Roteiro de 1 dia em Verona

No post anterior, eu falei sobre a tarde de minha chegada a Verona quando basicamente visitei a Ponte Pietra e o Rio Ádige e a Piazza delle Erbe, então não deixe de ler. Neste post deixo o roteiro de Verona com as atrações principais: A Piazza Bra e a Arena, a Casa de Julieta, o Castelvecchio, entre outros.

A parte histórica de Verona é limitada pelas portas e muros e pelo rio Ádige e você vai encontrar placas sinalizando os principais pontos turísticos, então não tem como se perder. Quer dizer, até tem – e é sempre uma delícia, mas não tem como perder as “atrações” da cidade.

verona

Com o dia todo pela frente, começamos com um café da manhã na Piazza delle Erbe e fomos pegar no seio da Julieta. Caso você não saiba, há uma superstição de tocar o seio direito da estátua que fica abaixo do balcão onde teria vivido a Julieta de Shakespeare, para ter sorte no amor. Acredite ou não em superstições, faz parte da alegria de estar em um lugar especial.

estátua da Julieta em Verona

Devo dizer que a alegria acaba quando a gente passa pelo corredor que dá acesso ao pátio onde fica o balcão de Julieta: as paredes estão todas rabiscadas com nomes e recados. Quem, quem acha isso legal?

verona dicas

verona2016-38

Nem mesmo a placa que informa a proibição e aplicação de multa de €1.039 impõe respeito. Outra coisa: no muro atrás da estátua, vários chicletes são grudados na parede para segurar bilhetes escritos a Julieta. Na minha primeira vez em Verona achei tudo muito divertido e até li alguns bilhetes, mas desta vez tudo o que fiz vou mover a cabeça em reprovação e sair logo dali.

verona museus

A Casa de Julieta fica na Via Capello, 23. O acesso ao pátio onde está a estátua é gratuito, mas a Casa em si é um pequeno museu e ingressos são cobrados (€ 6 – ou € 7 se quiser ver a tumba de Julieta também). Ah, se você for a Munique, na Alemanha, há uma réplica da estátua na praça principal da cidade, a Marienplatz. Sem fila e sem chiclete. Mas não é Verona…

Deixo claro que a Casa de Julieta, assim como a de Romeu na Via Arche Scaligeri são invenções para turistas e não há registro de que as respectivas famílias rivais – Montague = Montecchio? e  Capello = Capuleto? – que nelas habitavam foram inspiradoras da obra de Shakespeare. É daquelas mentiras que piscam pra gente e a gente pisca de volta.

De lá caminhamos pela Via Mazzini e não resisti e entrei na Zara. Escrevo isso meio como um pedido de desculpas porque sempre me arrependo de gastar tempo em lojas quando viajo, ainda mais na Europa que tem tanto para se ver e aprender e se apaixonar. Mas se você não tem essa culpa, a Mazzini tem ótimas lojas de rede internacional.

a Via Mazzini
a Via Mazzini

A Bra é outra praça linda de Verona e onde fica a Arena de Verona, a terceira maior da Itália e assim como o Coliseu teve seus dias de gladiadores. Hoje você pode visitá-la e assistir a espetáculos de dança, concertos e às famosas óperas, que acontecem no verão, de junho a setembro. Em termos comparativos, ela é menor que o Coliseu, mas está em melhor estado de conservação. Para ver a programação e comprar ingressos, clique aqui. 

verona roteiro e dicas
A Arena vista da Piazza Bra
Arena de verona
Além dos concertos no verão, é possível visitar a arena

Além da Arena, na Piazza Bra você vai encontrar uma praça arborizada com uma estátua de Vittorio Emanuelle II – e se você estiver se perguntando porque há tantas estátuas e galerias e homenagens a ele, saiba que ele foi o responsável (ou levou as glórias) pela unificação do país e o proclamou como Reino da Itália, sendo conhecido como o Pai da Pátria. E isso é tão recente que chega a assustar, se pensarmos como a Itália é antiga: esse reinado durou de 1861 a 1946!

