Atacama: guia do deserto mais lindo do mundo!

Euzinha no deserto mais lindo do mundo!

“Mas o que você vai fazer num deserto?”, perguntou um amigo que certamente não tinha visto todas as imagens lindas que bombaram nas redes sociais  dos blogueiros nos últimos tempos e me deixaram maluca para ir ao Deserto do Atacama, o mais árido do mundo e com paisagens lunares, lagos e salares. Como eu tenho uma listinha de apenas 20 lugares para conhecer antes de morrer, venho acrescentando outros destinos ao sabor de novos desejos. Vai que ao acabar a bucket list a gente bate as botas! Bem, o Atacama não estava na lista, mas como eu disse as paisagens tocaram forte, assim como a curiosidade de estar no deserto mais seco do mundo e com o céu mais limpo do mundo. E confesso que foi o roteiro mais fácil de montar da minha vida. Muitos superlativos, né? Já disse que eles estariam presentes nos posts sobre o Atacama quando relatei o passeio pelos Vales da Lua e da Morte. Fica aqui que eu conto mais: quando ir, hospedagem, preços, um super guia pra você já chegar a San Pedro sabendo muito!

Onde Fica o Atacama
O Deserto do Atacama fica 1.600 km ao Norte da capital Santiago. Aí você diz: “mas vale a pena tudo isso só por causa de um deserto?” Nem vou citar Fernando Pessoa, porque vale muuuito! As paisagens são incríveis e não há monotonia, pois cada ponto do deserto tem uma formação rochosa diferente e  há lagos, dunas, termas, cavernas, fora os 17 vulcões no horizonte, quase sempre cobertinhos de neve! Além dos Andes, existe uma cordilheira mais baixa, a do Sal.
A cidade base para conhecer o deserto é San Pedro de Atacama, que ganhou um post só pra ela, de tão peculiar que é. 

Como você pode notar no mapa acima, a Bolívia é logo ali, assim como a Argentina. Se tiver tempo e di$ponibilidade, faça um trio que eu planejava fazer: Atacama, Salar de Uyuni (Bolívia) e Salta (Argentina). Eu não fui, mas indico a leitura de quem foi:

Salta, pelos olhos do blog 360 Meridianos
Uyuni segundo o Apure Guria

Como chegar ao Atacama e informações sobre voos (com $$), o aeroporto de Calama e traslados, eu compartilhei em outro post, porque este já estava grande demais. Vá até a página Atacama aqui no blog e você encontrará todos os posts relacionados a esta viagem

Calle Caracoles

Onde ficar no Atacama
Como todo lugar, tem hospedagem pra todos os gostos e bolsos. Sim, tem hotel que custa R$ 2 mil/noite (passeios inclusos e pensão completa… ah, então tá!), assim como tem um quartinho na birosca da Rua Caracoles. A dica é: se estiver sem carro, fique nas imediações da Caracoles, porque é por lá que você fará suas refeições e comprinhas quando não estiver no deserto. As ruas mais afastadas são bem escurinhas, então pense nisso na hora de escolher fora do eixo Caracoles-Tocopilla-Licancabur-Calama. Ah, San Pedro é conhecida como San Perro (cão em espanhol), pelo número de cães, que fazem coco nas ruas e de noite é a maior aventura andar no escuro. 

Hospedagem em San Pedro de Atacama

Como não pretendíamos fazer 2 ou 3 passeios no mesmo dia, o que nos daria algum tempo livre, escolhemos um hotel com estrutura legal, varanda no quarto, piscina, serviço de quarto – tinha até spa, o Hotel Poblado Kimal. Mas o quarto foi do que mais gostei, mesmo: cabaninhas de adobe entre o jardim, telhado de palha, quarto e banheiro grandes. Parecia que estávamos na África!

Café da manhã do hotel
Vista da janela do quarto

Vai fazer sua reserva para o Atacama? Eu poderia gostaria de estar roubando viajando, mas estou aqui escrevendo estas dicas para você, então ajude esta blogueira a pagar ao menos o pão das crianças  a manutenção do blog. É só fazer sua reserva no Booking.com, que eu recebo uma pequena esmola comissão e você não paga nada, nadica de nada a mais por isso. Deus te abençõe, viu, meu fio.

