Budapeste: o museu do Castelo Real de Buda

O Castelo Real de Budapeste, assim como a região alta de Buda, é tombado pela Unesco e tem muita história para contar. Neste post relato como foi caminhar pelos corredores, capela medieval, salões e exposições do museu do castelo real de Buda e deixo dicas práticas para que você faça o mesmo.

A manhã de meados de setembro estava linda, então caminhamos pelas margens do Danúbio, tomamos o tram perto do Mercado de Budapeste e descemos poucas paradas depois perto da Ponte das Correntes.

Atravessamos a ponte a pé e já do outro lado, após cruzar a rotatória, estava o funicular que nos levaria colina acima. Só o caminho até lá já foi um daqueles city tours cheios de elementos históricos e belezas. Pegue uma carona com a gente subindo o morro até o castelo, no funicular:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=LMOIm69Tey0]

Ao descer do funicular, acho que todo mundo esquece do Castelo e se volta para a vista a partir de seu terraço e nós gastamos um bom tempo ali, apreciando o Danúbio, o Parlamento e os jardins cortados na colina abaixo.

O exterior do castelo é aberto ao público e mesmo quem não tem ingresso pode passear à vontade e conferir o Pátio dos Leões, a fonte em homenagem ao rei Matias, e explorar os jardins no lado sul do castelo.

Visita ao interior do Castelo Buda

Eu não sabia o que esperar do Castelo, então tudo foi uma surpresa. Há dois museus: o Museu Histórico de Budapeste, o que visitamos e que fica na ala E do Castelo e sobre o qual falarei, e a Galeria Nacional Húngara, cujo acervo é de esculturas, pinturas e fotografias, e onde fica a cúpula do castelo, que pode ser visitada também.

A bilheteria fica no térreo, onde também tem um café, uma loja de souvenirs e um guarda volumes. Ali também há exposições de esculturas góticas e tapeçaria.

No subterrâneo temos a chance de ver o palácio medieval, que foi do que mais gostei, com destaque para a capela real do século 14.

O primeiro andar conta a história de Budapeste através de objetos, imagens e esculturas. Achei bem interessante também para quem vai com crianças, pois há atividades interativas.

Breve História do Palácio Real de Budapeste

Foram os Mongóis que construíram o primeiro castelo na Colina com 170 metros de altitude, no século 13. Passou por modificações e ampliações nos séculos seguintes, mas foi com o casamento do grande rei Matias com Beatriz de Nápoles no século 15 que o palácio se transformou num castelo renascentista, graças aos artistas italianos que acompanharam a nova rainha. Uma guerra contra os turcos o destruiu completamente e no século 18 um novo palácio barroco foi erguido e é o que vemos até hoje, apesar dos danos causados pela Segunda Guerra Mundial.

Confira ingressos para várias atrações de Budapeste
com nosso parceiro Tiqets
:
– spas de águas termais (nós fomos no Gellert)
– cruzeiros no Danúbio com música ao vivo e jantar
– ônibus turísticos hop-on hop-off
– visita guiada ao Parlamento Húngaro (ah, esta perdi!)
– vários museus, concertos e tours a pé
– Budapest Card de 24h a 120h

Como Chegar ao Castelo Real de Budapeste

Você certamente passará em frente ao Castelo de Budapeste, pois a Colina de Buda, onde ele fica, é uma parte histórica cheia de atrações, como o Bastião dos Pescadores e a Igreja Matias. Se não quiser tomar o funicular, uma caminhada de 600m em zig zag morro acima é uma opção.

Ingressos e Horário de Funcionamento do Castelo de Buda

O castelo e seus museus fecham às segundas-feiras. Abrem das 10h às 18h – no inverno (novembro a março) fecham às 16h de terça a sexta.
O ingresso para o castelo custa cerca de 2.400 forints, que equivale a 7,5 euros. A entrada é gratuita para quem tem o Budapest Card.

Posts já publicados sobre Budapeste:
10 Atrações Gratuítas em Budapeste
Guia de Viagem a Budapeste
Budapeste ou Paris: qual é a mais bonita?
Nas Águas Termais do Hotel Gellert
Plano de Viagem
Viena-Budapeste-Praga: trem ou avião?

Vale a pena visitar o Castelo de Buda?

Certamente! Embora Budapeste seja linda e tenha muitas coisas para fazer e ver, vale reservar ao menos 2 horas para visitar o museu do castelo de Buda para entender sobre este país de história tão conturbada e rica e do qual pouco aprendemos além do período do império austro-húngaro.

Se você gostou das dicas do Mulher Casada Viaja, saiba que, ao clicar sobre os links do Booking.com e da Rentcars para fazer suas reservas de hotel, apartamento, B&B e carro, você estará contribuindo para a manutenção do blog e consequentemente para que as dicas continuem chegando gratuitamente a quem busca inspiração e informação de qualidade. E o melhor: sem gastar nada a mais por isso, pode conferir.

1 COMENTÁRIO

  1. Oii! Nossa que demais olhar as fotos do castelo real de buda por dentro. Qd estive em Budapeste não tive tempo de visitar, não me planejei tão bem e reservei poucos dias (entre eles uma segunda, que é justo qd está fechado), uma pena;
    Adorei essa dica e vc detalhou tão bem que me deixou com ainda mais vontade de visitar

    • Já perdi muita coisa por não planejar direito, agora passo meses pesquisando sobre os destinos. Mas viajar é bom de qualquer jeito, sem planos surgem as surpresas!

  2. Que dica maravilhosa! A vista da saída do funicular é realmente espetacular. Fiquei imaginando como seria a visita até a cúpula e se de lá também é possível admirar a cidade. Achei muito interessante o museu do Castelo de Budapeste, boa escolha de passeio!

    • Deve ser legal subir na cúpula, mas do terraço do castelo a vista já é bem ampla. Subimos na Torre da Basílica Santo Estevão, do outro lado do rio, que é muito linda, também. E tem o mirante de Buda Hill, perto das termas de Gellert.

  3. Ainda não conheço Budapeste e ando com vontade ir até lá. O trajeto de funicular é fantástico, mas essa vista do topo é maravilhosa.
    O castelo é bem antigo, acho que nunca visitei um construído por mongóis. Uma questão: o topo da cúpula é espelhado? Vc comprou o city card? Acha que compensa?

    • Se puder, vá, Ruthia, você vai amar! Não cheguei a subir na cúpula, porque a entrada era pelo outro museu do castelo que não visitamos, mas acho que a vista que se tem é das janelas, abaixo do domo, dê uma olhada na foto. Não comprei o city card, não, gosto muito de perambular pelas ruas e só visitei este museu e a basílica, então acho que não compensava, mas se você for visitar outros museus, talvez valha a pena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui