Roteiro de 14 dias na Califórnia e planejamento da viagem

surf-in-california

🎼 Garota, eu vou pra Califórnia… 🌊

No momento em que publico este post estou rodando pelas estradas icônicas da Califórnia, traçadas no GoogleMyMaps, que compartilhado aqui. O planejamento desta viagem foi bem rápido, porque eu já sabia mais ou menos o que fazer em cada cidade e quais cidades da Califórnia escolher, pois esta é nossa segunda vez por lá, primeira da minha filha. Como é uma viagem em família, o roteiro tem um pouco para todos, mas alguns destinos comumente incluídos numa viagem à Califórnia ficaram de fora. Mesmo escolhendo praticamente as mesmas cidades que visitei 20 anos atrás, tenho certeza que tudo será novo, porque o tempo passou e elas mudaram, mas acima de tudo eu mudei.

Uma das pontes mais famosas do mundo ocidental, a Glden Gate
Uma das pontes mais famosas do mundo ocidental, a Golden Gate

Isto é o que você vai encontrar neste post:

  • preços de voos para Los Angeles e São Francisco que pesquisei
  • versão final do roteiro de 2 semanas na California
  • cidades e parques que não entraram no meu roteiro, mas podem entrar no seu
  • aluguel de conversível
  • passo a passo da reserva de hotéis

🎶 Antes de começar, um pouco de música. Há inúmeras canções sobre a Califórnia e a cada publicação desta viagem escolherei uma para você curtir enquanto lê o post. Impossível não lembrar de Going to California, de Led Zeppelin, que fala de terremoto, mas principalmente de um cara desiludido com as mulheres que vai tentar a sorte na Califórnia pois lá tem uma “mulher com amor nos olhos e flores nos cabelos, que chora, toca violão e canta”. Descobri que se trata de uma homenagem a uma cantora folk Joni Mitchell, que por acaso também gravou uma canção chamada California.  🎶

Leia os posts com dicas de San Diego, Los Angeles, São Francisco, Monterey, Carmel e lugares como Yosemite National Park e Big Sur na página-índice da Califórnia

Já assinou a newsletter do blog? É só clicar “Seguir” e você receberá gratuitamente em seu e-mail todas as novas publicações. É uma boa forma de receber, além de dicas, inspiração para suas próximas férias!  😉

Um pouco sobre a Califórnia
A Califórnia fica no Sudoeste dos Estados Unidos, fazendo fronteira com México ao Sul, os estados de Nevada e Arizona a Leste e do Oregon ao Norte. É um dos estados americanos mais ricos e é o mais populoso.

O Estado Dourado
O Estado Dourado


Pesquisa do Bilhete Aéreo para a Califórnia
Comecei por ver que companhias ofereciam o melhor custo-benefício e Delta e American Airlines caíram na peneira. Usei sites como Skyscanner, Voopter, Kayak e os das próprias companhias aéreas, isso porque estes sites de busca não trabalham com todas as companhias aéreas e nem sempre oferecem as melhores tarifas. Ainda vou escrever sobre isso…

Descartei voos com mais de uma conexão ou voos com conexões longas em cidades onde eu não aproveitaria nada, só perderia tempo. Nas pesquisas já filtradas por mim, havia conexões em NY e Dallas. NY sai muito da rota entre SP e Los Angeles, que fica a Sudoeste dos Estados Unidos e NY no Nordeste, tornando o trajeto mais longo. Além disso, a conexão são seria aproveitada pois o aeroporto JFK, além de exigir deslocamentos demorados pelo tamanho, é longe do centro de Manhattan. Como assim? Quando sua conexão tem mais de 5 ou 6 horas, muitas vezes é possível sair do aeroporto e passear na cidade. Outras vezes, você pode ligar para o setor de vendas da cia. aérea e perguntar quais voos possibilitam o stopover (voo em que você dorme 1 ou mais noites na cidade de conexão sem pagar nada ou quase nada a mais😃). Dallas era uma opção que me atraía pois ainda não conheço a cidade e algumas horas de conexão seriam suficientes para isso, mas apenas 2 semanas na Califórnia, com tanto para ver e fazer te levam a contar os minutos e eu achei melhor não perder horas em conexão numa cidade que nem tenho tanta vontade assim de conhecer. Acabei optando por um voo direto por R$ 4.800,00 (3 bilhetes na econômica), com taxas inclusas e parcelados em 5 vezes no cartão de crédito (que ainda podem ser transformados em novas passagens) sem juros e sem cobrança de IOF.

