Dirigindo na Flórida

Embora os mais viajados não hesitem em alugar um carro e traçar seu caminho, muita gente ainda acha complicado alugar carro e guiar no exterior. Escrevi este post para dar confiança a esses últimos, pois desde nossa primeira viagem internacional percorremos a Califórnia sem sustos ou problemas e naquela época não existia GPS nem Google Maps. Tenho saudade de usar o mapa físico, de papel, com cheiro e marcas de dedos ou do café espirrado;  de traçar com canetinha as estradas a serem percorridas e de abrir aquele mapão dentro do carro…

dirigir na Flórida precisa de carteira internacional
As bem sinalizadas rodovias

Viajar de carro, especialmente nos Estados Unidos é muito fácil, pois não se esqueça que a América é país feito para os carros. Muitas cidades têm precário sistema de transporte público. Afinal, é muito barato comprar um veículo e para isso foi preciso desenvolver um sistema de highways de fazer inveja. Quanto às estradas utilizadas em nossas idas e vindas pela Flórida, estarão descritas nos post sobre cada destino (Orlando, Tampa, Miami, Key West). Aqui, as dicas:

Carteira de Habilitação
Na prática, nunca nos foi solicitada a PID (permissão internacional para dirigir), seja nas locadoras, seja pelo policial que nos parou. De qualquer forma, se você é do tipo precavido e encanado, o Detran do seu estado é o emissor da PID.

Atualização 2017: Leia sobre as alterações na PID

alugel de carro Flórida
A Caravan foi perfeita para acomodar nossas malas

Locação de Veículos
Você pode escolher as grandes locadoras, como Avis, Hertz, Budget, todas num só lugar: o site de busca de preços e de reserva Rentcars.com. O que mais gosto é que podemos parcelar, em reais, sem pagar IOF.

Tipo de automóvel
Se você pretende fazer (muitas) compras, alugue uma van para 7 pessoas, pois assim você elimina o último banco e libera espaço para suas malas. Uma vez alugamos um carro standard e tivemos que alugar uma van para ir ao aeroporto, uma boa opção. Naquela ocasião, a recepcionista do hotel, que gentilmente chamava o transporte, explicou “São brasileiros”, frase que resumiu o porquê de 3 pessoas precisarem de uma van para o aeroporto!

aluguel de carro na Flórida
Área do Aeroporto de Miami destinada às locadoras

Retirada do veículo
Normalmente se retira o carro na chegada ao aeroporto de destino. Tanto em Orlando como em Miami, você será direcionado a uma área reservada somente a aluguéis de veículos (impressionante, por ser maior, mais moderno e mais eficiente do que saguão de muitos aeroportos). Entregará no balcão sua confirmação de reserva e será perguntado sobre seguros e outros opcionais. GPS pode ser um deles, mas cuidado com os seguros que tentam te empurrar (o essencial é o LDW, que te isenta de qualquer dano ao carro).

Não se esqueça de perguntar sobre pedágio (toll), pois a locadora pode registrar o número de seu cartão para que as taxas de pedágio sejam debitadas diretamente nele. Leia mais no item Pedágio, abaixo.

Assim que tudo estiver acordado, o atendente te informará o andar e o stall (vaga) onde seu carro temporário está estacionado. Confira se não há nenhuma avaria, familiarize-se com o carro, ajuste espelhos e na saída um funcionário vai conferir se você pegou o carro certo. Pronto, a estrada é sua!

No Posto de Gasolina
Em geral, os postos não têm frentista, então siga esses passos:

como abastecer em Orlando1. estacione o carro em frente a uma bomba disponível e observe seu número (5, na bomba da foto acima);
2. dirija-se ao caixa da loja de conveniência e diga “40 dollars at (pump) number 5”. O caixa vai te dar o recibo e liberar o combustível até que o contador chegue aos 40 dólares. Você também pode deixar uma nota de 100 dólares, por exemplo, completar o tanque e voltar à loja de conveniência para pegar o troco. Se quiser, pode pagar com cartão de crédito, mas sempre precisará ir à loja de conveniência, pois seu cartão é internacional e não é aceito na bomba, que requer o CEP vinculado ao cartão, que por ser do Brasil não será aceito.

Lembre-se de escolher o tipo de combustível (a Regular é a mais barata, seguida da Plus e da Premium) apertando o botão correspondente. Pegue o hose (mangueira) e aperte o gatilho. Quando terminar, escolha se quer o recibo ou não.

Em postos com frentistas (só vi uma vez no interior da Califórnia), o procedimento é o mesmo do Brasil. Diga: Fill it up, para completar o tanque.

