Nova Iorque: Guia para planejar sua viagem

NYC-by-Makower-Quilt-Fabric-1068_1_ICONS

Se você está lendo este post é muito provável que tenha uma viagem a NYC em vista – ou que a cidade que não dorme esteja no campo dos sonhos; ou ainda que já tenha visitado e goste de matar a saudade lendo a respeito, vendo fotos de outros viajantes, etc. Não importa. Quanto mais você ler a respeito, mais vai se apaixonar. E beba de fontes diversas, porque cada um tem um jeito de viajar e a mesma cidade é vista de maneiras diferentes. No final deste post, há links para outras onze publicações sobre NYC. Enjoy!

0. visto americano e passaporte. Lembre-se: passaporte com validade mínima de 6 meses. Leia dicas de como emitir ambos aqui.

1. Em que época. Se você puder escolher a época, considere que o clima influencia seus passeios e consequentemente no proveito de sua viagem. Eu sempre tive que viajar no verão, seja no hemisfério norte ou sul, por causa das férias escolares. Algumas vezes minha filha matou aula para que pudéssemos aproveitar a primavera ou o outono, melhores épocas para Europa, Estados Unidos e Canadá, na minha opinião. Não é alta temporada na maioria dos destinos (a Flórida, por exemplo tem a alta temporada no inverno, quando os americanos migram para o Sul junto com os pássaros) e o clima mais ameno permite longas caminhadas sem tanto cansaço. Já fui a NY na primavera, no verão e no outono. Gostei mais do outono, pois tem um friozinho suportável e delicioso para nós brasileiros. As árvores ficam lindas e a cidade fica mais divertida pela decoração de Halloween. Em novembro tem o principal feriado americano, o Dia de Ação de Graças.

Na minha opinião, o Outono é a escolha certa!
Na minha opinião, o Outono é a escolha certa!

O verão é insuportavelmente quente e caminhar se torna mais desgastante. Mas é gostoso ir ao Central Park e ver toda a gente tomando sol no gramadão. Também tem teatro, filmes e muitas atrações gratuitas ao ar livre que não acontecem nas demais estações. Mas também está mais cheia…

img295

Ir no inverno deve ser lindo, mas a beleza acaba quando a neve começa a derreter e vira aquela laminha preta de sujeira. O pior nem é o frio, mas o vento que corta. Já senti isso quando a temperatura caiu em alguns dias do Outono, com chuva fina e vento forte. Além disso, quanto mais perto do Natal, mais maluca fica a cidade, que já é maluca! Mas não posso dizer “dessa água não beberei!” Um dia vou no inverno para curtir o Natal, sim!

2. Passagem aérea. Leia o post com dicas para comprar a sua aqui no blog.

IMG_0640
O Park Lane Hotel visto do Central Park

3. Onde se hospedar. Há hospedagem em toda Manhattan, para todos os gostos e bolsos. Minha sugestão é você ficar em uma região que vai frequentar mais. Nessa útlima viagem, ficamos em frente ao Central Park, pois iríamos a dois museus dali, ao zoo e ao parque. Além disso, ao menos uma vez na vida se dê o presente de ficar com uma vista de tirar o fôlego. O ponto negativo foi que os restaurantes ao redor eram caros e tínhamos que nos deslocar para jantar. Midtown e região da Times Square são opções legais e mais acessíveis para o turista médio. Hospedagem em NY é cara. Desconfie de valores muito baixos em relação a outros hotéis. Evite ficar no Brooklyn ou Queens, pois precisará “viajar” (commute) todos os dias. Também não se recomenda ficar ao Norte do Central Park. Minha primeira vez foi clássica! Aluguei um studio pertinho da Times Square, que apelidamos de Joe’s apartment. Ou era dormir com as baratinhas ou com o cheiro de inseticida. Combo duplo! Naquela época não havia Internet para pesquisar. Hoje, eu leio avaliações de quem ficou e reservo pelo site de buscas Booking.com. Se você achar os preços de lá bons, reserve clicando no link acima. Você não paga nada a mais por isso e o blog recebe uma comissão que ajuda a pagar os custos de mantê-lo no ar. É uma forma simpática de agradecer quem está sempre compartilhando dicas de viagens, não acha?

Vista do central Park

Escolhi o Central Park Lane porque havia uma diferença não tão significativa entre ele e bons hotéis em Midtown (localização que considero ótima). O café da manhã não está incluso (30 dólares por pessoa). Meu objetivo era ter uma vista do Central Park, já que viajamos no Outono e queria apreciar a mudança das cores das árvores, e isso orientou minha escolha.
O atendimento na recepção foi bem impessoal, com exceção do carregador de malas muito simpático. Nossa tarifa havia sido paga no momento da reserva, meses antes, e no momento do check in eles lançaram o valor novamente no meu cartão de crédito. Quando questionei, o funcionário não conseguiu explicar o porquê e ficava repetindo a mesma coisa, como se o problema fosse eu não ter entendido a língua. Chamada a gerente, ela disse ser procedimento do hotel e assegurou que não seria cobrado o valor, e realmente não foi.
O quarto (o nosso era com duas camas de casal) é amplo, as camas extremamente confortáveis, com travesseiros grandes e fofos. A mesa de trabalho serviu bem à minha filha que precisou fazer tarefas da escola durante nossa estadia. Tem dois closets e cofre. Não tem frigobar. A seleção de canais de TV é muito boa, inclusive tem Globo (o hotel é recheado de brasileiros!). Os roupões oferecidos são de um tecido tão ruim que nem tive vontade de vestir. A roupa de cama apresentou furos várias vezes. Em um dia, uma toalha de banho tinha um pelo (!) e outra um cabelo. No dia seguinte, mesmo depois de eu reclamar, uma das toalhas tinha uma sujeira que parecia ser caca de nariz. Já fiquei hospedada em hotéis bem simples e menos pretenciosos e isso nunca tinha acontecido. Pode ser que eu tenha tido azar, afinal, tinha lido avaliações positivas no TripAdvisor.
Resumindo: vale a pena se você quiser ficar em frente ao Central Park. Só.

Também escrevi uma série de três posts sobre outras opções de hospedagem que não os hotéis aqui no blog.

4. Roteiro. Leia, leia, leia. Só assim você vai saber se a sugestão de um guia escrito ou de um blogueiro serve para você. Veja o meu roteiro para 5, 6 ou 7 dias.
Ao ler muito, vai notar que há dicas super descoladas de lugares descolados com gente descolada. Relaxe! Se é sua primeira vez na cidade, vá com alma de turista e curta o basicão.

Lady Liberty vista do ferry da Staten Island: grátis!
Lady Liberty vista do ferry da Staten Island: grátis!

5. Localização
Nova Iorque é uma cidade do Estado de Nova Iorque – e não é a capital! Albany, a 2h30 de carro sentido Norte é a capital. Então temos New York City, assim como Rio de Janeiro e São Paulo, cidades dos respectivos estados.
A cidade é dividida em cinco regiões (boroughs): Manhattan, onde ficam as atrações turísticas, Bronx, Queens, Brooklyn, Staten Island. New Jersey, que aparece no mapa abaixo, é um outro Estado.

NYC no mapa
NYC no mapa

6. Língua: Inglês. Alguns atendentes de restaurantes são imigrantes ou descendentes e falam espanhol.

7. Moeda: dólar. Cartões de crédito são aceitos em todos os estabelecimentos. Leia Trocando em miúdos (ou seja, fazendo o câmbio). 

8. Preços em dólares, sem taxas ou gorjeta.
 Por mais que seja óbvio, não custa ressaltar que tudo o que escrevo baseia-se em minha experiência. Outras pessoas podem ter encontrado valores maiores ou menores. Mas a gorjeta é unanimidade: 15% a 20% do valor da conta em restaurantes ou da corrida em taxis.
– Cerveja Corona ou Bud: $5 a $7, dependendo do lugar
– Coca cola (em restaurante): $3
– Margarita: $10
– chocolate quente: $4,70
– minestroni no Olive Garden: $7,30
– spaghetti com molho a bolonhesa: $ 10
– cheeseburger no Hard Rock: $13,20
– porção de batatas fritas no Hard Rock: $4,50
– 1 pizza margherita para dois: $17
– sobremesa: $9
– Refeição para dois dentro do Metropolitan (lanche, salada para dividir e pote de frutas cortadas): $ 49
– refeição para dois na Academia Barilla (massa, pizza individual, cerveja e sobremesa): $40

O cardápio do Barilla
O cardápio do Barilla

– café da manhã no Green Café (chocolate quente, baguete na chapa com manteiga – I love NY!, potinho de frutas picadas):$ 8
– café da manhã continental (well…) no Green Café: $11

Os preços do Green Cafe
Os preços do Green Café. Clique sobre a foto para ampliá-la

– ingresso adulto Metropolitan: $25 (até 12 anos, crianças não pagam)
– ingresso Museu de História Natural: $ 24 (crianças: $14,50)
– pedágio para e estacionamento no Minnewaska State Park (interior de NY. Leia post a respeito): $13 e $8
– taxi da 6th ave. com a W23th St até a W59th St: $10 (sem trânsito)
– taxi da W59th st. até o aeroporto La Guardia: $42
– tarifa básica de metrô ou ônibus: $2,50

IMG_0716
Material para Scrapbooking

9. O que comer e beber por lá
Não há uma bebida ou comida típica definida, assim como São Paulo. E, assim como em SP, há restaurantes de todas etnias. Mas não deixe de provar o famoso New York Cheesecake. Ah, experimente perguntar o que diferencia um NY Cheesecake de um outro qualquer. Aposto que seu atendente vai dizer: “Eu nunca tinha pensado nisso!” As dicas de onde comemos estão em cada um dos posts do roteiro.

10. Como circular por lá      

  • Taxi – A forma mais prática, mas nem sempre a mais rápida devido ao trânsito, é o taxi. Veja no item 8 preços. Pode não ser a mais barata, especialmente se você estiver sozinho, mas certamente é a mais divertida porque eu adoro puxar papo e perguntar sobre a vida local e em NY motorista nenhum é de NY, então você aprende sobre um monte de lugares. Muitos não falam Inglês, então não pense que o problema é você.
  •  Metrô – O metrô tem várias linhas e poucos quarteirões são desprovidos de estações. Hoje existem aplicativos que explicam que linha tomar, onde descer, etc.  É a melhor opção para se deslocar pela cidade.
Plataforma da linha R na 57th
Plataforma da linha R na 57th

 

  • Bicicleta – antes de me chamar de maluca, saiba que estão sendo construídas ciclovias nas “bordas” da ilha. Mas você pode alugar bikes para atravessar a Brooklyn Bridge e explorar o Central Park. O aluguel de uma magrela básica sai a $44/dia. Confira os pontos em aqui.
  • A pé -Minha primeira opção, em qualquer cidade. Você conhece os detalhes, vê gente, para onde tiver interesse… Embora o trânsito seja pesado, em nada se assemelha ao de SP ou RJ. Os motoristas são cautelosos nos cruzamentos e diminuem a velocidade para pedestres.
  •  Carro – não há necessidade de alugar um carro se for ficar em Manhattan. Nós tivemos a experiência de alugar um para ir ao interior do estado. Escolhi um sábado, pois assim não teria tanto trânsito para deixar a ilha. O problema é que os GPS fornecidos pela locadora não pegam por causa da altura dos prédios, essa foi a desculpa da locadora. Inacreditável! Ainda bem que ainda existem mapas – e planejamento, claro. Leia mais sobre este passeio no link ao final deste post.
    Se você for reservar um carro, faça uma cotação pelo Rentcar.com, site de busca de várias locadoras no mundo todo.
A estrada para o Parque Estadual Minnewaska
A estrada para o Parque Estadual Minnewaska

11. Fuso Horário
Vai depender de quando você for. Em outubro, havia apenas uma hora de diferença,  pois ainda era horário de verão lá e ainda não tinha o horário de verão aqui no Brasil.