Visto e documentos para ir ao Chile
Não é necessário visto para entrar no Chile, nem mesmo passaporte, mas leve seu RG atualizado. Ou leve seu passaporte para ganhar mais um carimbinho ehehe.

No avião você preencherá um formulário de imigração que deverá ser entregue na entrada do Chile. Não se esqueça de guardar a papeleta que te entregarão (Tarjeta unica migratoria), que será apresentada na imigração, na saída do país longelíneo.

Quanto tempo ficar no Atacama
Se você vai fazer os passeios tradicionais, 5 dias bastam, mas se quiser subir um vulcão ou fazer trilhas longas, precisará de mais tempo, não só pela quantidade de passeios, mas para ir se acostumando com a altitude, assunto do próximo item.

Mirante do Salar de Tara

O que é o mal de altitude, o soroche, e o que fazer
Já falei sobre o soroche quando fomos ao Peru. O mal de montanha ou de altitude pode causar desconforto em quem vive no nível do mar e de repente está a 4 mil metros. Se você não se cuidar e exagerar pode até interferir no seu comportamento. Ouvi relatos de um turista que abusou do exercício físico (a gente fica muito lento e até uma caminhadinha cansa) e ficou fora de si, com espécie de alucinação, achando que o amigo queria matá-lo. Outra se descabelava e queria tirar a roupa. Imagine o trabalho que deu acalmá-los!

Mas não se assuste, nos passeios que fizemos acima de 4 mil metros ninguém do grupo surtou, mas o guia era muito cuidadoso e não nos deixava nem dar uma corridinha até a van se estávamos meio distantes. Só pode andar! rsrsrs No Salar de Tara (4.500m), algumas pessoas do grupo reclamaram de dor de cabeça e de um pouco de enjoo (leia os posts específicos que estou escrevendo/escrevi para cada passeio). Eu senti uma pressão muito forte na testa e no nariz, que não passaram com analgésico. Mas achei mais punk no Peru porque chegamos de Lima a Cusco, com altitude de 3.400 metros, sem fazer adaptação. San Pedro fica a 2.400 metros, então dá pra ir se adaptando com um chazinho de coca aqui e ali e repouso.

Folhas de coca para o chá natural ou para mascar

Além de tomar chá de coca, natural ou industrializado, chupar balinha de coca (vendidos em todas lojinhas e mercadinhos de San Pedro), beba bastante água mesmo que não sinta sede, para manter a hidratação dos seus pulmões, porque o ar é muito seco e porque parece ajudar no mal estar causado pela altitude. Descansar bastante também ajuda, então  espere chegar em San Pedro, ver como se sente para então decidir fazer passeios no mesmo dia da chegada ou não.

Se os sintomas forem muito fortes ou se você passar muitas horas na altitude fazendo esforço físico, você pode mascar um punhado de folhas, como faz o povo da montanha, formando uma bola e engolindo o sumo. Eu masquei umazinha e achei bem amargo. O chá e a bala são bem gostosos – e você pode trazê-los para o Brasil! Quando fui ao Peru ouvi falar de um remédio, o sorojchi pill, mas no Atacama não sei se tem. Na falta dele, vá de dipirona. Leia o post O que Levar na Mala para o Atacama, onde detalharei outros itens necessários para sua vida no deserto.

estátuas incas representadas mascando coca, no Museu precolombino de Santiago

Língua
A língua é o espanhol, mas consegui me comunicar em restaurantes e lojas só falando português. Senti que a gente os entende mais do que eles nos entendem (cada um falando sua língua), mas não sei se foi minha percepção ou se é uma verdade.

Voltagem/Tomadas em San Pedro de Atacama
A voltagem é de 220 e as tomadas de 3 pinos paralelos. Leve seu adaptador universal.

