A Sinagoga Espanhola de Praga: beleza, informação e emoção

A cidade de Praga é farta em igrejas e templos religiosos e quando estivemos lá tive a chance de visitar a Sinagoga Espanhola, a mais nova da cidade e talvez uma das mais bonitas do mundo. Confira as dicas para a incluir em seu roteiro.

Continuar lendo

Anúncios

Oh, Praga, 3 dias sob chuva!

Praga o que fazer
O rio Moldava e parte do skyline da Cidade Antiga (Staré Mesto)

Last, but not least. Pelo contrário! Reservei a capital da República Tcheca como última parada de nossa viagem a Munique-Viena-Budapeste-Parga porque não queria que a beleza de Praga ofuscasse as cidades que visitamos antes e acho que a escolha foi certeira. O rio Moldava/Vltava  dividindo a cidade, as montanhas baixas coloridas pelo Outono, vida noturna agitada,  arquitetura maravilhosa. Sim, eu gostei muito de Praga, mas não me apaixonei. OK, eu sei, ‘como assim não se apaixonou?’, mas tenho minhas razões, embora quando se trata de paixão elas pouco façam sentido. Quem lê sobre minhas viagens sabe que eu tenho pouquíssimos perrengues, que quase tudo dá certo, como num conto de fadas – não sei se é porque planejo tudo direitinho ou porque tenho tido sorte -, mas não foi assim em Praga, infelizmente.

Chegamos a Praga de avião, vindos de Budapeste, pela Czech Airlines (leia post sobre os transportes escolhidos para deslocamento de uma cidade a outra). Entretida com as placas do aeroporto, tentando pronunciar a escrita e encontrar algum sentido, sem me ater à tradução em Inglês, voltei ao planeta Terra para atender ao pedido do meu marido que queria trocar dinheiro ali mesmo, embora eu soubesse que as taxas de câmbio em aeroportos são sempre desfavoráveis. A atendente demorava-se com o cliente e seríamos os próximos, não fosse um senhor italiano que pulou em nossa frente. Quando chegou  nossa vez eu lhe disse que ela não devia tê-lo atendido porque, afinal, ele havia furado a fila. Ela se desculpou e nos atendeu meio que constrangida. Ah, deixa pra lá, né? É cultural, o cara é italiano… e estamos em Praga, sorria, Marcia!

Praga dicas
A Most legií, ponte linda com vista das colinas, da Ponte Carlos e do Národní divadlo, o Teatro Nacional

Depois de nos informarmos sobre como chegar à cidade velha, decidimos que o ônibus não era uma boa porque parava na Praça da República, relativamente longe do hotel. De taxi não confiávamos porque eu havia lido historias sobre a “honestidade” dos taxistas. Decidimos usar o serviço de shuttle, transporte compartilhado de preço fechado, pago no final da viagem. Mas eu não sei porque me sentia insegura, como nunca me senti em nenhuma cidade europeia.

A viagem foi tranquila e chegamos ao hotel Charles Bridge, em Staré Mesto, a cidade antiga. A entrada fica numa praça com um poço antigo, e desativado claro, o que achei bastante simpático, mas a fachada exibia o nome do hotel somente em tcheco. Conferido o endereço, nos despedimos do motorista sem muita simpatia – de ambas as partes – e entramos no hotel.

o hall de entrada do hotel
o hall de entrada do hotel

A recepcionista, mal nos cumprimentou, começou a reclamar dos problemas que havia enfrentado naquele dia: hóspedes reclamando de portas que não trancavam, quartos trocados, entre outros, e apreensivos perguntamos se o nosso estava OK. Foi então que compreendi que aquele mimimi estava nos preparando para o que viria: ela disse que nosso quarto havia sido entregue a outro hóspede, por causa de um problema no sistema. Usei todos os argumentos: eu havia informado o horário que chegaria, o quarto estava pago e finalmente que eu havia reservado um quarto com vista para o rio e por isso eu tinha direito a esse quarto. Ela então entregou o ouro: disse que a gerência anuncia disponibilidade de quartos com vista para o rio em várias plataformas de reservas, mas o hotel dispõe de apenas cinco quartos com tal vista. A funcionária era tão despreparada que chegou a indicar um outro hotel em Praga, dizendo que ela havia trabalhado lá e que aquele era muito melhor (!). Sem negociação, fomos colocados num duplex com dois banheiros, sala e quarto, mas sem vista. O quarto era lindo, com cabeceira de cama pintada a mão, banheira e metais clássicos, mansardas cujas janelas e persianas têm abertura por controle remoto, piso e escada de madeira que conferia um conforto extra. Decidimos ficar naquele quarto mesmo, apesar de não ser certo. Fiz minha reclamação por escrito ao hotel, que nunca me respondeu. Avaliei no Booking.com, onde havia feito a reserva, e no TripAdvisor. Pode ter sido um dia ruim no hotel. Pode ter sido má fé anunciar quartos com vista para o rio e não tê-los em quantidade equivalente à demanda. Overbooking de hotel, essa eu nunca vi!

