Estrasburgo: Museu de Artes Decorativas no Palácio Rohan

Estrasburgo é tão lindinha que eu só queria bater pernas por suas ruas, atravessar pontes sobre canais e observar a rica arquitetura produzida ao longo dos séculos, mas a chuva do final de tarde me convenceu a entrar no Palácio Rohan e escolhemos visitar o Museu de Artes Decorativas instalado no térreo. Que bom pra mim que conheci um pouco mais da historia de Estrasburgo e pra você, porque agora dou detalhes desta visita e você decide se vai espontaneamente ou estimulado por uma eventual chuva. Estrasburgo Palácio Rohan

Continuar lendo

Anúncios

Igreja Sainte Chapelle, a pérola de Paris

Sainte-Chapelle-Paris-inngresso

Capelas de castelos e palácios são sempre low profile mas muitas vezes guardam riquezas, tal qual uma concha guarda belas e delicadas pérolas. Assim é Sainte Chapelle (leia sant-shah-pel), a capela sagrada de Paris localizada no complexo do atual Palácio de Justiça na Ille de la Cité, a mesma ilha onde fica a Catedral de Paris, Notre Dame, onde a cidade começou. E é sobre esta pérola que escolhi falar nesta Blogagem Coletiva do 8on8, quando todo dia 8 publicamos 8 imagens sobre um assunto escolhido entre as blogueiras do grupo. Apesar de a ideia do projeto é que sejam posts fotográficos, não consigo me conter e acabo escrevendo um pouquinho, afinal, tenho certeza que os leitores esperam por um pouco de informação, também. Continuar lendo

Ribeauville e Riquewihr: Alsácia romântica regada a vinho

Alsácia é uma região no sudeste da França caracterizada por vilas medievais encantadoras e produtoras de vinho, resumindo muito, então veja o post completo onde te apresento duas cidadezinhas ao Sul de Estrasburgo: Ribeauville e Riquewihr.

Riquewihr o que fazer Continuar lendo

Onde Ficar em Estrasburgo e Preço de Hotéis

Este post é parte de uma série sobre a Alsácia, e traz sugestões de hotéis em Estrasburgo em três faixas de preços e apresenta dicas de como encontrar um bom hotel.

Estrasburgo hotéis e preços
As Pontes Cobertas de Estrasburgo

Continuar lendo

França: Dicas e Roteiro de 3 dias na Alsácia e sua Rota do Vinho

A França tem muitas regiões lindas e a Alsácia passou a ser uma de minhas preferidas. Neste post você vai saber muito do que precisa para organizar sua viagem pela Rota do Vinho da Alsácia e conhecer nosso roteiro de 3 dias pela região, que pode ser incluído em férias pela França, Suíça ou Alemanha. Em publicações futuras, dedicarei um post a cada uma das cidades que visitamos, como Estrasburgo, Colmar, Ribeauvillè, Kaysersberg e Riquewihr, mas já vou adiantando: você vai querer ir também e eu terei cumprido um dos objetivos do blog: te inspirar!

Riquewihr, uma das pequenas que não pode faltar em sua viagem à Alsácia

Continuar lendo

Por onde andei em 2017

Chega aquela época do ano em que o Robertão é descongelado para aparecer na Globo, tua rinite ataca por causa do pó da árvore de Natal, a uva passa vira ingrediente obrigatório nos pratos, você dá um Google pra descobrir maneiras elegantes de recusar amigos secretos, come como se não houvesse amanhã. Sim, amigos, o Natal está perto, o ano está acabando. Então é Natal, e o que você fez? – gente, esqueci da Simone! Deixo aqui minhas turistagens de 2017, que podem servir de inspiração para uma viagem ou passeio seu. Resumi brevemente sobre cada uma das viagens, mas as palavras sublinhadas contêm links para os posts completos sobre os destinos/passeios.

Continuar lendo

Alemanha (Baviera), Áustria (Tirol) e França (Alsácia): planejamento e roteiro

Neste post você vai encontrar o roteiro e o planejamento da viagem de 14 dias a 3 países europeus: Alemanha, França e Áustria. Percorreremos as regiões da Baviera, onde ficam cidades de contos de fada na chamada Rota Romântica, e de Baden-Wurttemberg, cuja maior cidade é a capital automobilística alemã Stuttgart e onde fica a Floresta Negra, e alguns dos castelos mais lindos do país e talvez do mundo. Uma França à la chucrute nos espera na Alsácia, que é uma rota de vinhos e tem como cidades mais conhecidas as belas Colmar e Estrasburgo. Para fechar o roteiro e voltar a Munique, incluímos o castelo Neuschwanstein e o Linderhof, e uma bela esticada até Salzburgo e Hallstatt, na Áustria. É um roteiro estilo maratona, mas acredito que por serem cidades bem pequenas (nas menores, um roteiro a pé tem apenas 2 ou 3 quilômetros), conseguiremos cumprir com tranquilidade, principalmente porque não é alta temporada.

O Castelo Neuschwanstein visto da Marienbrucke

Continuar lendo

15 Bate-Voltas e Viagens a partir de Paris

Sempre rola esta pergunta nas redes sociais: “vou a Paris e queria dicas de outras cidades próximas”, por isso deixo uma ajudinha aqui no blog com cidades e lugares para conhecer a partir da capital da França. Além disso, saiba o que considerar para decidir se e quais bate-voltas vale a pena fazer tendo como base Paris – e a reflexão serve para qualquer outra cidade.

Paris bate voltas
Salve esta imagem no seu Pinterest para compartilhar com amigos e voltar aqui quando quiser

Antes de falar sobre as cidades para conhecer a partir de Paris, preciso te falar uma coisa. Se você acompanha o blog, sabe que sou a favor do planejamento regional, desconsiderando as fronteiras; vou exemplificar que ficará mais fácil para você entender.
Continuar lendo

Museu D’Orsay faz 30 anos. Sua historia como estação de trem e museu

Museus de Paris

Difícil acreditar que já passou pela cabeça dos franceses demolir a estação ferroviária que hoje é a linda casa do Museu D’Orsay. Um projeto de hotel chegou a ser apresentado nos anos 1970, mas o bom senso prevaleceu (infelizmente não aconteceu o mesmo com a Torre de Monte Parnasse, que destoa não apenas na arquitetura, mas principalmente na altura) e o edifício de linhas retas e modernas não saiu do papel. Em vez disso, decidiu-se restaurar a estação e adaptá-la a um museu para receber pinturas e esculturas do período artisticamente fértil de 1848 a 1914.

estação de trem Orsay Paris

A História do d’Orsay
Assim como a Torre Eiffel, construída em 1889 para a Exposição Universal, a estação de trem também foi construída para receber visitantes da Exposição de 1900 provenientes das linhas a sudoeste de Paris. O projeto ficou sob responsabilidade do arquiteto Victor Laloux. Se você já viajou de trem, deve ter reparado que as estações são cobertas, mas têm aberturas para que a fumaça das então locomotivas a vapor fosse expelida. Com a modernização dos trens e o fim dessas locomotivas foi possível conceber uma estação de teto envidraçado, sem aberturas, e com detalhes decorativos como as rosáceas do teto, que hoje servem como saída de ar condicionado. Além da estação, projetou-se um hotel de luxo cujo restaurante ainda pode ser visitado.

Museu impressionista Paris
Sala que pertencia ao Hotel anexo à estação ainda pode ser visitada

O século XX foi de rápidos avanços tecnológicos e a estação logo se tornou obsoleta, pois os trens estavam cada vez mais longos, e as plataformas da Estação Orsay curtas demais para recebê-los, servindo apenas para trens provenientes do interior, apenas 39 anos depois de sua inauguração.

A estação acabou tendo outros usos, como centro de recolhimento de prisioneiros e deportados após o final da Segunda Guerra Mundial.  espaço para tenda de circo e até estacionamento de veículos.

No início dos anos 70 tornou-se Monumento Histórico, ou seja, protegido, e seu uso passou a ser mais cultural, abrigando a tenda de circo da companhia de teatro Renaud/Barrault. Em 1978 é organizado o concurso de arquitetura e em 1986 o Presidente da República, François Mitterrand inaugura o Museu D’Orsay.