Pela Delta, havia voos SP-Los Angeles-SP com conexão em Atlanta, mas 3 bilhetes na econômica sairiam por R$ 7.650,00! Que pena, gostei de voar pela Delta e adoraria umas horas em Atlanta…

Outra pesquisa pela Delta foi SP-Atlanta-São Francisco na ida, com algumas horas de conexão em Atlanta. A volta seria San Diego-Atlanta-SP, mas o preço não me animou: R$ 11.000,00 (3 bilhetes). Esta opção é legal para quem não vai a Las Vegas, Yosemite ou Death Valley, ficando apenas no litoral, então não precisa fazer um roteiro circular nem percorrer a mesma estrada duas vezes. Mas o valor é quase o triplo do que paguei no voo da AA. Claro que haveria benefícios maiores: eu conheceria Atlanta, não teria que dirigir de volta até LA só para pegar o voo, o serviço e conforto da Delta são superiores, e as milhas da Delta não têm vencimento como nas demais companhias. Mas a economia imediata falou mais alto…

Um dos pontos mais populares do Parque Yosemite: Tunnel View
Um dos pontos mais populares do Parque Yosemite: Tunnel View


Roteiro da Califórnia
O roteiro final acaba sendo montado depois da compra do aéreo, pelo menos é essa minha lógica, pois costuma ser o mais caro numa viagem – embora não tenha sido nesta. Mas antes de bater o martelo e comprar o bilhete, eu já tenho uma boa ideia de quanto tempo ficar em cada cidade e qual o sentido do roteiro: se começarei pelo Norte e voltarei para casa pelo Sul, se o roteiro é circular é terá o mesmo destino na chegada e partida… Então depois de alguns estudos, este foi o roteiro final, que tracei já com os endereços dos hotéis em que fiquei. 

Neste mapa você não encontrará o que fazer em cada cidade, atrações que estarão marcadas em posts separados por cidade, mas já adianto: vai ter dica do Tour da Warner Studios em Los Angeles, rolê pela HW 1 na altura de Big Sur, passeio de barco na baía de São Francisco, Disneyland, e muitas coisas de San Diego, cidade de que gostei muito!

los angeles Hollywood

Dia 0: SP – LA
Dia 1: chegada a Los Angeles pela manhã e viagem de carro a San Diego (204 km)
Dias 2 e 3: San Diego
Dia 4: San Diego a Anaheim (Disneyland) (150 km)
Dia 5: viagem a LA (51 Km)
Dia 6: viagem a Yosemite (510 km)
Dia 7: Yosemite
Dia 8: viagem a São Francisco (305 km)
dia 9: São Francisco
Dia 10: São Francisco e no final do dia, viagem a Monterey  (196km)
Dia 11: Monterey
Dia 12: Península de Monterey, com 17 Mile dr., Point Lobos, Carmel, Big Sur
Dia 13: Viagem a Los Angeles (516 Km)
Dia 14: Los Angeles e voo para SP no final da noite

O primeiro parque da Disney fica em Anaheim
O primeiro parque da Disney fica em Anaheim

Como Los Angeles foi escolhida para ser a cidade de entrada e saída, achei prudente voltar a ela um dia antes da data do voo. E na chegada, não ficaremos na cidade, partindo direto para San Diego.

O que fazer na Califórnia
Com a limitação de tempo, alguns pontos turísticos da Califórnia ficaram de fora do roteiro:

Napa Valley: bom destino para quem curte vinho.

Death Valley, Sequoia National Park: destinos para quem gosta de parques nacionais, natureza, esportes ao ar livre, mas em ecossistemas bem diferentes: deserto e floresta de sequoias.

sequoias
Não é à toa que são chamadas “sequoias gigantes”

Lake Tahoe: localizado entre os estados da Califórnia e de Nevada, fica a 1.900 metros de altitude e divide-se em North Lake Tahoe e South Lake Tahoe, por questões administrativas. Também visitado pela galera que curte the Great Outdoors, mas principalmente como resort de esqui no inverno, claro.

Lake Tahoe
Lake Tahoe
bonnet: como eu não tinha, dobrava meu travesseiro e o prendia com uma fita! rsrsrs

Sacramento: é a capital da Califórnia e tem um bem preservado centro histórico, onde é possível passear de maria fumaça entre outras atividades. A escola-museu é do que mais me lembro: uma escola com uma só sala de aula, lareira no meio e suvenires que ainda são os mesmos de 20 anos atrás: uma folha envelhecida com fonte  estilo tinteiro com as regras da escola; as punições  por descumpri-las; aquele chapéu usado por meninas que eu adorava quando criança, tendo sido apresentada por um filme de Tom Sawyer e por outro clássico da língua Inglesa: Little Women. Visite o site do museu para saber mais.

Columbia State Historic Park: É uma cidade do Velho Oeste, com casas decoradas com móveis de época, saloon, ferreiro, voluntários vestidos na moda de 1850 que trabalham nas lojas ou encenações. Carros não são permitidos, mas você pode passear numa charrete ou de cavalo. Fico me perguntando se os meninos de hoje ainda gostariam de um passeio desses…

-Tijuana: a pouco mais de 30 km ao sul de San Diego, a cidade mexicana pode ser uma boa para quem procura festa e diversão adulta.