hotel em Praga

Mesmo sendo tarde da noite (para os padrões europeus), resolvemos ir até a Ponte Carlos, afinal estávamos a poucos metros dela. No caminho, a sensação e insegurança voltou, pois a boate Karlovy Lazne ali perto mantinha seguranças mal encarados que nos fitavam. Depois, já de volta a SP, li no Virtual Tourist avaliações negativas da frequência do lugar e da truculência dos seguranças. Mesmo assim entrei no espaço ao ar livre do Café Lávka, cujas mesas já estavam vazias, e tive a primeira vista da ponte Carlos, do castelo e do rio – que deveria ter tido da janela do quarto do hotel, certo? Alguns cliques depois, passamos rapidamente por uma galeria com lojinhas de suvenires e balcões de venda de água, salgadinhos e afins, onde também fica o Ice Bar. Chegamos à ponte, quase vazia, e tiramos algumas fotos cuja qualidade não é das melhores, pois a luz é bem escassa e eu não tinha tripé. Mas o clima de escurinho é legal e nos faz viajar no tempo, antes da eletricidade, levando a imaginar como era a vida na Praga de 1380 em diante, quando o portão de entrada da torre foi concluído. Voltamos ao hotel para uma merecida noite de sono. Nossas primeiras horas em Praga não foram as melhores, mas como diria Scarlet O’Hara, amanhã seria outro dia.

Praga dicas

Ponte Carlos Praga

Sim, seria outro dia – ou outros: três dias mais de chuvas. Já li por aí blogueiro dizendo que chuva não atrapalha viagem, que o importante é viajar, etc. etc. M-E-N-T-I-R-A! Chuva estraga, sim! Você tem que segurar o guarda chuva ao mesmo tempo que fotografa, não dá pra sentar em bancos de praça (eu improvisei com um saco plástico) e curtir os parques, fica com pés encharcados, é um tal de bate guarda chuva com guarda chuva de outros turistas, as fotos ficam com menos cores, não dá pra aproveitar as mesinhas do lado externo dos restaurantes… Hipocrisia, não, por favor! Chuva é um saco em viagem, sim!

passeios em Praga
Sentei sobre um saquinho de papel de recolher coco de cachorro, que estava ali na praça. Chove chuva, chove sem parar…

Oh, Praga, por que? por que? Eu que reservei os últimos dias para você, porque você é especial, linda, maravilhosa. Por que? Bom, pelo menos não ficamos doentes, não fomos roubados, não nos empurraram. Peraí, me empurraram, sim! A Luiza do blog 360 Meridianos tinha compartilhado a história da carne de porco mais cara da vida dela, que ela tinha comprado em Praga. Quando eu vi a famigerada barraquinha, tirei uma foto para mandar pra ela e dizer que tinha lembrado dela. Não é que o dono da barraca ficou bravo? Perguntou se eu achava que ele era macaco de circo. Hein????? Respirei fundo e mostrei para ele minha câmera enquanto apagava a foto, perguntando-lhe se ele estava feliz. Ele deu de ombros literalmente, me empurrou! OMG, eu não acreditei, que cara grosso! Oh, Praga, por que? por que?

Praga viagem

Não se pode julgar todo um povo por meia dúzia com quem trocamos poucas palavras. Também precisamos lembrar que humor – ou a falta dele – são traços da personalidade de um povo. Mas falo de minha experiência, com as pessoas com quem conversei, ou tentei. Achei o atendimento em restaurantes em geral muito ruim, principalmente nos hiper mega turísticos – e esta não foi a razão: sempre como em mega turísticos por causa da localização. A cidade abarrotada também contribuiu para que o encantamento fosse menor do que o esperado. A chuva atrapalhou, mas já peguei chuva em outras cidades como Londres e Amsterdam, e isso não me fez gostar menos delas. Se me perguntam “Você gostou de Praga”, certamente digo que sim. Praga encanta, mesmo sob chuva e com perrengues. Mas espero ter uma nova chance de visitá-la seca e sob o sol, de preferência, porque gostar é pouco. É preciso apaixonar-se!

Leia também 10 Coisas para Fazer de Graça em Praga, segundo o blog Apure Guria.

E não se esqueça: perrengues acontecem! Faça seu seguro viagem. O blog tem parceria com a Mondial Assistance, que oferece 15% de desconto aos leitores. Basta clicar sobre o logo da Mondial aqui no blog ou no link acima e inserir no campo próprio de cupom de desconto o código 2017AFL. A pequena comissão recebida ajuda a manter o blog no ar e a levar dicas para muita gente.

Ainda não consegui escrever sobre Praga e suas lindas atrações, mas a Angela do blog Apure Guria deixou uma lista de 10 atrações gratuitas por lá.

ponte-musicos-img_0244-2

Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião?

Infelizmente no Brasil não estamos habituados a viajar de trem ente cidades ou estados, mas na Europa esta é a melhor opção em muitos casos. Acabei de percorrer os trilhos entre Viena, Budapeste e Praga, e fiz um dos trechos, o mais longo, de avião, então compartilho com vocês como foi orientada essa escolha. Espero que ajude a planejar sua viagem a estas três cidades tão lindas e que nada deixam a desejar se comparadas a outras capitais mais visitadas por brasileiros. Em Budapeste eu falava baixinho, com medo de cometer uma heresia:
“esta cidade é tão bonita como Paris!” e isso rendeu até um post: Budapeste ou Paris, qual é a mais bonita?

Conforto e paisagem - e snacks, porque ninguém é de ferro!
Conforto e paisagem – e snacks, porque ninguém é de ferro!


Trem ou avião entre países da Europa?

Como toda escolha, esta também é pessoal, mas em geral o trem vale a pena em percursos com duração de 3 a 5 horas. Para viagens mais longas, o avião é boa opção pois faz o percurso em tempo bem menor. Há quem viaje em trens noturnos para economizar tempo e estadia em hotel, mas na minha opinião esta é uma opção para quando você tem 20 e poucos anos. Depois dos 40 uma noite mal dormida pesa e a disposição para explorar o destino no dia seguinte cai. Por isso não considerei esta opção. Num trem como este da foto abaixo, que tem cabines para seis pessoas, é possível se esticar nos três bancos e dormir na tão sonhada posição horizontal, contando com a sorte de não chegar o dono dos assentos vizinhos ou de não ser incomodado por um fiscal.

O interior do vagão da OBB, de Viena a Budapeste
O interior do vagão da OBB, de Viena a Budapeste

Para fazer a escolha entre trem ou avião, fiz um comparativo dos dois meios de transporte e considerei:

– o tempo gasto no deslocamento até a estação ou aeroporto e seu custo, seja de taxi, seja de transporte público. Em geral, as estações de trem europeias ficam dentro dos centros das cidades, enquanto aeroportos se localizam no mínimo a 15 quilômetros. Em muitas cidades europeias, tanto aeroportos como estações de trem têm fácil acesso por transporte público. A gente morre de inveja!!! Leia os guias sobre cada cidade publicados aqui no blog, onde sempre dou as opções de transporte aeroporto-cidade;
– o tempo gasto na viagem de cada meio de transporte;
– o custo da tarifa de cada modalidade.

Aéreo entre Brasil e Europa
Já começo dizendo que esse negócio de voltar ao ponto de partida está longe de ser o ideal. Chegar a Praga de avião, ir a Viena e a Budapeste de trem e tomar o voo de retorno ao Brasil em Budapeste, seguindo uma linha de Norte a Sul, ou o sentido oposto, seria perfeito. Mas como usei passagem premio de programa de milhagem, eu não tinha essa opção e fiz SP-Viena com conexão em Munique (que aproveitei para conhecer e escrever dois posts: Do Aeroporto ao Centro de Munique e Roteiro de Munique e Dicas para uma Conexão Longa) e no final da viagem Viena-Munique-SP.

Munique dicas
A bela Munique ainda com cara de primavera no início de outubro

Nossas malas foram despachadas diretamente a Viena, e a SP na volta, então não precisamos usar o guarda-volumes do super aeroporto de Munique. O carimbinho da imigração você recebe em Munique (ou na cidade europeia em que fizer conexão) e depois não há controle de passaporte para entrar nos demais países, já que todos fazem parte do Tratado de Schengen.

Não se esqueça que os países signatários desse tratado exigem a emissão de um seguro viagem. O Mulher Casada Viaja tem convênio com a Mondial Assistance e por isso oferece 15% de desconto aos leitores. A cada mês há um código promocional, que é atualizado na página Receita de Viagem. Clique sobre o logo da Mondial presente aqui no blog para ser direcionado à página deles. Você ganha um desconto e contribui para a manutenção do blog. Obrigada!

Viena-Budapeste de Trem
Para o trecho Viena-Budapeste, escolhi viajar de trem porque eram apenas 2h40 de viagem. A estação Keleti, em Budapeste, é a mais centralizada e rodamos apenas 3 estações de metrô para chegar ao hotel na vizinhança do Mercado Municipal. O custo também foi excelente, € 19 por pessoa na segunda classe, então só vi vantagens.

Leia o primeiro post sobre a capital da Hungria: Budapeste: guia para planejar sua viagem.

Para viajar de Budapeste a Praga, eu gastaria cerca de 7 horas dentro do trem ao custo aproximado de €93 a €124, no site RailEurope, dependendo da classe, então optei por gastar 1h20 no avião, a €105. Mesmo considerando os deslocamentos até o aeroporto achei que ainda sairia ganhando em tempo. A tarifa mais barata e de voo mais curto que encontrei foi da Czech Airlines. Antes de bater o martelo pesquisei em fóruns de viajantes e não havia nada preocupante a respeito dessa companhia que não faz voos par o Brasil. O voo foi tranquilo, embora o turbo-hélice seja barulhento.

