Os Castelos de Bellinzona na Suíça

Bellinzona, cidade suíça e capital do cantão Ticino, parte italiana do país e conhecida por seus 3 castelos medievais foi uma agradável surpresa em minha passagem rumo a Lugano. Confira o que fazer em Bellinzona, como chegar lá e outras informações para você incluí-la em seu roteiro pela Suíça.

Castelos de Bellinzona na Suíça
Castelgrande visto do Castelo Montebello

Tomei o trem em Lucerna cedo, com a ambição de conhecer os castelos de Bellinzona e o centro histórico, e ainda fazer algo em Lugano à tarde. Assim que cheguei na estação, já me senti ’em casa’: italiano, música para meus ouvidos, um alívio depois de ouvir tanto alemão suíço – e não entender uma interjeição.

Se como eu você tiver a sorte de chegar a Bellinzona num sábado de manhã, encontrará a principal rua da cidade (Viale Stazione) em festa por causa da animada feira de rua com produtos alimentícios locais, como salame, queijos, pães. Muitas barracas vendem roupas de linho a preços populares para os padrões suíços. O artesanato confesso que achei bem fraquinho, deu até vontade de comprar bijus na 25 de março e ir vender lá (e viver na Suíça italiana!).

Músicos de rua dão o tom e deixam a manhã mais animada ainda. Quando a feira acaba, a sensação é de que a cidade está adormecida, não se vêem pessoas pelas ruas (ou será que era a hora sagrada do almoço?) e isso me influenciou a pegar o trem mais cedo do que eu esperava para Lugano e não visitei todos os pontos turísticos que sugiro neste post.

bellinzona na suíça

Mas ainda no meio da muvuca, desviei das vans e barracas e entrei na Chiesa Collegiata dei S Pietro e Stefano. De fachada românica e interior barroco, que mais uma vez trouxe a sensação de eu não estar na Suíça.

Ao final da rua, mais um edifício com características italianas, o Palazzo Civico, sede da prefeitura, mas que apesar da aparência renascentista foi construído na primeira metade do século 20, no lugar do deteriorado.

Bellinzona suíça

Os Castelos de Bellinzona, Suíça

Duas rotas/estradas medievais passavam por Bellinzona e os 3 castelos que dominam suas colinas são as únicas fortalezas que sobraram nos Alpes suíços que testemunharam a história. Na lista de patrimônios mundiais da Unesco desde 2000, foram construídos por famílias cujos nomes nos soam familiares (ao menos se você já esteve no Norte da Itália), os Sforza e os Visconti. Ao longo do século 15, a região estava sendo dominada pela nova confederação suíça e Bellinzona se mantinha italiana, até que o reino de Milão foi vencido pela França, em 1503, e Bellinzona entregue aos suíços.

Castelo Montebello

Dos 3 castelos de Bellinzona, visitei apenas o Montebello, subindo a ladeira/escadaria estreita braba, num desnível de 90 metros acima da cidade, na Piazza Collegiata. Além de caminhar pela muralha e pátio, existe um museu arqueológico na torre, com objetos de várias eras encontrados em escavações.

Um gramado nos convida a sentar (e talvez um picnic) e aproveitei para fotografar o marco Grand Tour of Switzerland, presente em vários pontos turísticos da Suíça.

O castelo Montebello abre de segunda a domingo, das 10h às 18h, de março a início de novembro. Custa CHF5 e crianças até 6 anos não pagam.

Castelos de Bellinzona na Suíça

Castelgrande

O Castelgrande fica na colina oposta, num paredão rochoso bem no centro histórico, acima da Piazza del Sole, onde tem um elevador de acesso ao castelo e isso faz dele o mais fácil de ser visitado. Na foto abaixo, uma ‘nuvem’ soltava spray para refrescar os passantes na mesma praça.

Quando estive lá, a Torre Nera (a outra é a Branca, mas confesso que achei as duas da mesma cor), que abiga mostras temporárias, tinha um Escape Room! Não perca a chance de viver esta experiência, aí me conta na volta. É preciso agendar, pelo site Blockati. Ali também há um museu ilustrando a história de Bellinzona e um restaurante gerenciado pela Escola de Turismo de Ticino.

Escavações no local onde está o Castelgrande revelaram objetos do neolítico e que a primeira fortaleza é do século 4. A exemplo de outros castelos, este passou por muitas mudanças ao longo dos séculos e a última restauração foi entre 1984 e 1991.

castelos de Bellinzona na suíça

Castelo de Sasso Corbaro

O mais alto dos castelos, 230 metros acima da cidade, Sasso Corbaro foi a maior defesa de Bellinzona, com paredes próximas de 5 metros de espessura. Abandonado em 1798 e muito deteriorado, em 1870 foi renovado e transformado em residência de veraneio por iniciaitva privada. O governo de Ticino tomou posse dele em 1919, quando o restaurou junto com portão principal, capela e poço. Infelizmente não o visitei.

Para idosos, crianças pequenas ou para quem tem mobilidade reduzida

Subir as colinas para conhecer os castelos de Bellinzona, na Suíça, pode não ser tão agradável ou fácil para alguns, então o trenino dei casteli é uma opção. É uma jardineira que parte da Piazza Collegiata (Dom a Sex) ou da Piazza Teatro (Sáb). Os ingressos são vendidos no Ufficio Turistico Palazzo Civico e da estação de trem. Custa CHF 12 para adutos e 5 para crianças. Idosos (+65) e crianças de 6 a 16 anos pagam 10. Desconto de 30% para quem tem o Ticino Ticket.

castelos de Bellinzona na suíça

Como Chegar a Bellinzona

O trem é a forma mais prática de viajar pela Suíça, principalmente se você tiver comprado um passe como o Swiss Travel Pass, o que barateia os bilhetes. Mas leia sobre o Ticino Ticket mais abaixo. Cheguei em Bellinzona depois de passar 3 dias em Lucerna. De Lugano são 30 minutos de trem apenas e de Milão menos de 2 horas pelo Intercity da Trenitalia.

Se como eu você estiver em Bellinzona apenas de passagem, deixe sua bagagem no locker da estação. Custou CHF 8.

Confira como organizei esta viagem em Suíça:Roteiro de 14 dias no verão, onde tem informações básicas de planejamento de viagem par ao país do canivete. E leia sobre outros lugares que visitei na Suíça

Ticino Ticket e Bellinzona Pass

Se você visitar 3 castelos, vale a pena comprar o Bellinzona Pass, que dá direito a conhecer o interior dos 3 castelos e o museu Villa dei Cedri por CHF18. E o melhor é que dá pra comprar antecipadamente online pelo GetyourGuide.

Hospedando-se em hotel, hostel ou camping do cantão de Ticino você terá direito ao Ticino Ticket, que além de transporte gratuito oferece descontos em teleféricos, barcos e passeios durante sua estadia. De Lugano a Milão, paguei apenas 5 francos, com o desconto do Ticino Ticket. Para ir de Lugano a Bellagio, no lago de Como, foram apenas CHF 3! Ms não compre nas máquinas, vá a uma loja da SSB presente nas estações de trem e apresente o Ticino Ticket.

Onde Ficar em Bellinzona

Eu fiquei em Lugano, no Acquarello Swiss Quality Hotel (CHF 198 por duas noites com café), mas vi fotos de Bellinzona à noite e senti não ter ficado na cidade: os castelos iluminados renderiam fotos maravilhosas!

Veja as opções de hospedagem em Bellinzona e Lugano.

castelos de Bellinzona na suíça

Quanto tempo ficar em Bellinzona

Se você não vai entrar em museus, 2 horas são suficientes para caminhar pelas ruas do centro histórico e entrar nas igrejas. Reserve ao menos mais 2 horas caso queira entrar nos 3 castelos. Mas é claro que o tempo depende do ritmo de cada um. E do preparo físico!

Mais em Bellinzona

  • Igreja San Biagio
  • Igreja di Santa Maria delle Grazie
  • Museu Villa dei Cedri

Mais Castelos na Europa

Estes castelos de Bellinzona são na verdade fortalezas militares, mas na Europa há vários castelos residenciais que viraram museus, com salas mobiliadas e ricamente decoradas. Os mais lindos que já vi são os Castelos da Alemanha.

Blogagem Coletiva

Este post faz parte da Blogagem Coletiva do grupo 8on8, cujos membros publicam sempre no dia 8 um artigo com um tema em comum e este foi Castelos. Confira suas sugestões:

6 COMENTÁRIOS

  1. Oi Marcia, que bacana essa paradinha que você deu em Bellinzona, pode conhecer várias coisas. Na Europa tem tanta história que uma pequena cidade, tem três fortalezas abertas para visitação. Gostei bastante de saber um pouco de uma cidade que não conhecia. Deve ter sido uma viagem muito legal. Bj

    • Foi, sim, Zudi, e como da Suíça se conhecem mais as cidades grandes, fiquei surpresa com o que encontrei nas históricas e pequenas. obrigada pela visita!

  2. Ah, Márcia, como sempre seus posts são lindos e verdadeiras dicas para viajantes que desejam conhecer destinos incríveis como a Suíça. Para falar a verdade, não sabia que a Suíça tinha castelos tão especiais e conhecidos, só estive em Lugano, em um bate-volta partindo de Milão e já achei o máximo. Imagina conhecer estas preciosidades que você mostrou aqui.
    Adoraria incluir em uma próxima viagem à Europa, torcendo aqui para que isto se realize. Beijos.

  3. Não conheço nada na região italiana da Suíça, mas como adoro Itália, acho que também me sentiria em casa em Bellizona. Estamos habituados por aqui a vencer as ladeiras para visitar castelos, mas com muito calor é sempre difícil.
    Acho que a “inacessibilidade” faz parte do encanto dos castelos, faz com que sejam vistos de longe. Dicas anotadíssimas, para quando voltar ao país.

  4. Adorei saber essas dicas precisas e preciosas, principalmente dos passes que barateiam as passagens de trem. Estive em Milão e quase fui a Lugano. Vejo que na próxima viagem tenho que conhecer Bellinzona também.
    Obrigada pelo texto super completo. Bjs

  5. Amei conhecer essa cidadezinha e o castelo com o seu post. Que lindos! Pena que você só conseguiu visitar um castelo! Também gostaria de visitar no dia da feirinha. Adoro!!! E fiquei encantada com o trenzinho… rsrs Acho tão fofinho! Não costumo usa esse tipo de transporte, mas acho fofinho demais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui