Porque conhecer Berna, capital da Suíça

Boa sua decisão de conhecer virtualmente ou pessoalmente a Suíça, agora vou justificar porque visitar sua capital. Saiba o que fazer em Berna, onde ficar, onde comer, como chegar, entre outras dicas, além das impressões que tive desta que é uma das cidades mais bonitas do país.

O que tinha lido e visto sobre Berna na fase do planejamento da viagem não chegou perto do prazer de conhecê-la. Berna foi uma surpresa muito feliz por seu conjunto: boa localização, beleza, história, atmosfera. Senti a cidade mais movimentada do que a maior do país, Zurique, embora a população seja menos da metade.

Quando visitar e quantos dias ficar em Berna

Com certeza a época escolhida para a viagem contou pontos a favor de Berna: estive lá no início de julho, com temperaturas altas para os padrões suíços (usei vestido!), e isso repetirei em todos os posts sobre esta viagem: A Suíça estava em festa, com gente nadando nos rios e lagos, curtindo trilhas em montanhas, lagarteando em praças e parques, lotando as mesas externas de restaurantes e cafés. E em Berna não foi diferente: as áreas verdes estavam tomadas como praias, principalmente à beira do rio Aare, que corta a cidade e envolve a península onde fica a bem preservada região medieval de Berna.

Embora tenha passado 3 noites lá, passeei apenas 1 dia, reservando os outros dois para bate-voltas a Lausanne e Montreux e cruzeiros nos lagos Thun e Brienz, que ficam entre a turística Interlaken. Leia mais abaixo sobre cidades próximas para visitar perto de Berna. É possível, sim, conhecer os principais pontos turísticos de Berna em 1 dia, mas se tiver mais, melhor, claro.

Para informações gerais desta viagem à Suíça, leia Suíça: roteiro de 14 dias no verão

Que língua se fala em Berna, Suíça

A Suíça tem 4 línguas oficiais: italiano, francês, romanche e o alemão suíço, sendo esta última a usada em Berna, mas eu me comuniquei em inglês na pousada, nas ruas e comércio em geral.

Berna: o que fazer

Cheguei a Berna de trem, vindo de Zurique, e não tive dificuldade para arrastar a mala até o B&B onde passaria as próximas 3 noites. As primeiras impressões foram de uma Berna agitada, mas limpa e segura. Numa noite de sexta-feira, entretanto, quando voltei depois das 22h de um bate-volta a Interlaken, senti os arredores da estação com outra pegada: muitos jovens aparentemente bêbados e em grupos circulavam por ali e em nada me lembravam o estereótipo de suíços educados e gentis. Mas nada que assustasse uma moradora de São Paulo, apenas senti uma diferença grande de frequentadores com a chegada do final de semana, sensação confirmada pelo proprietário do B&B, depois.

As calçadas têm rebaixo para cadeirantes – e pessoas com malas de rodinhas – e não apresenta buracos ou obstáculos. Depois de deixar as malas e namorar rapidamente os prédios fofos vizinhos do B&B pela janela do quarto (leia mais abaixo), subi a rua em direção ao Parlamento Suíço, mas parei na…

Kleine Schanze

Pense numa praça em que a expressão ‘a praça é nossa’ pode ser inteiramente aplicada. Instalada no alto da colina com vista para o rio Aar, as pessoas almoçavam, conversavam ou tiravam um cochilo, na grama, nas inúmeras cadeiras ou espreguiçadeiras. A praça tem um laguinho, vários monumentos, café e coreto, mas seu nome é invernal: além de ser um dos espaços para as barraquinhas dos tradicionais Mercados de Natal, descobri agora que Schanze significa rampa de esqui – e klein eu já sabia que significa pequeno – ou seja, uma rampa de esqui no meio da cidade! Aliás, como a gente vai aprendendo palavras soltas ao viajar é algo com que me delicio, ainda mais sendo alemão.