– Las Vegas e  Grand Canyon são outros destinos que muitas vezes entram num roteiro pela Califórnia, embora estejam em outros Estados. Falei sobre a trilha que pegamos no Grand Canyon e dou dicas neste post. 

Hotel na Califórnia
Eu tinha acabado de voltar da Itália, onde me hospedei em lugares lindos: aos pés de montanhas ou em frente a lagos nas Montanhas Dolomitas, numa fazenda produtora de vinho na Toscana e os preços foram bem razoáveis. Me assustei quando comecei a pesquisa na Califórnia! Escreverei um post com reviews de cada um dos 7 hotéis em que nos hospedamos/hospedaremos. Aguardem!

O Hotel do clássico Psicose. Escolha bem o seu para ter um final feliz!
O Hotel do clássico Psicose. Escolha bem o seu para ter um final feliz!

Como escolher hotel

  • no Booking.com, nunca vejo hotéis com notas inferiores a 8, pois é relativamente fácil conseguir essa média por lá e você ter que passar a noite num lugar meio sujinho ou mal localizado, ou desconfortável em médias mas baixas, mas esta é minha opinião. 
  • seleciono a opção Genius, que oferece descontos para quem tem cadastro no site.
  • vou direto ao mapa e vou abrindo no navegador novas janelas dos hotéis com melhor nota/preço.
  • crio uma lista de cada cidade que visitarei e salvo os hotéis peneirados nela.
  • leio as avaliações de quem já se hospedou no hotéis que selecionei e abro uma nova janela e também leio algumas avaliações no TripAdvisor, selecionando algumas com notas ‘bom’ e outras com notas ‘razoável’ ou ‘ruim’.
  • Esta parte é também muito importante, a política tarifária. Alguns estabelecimentos exigem pagamento antecipado – com ou sem possibilidade de reembolso. Às vezes apenas uma taxa é cobrada, outras vezes o valor já pago (parcial ou total) é reembolsado em seu cartão de crédito. Foi o que aconteceu com um hotel que eu já havia pagado pelo cartão de crédito e que permitia cancelamento sem taxas. Um mês depois sem que eu tivesse que fazer qualquer pedido a não ser clicar em “cancelar reserva”, o valor total estava reembolsado em meu cartão e o IOF relativo a essa compra também. Alguns hotéis permitem o cancelamento até 24 horas antes da data da hospedagem e a maioria permite a reserva sem qualquer tipo de pagamento antecipado. Ou seja, é preciso ler com atenção as regras do estabelecimento.
  • Hotel decidido, faço a reserva e como está tudo online não é preciso nem imprimir os comprovantes, mas é claro que tenho minha colinha com os nomes, endereços e números de reservas impressos no roteiro, just in case…   
  • ah, se você vai a parques nacionais, como Yosemite, Grand Canyon, comece a pesquisa e faça a reserva com 5 ou 6 meses de antecedência caso queira se hospedar dentro ou próximo dos limites do parque. Eu comecei 3 meses antes e minhas opções já estavam bem reduzidas e com isso meu roteiro ficou amarrado, pois escolhi a data par air a Yosemite tendo em vista a disponibilidade de vagas de quarto.

Falarei sobre cada hotel quando escrever sobre as cidades, dando o roteiro completo e dicas de passeios.

Aluguel de Carro Conversível na Califórnia
Vou falar sobre o aluguel em post próprio “Dirigindo na Califórnia”, que também terá dicas de estradas, pedágio, sinalização. Mas a primeira sugestão é: rodar pela HW-1, na altura de Big Sur, em um conversível é como alugar uma lambreta na Toscana ou uma bike em Amsterdam. Mas aí tem o problema das malas, que não cabem no bagageiro minúsculo de carros conversíveis, então preferir fazer Big Sur como bate volta de Monterey em vez de ser como caminho a Los Angeles. Reservei na Alamo um Mustang por 12 horas, deixando o outro carro na garagem. Importante é poder cancelar a reserva com 24h de antecedência sem custo, para o caso o tempo fechar ou estar frio demais para um carro sem teto. A região de Big Sur costuma ter temperaturas mais baixas do que em San Diego e Los Angeles. 

O Ford Mustang é um dos conversíveis mais populares para se alugar
O Ford Mustang é um dos conversíveis mais populares para se alugar


Assistência e Seguro Viagem
Este é sempre o último item do planejamento, mas nunca viajo sem. Seja do meu cartão de crédito, seja contratando um. Faça sua cotação na Mondial Assistance, seguradora com que o blog tem parceira e oferece descontos!

Não deixe de curtir a página do FB e o Instagram porque eu vou postar por lá as primeiras impressões.

E você, já voltou a um lugar somente depois de tantos anos? Deixe aí nos comentários!

Na página-índice da Califórnia você encontra os demais posts desta viagem.

 

2 comentários sobre “Roteiro de 14 dias na Califórnia e planejamento da viagem

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s