Vitor ou Vittorio
Vitor ou Vittorio

A prefeitura de Verona fica ali na Bra, no Palazzo Barbieri, do século 19. Na foto abaixo, só aparece um pedacinho do edifício que fica ao lado direito da Arena, mas na seguinte, que tirei da Torre del Lamberti, dá pra vê-lo melhor.

prefeitura de verona

Verona vista do alto

À esquerda da Arena, vemos casas coloridas em tons terrosos e em suas calçadas vários restaurantes.

Verona itinerário

Eu me lembro do impacto que o muro e a arena causaram em mim na primeira visita a Verona, assim como o Portoni della Bra e seu relógio. Ainda acho o conjunto maravilhoso, mas a sensação da primeira vez é única.

verona2016-61

Deixamos a Piazza Bra caminhando pela Via Roma. Logo na esquina fica o Museu Lapidário Maffeiano, mas só visitamos o pátio porque 1. é gratuito; 2. eu acho que não iria gostar muito do acervo que, como sugere o nome, é formado por lápides e urnas gregas e romanas. 3. o tempo urge!

O Museu na esquina da Bra com a via Roma
O Museu na esquina da Bra com a via Roma

verona card

No final da Via Roma fica o Castelvecchio, construído no século 14 para fins militares. O acesso ao pátio (corte d’Armi) é gratuito e ao museu (€ 6) apenas para quem tem o VeronaCard. Para mais informações, clique aqui.

verona lugares para conhecer
Fachada do Castelvecchio e entrada na torre à direita
verona castelvecchio
A entrada, por uma ponte levadiça

A placa da entrada menciona Carlo Scarpa, que restaurou nos anos 1960 o castelo e peças para o acervo do museu, como estátuas, pinturas, cerâmica e outros objetos veroneses do século 14 ao 18.

Castelo em verona
Torre dell’Orologio ao fundo, que foi reconstruída entre 1923 e 1925

Li em algum lugar que a torre do castelo voltada para o Ádige era bem maior do que vemos hoje e que chegava até o Arco dei Gavi. Esse arco romano do século I DC foi totalmente demolido enquanto Napoleão dominava a Itália (eita baixinho fdp!) e foi reconstruído nos anos de Mussolini na praça ao lado do castelo. Sua localização original era na Rua Cavour, à frente da torre do relógio do castelo, onde ainda se vêem as marcas de sua base, olha que legal!

portas e arcos de Verona
Arco dei Gavi

Atrás do arco, outro ponto bonito para ver o Rio Ádige (no post anterior você encontrará várias fotos do ponto mais bonito do rio, na ponte Pietra). Se tiver tempo, atravesse a ponte Scaligero (ou ponte do Castelvecchio) que só foi aberta ao público em 1870. Eu não fui, mas você tem que ir e me contar o que achou! Esta ponte também foi bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial e reconstruída entre 1949 e 1951. Fico aqui pensando como a Europa conseguiu se reconstruir tantas vezes e penso em nossas casas históricas da baixa Salvador e do centro de Santos, mais novas e tão abandonadas…  

Nós, atrás do Arco dei Gavi
Nós, atrás do Arco dei Gavi e a ponte ao fundo

A Corso Cavour é bem menos muvucada e ótima para caminhar, embora não seja uma rua de pedestres, e no final dela fica a Porta Borsari

porta borsari Verona

Seguindo na mesma rua, que muda de nome e passa a ser Corso Porta Borsari, saímos novamente na Piazza delle Erbe. Minha amiga foi fazer compras e eu fui explorar a Piazza dei Signori, que tem em seu centro outra estátua que encontramos em várias cidades italianas: Dante Aleghieri, o pai da língua italiana, além de autor da Divina Comédia, o Camões deles, se é possível comparar. A praça é mais tranquila que as outras e passei algum tempo sem fazer nada, só observando o vai e vem de pessoas, as fachadas das casas e seus detalhes, assim como Dante.

verona dicas de viagem
Cadê você, Beatriz?