12. Como chegar

KSKxZdZPKMEdtWoRo7OcLETmzzjCg91aIFn6VRPFCl5J9QCvfQdw6HOghI-OwcMW1ZQszTB7jEz--_DiIL24dwmzxysEskkrZEM8asNU4RUIsOW-1IwuiMXPJQfDrTdOT4uZ1UdWisFUhv4oEEN7XoCdImSR-sonpzQTuj-okwS0A maior parte dos voos internacionais pousa no JFK (C, no mapa acima). Há outros dois aeroportos na cidade, o La Guardia (A) e o Newark (B), por onde você pode chegar se seu voo tiver conexões em outras cidades americanas.

20141008_072619Logo após desembarcar, você é direcionado para o setor de imigração, onde responderá a algumas perguntas, como motivo da viagem, permanência, endereço. Se o funcionário sentir alguma insegurança ou desconfiar de algo, vai fazer mais perguntas, por isso é importante falar pouco e com firmeza, que você terá seu passaporte carimbado.

Carrinho para malas no JFK: $6. Melhor contar com as rodinhas de sua mala!

20141008_072412

Do aeroporto a Manhattan
Você vai receber várias ofertas de motoristas no saguão de desembarque, não acho seguro aceitá-las. Oriente-se pela sinalização: à direita do saguão fica a fila para os taxis, cujo valor é tabelado de acordo com a região, mas em out/14 custava 52 dólares mais gorjeta. O trânsito na região do aeroporto é estilo Marginais em SP e a viagem leva mais de uma hora.

DSC_1671

O táxi é boa opção se você estiver acompanhado, mas se estiver sozinho (e não tiver muita bagagem) talvez valha a pena usar o AirTram (trem elevado ao custo de 5 dólares) até Jamaica, um bairro do Queens. É lá que você paga a passagem, olhe que engraçado. A partir daí, há duas opções:
1. LIRR = Long Island Rail Road ($14.50), que leva cerca de 50 minutos até Penn Station, em Midtown;
2. as linhas E ou A do metrô ($7.50), descendo na estação Penn, que leva cerca de uma hora.

Leia sobre o voo de retorno no post Aeroporto La Guardia (link abaixo)

13. Temperatura
Confira a temperatura antes de comprar aquela passagem super barata. Nevascas te impedem de sair do hotel, voos são cancelados, a cidade que não dorme para.

Tempo Nova York

Nossa, esse post ficou bem gordo… Acompanhe os outros sobre Nova Iorque, porque tem mais gordura por aí! E se você tiver alguma pergunta, manda que eu respondo. Mais dicas sobre outros destinos, clique no botão SEGUIR e receba nossas atualizações.

14. Seguro Viagem
Último item, mas muito importante. Eu já viajei sem, mas acho uma tremenda imprudência. Se você tiver qualquer tipo de problema, não só de ordem médica, mas dentário, legal (lembra da tolerância zero em NY!), extravio de bagagem, o seguro vai cobrir as despesas. O Mulher Casada Viaja tem parceria com a Mondial Assistance que frequentemente oferece descontos para os leitores. E se você comprar seu seguro através do blog, eu recebo uma comissão, veja só. Não é uma forma legal de ajudar quem sempre tem dicas de viagem para compartilhar? Clique no logo da Mondial à direita (se estiver em um PC) ou no finalzinho do blog (se estiver em smartphone).

