Um Dia em Siena – Roteiro

Pombas de Siena: como chegaram ali? Do que se alimentam? Por que cagam em nossas cabeças? Pertencem a que contrada? Hoje, no Mulher Casada Viaja, dicas e roteiro de Siena.

Plim-plim

A catedral de Siena

 

Nem Sérgio Chapelin, nem Glória Maria. Fui eu que caminhando na Piazza del Campo levei cocô de pomba na cabeça, o que segundo a lenda toscana traz sorte. Acho que deu, porque voltei a Siena dois anos depois. Não vou ficar falando de supertições, mas dar dicas: se precisar se livrar da meleca enfezada (venha ela de baixo ou de cima), tem um banheiro público a poucos metros da Piazza, na Via di Beccheria. Não me lembro ao certo, mas acho que custa € 1 para usá-lo. Pronto, você já tem a primeira dica de Siena. Depois dos comerciais Nos próximos parágrafos, o roteiro de Siena.

Tenho certeza que todo mundo suspira quando fala ou ouve falar de Florença, mas sua rival centenária Siena merece mais do que um bate volta. Ambas tombadas pela UNESCO, Siena ganha pontos porque não foi bombardeada durante a segunda guerra, então caminhar por suas ruelas estreitas é uma experiência autêntica. Mantém os muros e portões medievais e, se perde em Arte, ganha pela festa mais famosa da Toscana: o Palio de Siena.

Siena, ou originalmente Senio, já nasceu estrelada: foi fundada por Senius, filho de Remo que fugiu para lá do tio Rômulo, que pretendia assassiná-lo como havia feito com seu pai Remo. Com isso você entenderá porque em Siena há estátuas dos dois irmãos alimentados pela loba que fundaram Roma.

La Lupa

Eu cheguei no final de uma manhã junina a Siena, de trem a partir de Milão, com troca de trens em Florença. E aí vai outra dica: não pense que dá pra pegar o próximo trem num intervalo de 10 minutos. Eu arrisquei e perdi o meu, tendo que comprar novo bilhete e esperar mais uns 60 minutos na movimentada e carente de cuidados estação Santa Maria Novella. Os trens são pontuais, mas as plataformas são longas e muitas e a movimentação de pessoas também acaba retardando o deslocamento entre plataformas.

Os trens regionais não têm nenhum glamour

Já na estação de Siena, nos dirigimos ao elevador da plataforma e encontramos um casal que estava com dificuldades para usá-lo. O fato é que ele emitia um alarme contínuo e alto, similar a uma sirene, então pensamos que havia algo errado do tipo: vai explodir, corra! Mas era o jeito italiano de ser do elevador, coitado… 😁 Mas atenção: é preciso não apenas apertar o botão para chamá-lo, como em qualquer outro elevador, mas manter o botão pressionado até que o elevador chegue à plataforma. Enquanto ele se movimenta, aguente o alarme…

Na estação tomamos um taxi e puxei conversa em Inglês durante o trajeto de 10 minutos até o centro histórico. Quando eu perguntei ao motorista se as contradas eram algo parecido com o futebol em termos de rivalidade, ele quase me jogou pra fora em uma das ruelas de Siena e até hoje não sei se eu dei o maior fora ou se foi mesmo problema de comunicação. Apesar disso, ele nos deixou direitinho em frente à porta do B&B onde ficaríamos para a noite. A funcionária do B&B foi mais simpática, talvez porque tivesse um Inglês melhor: respondeu a todas minhas perguntas com paciência, mas deixou escapar a histórica rivalidade quando disse com uma dorzinha de cotovelo que Siena não atrai tantos turistas quanto Florença porque não quer ficar entupida de ônibus de excursões, mantendo um limite diário de visitantes.

O B&B Al Mercato não podia ter numa localização melhor e nosso quarto tinha um balcão para a Piazza Mercato, uma praça bem mais tranquila do que a del Campo e mesmo com dois restaurantes bem abaixo, o barulho não incomodou o sono de duas turistas cansadas. Quarto espaçoso, banheiro moderno e café da manhã delicioso, também com vista!

Eu e minha colega de viagem em nosso primeiro café da manhã sob o sol da Toscana

Não deixe de ler o post Quanto Custa uma Viagem à Toscana. Acesse a página índice da Itália para ler tudo o que já publiquei (e publicarei) sobre o país da bota.

Na varanda do quarto do B&B

Para reservar seu hotel ou B&B em Siena, visite o site Booking.com,  o qual eu uso nas minhas viagens. Baixando o aplicativo no seu smartphone, você acessa rapidamente as reservas e deixa a papelada de lado. Reservando através do link acima, você não paga nada a mais e contribui para a manutenção do blog, como uma forma de troca pelas dicas que recebeu. Um gesto simpático e que precisamos praticar cada vez mais: a permuta de serviços!