Caminhei pela Europapromenade, até a Bundesterrasse, que como diz o nome é um terraço entre os edifícios governamentais e a colina que desce para o rio Aar. Entre uma e outra, fica o elevador Marzibahn, que você pode tomar se quiser chegar ao nível do rio, especialmente se quiser desfrutar da piscina pública à beira do Aar, a Marzi Freibad (Marzili). Mas eu segui em frente e cheguei nas costas do…

Bundeshaus, o Parlamento Suíço

Sua fachada pode não ter o brilho do parlamento de Budapeste, mas a sede do governo suíço é um edifício marcante construído entre 1894 e 1902 e remodelado em 2008. A Ruthia do blog O Berço do Mundo fez a visita interna (gratuita) e contou em ricos detalhes em O Palácio do Federalismo Suíço. Sua fachada principal fica na Bundesplatz, voltada para o…

Centro Histórico de Berna

Passando o parlamento, tem uma escadaria baixa que dá acesso à Bundesplatz, cujos 26 jatos de água representam os cantões suíços – e refrescam as crianças no verão. Seguindo em frente, você estará sucessivamente na Bärenplatz e na Waisenhausplatz, praças com vários restaurantes e feirinha, fontes e torres medievais, um lugar mega turístico. Em vez disso, depois do parlamento eu cruzei a Kirchenfeldbrucke, desci uma trilha e caminhei até a margem do…

Rio Arr

Eu estava hipnotizada pelo tom verde-azulado ou azu-esverdeado do rio e encontrei um lugar ideal para viver aquele estado de espírito: uma espreguiçadeira de frente para o rio e o terraço da catedral de Berna, sob a sombra de árvores que ficam no quintal dos restaurantes Terrasse e Casa. Claro que bateu invejinha de quem vive numa cidade tão linda, segura e com espreguiçadeiras à beira de um rio tão lindo. Ai, meu Tietê…

Mas você pode estar numa vibe mais aventureira e querer fazer como os locais: deixar-se levar pela correnteza do rio, refrescando-se nas águas frias que mesmo no verão ficam entre 15 e 22 graus C. Muita gente aluga bóias ou barquinhos infláveis, também, e tanto para uns como para outros é importante evitar álcool ou drogas (muitos afogamentos acontecem nos rios suíços por isso) e conhecer as correntes e melhores pontos de entrada e saída do rio. Eu fiquei impressionada com a força e consequente velocidade com que passavam os corajosos boiadores, sim, boiadores, porque ninguém precisa nadar ali.

Quando me dei conta de que eu não vivia ali e que precisaria conhecer a cidade, cruzei novamente a ponte e entrei na…

Catedral de Berna e seu terraço panorâmico

A fachada da catedral passava por restauro, mas mesmo tapumes e telas não impediram de perceber a beleza desta igreja gótica cuja construção teve início no século 15 e terminou apenas no 19. O pórtico exibe figuras do Juízo Final, pouco dos elementos originais sobreviventes à Reforma Protestante. A maioria das igrejas que visitei na Suíça era reformista, então esculturas, pinturas e outros adornos haviam sido retirados, e isso também aconteceu com a catedral de Berna. A beleza fica por conta dos arcos e vitrais e dos bancos do coro. Sua torre – que pode ser visitada mediante pagamento de pequena taxa – é a mais alta da Suíça, com 101 metros de altura, e servia como ponto de observação de focos de incêndio, uma vez que as casas no século 15 eram de madeira e foram destruídas em quase sua totalidade num terrível incêndio em 1405.

roteiro e o que faer em Berna
A torre da catedral se destaca no céu de Berna e seu terraço lembra uma fortaleza

O terraço panorâmico que fica atrás da igreja é um lugar agradável e foi lá que meu estômago decidiu que era hora de comer algo, porque nem só de paisagens vive uma mulher. Um pequeno café self service no canto esquerdo oferece pratos rápidos e bebidas e foi neste clima que mais uma vez relaxei enquanto saboreava minha salada grega e (gente, como é libertador relaxar 2 vezes numa mesma cidade, sabendo que tem um monte de coisas para ver e fazer!) e fiquei observando famílias com crianças aproveitando o calor do verão e turistas bebericando vinho nas mesinhas sombreadas. Mas tinha uma cidade para conhecer e saindo de lá caminhei até as ruas…

Kramgasse e Gerechtigkeitsgasse

Berna roteiro

O centro histórico de Berna entrou para a lista de patrimônios protegidos pela Unesco em 1983, que justifica sua inclusão pelo fato de ser um exemplo positivo de cidade que conservou sua estrutura medieval apesar das funções provenientes de uma capital moderna. A rua Kramgasse, e sua continuação Gerechtigkeitsgasse, era a principal rua da Berna medieval e onde funcionava o mercado da cidade. As fontes renascentistas e adegas de então permanecem, mas hoje bandeiras dos cantões suíços tremulam no alto, turistas dividem espaço com bikes, ônibus e carros entre as lojas e restaurantes estabelecidos nas galerias formadas pelas arcadas nas calçadas, característica marcante – mas não exclusiva – da cidade de Berna, não só belas, mas eficientes em dias de chuva, sol forte ou neve.

Fica li também Einsteinhaus (Kramgasse, 49), a casa-museu onde Albert Einstein viveu por 2 anos e onde escreveu os fundamentos da Física Moderna. Mas é em frente ao Zytglogge que os turistas param no tempo para observar o relógio astronômico, instalado numa torre de vigilância do século 12 que marcava um dos limites da cidade. A cada hora as figuras se movem: um bobo da corte toca o sino e uma figura humana e um urso dão uma volta. Se quiser conhecer o interior da torre e observar o funcionamento de seu relógio, confira o tour oferecido por nosso parceiro Get your Guide. Ingressos em torno de 18 euros.

Depois de um gelato de sabor inusitado caminhei até o final da rua em direção ao rio e encontrei à esquerda a…

Nydeggkirche e Nydeggbrucke

O trabalho em bronze das portas (de 1956) foi o que me chamou à atenção nesta igreja, mas ao entrar vemos um espaço simples sem adornos ou arte, como muitas igrejas que visitei na Suíça. A igreja fica num espaço onde havia um castelo da dinastia Zähringen, cujo monumento você verá no exterior da igreja.

Perca tempo aqui, nas duas extremidades e no meio da ponte (=brucke), de onde se tem uma das vistas mais legais das casas e telhadinhos de Berna e do lindo rio Aar, pois é ali que o rio faz a curva. Cruzei a ponte e à direita saí no…

Barenpark, o Parque dos Ursos

Segundo lenda local, o duque Zähringen prometeu nomear a cidade que estava prestes a fundar com o nome do animal abatido durante uma determinada caça. A vítima foi um bär (= urso) e hoje sua figura aparece em vários elementos, como em esculturas, fontes e ornamentos e até na bandeira oficial da cidade. Talvez isso justifique a existência do Barenpark, originalmente apenas um buraco redondo onde ursos eram mantidos, mas que desde 2009 ampliou-se para uma área útil – aos ursos – de 6 mil metros quadrados, com piscina, cavernas, bosques e gramado. Claro que viraram atração turística (isto é um fato, não estou me posicionando a respeito). Em minha visita havia um urso adulto e dois ursos jovens (provenientes de um zoo), que circulam entre o antigo buraco e o túnel que tem ligação com o morro que vai dar na beira do Aar. Há um funicular para humanos chegarem até o nível do rio e caminhar pela passarela envidraçada para observar os ursos. A piscina onde se refrescam nos dias mais quentes é uma raia paralela ao rio.

O dia estava acabando, o elevador citado acima já não funcionava mas não tive coragem de encarar os degraus porque teria de encarar a subida depois e eu já tinha feito isso mais cedo. Eu queria observar os ursos e torcer para que entrassem na piscina, mas dei meia volta, cruzei a rotatória na saída da ponte e comecei uma subida dura até o mirante do…

Rosengarten

Há um século esta área era um cemitério (outro com vista bonita assim, só vi em San Diego), mas hoje o lugar é só alegria, de moradores e turistas. Depois da subida exaustiva de 67 metros de desnível, recuperei o fôlego observando uma família e amigos comemorando um aniversário infantil, casais namorando, amigos conversando no happy hour do restaurante local. A foto da estátua de Einstein, que fica no final do caminho, não saiu tão bonita quanto eu esperava, assim como as rosas também não estavam tão chamativas.

Voltei ao centro histórico e caminhei pela Kornhausplatz, que na verdade não é bem uma praça, mas uma rua de calaçadas largas onde fica a controversa fonte Kindlifresserbrunnen, de 1545: um ogro devorando criancinhas. Ali também fica a Konzert Theater Bern

Se você prefere ter informações in loco, há boas opções em Berna:
1. audio tour com 6 horas de duração comercializado pela Get your Guide. As gravações estão disponíveis em Espanhol, Inglês, Francês, Alemão e italiano e a dica é pedir uma bateria extra para o i-pod para não ficar na mão.
2. tour privado com guia falando inglês ou alemão, com duração de 4 horas, também convenientemente comercializado pelo Get your Guide
3. tour a pé de 90 minutos pelo centro histórico (também em inglês e alemão), oferecido pela Get your Guide.