Pedágio
Em todas estradas você vai encontrar os Toll Plazas, ou praças de pedágio. Na Flórida, quase todas são automáticas e não aceitam dinheiro, você precisa contratar na locadora e no mês seguinte receberá a conta na fatura do mesmo cartão de crédito utilizado para o aluguel do veículo.  Após 14 dias de estrada, pagamos cerca de 50 dólares de pedágio. É parecido com nosso Sem Parar, com a vantagem de você não precisar reduzir a velocidade nem se espremer num corredor – nem pagar pela instalação. Fotinho abaixo:

pedágio Flórida

Estacionando
Em Orlando, nosso pequeno carro (rsrsrs) ficou estacionado nos parques, restaurantes, malls e no hotel. Em Miami, tivemos que pagar pelo estacionamento no hotel e nas ruas utilizamos o parquímetro.

estacionamento em Miami
O simpático parquímetro da Ocean Drive. Romero Brito tem Galeria ali pertinho…

Em Key West, no centro antigo, há estacionamentos, mas ruas tranquilas com parquímetro foram nossa opção, pagando 2 dólares por hora, com direito a renovação.

bilhete do parkmeter de Key West
bilhete do parkmeter de Key West

Parados pela Polícia
Brasileiros e brasileiras, se tiver uma placa STOP na esquina, mesmo que seja num cruzamento onde nem mosquito tem, pare, porque se você não parar, a polícia te pára: “Sir, you’ve got to stop completely when you see a Stop sign!”.  Pedimos desculpas e saímos incrédulos. Ai, no meu Brasil…

Regras de trânsito
As regras de trânsito são praticamente as mesmas, com a vantagem de o carro poder avançar se quiser virar à direita e o sinal estiver vermelho, desde que não tenha pedestre nem outro carro indo na mesma direção.

Importante: pedestre sempre tem preferência. E é incrível como mesmo sem movimento na rua todos pedestres aguardam o sinal ficar verde.

Motos andam atrás de carros, mesmo se houver engarrafamento. Acredite, se quiser. Por outro lado, vi muitos motoqueiros sem capacete.

Que me lembre, a única placa diferente é a de preferência, que em vez de ser só o triângulo traz a inscrição “Yield”. É importante saber que NO U TURN significa que não é permitido retorno na forma do U (simples!). Speed Limit é o limite de cada estrada, que em geral é de 70 milhas nas Interestaduais e Highways, 55 ilhas nas demais estradas, 30 milhas nas ruas residenciais e comerciais e 20  milhas em school zone. Dirigir muito devagar também dá multa (It’s the law, dizem as placas), como ir a 50 milhas em estrada com limite de 70 milhas por hora.

Agora, dica legal que aprendi com o Sheldon, do Big Bang Theory: em geral, estradas que vão de Norte a Sul têm numeração ímpar e as que vão de Leste a Oeste, têm números pares. “Interesting!”, diria Sheldon Cooper.

Have a great road trip! Se quiser uma música emprestada:  Road Trippin’, de Red Hot Chilly Peppers. Ela sempre vai comigo na memória em viagens de carro. Mas nesta última viagem, a trilha sonora foi “Happy”, de Pharrell Williams, tudo a ver com férias felizes!

Anúncios

FLORIDA, SUA QUERIDA!!!!

florida

Deve existir uma centena de blogs e sites que contam sobre viagens a Miami e Orlando. Outra centena que ajuda brasileiros a organizar suas viagens para a Terra do Mickey. Mas e daí? Eu A-D-O-R-O escrever e viajar e ainda não descobri meu talento para criar o que ainda não foi criado! Também não sou do tipo preconceituoso que só escolhe destinhos off the beaten track. Tenho uma bucket list de ao menos 20 lugares para conhecer antes de desencarnar, e Orlando não estava exatamente nela. Esta viagem é para minha filha, mas é claro que eu vou aproveitar e muuuito!

Miami foi minha primeira experiência no exterior, em 1996 (bendito seja o plano Real!). Não fui pelas compras e nem quis ir a Orlando, mas queria conhecer aquela América, quente, latina, onde se come feijão preto e se ouve mais espanhol do que Inglês. Queria ver a Art Deco de South Beach e o mar caribenho. Nada se compara à primeira vez (exceto sexo, que fica melhor com o tempo, claro!).
Eu ainda me lembro de sentir o ar diferente (ou será que era efeito do jet lag? – kkkk), de explorar todas as diferenças em tudo, desde observar se a água realmente girava ralo abaixo na direção contrária lá no hemisfério norte (Mito!!!) até conferir os produtos em farmácias e grocery stores e cheirar folhas de plantas e árvores.

Viajei…

Voltando à Florida: passagens compradas pela TAM.
Primeira dica: se for viajar pela Florida e não só a Orlando, vale a pena pegar vôo até Miami e no próprio aeroporto pegar um carro previamente reservado no Brasil (segunda dica: Miles Car Rental, site de busca de locadoras com preços excelentes), pois o aéreo costuma ser mais em conta. Nos próximos posts detalharei como estou organizando a viagem.

Então, quer ir para a Florida comigo?