Entre 2009 e 2011, o Orsay passa por nova modernização envolvendo a cor das paredes, a distribuição e organização das obras e a iluminação. Em 2011, o Brasil é representado pelos irmãos Campana, que tiveram o privilégio de decorar o café do Museu. Eu ainda não conheci o novo café, mas pela foto ficou lindo, embora o relógio pareça ter perdido o destaque, que na minha opinião era o charme do café. Em 2013 as salas do térreo é que passaram por uma repaginada.

Café irmãos Campana
O café-de-lhorloge inaugurado em 2011

 

O café em 2009
O café em 2009, quando visitei

Hoje o D’Orsay recebe milhões de visitantes de todo o mundo. Nem que não fosse um museu, a beleza de sua arquitetura já valeria uma visita. Ah, esqueci de dizer que embora a estrutura seja toda em metal, as fachadas recebem pedras para não destoar da arquitetura dos vizinhos, como o Louvre, do outro lado do rio Sena.

20150508-IMG_0476
Vazio assim, só mesmo em feriado nacional

Museu D'Orsey
Agora te desafio a procurar nos relógios do Orsay algo diferente, que eu só notei quando carreguei as fotos para este post! dica: está nos algarismos romanos.

Museu D'Orsay

Sei que todo mundo que vai a Paris pela primeira vez e escolhe apenas um museu para visitar acaba elegendo o Louvre e isso é compreensível. Eu fiz questão de conhecer também o d’Orsay e ainda gosto mais dele do que dos outros museus que visitei em Paris e tenho certeza que sua arquitetura tem muito a ver com isso.

 

 

Paris: Guia Prático de Viagem com ideias de bate-voltas

mapa de Paris

“Nós sempre teremos Paris”. Que bom, Hunfrey Bogart! Paris perdeu para Londres o posto de cidade mais visitada do mundo, mas continua a encantar. E cada visita à cidade-luz exige uma nova pesquisa e rende novas descobertas: “Nossa, esta escultura esteve aqui o tempo todo… eu nunca tinha reparado!”. Pobre escultura, ou seja lá o que tiver passado despercebido em sua primeira visita a Paris, afinal não é fácil ser coadjuvante numa cidade com tanta suntuosidade como ela. Quando os monumentos principais emitem menor atração sobre o viajante não-estreante, é hora de voltar-se para outras descobertas!…

…  isso foi o que pensei, mas ao chegar lá não resisti e refiz o roteiro básico pela terceira vez: subir na Torre, navegar pelo Sena, visitar o Louvre…

Mas no planejamento descobri sites que mapeiam de banheiros públicos e wi-fi gratuito a cafezinho por um euro, por exemplo. Tem dicas novas de aluguel de carro em Paris e organizei neste post um guia prático para você começar a planejar SUA VIAGEM à capital francesa. Paris guia

Localização
Paris é a capital da França e fica na Região Ile de France (existem outras 25 no país).

MAPA-D~1

Visto
Não é necessário visto para entrar na França, mas aguente a “dedetização” no avião antes de sair de solo brasileiro. Caso seu voo não seja direto e tenha conexão em outro país da Comunidade Europeia, seu passaporte será carimbado nesse país.

Seguro Viagem
Para visitar os países europeus assinantes do Tratado de Schengen – e a França é um deles – é obrigatória a contratação de um seguro de viagem com cobertura mínima de trinta mil euros. O blog também te ajuda com o seguro viagem, que cobre desde problemas de saúde a extravio de bagagem. Temos parceria com a Mondial Assistance, que oferece 15% de desconto para os leitores do Mulher Casada Viaja. É só clicar aqui e fazer seu orçamento para uma viagem tranquila e segura. O código para fazer valer o desconto é atualizado nesta página do blog.

Língua
Francês, mas nas regiões turísticas o Inglês é bem compreendido. Vale a velha dica de soltar um bom jour antes de falar Inglês e sempre agradecer com um mercy. Um sorriso no rosto sempre abre portas.

Hospedagem
Quanto mais central a localização, mais caro será o hotel, mas vale a pena o esforço bancário e ficar em um dos bairros (do número 1 ao 10) onde estão as principais atrações e a partir de onde você pode caminhar. Atenção se for de pacote: verifique se sua agência escolheu um hotel nos subúrbios, onde você não terá o clima de Paris e ainda precisará fazer viagens, perdendo tempo. Um casal de amigos visitou Paris pela segunda vez, ficando em um hotel fora do centro histórico. Disseram que se tivesse sido a primeira vez teriam odiado Paris. Taí a importância da localização.

Pesquise seu hotel pelo site Booking.com, o mesmo que utilizo para fazer as minhas viagens. Leia as avaliações de hóspedes, veja as fotos do quarto e do hotel, a localização e faça sua reserva clicando aqui.

Difícil sugerir em que região ficar sem impor nosso gosto pessoal (eu adoro o Quartier Latin!), mas você pode escolher de acordo com suas preferências: gosta de luxo e elegância?  Fique perto da Champs Elysees. Prefere estar perto dos estudantes?  Fique ao redor do Jardim de Luxemburgo e da Sorbone, no Quartier Latin. Quer badalar?  Marais. Interesses gastronômicos?  Madeleine e Opera.
Paris bairros
Permanência
Se for a primeira vez, ao menos 5 dias, 6 noites, pois assim consegue fazer bate-volta a Versailles ou a Giverny (link no final deste post). Se tiver apenas 2 dias, é melhor do que não ir, claro – e não dê bola para os comentários: “Ah, mas você não foi à…”. Eu não fiz mochilão para conhecer 30 países de uma só vez e nem por isso deixo de ser feliz com as viagens que realizo.

Chegando a Paris
A partir do Aeroporto CdG, você pode tomar um taxi no ponto “oficial” (o valor não é tabelado e em minha última viagem paguei 60 e houve cobrança de 5 pelas malas, prática comum na Europa. O valor médio até onde estaria hospedada, segundo me informaram no aeroporto é de €50, mas o site que calcula a tarifa havia informado €70, então ficamos na média!

Eu ainda não tomei trem a partir do aeroporto para chegar ao centro de Paris, só a partir de terminais de trem, e mesmo assim achei bem confuso. É muita gente circulando e você precisa arrastar as malas, procurar por sinalização, etc. Acho que é uma economia que não compensa o estresse. Volto a frisar que muitas estações de Paris não têm escadas rolantes e arrastar malas degraus acima pode não ser a maneira mais deslumbrante de chegar a Paris. O website oficial do Aeroporto Charles de Gaule pode ser útil para localizar terminais e outros serviços que você pode precisar por lá.

20150509-20150509_102225_HDR
O Sena, a ponte Neuf, O antigo Palácio Real. Só faz um mês e já estou com saudades…

Guarda volumes no CdG
O guarda-volumes no aeroporto internacional CDG fica no Nível 4 da gare TGV-RER (em frente ao hotel Sheraton). Clique aqui para mais informações.

Como Circular por Lá 
🗼 Circule, vá em linha reta, perca-se pelas ruas sem “atração turística”.  Seus pés serão seu grande meio de transporte. Leia a dica sobre aplicativo mais adiante.

🗼 Mas o metrô está sempre por perto quando suas pernas pedirem arrego! Dica de aplicativo, leia.

metro

🗼 Taxi: Se quiser saber o valor médio de uma corrida, veja este website que calcula quanto você deverá pagar. Usei taxi em 2015 para ir da Torre Eiffel até o Boulevard S. Michel e foram 20.

🗼Ônibus: usei ônibus poucas vezes. O bilhete t+ vale para ônibus metrô e trens RER e custava em maio/15 €1,80 e o múltiplo de 10 viagens €14,10. Um painel eletrônico no ônibus marca quantos minutos faltam até o ponto final e uma gravação anuncia qual a próxima parada. Basta validar o cartão. Se for usar dinheiro, pague diretamente ao motorista, que te entregará um tíquete para ser validado.

🗼 Nós já alugamos carro para sair de Paris em direção ao interior (clique aqui para ler dicas de combustível e pedágio), mas nunca para circular por lá: não há necessidade, é ruim de estacionar, o trânsito é pesado. Mas se você quiser tirar um barato e dirigir pela Champs Ellysse, Paris tem um serviço de aluguel por hora, olha que legal! É o Autolib e é possível se inscrever pelo site deles ou numa loja física. Aí é só ir a uma estação e retirar um carro, como se faz com bikes, não é demais? Mas o uso é restrito a Paris, você não pode deixar a cidade com o carrinho elétrico.

O Carrinho Elétrico de aluguel
O Carrinho Elétrico de aluguel

🗼 Os ônibus de dois andares que estão presentes em muitas cidades turísticas, com a possibilidade de subir e descer nos principais pontos turísticos pagando-se apenas uma taxa por um período de 24 ou 48 horas também é uma boa opção para se locomover.

hop_on_hop_off_bus_paris

🗼 Os barcos sobre o Sena também não são apenas turísticos, mas podem ser uma outra forma de se locomover, já que as principais atrações de Paris estão no entorno do rio.

Dinheiro
Euro. Leia dicas em Trocando em miúdos ou seja, fazendo o câmbio.

euro

Preços médios em euros, em abril/2014 e maio/2015
– Refeição para casal: a partir de 25
– Café da manhã para casal:  17 a 35
– Aluguel de Ferrari ou Lamborghini para guiar por 8 km: 89
– Entrada de Museus: de 13 a 15.  No primeiro Domingo de cada mês, alguns museus são gratuitos.  Ao contrário do que esperava, em minha segunda visita não havia filas gigantescas nos dois museus que visitamos no Domingo. Perdemos só 10 minutos na fila do Orangerie e entramos direto no Grand Palais.
– Moulin Rouge: 11,
– Hop on, Hop off bus: 29, para o período de 24 horas e 36, para 48 horas
– Hop on, Hop off bateau: 16
Day trip para Londres: 229
Day trip para Bruges, na Bélgica (leia sobre essa linda cidade medieval neste post): 214
– Paris Pass 6 dias: 219
– Paris Pass 4 dias: 182
– Paris Pass 2 dias: 122
– Tour com duração de 4 horas, de ônibus e de barco pelo Sena, além do ingresso sem filas para a Torre Eiffel: 62
– bilhete unitário do metrô: 1,80
– bilhete do metro para 10 viagens: 14,10

Leia relato de viagem a Paris em 2015, onde cito preços, mas não houve muitas alterações em relação a 2014.

D'Orsay vazio, só fechado mesmo
D’Orsay vazio, só fechado mesmo

Fuso Horário
São 4 horas de diferença (de Brasília), mas considere 5 durante o horário de verão Francês, que vai do último domingo de março ao último de outubro. Em nosso horário de verão, a diferença cai para 3 horas.

Reembolso de Taxas Pagas em Compras
Assista ao vídeo explicativo sobre o reembolso de 12% das taxas pagas em suas compras, do Conexão Paris.

Média de Temperatura e índice pluviométrico  paris tabela media clima temperatura

WiFi Gratuito
🗼 Aeroporto de Paris – Conexões gratuitas por um período de 30 minutos.
🗼 Na cidade, há vários pontos com conexão grátis à Internet, em parques, praças, ruas e pontos turísticos. Busque por “Paris Wi-Fi” e navegue por até 2 horas.

Banheiro público em Paris
Eu não tive a preocupação de descobrir onde encontrar banheiros públicos de Paris nas viagens anteriores, mas viajando com crianças ou idosos, essa informação é relevante. Os sanisettes são assim:

sanisette, o banheiro auto-limpante
sanisette, o banheiro autolimpante

Quem usou diz que é bem limpo, mas o mal cheiro permanece no ar. O truque é nunca entrar logo que o usuário anterior sair, não só por motivos óbvios de contaminação do ar, mas porque o banheiro produz uma autolavagem e, se você entrar, será esguichado!

Café a 1 euro
Ah, os cafés parisienses! Ah, o preço que um cafezinho pode custar! Ah, essa Internet! Misture os três elementos e você terá o site que mapeia cafés onde o café é vendido a um euro. Muito organizado, com busca de acordo com arrondissement.

Economize no café para gastar nos doces!
Economize no café para gastar nos doces!

Aplicativo gratuito
O  RATP tem mapa interativo da cidade, informações básicas das atrações turísticas, mapa do metrô. Algumas ferramentas funcionam off-line, outras apenas com conexão.

Outras dicas
🗼 Paris deve ser caminhada. Se você não aguentar andar 15 horas por dia, tire um hora para voltar a seu hotel e dormir. Sem medo nem culpa. Vai se sentir revigorada para aproveitar a noite, que na primavera e no verão só chega próximo das 22h. Mas se você preferir, use o metro que chega a todos os pontos turísticos. Guarde o bilhete durante o trajeto, pois é preciso apresentá-lo se solicitado sob pena de multa.

🗼 Use calçados confortáveis – e mais para velhos do que para novos. Calçados novos e viagem não combinam!

🗼 Comprar ingressos pela Internet poupa minutos preciosos em fila de bilheteria, mas se o dia estiver lindo, você não vai querer estar enfiado em um museu! Para algumas coisas, vale a pena decidir no dia anterior, de olho na previsão do tempo.

🗼 Esta eu sempre repito: o metrô de Paris é antigo e muitas estações têm vários lances de escada. Com malas é um transtorno. Sem malas, a energia poupada em vez de caminhar vai-se embora para subir os degraus. Use o metrô para distâncias mais longas e para curtinhas vá a pé.

Jardins de Luxemburgo
Jardins de Luxemburgo

O que Ver e Fazer em Paris
O blog tem dois posts de roteiros. Veja links mais abaixo.

De Paris a…
As opções de bate-e-volta e de esticadas a partir de Paris são muitas. Listei algumas:

🗼 Bate-e-voltas:

  • Euro Disney: a Diseylândia da França
  • Versalhes: Castelo e Jardins suntuosos. Um passeio pela história da França
  • Giverny: casa e jardins onde viveu o pintor impressionista Claude Monet
  • Provins: cidade medieval
  • Fontainebleau: outro castelo, mas menos luxuoso e estrelado que o Versalhes
20140602_125608
A casa de Monet, em Giverny

🗼 Destinos a partir de Paris a distâncias a serem percorridas de carro ou trem acima de 3 horas de viagem:

  • Vale do Loire
  • Estrasburgo
  • Monte St. Michel
Villandry, no Vale do Loire
Villandry, no Vale do Loire

🗼Vencendo distâncias de até 500 km, pegue um trem até…

  • Inglaterra: Londres, Cambridge, Bath, Oxford
  • Bélgica: Bruges, Bruxelas, Gante. Leia post sobre a viagem de trem de Paris a Bruges clicando aqui.
  • Holanda: Amsterdã, Roterdã
  • Alemanha: Frankfurt, Colonha,
  • Suíça: Genebra, Zurique
Paisagem borrada pelo TGV
Paisagem borrada pelo TGV


Posts Relacionados (clique sobre o título e vá!)

Paris: 1 é pouco; 2 é bom; 3 vezes é demais? Roteiro com preços – parte 1

Paris: 1 é pouco; 2 é bom; 3 vezes é demais? Roteiro com preços – parte final

Paris: Roteiro de 2 dias e meio

Paris. Sonhe comigo!

Paris-Londres de trem

Pela França de Carro: aluguel, pedágio, combustível

Na casa de Claude Monet em Giverny

Trem na França, Bélgica e Holanda: dicas

 
Posts a serem publicados em breve

A Ópera de Garnier, ou a Ópera de Paris

Dicas para visitar a Torre Eiffel

Uma visita à Catedral de Paris, a Notre Dame

Paris: uma visita ao Louvre

Paris: Jardins de Luxemburgo

Uma jóia em Paris: Sainte Chapelle