Outras coisas para Fazer em Berna

  • Quem curte jogos pode tentar a sorte no Cassino de Berna, que fica perto do Parlamento e da Kirchenfeldbrucke.
  • O Museu de Artes de Berna é o mais antigo da Suíça, de 1879, e guarda em seu acervo 3 mil pinturas e esculturas, entre outros.
  • Zentrum Paul Klee é um museu inaugurado em 2005 dedicado à obra de Paul Klee, artista suíço surrealista, cubista e expressionista. O edifício, projetado pelo italiano Renzo Piano, tem formas orgânicas e abriga a coleção de 690 obras doadas pela enteada de Paul Klee à cidade de Berna.
  • Do outro lado da ponte Kirchenfeldbrucke, há uma concentração de museus, como o Histórico de Berna, o da Comunicação, o de História Natural e o Eisnteein (não a casa)
museus Berna Suíça

Berna com crianças – dicas de mãe e professora

Centro Histórico – Se você visitará Berna com crianças, uma boa ideia é fazer uma ‘caça ao tesouro’ pelo centro histórico, em que elas têm que encontrar imagens de ursos nas fachadas, bandeiras, fontes, etc. Você os mantém interessados enquanto conhece a cidade e pode estabelecer previamente um ‘tesouro’ ao final da caçada, use a imaginação.

Além de visitar as áreas verdes como Rosengarten e trilhas à beira do rio Aar e talvez museus, dependendo da idade e interesse de seus filhos, uma boa pedida é o Gurten Park, uma área verde a 5 km do centro e a 855 metros de altitude com vista linda de Berna e dos Alpes. As crianças vão adorar o tobogã com desnível de 55 metros e a pequena ferrovia.

Outra opção é o zoo de Berna, o Tierpark Dahlholzli, que tem duas áreas distintas, a paga onde existem animais exóticos, e a gratuita, com animais domésticos típicos de fazenda. Além disso, tem playground e área para eles correrem e gastarem energia.

o que fazer em Berna com crianças

Onde Comer em Berna

Eu tinha anotado com carinho o nome de um restaurante lindo instalado num porão do século 18, que todo turista visita por sua localização, beleza e afrescos de Münger, o Kornhauskeller (de 1718), mas é claro que seguindo apenas minha intuição e prazer de comer ao ar livre acabou passando.

Outros lugares que estavam na minha lista são o Altes Tramdepot, uma cervejaria ao lado do Barenpark, e o restaurante no Rosengarten.

Mas para economizar, como em toda cidade, vila e em quase qualquer cantinho suíço tem uma Coop, rede de supermercado que fornece também pratos prontos, quentes ou frios, lanches, pães deliciosos, além de frutas e tudo o mais de um supermercado. E não fique com vergonha, não. Até os ricos suíços fazem isso!

onde comer em Berna
saladinha no terracço da catedral de Berna

Berna como base para outras cidades suíças

O fato de ser a única cidade grande suíça protegida pela Unesco devido a seu centro histórico medieval bem preservado já é razão suficiente para passar ao menos o dia em Berna. Dentre as cidades ‘grandes’ da Suíça, foi a que achei mais bonita, então vale a pena escolher Berna como base para conhecer lugares próximos, e com isso ter o prazer de acordar nela todos os dias. Como são muitos lugares e muitos detalhes, este assunto será tema de um novo post: Berna e Lucerna: boas cidades-base para explorar a Suíça. Sim, porque Lucerna é igualmente bonita e tem a vantagem de ser mais central.

Não se esqueça de contratar um seguro viagem que inclua cobertura para sua saúde e casos de cancelamento de voo, extravio de bagagem, entre outros. Ele é obrigatório nos países signatários do Tratado de Schengen (a maior parte dos europeus). Temos parceria com a Seguros Promo que oferece de$conto para leitores do Mulher Casada Viaja e uma variedade de companhias de seguro.
Ou você vai querer usar o plano gratuito oferecido pelo seu cartão de crédito, que trabalha pelo sistema de reembolso? Think twice!

Como Chegar a Berna e como se locomover

trem Berna suíça
a bela e eficiente estação de trem central de Berna

Se tem um país que mereça o adjetivo impecável no quesito transporte público é a Suíça. Viajar de trem lá não é barato, mas é fácil e cômodo. E Berna não foge a esta regra. Sua estação central (onde desembarquei vindo de Zurique), no nível térreo, é pequena, mas impressiona pelas formas de seu teto. Nas plataformas inferiores (que usei para viajar para Montreux, Lausanne e Zermatt), há um verdadeiro shopping de lojas, restaurantes e serviços. Se você chegar a Berna de trem, passe no escritório de turismo para informações ou pegar mapinhas.

É fácil caminhar da estação até os principais pontos turísticos, mas se precisar, há ponto de taxi do lado de fora da estação de trem, e ônibus e trams têm ponto final na praça coberta por vidro ponto final de ônibus e trams, a duas quadras da estação de trem.

Nos pontos de ônibus há um painel com os números das linhas e paradas, e mapa e tabela de horários. Além disso, um painel eletrônico informa em tempo real os próximos ônibus e em quanto tempo chegarão. Não há cobradores, eu subi e não precisei sem apresentar o meu Travel Pass, diferente das viagens de trem, quando sempre há um fiscal conferindo.

transporte na Suíça

Onde Ficar em Berna

Prefira ficar na cidade alta para facilitar a locomoção a pé pelo centro histórico. O desnível entre o centro e a faixa de terra próxima ao leito do rio é considerável para qualquer ser na função turista. Sugiro 3 regiões: Monbijou, o bairro onde fiquei, o centro histórico perto do Parlamento e o o centro perto de onde o rio Arr faz a curva. Com exceção do primeiro, os demais hotéis conheci apenas passando por fora (transparência a gente vê por aqui), mas todos têm boas avaliações de hóspedes (acima de 8 numa escala até 10) e são muito bem localizados.

Ah, quem se hospeda em Berna recebe o Bern Ticket, um passe que dá direito a transporte público gratuito enquanto durar sua hospedagem, inclusive para o funicular da montanha Gurten e do Marzilibahn.

Fiquei 3 noites no B&B Gutenberg, no bairro Monbijou, localizado numa rua tranquila e residencial a 700 metros da estação central de trem e 1,5 km da catedral de Berna. O B&B fica no primeiro andar (sem elevador) de um prédio aparentemente residencial e gostei do sistema de checkin: eles deixam uma caixa com um código que nos é passado por whats app, e com este código abrimos a caixa onde fica a chave do apartamento. Só fui conhecer os anfitriões no dia seguinte, quando o casal de proprietários preparou o caprichado café da manhã e ofereceu ajuda no roteiro não só em Berna, mas também nos arredores. Mal sabiam eles que eu já viajo com tudo prontinho! O café da manhã é servido numa sala ampla e clara que podemos acessar dia e noite, em mesa coletiva com outros hóspedes – o que é ótimo para quem como eu estava viajando sozinha. O quarto é enorme, com um janelão, cama e roupas de cama bem confortáveis. Se não me engano são 4 quartos apenas, e temos à disposição 2 banheiros completos. Um deles é imenso, uma típica sala de banho, com cuba dupla, uma banheira gigante e dois janelões que permitiam inundar o banheiro de luz pela manhã. Recomendo o lugar exceto para quem tem limitações de mobilidade, pois além de ser no primeiro andar, tem um lance de escadas no jardim, entre a calçada e a porta do prédio.

onde ficar em Berna

Ainda no bairro Monbijou, tem opções como o Ibis Styles Bern City e o Hotel La Pergola.

Se você quer ficar perto do Parlamento suíço, opte pelo Hotel Bellevue Palace Bern, um 5 estrelas localizado num edifício lindo Arte Nouveau, ou pelo Hotel Bären am Bundesplatz. o The Bristol também fica ali pertinho.

Outros hotéis colados nas atrações do centro histórico é o Nydeck e o Belle Epoque Boutique Hotel.

Wi-Fi em Berna e chip/simcard internacional

Esta Eurotrip durou 1 mês e viajei conectada com o chip da Viaje Conectado durante o tempo todo. Você compra e recebe ainda no Brasil e tem assistência por whats app em português caso não consiga fazer alguma configuração no seu smartphone para ele funcionar redondinho.

A estação de trem de Berna tem sinal de wi-fi aberto, assim como os supermercados da rede Migros, mas não usei e desconheço a qualidade e segurança.

Obrigada pela visita e, se você esteve lá ou não, deixe um comentário sobre suas impressões da capital da Suíça.

Você também pode resolver sua viagem por aqui! Usando os links abaixo para resserva de hotel, carro, compra de bilehtes, tours, chip internacional e seguro viagem, você contribui com a manutenção do blog – sem pagar a mais por isso, pode conferir – e ajuda outros leitores a continuar recebendo informação de qualidade e gratuita, na ponta dos dedos. Abraços!

28 COMENTÁRIOS

  1. Muito obrigada pelas dicas do que fazer em Berna. A Suíça será meu próximo destino, o blog está ajudando demais. Um abraço!

