Receita de Viagem 📝

A receita para planejar uma viagem perrengue-free ainda não inventaram, mas é só ter ingredientes de boa qualidade e o modo de preparo, e acrescentar um segredo da vovó ou de uma amiga (ou de uma blogueira), que certamente é o que vai dar o gostinho especial!

Procurei organizar aqui uma lista do que você precisa para começar o planejamento de sua viagem, mas não se esqueça que cada prato destino tem suas peculiaridades, então leia os posts de cada cidade aqui no blog, tá?  É só ir no menu em “destinos”, que está organizado por Continentes. Voltando, arregace as mangas, coloque o avental e siga minha receita. Não posso dizer que seja a de melhor sabor, mas nunca desandou! Agora, se você acha que é muito trabalho, tem como comprar um prato congelado no supermercado (pacote de viagem), mas você sabe, o sabor não é o mesmo de um prato feito por você!

1. Leia várias receitas sobre viagem

Se você não sabe que é possível combinar camarão com coentro, como vai chegar a comer um prato como esse? Por isso é legal ler publicações sobre turismo, sempre. Foi assim que eu me apaixonei por viagens: descobrindo que há mais lugares para conhecer do que dias para viver! Claro que dava uma invejinha dos jornalistas que eram pagos para viajar e escrever, mas em vez de invejar, corri atrás dos meus sonhos e comecei a viajar também. Então siga o blog cadastrando-se gratuitamente para receber os posts novos em seu email. Na página do Facebook compartilho dicas e informações do mundo das viagens, então é legal você segui-la e favoritá-la (senão não recebe as atualizações). Outra forma de receber dicas e conhecer lugares é através de imagens e para isso o Mulher Casada Viaja tem um perfil por lá também, clique aqui e comece a segui-lo.

2. Escolha a receita o destino

Ainda na dúvida? Leve em consideração quem vai com você: é uma viagem romântica, de aventura, em família com crianças pequenas ou com adolescentes… tudo isso deveria influenciar na escolha. Vai sozinha? Visite fóruns de viajantes para saber se o destino é amigável para mulheres viajando sozinhas. Países latinos e árabes costumam ser mais complicados do que os europeus, em geral. Considere ainda o próximo item.

3. Separe os ingredientes Pesquise sobre o destino na época de sua viagem

– cultura em geral para evitar foras, não só na época de suas férias, mas sempre;
– clima, para não entrar numa fria. O Caribe, por exemplo, tem risco de furacões a partir de outubro e é quando as promoções estão bombando. Na Ásia há o período das monções, quando a chuva pode atrapalhar seus passeios;
– festivais, campeonatos esportivos, shows, feiras de negócios podem fazer a cidade lotar e consequentemente aumentar o custo da viagem. Por outro lado, é muito legal assistir a um show de sua banda. Seja como for, vale a pesquisa;
– temporada e horas de sol – você aproveita mais o dia na primavera e no verão. No inverno os dias são bem curtos. Dependendo do destino, vai ser uma furada. Resorts de esqui, por exemplo, viram cidades fantasma fora da temporada de inverno;
– saúde: pesquise epidemias nos países a visitar e necessidade de vacinação.
– questões políticas. Já pensou encarar guerra civil ou onda de atentados terroristas nas suas férias sem ter vocação para repórter da CNN? O governo britânico disponibiliza este website com uma lista de 225 países ou territórios, atualizada frequentemente, que podemos consultar para saber se há risco envolvido na escolha de determinado destino.

4. Modo de Fazer

Bilhete Aéreo

Escolhido o prato principal destino e sabendo de quanto tempo você precisará para ter o atrevimento (rsrsrs) de dizer que o conhece, é hora de comprar as passagens aéreas. Existem vários sites de busca que listam opções de voos e você pode usar essas ferramentas para encontrar a melhor opção: Skyscanner, Kayak, Voopter são algumas. Este item é o mais trabalhoso, na minha opinião, pois envolve a escolha da companhia aérea, horário de voo, de assento e principalmente paciência. Não tenho como dar todos os detalhes aqui, apenas algumas dicas:

✈ fique ligado nas promoções das companhia aéreas assinando a newsletter delas. Sites como Melhores Destinos, Passagens Imperdíveis também merecem sua inscrição.

✈ Compare o preço do bilhete por dia: costuma haver diferença de valor significativo. Para ir, domingos, terças a quintas-feiras costuma ter valores mais baixos do que segundas, sextas e sábados. Muitas companhias aéreas e mesmo alguns sites disponibilizam essa ferramenta que mostra a diferença de valores dentro da semana ou mesmo do mês.

✈Comprar com antecedência de um mês para voos nacionais e de três meses para internacionais costuma ser um bom recurso para a baixa temporada, mas aumente a antecedência se for viajar na alta (segunda quinzena de dezembro, janeiro, julho e feriados ou datas festivas). Mas tenho visto tantas promoções de voos para a semana seguinte que fico na dúvida se essa máxima ainda valha. Se você for um felizardo que pode se dar ao luxo de resolver viajar assim, uma semana antes,  aproveite. Nesse caso, a dica é deixar roteiros prontos para agarrar as promoções de última hora.

✈Para deslocamentos internos em um país, compare preços entre trem, ônibus e companhias aéreas lowcost. E lembre-se que as lowcost têm restrição de bagagem e você paga excesso acima de 15 kg de mala despachada. Poltronas não reclinam e não é servido nenhum tipo de lanche. Duas lowcost: Easyjet e Ryanair. Aqui no blog tem dicas de como comprar bilhete de trem e outras dicas para nós brasileiros que temos trens de viagem como desconhecidos.