Budapeste-Praga

Leia post que publicarei em breve Praga: guia para planejar sua viagem.

Finalmente, de Praga a Viena, outro trem, desta vez com duração de 4h10, por € 19 por pessoa. Comprei pela Internet (link no final deste post) e recebi por e-mail o eticket da fotinho abaixo:

Que língua de assutar!
A língua que assusta ainda mais do que a alta do Euro! Brincadeirinha!, a desvalorização do real não tem comparação no quesito show de horror


Sobre Viena, comece pelo post Viena: guia para planejar sua viagem. Há outros três posts e os links ~podem ser encontrados no Roteiro de 3 Dias por Viena.

Bilhete de trem entre Viena e Budapeste: passo a passo para comprar
Partindo de Viena, compre seu bilhete no site oficial da empresa ferroviária austríaca, http://www.oebb.at, Geralmente sai mais barato do que comprar pelo site da RailEurope (em Português). Na minha pesquisa, uma diferença de quase €20 por pessoa na segunda classe. Veja como fazer:

1. Entre no site da companhia austríaca OEBB. O site está em alemão mas se você não fala esta língua, há opção em Inglês na barra superior à esquerda. Ao clicar no menu, o botão em vermelho mostrará “Deutsch”, que significa alemão. Quando você clicar sobre o botão cinza ao lado direito de Deutsch, a palavra English ficará em vermelho e o site em Inglês.

trem de viena a budapeste

2. Digite Vienna no campo From e Budapeste no campo To. Escolha a data de sua viagem e o horário. Não precisa ser exato, será possível escolher outros horários na próxima tela.

term para Budapeste

3. Em Who is traveling, clique sobre “+ Passengers” apenas se quiser comprar mais de um bilhete. Do contrário, clique em “Calculate Fare“. Esta será a nova tela, com as opções de trens, horários e estações.
Atenção: a estação mais central em Budapeste é a Keleti.

bilhete de trem Viena-Budapeste

Se você preferir um trem que saia mais tarde, clique em later e novas opções aparecerão. Depois que você escolher o trem, um alerta de que não é possível imprimir seu bilhete em casa é emitido.

Screenshot_2015-07-28-12-43-24

Atençãocomo não se emitem e-tickets, você tem que ir a uma estação de trem em Viena de posse do código de retirada informado pelo sistema (este você pode imprimir) para retirar seu bilhete. Pode ser no auto atendimento ou num guichê. No guichê é cobrada uma taxa de €1, mas é muito fácil imprimir na máquina.

Pegadinha
Mas acho que o mais importante é esta pegadinha em que eu quase caí: entrei no site da cia. ferroviária húngara, que tinha o trecho Viena-Budapeste mais barato, e quase comprei por lá. Só que eu teria que retirar o bilhete em Budapeste, estando em Viena! Portanto: compre seu bilhete na companhia ferroviária do país de origem da passagem. Os links estão no final desta publicação.

Como eu não tinha cadastro, precisei fazer um. Então, já logada, o passo seguinte foi concluir o pagamento. Ah, esqueci de dizer que eles oferecem a opção de reservar assento. São apenas €3, então acho que é melhor do que ficar procurando lugar vago, principalmente para quem está com malas.

4. Depois de inserir os dados do cartão de crédito, a instituição financeira pede uma autorização e assim que você libera recebe o “Collection Code”, a sequência de números que digitará na máquina da estação austríaca para imprimir seu bilhete.

Quando comprar o bilhete
A maioria das empresas começa a comercializar os bilhetes com 60 dias de antecedência. Se você tentar antes, pode se confundir, achando que o trecho escolhido não existe.

trem Europa malasBagagem no trem
Lembre-se que em trens não há bagageiro de porão como em ônibus ou aviões. Você sobe de mala e cuia no vagão. Em geral há um compartimento sobre os assentos para bolsas e malas pequenas e um único espaço por vagão, perto da porta, para as malas de todos os passageiros, como mostra a foto ao lado. No trecho Viena-Budapeste, os vagões tinham cabines com assentos para 6 pessoas e espaço sobre nossas cabeças para até 4 malas grandes e outra prateleira para bolsas. Ficamos mais tranquilos porque não ficamos na neura de vigiar as malas a cada estação em que o trem parava.

Paisagem
Não há muito o que ver e eu não orientaria minha escolha baseada na paisagem, mas no Outono o colorido das árvores deixa o trecho Praga-Viena especialmente bonito.  O trecho Viena-Budapeste é bem plano, sem relevo, e plantações e hélices de energia eólica dominam a paisagem depois de 30 minutos de partida.

Da janela. Depois não entendem porque eu só penso em viajar...
Da janela. Depois não entendem porque eu só penso em viajar…
serviço de bordo à venda
serviço de bordo à venda: chocolate por 40 coroas tchecas

Conforto e serviços dentro dos trens
Os bancos não reclinam, mas em trechos curtos isso não é um problema. Há banheiros e serviço de bordo, incluso na primeira classe e vendido na segunda. No trecho Praga-Viena, nosso trem tinha um café com janelas panorâmicas, o que facilita o bate papo com outros viajantes e faz o tempo passar mais rápido.
O espaço para pernas é bom e, diferente de aviões, não há entretenimento como música ou vídeo.