Quando ir ao Atacama – Temperatura
Ah, isso é complicado, né? A gente acaba viajando quando tem disponibilidade, e isso é o legal do Atacama: qualquer época é boa para visitá-lo, pois as variações de temperatura acontecem mais ao longo do dia do que ao longo do ano. Veja o gráfico:

Além do inverno na mesma época que o do Brasil, esta região do Chile tem o inverno Altiplânico, que acontece em pleno verão e quando chove: janeiro e fevereiro. Eu fui na segunda semana de Março, e sabia que haveria chance de chuva nessa época e isso foi proposital, pois li que os salares ficam mais bonitos e como espelhos d’água. Como eu não iria ao Salar de Uyuni na Bolívia, pensei que poderia encontrar paisagens parecidas nos salares do Atacama,  mas não rolou… Por outro lado, não peguei chuva, mas havia chovido bastante na última semana de fevereiro, causando estragos no leito do rio San Pedro. Turisticamente, isso fez com que o sal ficasse mais presente nas superfícies, tornando os campos bem branquinhos, o que dá um efeito lindo no visual. Acho que a frente fria também colaborou para que nevasse nos Andes e vimos os vulcões mais altos cheios de neve.

O sal na borda das Lagunas Escondidas

IMPORTANTE: O céu do Atacama vale um torcicolo, mas viaje fora do período de lua cheia, inclusive considerando uns 4 dias antes ou depois dela, porque os observatórios que realizam um trabalho sério fecham e você vai ficar na mão. Encontrei uma única agência que estava realizando o tour na noite de lua cheia, mas li avaliações bem ruins e preferi não fazer, mesmo que fosse bem barato (eles cobravam metade do preço na lua cheia: 10.000). Vou falar mais disso no post Roteiro de 5 dias no Atacama.

A Lua cheia da varanda do quarto
Space é a empresa que realiza tours educativos de observação do céu noturno

Wifi e conexão no Atacama
Na Plaza de Armas há wifi gratuito, mas só conseguimos usar uma vez de duas tentativas. Os restaurantes onde comemos não liberam senha, mas no hotel o sinal era bom e gratuito.

Wi fi na Plaza de Armas

Dinheiro/moeda/câmbio
O peso chileno vem aos milhares. Tudo custa mais de mil pesos e as moedinhas são um inferno: precisa de 1 quilo para comprar uma garrafinha d´água!😂 Veja o item Preços mais abaixo.

Trocamos dinheiro suficiente para uma refeição no aeroporto de Santiago e o resto trocamos em São Pedro, persquisando o melhor câmbio pelas ruas. Não são casas de Câmbio, mas negócios locais que fazem a troca, anunciando o serviço em placas à porta.

Uma das 7 lagunas escondidas: alta concentração de sal não te permite afundar!

Compras e Serviços
Adoro produtos andinos e em San Pedro tem coisas lindas, das lojas com produtos industrializados até os mais artesanais. Na Plaza de Armas da cidade, ao lado da prefeitura, você encontrará o Mercado de Artesanato, que achei muito mais organizado e arrumadinho do que o de Águas Calientes, no Peru. 

Se você tiver esquecido o biquini, a bateria, pilhas ou o cartão de memória, também vai achar na Rua Caracoles uma loja de produtos de montanhismo que vende tudo isso e muito mais, a El Rincon: Também na Caracoles vi serviço de lavanderia, mas acabei não indo perguntar o preço, sorry.

Farmácia, só vi uma por lá. Mercadinhos para comprar biscoitos, água (você vai precisar de muita), balinhas de coca, salgadinhos, vi mais de 3.

Preços (em pesos chilenos em março/17)

balas de coca (caramelos de coca): 1.500
pacote com 6 garrafas de 1,5 l de água mineral: 6.000
Museu do Meteoro: 3.500
Pukará de Quitor, sítio arqueológico: 3.000 (sem agência)
Traslado Calama-San Pedro-Calama em van compartilhada: 12.000
Aluguel de pick up 4×4: 78.624/dia
Aluguel de bicicleta: 4.000/6 horas
simcard (chip) da Movistar (comprei na Fotokina, no aeroporto de Santiago): 10.000

Cadê a dica de como fazer a mala? Tá em outro post, este ficou muito longo! E sobre transporte aéreo e como chegar também. Quer saber onde comer e o preço das refeições? Tudo na página-índice do Atacama, onde estão os links atualizados.

 

Anúncios