✈ Bilhetes ida e volta para o mesmo aeroporto são mais baratos do que se você escolher chegar a um país ou continente por uma e voltar por outra cidade. Mas aí é preciso fazer a relação custo-benefício: vale pegar todo o caminho de volta só para ir ao aeroporto? Se dinheiro não for problema ou se as distâncias a serem percorridas são longas demais para vencer por trem ou ônibus (esta é uma questão particular, mas acho que acima de 4 horas num trem já é demais e um voo cai melhor), compre seu bilhete escolhendo a opção multicities, destinos múltiplos, ou algo assim, não existe um padrão nos websites das companhias aéreas. Leia mais sobre emissão de bilhetes aqui.

✈ Bilhetes promocionais costumam ter 1 ou 2 conexões. Evite conexões:
– longas mas não o suficiente para você deixar o aeroporto e conhecer a cidade. O tempo varia de acordo com o destino. Seis horas de conexão em NY não é suficiente para aproveitar uma ida à cidade, mas em Munique, por exemplo dá. Leia mais aqui;
– curtas demais, quando um atraso no primeiro voo significa correria e estresse. Lembre-se que alguns aeroportos, principalmente os hubs, são enormes e só para se deslocar de um terminal ao outro é preciso andar, tomar trem, andar e isso leva um bocado de tempo. Considere que a imigração é feita na cidade de chegada do país (ou da CE) e isso também toma tempo, principalmente nos Estados Unidos;
– na mesma cidade, mas em aeroportos diferentes: você tem que sair de mala e cuia até o aeroporto de seu próximo destino e os custos com transporte são por sua conta;
– na madrugada: ninguém merece passar a noite em aeroportos! Mas tem aeroporto que está preparado para isso, então não é tão ruim assim (leia aqui).

✈ Se a cidade para onde você quer ir tem tarifas muito caras, experimente voos que ficam a até 200 quilômetros de distância e faça-os via terrestre. Miami em vez de Orlando e Fort Lauderdale em vez de Miami são exemplos clássicos.

Fique atento!
🚩 bilhete aéreo é intransferível, então confira duas, três vezes antes da compra. Se o nome estiver em desacordo com o da identidade ou passaporte pode haver impedimento de embarque.
🚩 Os bilhetes promocionais costumam ter regras rígidas de reembolso e remarcação, não sendo reembolsáveis em caso de cancelamento por parte do comprador e mudar datas também vai dar uma multa considerável.

5. Hospedagem

Este é outro item com muitas variáveis e há sempre novidades surgindo. Até pouco tempo quem viajava escolhia entre um hotel (e suas categorias não padronizadas de estrelas), albergue (hostel) ou camping. Hoje é muito comum alugar um imóvel ou até trocar de casa. Ficar em B&B traz proximidade com os anfitriões e fazer couchsurfing é de graça, mas exige um certo grau de aventura. Vários posts sobre tipos de hospedagem estão aqui no blog.

Quando escolher o tipo de hospedagem, não se esqueça de fazer sua reserva no website que eu sempre usei para minhas viagens, o Booking.com (é verdade, você pode comprovar lendo os posts mais antigos) ao qual o Mulher Casada Viaja é afiliado. Isso significa que você não paga nada mais para fazer a reserva ao clicar no logo do Booking dentro do blog e eu ainda ganho uma comissão. Com tanta dica legal, acho que eu mereço (rsrsrs).

6. Seguro Viagem

Taí um item que não merece ser riscado para economizar e é muitas vezes esquecido. O seguro viagem não serve apenas para cobrir um eventual problema de saúde. E você sabia que o Mulher Casada Viaja é afiliado à Mondial e por isso seus leitores têm desconto? Mas isso só vale se você clicar no logo da Mondial que está no blog –  ou clique aqui e você será direcionado para o site deles. Não se esqueça de digitar no campo próprio o código promocional: 2017AFL.

Confira algumas das vantagens e coberturas do Seguro Mondial:
– a Mondial é líder no mercado, então consegue oferecer um valor bem atrativo sem perder a qualidade
– o valor total do seguro pode ser parcelado em até 6 vezes
– localização e seguro de bagagem
– assistência média, odontológica e fisioterapêutica
– orientação em caso de roubo ou perda de documentação
– repatriação funerária
– seguro fiança

Atenção: para entrar na maioria dos países da Europa você TEM que ter feito seguro. Essa exigência refere-se ao Acordo de Schengen, em que 15 países da Comunidade Europeia (Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Finlândia, França, Grécia, Islândia, Itália, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Áustria, Portugal, Espanha e Suécia) assinaram tratado que estabelece a obrigatoriedade de que os turistas visitando esses países comprovem possuir uma Assistência a Viagens com valor mínimo de 30.000 euros para garantir assistência médica por doença ou acidente.

Outros itens do seu check list

Estes são exemplos dos itens que não estão na receita principal, então faça sua lição de casa e pesquise especificamente sobre a cidade ou país.

🌏 Passaporte e visto (leia post com dicas de como tirar passaporte e o visto americano, o mais concorrido ever!)

🌏 aluguel de veículo ou transporte público

🌏 tipos de mala (também tem post a respeito, clique aqui.)

🌏 conheça seus deveres e direitos e saiba mais sobre sua bagagem: extravio, excesso, impedimentos. Adivinha? Tem publicação aqui.

O cozimento deve ser sempre em forno brando, então prepare-se com meses ou até um ano de antecedência. O rendimento é sempre maior do que o tempo de preparo!

E bon apetit!

Anúncios