O espaço para pernas no trem
O espaço para pernas no trem


Últimas Dicas
1. Locomover-se entre as estações de metrô até o terminal de trem de viagem demanda tempo, então programe-se com antecedência para não perder o trem.

2.  Ao chegar à estação, procure os painéis de orientação para descobrir de qual plataforma seu trem partirá. O acesso às plataformas de muitas estações não tem elevador ou escadas rolantes, então lembre-se de viajar com malas pequenas. Se viajar no Outono ou Inverno, agasalhe-se: as plataformas são cobertas, mas como são abertas faz muito frio.

Plataforma da estação de Praga
Plataforma da estação de Praga


3
. Depois de achar a plataforma, é preciso adivinhar onde é sua cabine pois algumas estações trazem essa orientação, mas outras não, e a gente só sabe quando o trem chega, lendo no painel luminoso ao lado da porta. Informe-se com um local –  acostumado a tomar trens – para se posicionar mais ou menos próximo de seu vagão, pois as paradas são rápidas.  Em último caso, entre em qualquer vagão e caminhe até achar o seu.

A orientação do número do vagão só chega junto com otrem
A orientação do número do vagão só chega junto com otrem
A ligação entre vagões
A ligação entre vagões

4. Mantenha o voucher ou bilhete sempre à mão, pois o fiscal o solicitará para conferência e carimbinho.

5. A velocidade desses trens é em média de 120 km/h.

6. Dentro dos trens painéis informam em Inglês as paradas.

7. Tenha sempre uma echarpe com você! Isso nunca tinha acontecido comigo, mas na entrada do trem de Praga para Viena algumas pessoas exalavam um odor insuportável de suor + falta de banho que eu mal conseguia respirar!untitled-36
8. As estações de Praga e Viena assemelham-se a aeroportos: têm muitas lojas, corredores infinitos e em Praga muitas placas ininteligíveis! Volte à dica número 1.

A estação de Praga. Ao fundo, o quiosque de informações
A estação de Praga. Ao fundo, o quiosque de informações


Links para comprar os bilhetes

Partindo de Viena, compre da Oebb.
Partindo de Praga, compre da CD
Partindo de Budapeste, compre da Máv
Se preferir, voe de Budapeste a Praga ou vice-versa pela Czech Airlines.

Mais posts com dicas de compra de bilhetes, estações, fotos. (clique sobre os títulos para ler)

Sobre o planejamento da viagem a Viena, Budapeste e Praga

Paris a Amsterdam, passando por Bruxelas, Bruges e Antuérpia

Trem, Luzes, Câmera, Ação!

Minha experiência cruzando o canal da Mancha, entre Paris e Londres

Passo a passo da compra de bilhetes da companhia férrea francesa, entre Paris e Bruges

 

 

O jogo do planejamento de uma viagem internacional⚽

Budapeste turismo
O Danúbio e o Parlamento, vistos do Castelo de Buda, em Budapeste

Geralmente os posts que escrevo aqui no Mulher Casada Viaja acontecem depois da viagem. Isso significa que os perrengues do planejamento foram esquecidos, convertidos no câmbio favorável da moeda prazer de viajar. O mesmo acontece com a vitória do time querido. Quem se lembra dos sufocos dos 90 minutos depois da vitória? Então resolvi registrar no calor do momento o planejamento de minha próxima Eurotrip, que acontecerá no início do Outono no hemisfério Norte, quando finalmente pousarei meu olhar sobre o Rio Danúbio, escutarei música erudita mesmo que não queira, tocarei em muros de castelos imperiais, respirarei tristes memórias do holocausto, banquetearei meu paladar com salsichas recheadas de emental. Sim, vamos para Viena, Budapeste e Praga.

Estas três cidades teriam sido visitadas em 1998, no frescor da queda do muro de Berlim (Imagine que mergulho teria sido!), mas troquei de emprego e fiquei sem férias. Depois veio um período de muito trabalho, o nascimento da minha filha e com ela os destinos de viagem passaram a ser escolhidos atendendo às suas necessidades de criança. Privilegiei outros destinos na Europa quando ela já estava grandinha para ficar aos cuidados de meus pais e só agora conhecerei as cidades imperiais. Nada contra quem viaja com filhos pequenos à Europa, mas eu não sou desse time.

Torço para que este post motive você a realizar o planejamento de sua viagem. Sim, é mais trabalhoso do que comprar um pacote, mas mais econômico e para mim chega a ser quase tão prazeroso quanto a viagem em si.

No início do planejamento a gente pode se sentir meio perdido/a, sem saber como dar o pontapé inicial, mesmo para quem já jogou várias vezes planejou várias viagens. Mas é só dar o primeiro chute e a bola sai rolando. Abaixo estão os tópicos na ordem em que foram aparecendo no planejamento.