15. Compras
Há quem escolha Nova Iorque para unir a visita à cidade ao prazer das compras. Há comércio para todos os gostos e bolsos e escrever sobre isso requer um guia à parte. Fora de Manhattan você encontra Wallmart, Target. Bed, Bath & Beyond (produtos para casa) fica n 270 da Greenwich St. A loja de departamento Century 21 é uma das opções mais procuradas na ilha (fica na Courtland, 22). Fora de Manhattan, há três outlets:
– o Woodburry Common Premium (498 Red Apple Court Central Valley), a 80 quilômetros ao Norte de Manhattan. Segue a arquitetura dos outlets de Orlando, aberto, mas NY não tem o clima de Orlando, então em dias de extremo frio ou chuva pode ser um problema escolher ir para lá.
– Jersey Gradens (Rodovia NY Turnpike, saída 13A), a 8 quilômetros do aeroporto Newark
– Bergen Town Cener (Rota 4 no cruzamento com a Av. Forest Paramus, New Jersey).

Escrevi um post sobre lojas de brinquedos em NYC. Veja link no final desta publicação.

Se você quiser comprar pela Internet e mandar entregar no hotel, saiba que a maioria cobra taxa por pacote recebido. Pela Amazon, há a opção de mandar entregar em locker, um “armário” que normalmente fica num 7Eleven ou outra loja 24 horas´e só é aberto com o código fornecido pelo sistema da Amazon.

16. Medidas
Os Estados unidos não usam o sistema métrico, então saber estas medidas pode lhe ser útil:
1 pé = 30,48 centímetros
1 galão = 3,87 litros
1 milha = 1,61 quilômetros

Posts Relacionados
(clique sobre o título para ser direcionado ao post)

NY em 5, 6, 7 dias

Outono em Nova Iorque e o Central Perk de Friends

Roteiro New York: dia 1

Roteiro New York – dia 2: Upper West Side

Roteiro Nova Iorque – dia 3: Downtown

Roteiro Nova Iorque – dia 4

Roteiro NY – dia 5: Brooklyn Bridge e High Line Park

Roteiro Nova Iorque – dia 6: Central Park e seu zoológico

Outono e o Fall Foliage em NY

Atração turística em NY: lojas de brinquedos

Aeroporto La Guardia e Delta NY-SP NY

 

 

 

 

Anúncios

6 comentários sobre “Nova Iorque: Guia para planejar sua viagem

  1. Tereza Bissoto 13 de novembro de 2014 / 11:29

    Estou adorando as suas dicas

    Curtir

    • mulhercasadaviaja 13 de novembro de 2014 / 13:02

      Que bom! Espero que sejam úteis – para cumprir a finalidade e para você se divertir em NY! bjs

      Curtir

  2. Vanessa Albieri 15 de novembro de 2016 / 12:29

    Olá, adorei as informações! Tenho uma dúvida e gostaria de saber se vc pode me ajudar, para cambear o real em dólares, lá em NY eu consigo, ou seja fazer com que o dinheiro renda mais? Pois eu fui pra bariloche em 2014 e troquei tudo no aeroporto, e se eu tivesse esperado pra trocar em Bariloche mesmo, teria rendido mais dinheiro, pois estavam pagando mais pela moeda.

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja 15 de novembro de 2016 / 12:43

      Oi, Vanessa, não sou especialista nesta parte de câmbio. Eu faço o câmbio em dólares e euros sempre no Brasil, mas parece que se você troca no país de viagem consegue melhores taxas, pelo menos aqui nos países sul americanos. América do Norte e Europa eu nunca troquei. Desculpe não poder ajudar.

      Curtir

  3. Julia Ferraz 11 de maio de 2017 / 18:34

    Ola Márcia!

    Gostei mto do seu blog e das dicas de outono em NY.
    Tenho grande interesse de ver a “fall foliage” no central park. Gostaria de saber qual a melhor época pra ver as folhas avermelhadas… Estou indo no final de outubro e inicio de novembro… Outra coisa: chove mto neste período?

    Mto obrigada!!

    Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s