A piazza del Mercato e ao fundo a Torre del Mangia e o Loggia do Palazzo Pubblico. Em primeiro plano, o Tartarugone
As flores do cesto são artificiais, mas os copos de leite são naturais. Eu conferi!

Começamos com um almoço no restaurante La Finestra, na Piazza del Mercato, que se situa bem atrás do Palazzo Pubblico, com vista para a Torre del Mangia em uma extremidade e para um vale verde, o Orto de’Pecci, uma espécie de fazendinha. Edifícios medievais, janelas com floreiras e varais completam a paisagem e no centro da praça fica o Tartarugone, onde acontecia o comércio de alimentos e produtos que nomeou a praça. Desde 1954, a única feira que acontece ali é a de antiguidades, sempre no terceiro domingo de cada mês.

tirando onda na Piazza del Mercato
Em plena praça pública! O engraçado é que quando fui em 2013, também havia roupas na porta desta casa – só o varal de piso era mais velho – ahaha
A Piazza del Mercato quando era um mercado

Pensa que corremos para as atrações populares? Nada disso! Pegamos uma rua em aclive saindo da Piazza del Mercato e fizemos o que mais gosto quando viajo: ver onde as pessoas moram.

Passamos pela Piazza del Campo, mas não entramos no Palazzo Pubblico e nem posamos para foto em frente à fonte Gaia – seguindo direto para o marcante Duomo. Comprei o ingresso na hora, um passe com validade de 3 dias que incluía a catedral, sua incrível Libreria Piccolomini, o batistério, o museu, a cripta e o Panorama del Facciatone, um mirante que indico para quem não quer subir os 300 degraus da Torre del Mangia.

Piazza del Campo, onde acontece o Palio de Siena
Palazzo Pubblico na Piazza del Campo, mais tarde

Siena viveu um período de prosperidade antes de ter 2/3 de sua população dizimada pela Praga no século 14 e a construção de sua catedral comprova isso. Os planos de expansão eram ambiciosos: o Duomo di Siena seria o maior templo cristão do mundo, mas além da Praga as guerras minaram a economia, deixando como testemunha desse tempo a fachada da nave leste, onde se localiza o Museo dell’Opera del Duomo – e um dos melhores mirantes da cidade, porque você avista a Torre del Mangia, o que não acontece se você estiver nela, claro.

O estreito mirante
O Panorama del Facciatone

Eu fui bem no finalzinho da tarde, então as filas já estavam menores, mas é um exercício de paciência, pois cabem poucas pessoas no mirante e temos que esperar cada grupo descer – e já viu, né, quantas fotos o povo faz!

A sala de espera para chegar ao mirante

Então entrei na catedral e wow! As colunas internas e paredes laterais da catedral seguem o estilo da época, mesclando pedras brancas e negras, mas o que mais me impressionou foi o piso, que sabiamente foi isolado para evitar danos.

A catedral vista do mirante e as colinas toscanas
Pode não ser a mais bela das belas, mas deve estar entre elas
o Duomo de Siena à noitinha
o piso impressiona, hein?

A Libreria Piccolomini, é pequena e abriga livros do coral, uma coleção fantástica que acaba ofuscada pelos afrescos. Não é para menos…

Um pequeno museu exibe trajes, pinturas e esculturas religiosos, mas o destaque fica para o vitral de 6 metros feito no século 13 por Duccio di Buoninsegna, que originalmente ornamentava o Duomo:

Para terminar nossa visita ao complexo do Duomo, descemos a escadaria lateral para acessar a Piazza San Giovanni,onde fica a entrada para o Batistério. Nele você encontra baixo-relevos de Donatello, Ghiberti, Jacopo della Quercia e outros escultores do século 15.

Fachada do Batistério. À esquerda está a escadaria e o acesso ao pátio do Duomo
a pia batismal

Não tivemos tempo para conhecer a cripta, mas a Analuiza do blog Espiando pelo Mundo fez um post lindo sobre sua visita, passe lá pra conferir que tenho certeza que você vai querer incluir a cripta no pacote.

Ainda havia luz (era junho, final de primavera) quando deixamos o Duomo e decidimos caminhar para o lado da Fortezza Medicea e seu jardim, onde moradores corriam e caminhavam para se exercitar. A vista de lá também muito legal – e é grátis!

Além do Duomo, da Basílica San Domenico e da Torre del Mangia, também avistamos o estádio Artemio Franchi – não confundir com o homônimo de Florença, casa do Fiorentina.

Adoro os carrinhos do pós-guerra

Jantamos na Piazza del Campo e fomos cedo para a cama, pois rodaríamos dois dias pela Toscana rural antes de retornar para mais uma noite em Siena, quando só tive tempo para umas fotinhos noturnas da Piazza del Campo e do Duomo. O céu azul marinho em contraste com o amarelo das luzes da praça valeram o preço salgadinho! A Piazza del Campo tem uma vibe legal, com turistas sentados ou deitados no chão, seja dia ou noite. Só é preciso desviar dos cocos! 😂

Para aquela noite, depois de conhecer os tesouros da Toscana rural e as cidades muradas no alto das colinas, nos hospedamos em outro B&B, o Casacenti, também com ótima localização e a decoração é bem legal. O quarto tem aquela vista toscana, com ciprestes e igrejas, vistas até do banheiro:

Siena é uma boa opção para montar base para visitar as cidades toscanas, principalmente para bate-voltas, pois as distâncias são menores se compararmos com Florença. Florença é linda, sou apaixonada por ela, mas as multidões me dão comichões, enquanto Siena é bem mais tranquila.

O crème de la crème da Toscana fica na Província de Siena: Montepulciano, Pienza, Chianti, San Gimignano, Montalcino e San Quirino d Orcia

Veja na página-índice da Itália mais dicas sobre a Toscana.

Vista da janela na manhã em que tomaríamos o trem para Veneza

 

 

Anúncios

30 comentários sobre “Um Dia em Siena – Roteiro

  1. Fabia Fuzeti 3 de junho de 2017 / 10:34

    Belo post completo e bem ilustrado com fotografias lindas. Parece até que estive lá. Morri de rir com o começo do texto e a história das pombas. kkkkk Eles sao bem espertos de não quererem uma avalanche de turistas deixando a cidade inviável.

    Curtir

  2. Paula Oliveira Abud 3 de junho de 2017 / 11:25

    Nossa, Márcia, que fotos lindas! Sou apaixonada pela Itália – mesmo sem conhecer – fico encantada com essas ruelas, essa arquitetura, um dos meus maiores sonhos é visitar um dia.
    Adorei as dicas, seu post está incrível!!

    Curtir

  3. viagenseviagenseviagens 3 de junho de 2017 / 12:06

    Que post delicioso de ler!!! Me fez lembrar da minha visita à essa linda cidade… Assumi que fiquei emocionada ao me sentar na Piazza del Campo… Parabéns!!!

    Curtir

  4. Marianne Rangel 3 de junho de 2017 / 13:44

    Que graça essa cidade! Fiquei encantada com as fotos. Amei a decoração do restaurante La Finestra! Adorei também a dica dos pombos! Ô bicho nojento! Levei uma cagada dessas mês passado em paris, que parecia mais ter saído de uma vaca voadora!

    Curtir

  5. Keul Fortes Ana Raquel 3 de junho de 2017 / 15:36

    Que fotos lindas! Siena é realmente deslumbrante. Sou apaixonada pela Itália e pretendo conhecer ainda esse ano! Gostaria de ter um mês só para curtir aquele país. Rs

    Curtir

  6. Gabriela Torrezani 4 de junho de 2017 / 6:37

    Que belíssima cidade! Estou doida pra finalmente conhecer a Toscana… e morri de rir com a indagação sobre as pombas! hahahaha

    Curtido por 1 pessoa

  7. Analuiza (Espiando Pelo Mundo) 4 de junho de 2017 / 10:38

    oi… Siena está entre minhas cidades favoritas no mundo! Eu fiquei completamente apaixonada por ela. Infelizmente fiz mesmo bate – volta de Florença, onde fiquei 15 dias, mergulhada naquela cidade mágica. Se um dia voltar à Toscana, certeza que passarei ao menor uma noite em Siena.

    Engraçado que tanto Florença, quanto Siena, as encontrei vazias. Quero dizer, Siena estava vazia mesmo! No topo do Museo, assim como em seu interior, por exemplo durante bom tempo só estávamos Léo e eu. Um casal apareceu, mas nem demorou.

    Em Florença havia mais gente claro, mas nada que comprometesse minhas andanças pela cidade, encontrando ruas inclusive, vazias, só para mim. Já em Roma, quase morro sufocada com tanta gente. rsrsrsrs

    bj e parabéns pelo lindo, completo e informativo texto! 🙂

    Curtir

  8. Ana 4 de junho de 2017 / 13:20

    Adorei o post e todas as sugestões! Ainda não conheço mas sei que hei de conhecer, adoro Itália e quero conhecê-la de uma ponta à outra! Adorei as fotografias e ver a arquitectura tão tradicional, tão inconfundível!

    Curtir

  9. Juliana Moreti (turistando.in) 4 de junho de 2017 / 18:00

    Que delicia visitar Siena com você! Adorei tua foto ao lado da 500!
    😉
    Curiosamente, dia 9 deste mês fará 9 anos que estive em Siena. Foi a minha abertura para comemorações de meus 30 anos!
    😉
    Infelizmente, apesar de não ter feito bate e volta na cidade, não posso dizer que eu a conheço… choveu bastante e muita coisa estava em restauro (não entrei no Duomo… minha maior tristeza)! E Siena està na minha lista de retorno!

    Apenas alguns detalhes: Nao sei que tipo de trem você pegou (me pareceu o regionale), mas o bilhete (pelo menos em 2008) valia por 6 horas apòs timbrar! Isto é: vc não precisava ter comprado outro bilhete! Precisava apenas aguardar o pròximo!
    Eu visitei diversas cidades assim!
    😉

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja 4 de junho de 2017 / 22:38

      Oi, Juli, ah, chuva altera a experiência, com certeza. E esses restauros são inevitáveis, ambos atrapalham.
      Quanto ao trem, o regionalle foi para o trecho Florença-Siena. O que perdi foi Florença-Veneza. Mas é uma dica boa, obrigada! Bjs

      Curtido por 1 pessoa

      • Juliana Moreti (turistando.in) 4 de junho de 2017 / 23:26

        Ah Marcia…. e como atrapalham!!!!
        😦
        Fui para Siena partindo de Genova. Tinha uma troca na estação Pisa Centrale e, ao invés de correr para pegar o trem para Siena, fui caminhar um pouco até a Piazza dei Miracoli!
        hehehehehehe
        Vantagens de comprar passagens nos trens baratos!
        😉
        beijinhos

        Curtido por 1 pessoa

  10. Viajante Móvel 4 de junho de 2017 / 21:37

    Quando fomos ficamos apenas um dia e com certeza ficou aquele gostinho de quero mais. Queremos muito voltar um dia.

    Curtido por 1 pessoa

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja 6 de junho de 2017 / 9:37

      Pois é! Meu marido, que não foi nesta viagem, mas esteve comigo em Siena da primeira vez, só de passagem, ficou maravilhado com as fotos. Pelo jeito vou ter que voltar mais uma vez! ahaha

      Curtir

  11. Katarina Holanda 5 de junho de 2017 / 14:51

    Você me deixa a cada post mais apaixonada e com vontade de conhecer a Itália. Que clima delícia esse do café da manhã de vocês. ❤

    Curtir

  12. Ju Garzon 5 de junho de 2017 / 15:31

    Concordo com a Kat, seus posts só me deixam com mais vontade de conhecer a Itália! hahaha Sempre falo para quem vem para a Europa pela primeira vez para não deixar de sempre olhar para o teto. Siena não é diferente. Cada coisa mais linda e cheia de detalhes!!!

    Curtir

  13. quartodeviagem 5 de junho de 2017 / 17:13

    Ri muito da introdução haha, muito criativo!
    Meu sonho conhecer a Toscana Marcia, e pelas fotos é tudo muito lindo!

    Curtido por 1 pessoa

  14. Vickawaii 6 de junho de 2017 / 8:53

    Vou viajar para a Itália final do ano (vou sim! Tenho que acreditar nisso!!! HIUheiuehui) e fico com peninha de cada cidade “indicada” nos posts que leio e que não vou poder incluir nessa viagem :/ A Itália é meu país preferido do mundo inteiro e eu queria conhecer tuuuuudo! Siena não tá no meu roteiro de AGORA, mas um dia ainda preciso conhecer

    Curtir

    • Marcia, blogueira do Mulher Casada Viaja 6 de junho de 2017 / 9:31

      Vicky, é assim mesmo: na primeira vez fica um monte de coisas de fora do roteiro ou a gente passa pela cidade correndo e não a conhece. Por isso voltei a Siena e agora estou satisfeita! Mas eu precisaria de ao menos umas 3 viagens mais à Itália!

      Curtir

  15. Deisy Rodrigues 6 de junho de 2017 / 15:53

    Ah que post lindo, vontade de marcar viagem pra Itália amanhã e as fotos ficaram ótimas.

    Curtir

  16. Alessandra 6 de junho de 2017 / 18:38

    Que lugar espetacular, quando estive na Itália fui até pertinho daí, mas não tive a oportunidade de conhecer. A Itália é repleta de lugares maravilhosos. Parabéns pelo blog.

    Curtir

  17. angiesantanna 6 de junho de 2017 / 20:35

    siena não estava no meu roteiro até ler este post, que cidade gracinha! adorei a intro dos pombos e plim plim haueha tem gente q diz que dá sorte, mas né…acho q não aheuahe adorei a foto na vespa!

    Curtido por 1 pessoa

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s