Viena Budapeste Praga

0. Pesquisa de preço de pacotes X montar o próprio roteiro
Na verdade eu pulei esta etapa, porque não queria viajar empacotada, mas registrei este passo aqui para servir como diretriz para você. Depois que comprei o aéreo, vi um pacote de apenas 8 noites (ficarei 11) com valor mínimo aproximado de US$ 2,673.00. Leia rápido: O Ministério da Blogagem de Viagens adverte: em pacotes os trechos entre as três cidades são feitos em ônibus e não em trem rápido, o que significa menos tempo em cada uma para conhecer museus, caminhar com calma, etc. O custo-benefício deve ser colocado na balança, também.

1. Bilhete aéreo (pesquisa com 6 meses de antecedência. Comprei 3 meses antes da viagem)
O jogo começa morno, sem grandes chances de marcar gol. Até que uma das duas coisas acontece: aparece uma oferta ou a data da viagem se aproxima e é preciso garantir sua passagem. Tenho cadastro em dois sites que divulgam ‘promoções’ , o Passagens Imperdíveis e o Melhores Destinos. Muitas vezes o preço é bom, mas às vezes o preço baixo é porque você deverá mofar várias horas no aeroporto, ou encarar as monções na Ásia ou friaca na Europa, então, além do preço, fique de olho nestes detalhes importantes para a qualidade de sua viagem. Não rolou promoção então eu fiz várias simulações, em três diferentes companhias aéreas e datas aproximadas.

booking-holiday-online-fraud-stay-safe[1]

Nos valores abaixo não estão inclusas as taxas de embarque. Bilhete para uma pessoa em classe econômica. 

✈Air France
SP-Viena em 27 ago e Praga-SP em 8 set: R$ 3.703,00
SP-Viena em 27 ago e Viena-SP em 8 set: R$ 3.560,00
SP-Viena em 29 set e Praga-SP em 12 out: $ 3.470,00

✈ TAM
SP-Madri-Praga em 18 out e Praga-Madri-SP em 02 nov: R$ 2.470,00
SP-Viena em 29 set e Viena-SP em 10 out: R$ 3.419,00
SP-Viena em 29 set e Viena-SP em 12 out: 150 mil pontos Multiplus
SP-Viena em 28 set e Praga-SP em 11 out: 130 mil pontos Mulitiplus

✈ Ponto-Viagem pelo programa Sempre Presente do Banco Itaú, voo pela Lufthansa
SP-Munique-Viena em 28 set e Viena-Munique-SP em 10 de out: R$ 1.140, + 60 mil pontos

Como eu não teria pontos suficientes para dois passageiros se emitisse pelo Multiplus, achei melhor emitir pelo programa Sempre Presente. Além disso, se eu transferisse 120 mil pontos do Sempre Presente para o Multiplus, seriam creditados apenas 90 mil pontos. Está cada vez mais difícil aproveitar os programas de milhagem… Anyway, escolhi um voo com conexão de quase 9 horas, então terei a chance de visitar Munique, em plena Oktoberfest!!!

Mais ou menos minhas caras e bocas ao tentar emitir o bilhete
Mais ou menos minhas caras e bocas ao tentar emitir o bilhete

Mas não foi assim tão fácil, só apertar um botão. Eu sempre digo: não tente emitir bilhete em programas de milhagem se estiver na TPM! Calculo que tenha levado mais tempo do que uma final com prorrogação e pênaltis – e com o mesmo grau de emoção. A cada nova tentativa, uma bola na trave: ou o voo que eu queria estava indisponível (sumiu da lista, num intervalo de 3 minutos!), ou o cartão não era aceito, ou o site simplesmente travava. Cartão amarelo. Liguei para a Central do Cartão de Crédito e, depois da terceira vez que me identifiquei e expliquei o caso, recebi um número de protocolo (piada!) e o telefone da central que só funcionaria na próxima segunda-feira (era o mítico dia para compra de passagens, a sexta-feira, bem tarde da noite). Insisti mais algumas vezes e ALELUIA! consegui emitir os dois bilhetes. Só que não! Recebi um aviso de que o meu bilhete tinha sido bloqueado pelo cartão de crédito. Penalty!!! Eu tinha digitado a data de validade errada. Respirei fundo, fiz todo o processo novamente e finalmente: Goooool!

Atualização: Para evitar tanta emoção, sempre pesquise voos numa aba anônima de seu navegador, pois os sites usam cookies, percebem que você tem interesse naquilo e não sei como pode ser legal o preço subir a cada nova consulta, mas acontece.

bilhete aéreo recompensa

2. Roteiro (pesquisa começa 80 dias antes da viagem)
Sempre que tinha um tempinho livre, lia sobre as atrações e impressões das cidades em outros blogs. Se você não conhece muitos blogs, pode recorrer ao Google, digitando termos como “O que fazer em …” ,  “Atrações em ….”  ou “Pontos turísticos em …”. O TripAdvisor já organizou isso em lista para você, o problema é a qualidade das avaliações, que na maioria das vezes limitam-se a “Muito legal” ou “lindo”. Sim, meu caro ou minha cara, prestigie o/a blogueiro/a, que tanto tempo dedica para explicar sua impressões dos lugares que visita, um torcedor leal e fiel para que seu jogo sua viagem seja até melhor do que a dele ou dela.