Roteiro de 1 dia em Verona

verona
Dante nada diz, a tudo observa…

Verona museus

Ali na praça fica a entrada para o Palazzo del Mercato Vecchio/Palazzo della Ragione, que dá acesso à Torre de Lamberti, a mais alta construção de Verona, com 84 metros. Começou a ser erguida no século 12 e sofreu várias intervenções, como se pode ver pela diferença de materiais, como tijolos e tufo alternados em camadas, quando tinha apenas 37 mestros de altura. Apenas no século 15 foi adicionada a parte em tijolos e mármore branco como vemos hoje. O relógio que fica na face voltada para a Piazza delle Erbe, foi acrescentado somente em 1779.

A Torre de Lamberti

Para chegar ao topo, você pode subir os 368 degraus ou pegar o elevador que chega até o ponto acima do relógio, restando outros 125 degraus para chegar até  o campanário, onde há dois sinos de diferentes tamanhos (4, segundo o site deles). O menor marcava as horas e também era acionado em caso de incêndios. O maior tocava o terror: chamava a população para pegar as armas em tempos de guerra.

Torre e sinos de Verona

Mais uma vez me entristeceu ver que Enza e Roberto e tantos outros deixaram sua marca ali. Sério, viajamos para que os lugares nos deixem marcas, não o contrário. Che vergogna!!

verona2016-110
No alto da torre tinha rabisco. Tinha rabisco no alto da torre.

A entrada para a Torre pode ser comprada na bilheteria do Palazzo del Mercato Vecchio/Palazzo della Ragione por € 8 e dá acesso ao elevador – isso é muito importante 😛 e à Galleria d’Arte Moderna Acihlle Forti. Se você tiver o Verona Card, ambos são gratuitos. Caso você não saiba, as cidades turísticas da Europa e América do Norte comercializam cartões que dão acesso gratuito ou com descontos para atrações ou transporte. Em Verona você pode comprar o com validade de 24 ou 48 horas (€ 18 ou € 22) no Centro de Informações Turísticas, na Piazza Bra ao lado da Prefeitura.

A Piazza delle Erbe vista da Torre
A Piazza delle Erbe vista da Torre

O acervo de arte (pinturas e esculturas) do museu pode ser visitado rapidamente. Não tenho fotos pois não são permitidas e isso causa um impacto enorme na minha memória, ou seja, não lembro de quase nada, agora meses depois. Além da capela ricamente decorada o acervo não me impressionou muito e a nota que fiz de uma artista de que gostei desapareceu entre minha papelada de viagem. As instalações do museu são modernas, com santo ar condicionado e há guarda volumes e banheiros bem equipados.

Saindo do museu meu estômago resmungou e comi uma deliciosa bruschetta (por que essas coisinhas são tão deliciosas na Itália?) na Via delle Fogge, uma simpática rua de pedestres recheada de mesinhas que sai da Piazza dei Signori. Se seu estômago não chiar, seguindo à direita na praça, na saída do museu, você encontra um monumento gótico, o Túmulo dos Scaligeri e pode ainda se perder pelas ruelas até sair no Duomo ou no rio Ádige.

brischetta, come ti amo!

As atrações deste e do post anterior não são as únicas de Verona, mas são as principais. Se você tiver um dia vai conseguir ver tudo, mas se puder, por que não ficar mais?

Acesse a página índice da Itália para ler tudo o que já publiquei sobre o país de meus antepassados.

meus pés em Verona

Gostou das dicas? Se você fizer sua reserva de hotel, pousada ou apartamento pelo Booking.com através do blog (clicando no logo deles ou no link acima, você paga a mesma tarifa que pagaria diretamente no site deles e ainda contribui para a manutenção do blog, pois eu recebo uma pequena comissão. Não dá pra viajar com ela, mas ajuda a pagar o WordPress! Também temos convênio com a Mondial Assistance, para você viajar sem se preocupar com sua saúde o malas esxtraviadas. Grazie mille!

verona dicas

Anúncios

O que Fazer em Verona além de apaixonar-se

Ah, uma segunda vez em Verona vai dar conta. Não deu. Muita gente vai dizer que um dia é suficiente em Verona e talvez para muitos seja, mesmo, mas eles não se apaixonarão/am, então de que vale a visita? Neste post falo sobre as atrações da tarde em que cheguei e no próximo dou o roteiro de 1 dia pelos pontos principais da cidade.

Cheguei a Verona de trem vindo de Trento (€17) com minha colega de viagem, esta a última cidade do rolê de 10 dias pela Itália (Toscana e Dolomitas). O taxi (€12) nos deixou no B&B Alle Erbe (€89), a passos da Piazza delle Erbe, cujo prédio fica em frente à Loggia del Mangano (leia mais abaixo), na Corte Sgarzerie. Como tocamos a campainha e ninguém nos atendeu, pois já havia passado a hora do check in, recorri a duas jovens que conversavam animadamente sentadas na mureta da loggia. Acabei descobrindo que uma delas era filha de uma brasileira (estamos por todo o mundo!). Solícitas, elas ligaram para o telefone de contato do B&B e em italiano explicaram que estávamos ali, prontinhas para entrar em nosso quarto. Eles forneceram a senha eletrônica para acessar o prédio e deu tudo certo.

sítio arqueológico em Verona
Loggia del Mangano

Nesta pequena praça, no número 8,  fica a entrada para o sítio arqueológico Corte Sgarzerie, cujas escavações começaram em 1983 e continuaram até 2011. Foram encontradas estruturas de edifícios públicos e de um templo romano dedicado a Juno, Minerva e Júpiter, usado até o século 4, quando foi abandonado devido à massificação do Cristianismo. A forma que possui hoje é medieval e passou por várias construções, tendo sido restaurada recentemente. Encontre mais informações aqui. 

Depois de ter explorado a simpática Trento naquele mesmo dia, e apesar do cansaço, saí para fotografar o rio Ádige (de novo, pois ele também banha Trento) e a ponte Pietra. Aqui ele é bem mais bonito do que em Trento, especialmente nos arredores da Pietra porque a colina em frente com seus ciprestes e edifícios centenários fazem um belo pano de fundo. Verona o que fazer

quantos dias em Veroa

A Pietra é um dos monumentos mais importantes da cidade por seu valor histórico. A primeira ponte construída ali, em madeira, data de 89 AC. Ao longo dos séculos, há registros de quedas e destruição da ponte, seja em madeira, seja em pedra. A ponte que se vê hoje foi reconstruída em 1959, após ter sido explodida em 1945 pelo exército alemão em retirada. Foram utilizadas pedras originais caídas no rio, mas faltavam muitas, então a completaram com tijolos de demolição de edifícios medievais.

A ponteà época da reconstrução
A ponte à época da reconstrução
noite em Verona
Do outro lado do rio, alla sinistra, a Igreja San Giorgio in Braida
Alla destra, o Teatr romano
Alla destra, o Teatro romano

Da Ponte, não é possível ver o teatro Romano, apenas a enorme placa verde que aponta sua localização, como mostra a foto acima. Do Teatro Romano original, construído no século 1 AC, restam apenas os degraus e trechos do muro, mas há espetáculos regulares ainda hoje. Se quiser assistir a um, este site vende ingressos.

O Teatro Romano. Foto de Wikipedia
O Teatro Romano. Foto de Wikipedia

Pena que não tive tempo para perambular pelas ruas do outro lado do rio. Minha amiga me esperava para jantarmos – e estava ficando muito ermo por ali e como boa paulistana…

dicas de Verona

turismo em Verona
sempre encantadoras ruelas italianas
No alto da Colina, o Santuário Na. Sra. de Lourdes observa Verona
No alto da Colina, o Santuário Na. Sra. de Lourdes observa Verona
bikes para empréstimo, do outro lado da ponte Pietra
bikes para empréstimo, do outro lado da ponte Pietra

De volta ao centrinho, fiz algumas fotos na Piazza delle Erbe, que em vez do mercado de outros tempos abriga barraquinhas de produtos verochineses. Essas barraquinhas são ótima opção para comprar suvenires como ímãs, chaveiros, chapéus, camisetas, biju, uma variedade enorme a preços baixos. Por outro lado, elas poluem a praça visualmente e não têm a autenticidade de feirinhas de antiguidade de outras praças na Europa. Na minha opinião, um mercado de frutas, legumes e flores deveria ser mantido ali, quem mais apoia a causa? Se puder, deixe para fotografar a praça no final do dia, quando há menos gente e dá para fotografar e apreciar os muitos monumentos, fontes, terraços, janelas e afrescos das fachadas.

piazza delle erbe verona
A Piazza delle Erbe de dia
verona
e à noitinha


Da imagem acima, podemos falar de dois pontos importantes da praça: a fonte e as Casas Mazantti. A Fonte “Madonna Verona“, tem em sua estátua o elemento mais antigo da praça, datada do século 4, mas a fonte é do século 14. Encantada com tudo, nem percebi que minha filha imitou a cena de La Dolce Vita e se refrescou na fonte, em minha primeira visita a Verona!

Ju se refresca na base da fonte
Ju se refresca na base da fonte

As Casas Mazzanti são um conjunto de casas com afrescos remanescentes do período em que esse elemento era tão comum em Verona que os visitantes a apelidaram de urbs picta (cidade pintada). Pertenceram a várias famílias poderosas, como os Scala (séculos 13 a 16) e os Gonzaga, que vendeu à família Mazzanti em 1527.

verona fonte madonna veronaE se você já esteve em Veneza, deve se lembrar da coluna com leão alado que fica na Praça de São Marcos. Símbolo do poder veneziano, Verona ganhou um leão em 1523, abatido por jacobinos que retomaram o poder em 1797 e recolocado numa grande festa em 25 de abril de 1886, dia de São Marcos. Ainda olhando a foto abaixo, vê-se atrás da coluna de São Marcos o Palazzo Maffei, de 1668, ques ostenta 6 estátuas de divindades pagãs: Éroles, Júpiter, Vênus, Mercúrio, Apolo e Minerva.

verona dicas de viagem
A fonte que aparece na imagem abaixo é anexa à Tribuna ou Berlinda (eu não fotografei a dita, porque não sabia de sua relevância histórica, veja só!), uma espécie de gazebo de pedra onde na Idade Média os ‘prefeitos’ da cidade deveriam prestar seus votos a serviço de Verona. Também servia de padrão para medidas, utilizado pelos comerciantes locais.  Quanto à fonte, meu italiano não permitiu entender direito, mas na Idade Média quem blasfemasse contra Deus ou Virgem Maria era mergulhado uma quantidade x de vezes -e isso se fosse inverno, porque no verão a pena era outra.

verona

Outro monumento da praça é um pouco mais recente e homenageia os mortos no bombardeio da Primeira Guerra Mundial.

The Austrian air-raid on Verona, death and destruction by bomb in the Piazza delle Erbe

16583695_617066368483629_8349424712710881280_n
Já segue o Instagram do blog? Esta imagem apareceu primeiro lá!

Saber o significado e um pouquinho da historia dos elementos da cidade traz um novo olhar para o turista, mas outros sentidos precisam ser atendidos, como o paladar. Escolhemos uma mesa ao ar livre no Caffe Dante, na praça ali pertinho, a dei Signori, a respeito da qual falarei no próximo post sobre Verona. Já ouvi muito brasileiro dizer que a pizza boa é a brasileira e não a italiana. Bem, gosto é gosto…

verona

O serviço foi um pouco lento porque os atendentes estavam assistindo a uma partida de futebol da Eurocopa, Itália e Bélgica. Como boa brasileira, entendi. Deu Itália (2 X 0) e deu pizza. Todo mundo ficou feliz.

No próximo post, descrevo o roteiro de um dia inteiro em Verona, com mapinha e tudo!

Acesse a página índice da Itália para ler tudo o que já publiquei (e publicarei) sobre o país de meus antepassados.

verona piazza delle erbe