  2. Sou doida pra conhecer a Suíça, pena que o custo é tão elevado pra nós brasileiros, né? Mas vou me planejar direitinho, porque esse post me deixou com mais vontade ainda. Berna estará no roteiro, com certeza!

    • Débora, eu cheguei lá a partir da Itália e comparando os preços a gente se assusta, mesmo. Mas não sei se é tão mais caro que Londres, por exemplo. E o bom é que os supermercados salvam o dia com suas refeições prontas to go. Programe-se, sim, vale a pena.

  3. Amei as dicas do que fazer na capital da Suíça, nem sabia que era Berna! Suíça me encanta, quero ir ate o final de 2020, meta de vida!

    • Muita gente acha que é Zurique ou Genebra, por isso eu fiz que questão de dizer. Se você curte montanhas, Suíça vai te enfeitiçar.

  4. Conhecemos muito pouco da Suiça e estamos planejando uma viagem pelo país em breve. Minha expectativa sobre Berna estava baixa, até ler seu post. Que lugar incrível, estou aumentando a quantidade de dias para aproveitar tudo na cidade. Muito obrigada pelas dicas!

    • Nos meus planos irreais, eu ficaria 22 dias na Suíça, para conhecer outros lugares que nesta viagem não consegui, mas a gente vai lendo e percebendo que nem 30 dias seriam suficientes para quem como eu quer montanhas, montanhas, montanhas.

  5. Ótimas dicas do que visitar em Berna. Se post me deixou com saudades da Suíça. Berna foi uma das cidades que mais gostei. Também fiquei alucinada com a cor do Rio Arr. A cidade parece ter saído de um quadro de tão bonita. E uma vez na Suíça só o Coop para salvar nossos bolsos. risos.

    • Eu já tinha me impressionado com o tom do rio Limmat em Zurique, mas o traçado do Aar torna esta parte de Berna um cenário de pintura, mesmo. E viva o Coop!

  6. Márcia, que viagem incrível! A Suíça é mesmo linda! Conheci poucas cidades mas é um destino que quero repetir e certamente incluirei Berna em meu roteiro. Ótimas dicas

    • Também quero repetir e já tenho até desculpa: como fui sozinha, preciso ‘levar’ o marido, agora. ehhe

  7. Saudades da Suíça e de Berna. Achei a cidade adorável, com aquele centro histórico genuíno. Tivemos oportunidade de fazer uma visita guiada no interior do Parlamento e aprendemos imenso – é uma nação admirável em muitos sentidos – e também conhecemos a casa do Einstein, que tem um cafezinho muito bom. Só não me lembro de passar nessa praça Kleine Schanze…
    E o detalhe dos ogres comedores de crianças é demais, né? O Pedro ficou horrorizado, haha. Beijinho querida

    • Ruthia, eu adoro ficar perambulando pelas ruas – e com o clima tão favorável, não entrei nem em restaurante para almoçar fiz tudo ao ar livre. Mas seu post sobre o Parlamento me deixou com vontade de ter conhecido o interior…

  8. Que incrível a cor do Rio Arr, imagina se em São Paulo fosse assim né?
    Adorei saber um pouco mais sobre Berna, e realmente parece ser uma cidade incrível, achei as construções bem interessantes.

    • Impossível não pensar no nosso Tietê toda vez que vejo um rio limpo cortando uma cidade, né Diego?

  9. Oi Marcia, sabe que eu tenho uma vizinha, que a irmã dela mora na Suíça e sempre vinha pro Brasil aproveitar o nosso verão… eu, obviamente, já passei horas batendo papo com ela sobre esse país tão diferente do nosso! Mas lendo seu texto sobre Berna e “a praça é nossa”, fiquei com mais vontade ainda de conhecer!

    • Fernanda, como eu disse, acho que o fato de ser verão transforma a experiência. Mas na minha opinião o melhor da Suíça são as vilas encravadas nos vales dos Alpes.

  10. Suíça me encanta demais, estou planejando uma viagem e amei seu texto. Berna que cidade lindaa, já salvei aqui para ajudar no planejamento. Parabéns pelo blog.

    • Difícil é escolher qual é a mais bonita cidade, mas Berna é forte candidata. Anote aí duas cidades pouco visitadas por brasileiros e que são lindas: Schaffhausen e Stein am Rhein.

  11. Que cidade linda. Ainda não conheço a Suíça, é um país que pretendo conhecer com calma, sem colocar outro no roteiro para curtir ao máximo e claro que Berna está nos planos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui