na previsão do tempo.

Não se esqueça de levar o carregador de bateria de sua câmera. Eu fiquei na mão e tive que fotografar com o tablet…

Leia também:

Paris e carro é uma combinação furada, mas dirigir pelo interior da França é tudo de bom. Leia as dicas de aluguel de carro em Paris, estacionamento e pedágio aqui.

Se vai a Giverny visitar a casa do pintor impressionista Claude Monet, clique aqui.

Castelos no Vale do Loire também estão aqui no blog. Dê um pulinho lá, clicando sobre o título do post: Vale do Loire e seus Castelos.