Ainda 2. Hospedagem (pesquisa começou 80 dias antes da viagem)
Ao mesmo tempo em que pesquisava as atrações, uma vez por semana dava uma olhada no Booking.com para comparar preços e disponibilidade, e ia salvando os preferidos numa lista criada para cada uma das três cidades.

3. Trechos entre as cidades (pesquisa e compra do voo: 80 dias antes; dos trechos de trem: 60 dias antes)
Entrei no site RailEurope, que tem navegação em Português e vende bilhetes de várias  companhias europeias, e fiz uma simulação dos trechos para a segunda classe. Ainda não sei se teremos tempo de pegar um trem para um bate-volta a Bratislava, então não a inclui na pesquisa. Fiz um registro no site e salvei a pesquisa para nova consulta. Os preços estavam assim:

🚄 Viena-Budapeste (€ 36, 2h30 de viagem)
🚄 Budapeste-Praga (€ 90, 7h de viagem) – faremos de avião.
🚄 Praga-Viena (€ 40, 4h de viagem)

Cerca de 10 dias depois, os valores estavam mais altos (45 o trecho Viena-Budapeste). Segui a dica do Ricardo Freire, o pai dos blogs de viagem brasileiros: pesquisei diretamente nos sites das empresas que operam nos países. Leia o post Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião? em que listo os links para todos os trechos e dou um passo a passo da compra pela Internet. 

trem Budapeste
A estação de trem Keleti, em Budapeste

Como o jogo tem hora pra terminar, não queríamos passar 7 horas dentro de um trem, então o trecho Budapeste-Praga será feito de avião. Fui direto nas aéreas lowcost EasyJet e Ryanair e Bola na Trave! mas elas não fazem esse trecho. Apelei para os buscadores de voos, como o Voopter e o Skyscanner, mas o custo de aéreas como a KLM ou Lufthansa era muito alto. Numa cobrança de escanteio, encontrei uma empresa chamada Czech Airlines, com tarifa de menos de € 30 na Decolar. Muito bom pra ser verdade, não é? É. No final das contas, com todas as taxas, a tarifa subia para R$ 1.088. Fiz uma busca por avaliações da Czech e no TripAdvisor os passageiros a isentavam de qualquer problema, principalmente por se tratar de um voo com uma hora de duração. Dica da boa: se você souber Inglês, faça a pesquisa no fórum do TripAdvisor em Inglês, pois há mais conteúdo. Entrei no website oficial da Czech e comprei os dois bilhetes por 209, ou seja, mais barato do que na Decolar. O site deles não tem a opção  de selecionar o Brasil para navegar em Português, mas além do Inglês, pode-se navegar em Espanhol. A bagagem a ser despachada é limitada a 15 quilos na classe econômica. Acima disso, paga-se € 30. É possível escolher esse acréscimo no momento da compra, mas preferi esperar para ver o que rola. Quando eu voltar eu conto a experiência.

Trem Europa
Trem na Itália: repare no espaço exíguo para as malas – de todos no vagão!

4. Montando o roteiro e pesquisando os meios de transporte
Tendo as atrações mais ou menos definidas (às vezes eu mudo tudo na hora por causa de chuva, sol ou do meu humor: deixo de ir a um museu para fazer fotossíntese numa praça, por exemplo), usei o Google Maps e marquei os endereços, distribuindo-os em dias disponíveis em cada cidade considerando: a) a proximidade entre si; b) o tempo médio dedicado a cada atração.

Leia os relatos de viagem de Budapeste, Viena e Praga.

5. Passe de atrações
A maioria das cidades turísticas disponibiliza um passe com validade de 24, 48 ou 72h, que inclui entrada ou descontos em atrações e ingresso no transporte público urbano. Sabendo o custo do transporte e de entradas de museus e outras atrações, fica fácil calcular se vale a pena comprar esses passes ou não. Além disso, comprar com antecedência vai garantir uma viagem economicamente mais tranquila, deixando os custos apenas para alimentação e hospedagem, caso não tenha pago antes. 

O Vienna Pass dá acesso a mais de 60 atrações da cidade, além de transporte público e ônibus Hop on-Hop off . Se preferir, confira o custo das atrações individuais (e compare os preços para saber se vale a pena o passe ou não) no site TIQETS, com quem o blog tem parceria.

itinerário Viena
Nós, no Belvedere

Em Praga, você pode comprar ingresso para duas das principais atrações da cidade, o Castelo de Praga e a Torre do Relógio, além de outras.

Praga o que fazer

Budapeste tem muitas coisas free para se fazer, até fiz uma lista de 10 Atrações Gratuitas, mas confira as atrações pagas e o Budapest Card e ingressos individuais e cruzeiro no Danúbio, ah, que cidade linda!

budapeste Ponte Correntes

6. Reserva dos hotéis
Este item vai depender, claro, do seu orçamento, mas sabendo onde se concentram as atrações e as estações de metrô, busque hotéis próximos. Use o Booking.com, que tem opção de pagamento antecipado ou no local. Cadastre-se e escolha o filtro “genius” para a lista de hotéis com desconto.
Momento publicidade no intervalo do jogo, sem cerveja ou mulher seminua: Não se esqueça que você pode fazer um gesto simpático e reservar seu hotel pelo Booking.com clicando no link acima. Eu recebo uma pequena comissão sem você ter que pagar nada a mais por isso. Essa graninha ajuda a manter o blog no ar e a continuar a fornecer dicas.😉 

reserva hotel

7. $$$$$ Moeda e câmbio, custo de alimentação e transporte
Talvez você precise deslocar este item lá para o início do planejamento a fim de saber se vai dar para encarar a viagem ou não. Sem contar hospedagem e transporte, nosso orçamento gira em torno de € 50/dia/pessoa, como você pode imaginar, uma viagem sem luxos, mas com várias experiências. Com exceção de Viena, essas cidades são das mais baratas da Europa.

💰 Praga, República Tcheca: CZK, a coroa tcheca. CZK$ 1 = R$ 0,15
💰 Budapeste, Hungria: HUF, florim húngaro. HUF$ 1 = R$ 0,013
💰 Viena, Áustria: , euro. 1 = R$ 4,32 (quando escrevi este post)

currencyweathervan_1817597b[1]

Não se esqueça de baixar um aplicativo de conversão de moeda no seu Smartphone, de preferência um que funcione off-line. O Currency é um deles. Baixei pelo Google Play, e é gratuito. Mas não se esqueça de atualizá-lo sempre que estiver conectado.

Para ter uma ideia do quanto se gasta em uma viagem, eu já falei aqui no blog sobre o site Quanto Custa Viajar, mas descobri um bem mais completo, disponível apenas em Inglês, o Numbeo.

Já leu o post 58 maneiras de economizar para viajar?

Se você vai para a Europa, a escolha certa é comprar Euros e, se o país usar outra moeda, fazer o câmbio por lá, levando dólares.

8. Temperatura média e previsão do tempo
Não se esqueça de pesquisar o clima (chove muito, muito frio) antes de decidir a época em que vai viajar. Esta informação ajuda também para fazer a mala.

9. Seguro viagem
Viajar sem seguro é roubada na certa. Se você vai à Europa, na maioria dos países é obrigatório contratar seguro com cobertura de 30 mil.
Olha outro momento publicidade: PLIM PLIM! O Mulher Casada Viaja firmou parceria com uma das melhores seguradoras para sua viagem, a Mondial Assistance Allianz, o que significa que seus leitores ou leitoras têm desconto especial ao clicar no link acima e inserir o código promocional que por mudar com frequência é divulgado no post Receita de Viagem. PLIM PLIM!

10. Outros itens que merecem atenção MESES antes da viagem
– alguns países exigem vacinas específicas para permitir sua entrada. Pesquise.
– verificação da validade ou (re)emissão do passaporte. Sua validade não deve ser inferior a 6 meses antes da data do retorno ao Brasil.
– pesquisa da necessidade de visto para entrada no(s) país(es)
– situação política do país. Este site do governo britânico se mantém atualizado quanto à situação social e política da maioria dos países do mundo.

11. Versão final do Roteiro
Monto meu roteiro em um doc do Word mesmo, inserindo uma tabela de 4 colunas com o cabeçalho horizontal:
– DIA/HORA: além das datas e horário de voos ou trens, anoto a previsão do tempo.
– O QUE FAZER: check in em hotéis, número e trecho de voo, nome da atração
– ONDE: nome do aeroporto ou estação de trem, endereço de hotel e de atrações. Também marco observações sobre transporte público
– MONEY: além de anotar o custo do transporte ou da atração, também escrevo se o passeio, transporte ou hotel foi já pago.

Com o roteiro pronto, imprimo uma cópia e salvo o documento no Dropbox ou no Drive, para pesquisa caso eu perca as folhas do planejamento.

12. Liberação do cartão de crédito e de débito para uso no exterior
Não sei se todos os bancos trabalham assim, mas o Itaú e o Bradesco exigem a liberação dos – cartões antes da viagem.

⚽ ⚽ ⚽ ⚽ ⚽ ⚽

Outros posts que tratam de planejamento (clique sobre o título para ler):

Check list
Como chegar a 45 cidades a partir do aeroporto

– Dicas sobre câmbio
Receita de Viagem
O Planejamento de uma viagem e as relações
Programas de Fidelidade
58 maneiras de Economizar para Viajar
Emissão de bilhete aéreo

Um bom jogo pra você!