Compras no Egito: dos clássicos souvenirs nos souqs a shopping centers e supermercados

Compartilhe:

Conteúdo do Artigo

compras no Egito artesanato

O que comprar no Egito durante a viagem? Entre templos e pirâmides, passeios no deserto ou na caótica Cairo – ou no abençoado ar condicionado de um moderno shopping, confira nossa experiência de compras no Egito.

Como o Egito não é um país caro, e tem coisas lindas principalmente para a casa, você vai querer trazer uma mala cheia. Sempre levamos uma bolsa-sacola (duffel bag) dobradinha na mala despachada do voo de ida, e para o voo de retorno ao Brasil enchemos a danadinha com comprinhas e objetos delicados e a usamos como mala de bordo.

Mesmo com esse preparo, deixamos de comprar, numa loja estilo Camicado no shopping Citystars, um jogo de chá com um jarro árabe, lindo! por falta de espaço. E outras tantas coisas por falta de tempo.

A não tão doce arte de barganhar durante as compras no Egito

Ah, negociar… Se você gosta de negociar vai amar fazer compras no Egito! É legal a princípio, mas numa viagem em que temos pouco tempo sempre, isso cansa. Houve momentos em que eu até queria e podia comprar algo, mas só de pensar em ter que negociar já me desanimava.

Nada tem preço exposto, nem mesmo nas lojas de shopping. O valor pedido sempre será ao menos o dobro do que realmente vale, mas você precisa jogar o preço umas 3 vezes pra baixo pra chegar no que vale. Essa negociação leva tempo, às vezes nos deixa pra baixo, porque o cara vai falar que tem filhos pra sustentar (o que pode muito bem ser verdade, o Egito é um país com muita pobreza), você diz que não ganha em dólares ou euro, que é brasileira… Teve um cara que até ligou pra alguém pra perguntar se podia aceitar nossa oferta em um souvenir. Se foi encenação, não sei.

Eu tinha lido sobre a técnica de agradecer após negociar um pouco, e ir embora para que o vendedor concorde com a oferta inicial. Acabei usando-a no souq do Cairo, o Khan El Khalili. Foi muito engraçado, porque no momento em que deixava a loja contando para meu marido sobre a técnica, o vendedor nos chamou de volta aceitando o preço que havíamos oferecido!

Eu pensei que barganhar era necessário apenas ao comprar algo, mas descobri que até um cafezinho na estrada entra na cansativa cultura da barganha. Quer dizer, eu não barganhei e paguei bem caro por um café. Acho que foi mais exploração, mesmo, porque quando paramos num lugar pra comprar água na estrada a caminho do Oásis de Fayoum, reclamamos com o guia e ele conversou com o interveio, baixando o preço. Então, qual a linha que divide barganha e exploração?

compras no Egito barganha
parada no meio da estrada

Leia sobre gorjeta, caixa eletrônico e câmbio em
Viagem ao Egito: dicas essenciais e roteiro

As compras no Egito incentivadas pelos guias

Em quase todos os templos há um mercado típico árabe ou ao menos algumas tendas com produtos à venda para o turista. Quase sempre mais do mesmo, mas a cada visita eu enxergava algo diferente. No porto que leva ao Templo de Philae, em Assuã, havia bijus lindas, e não paramos nem para vê-las porque o guia insistia que os melhores produtos estavam na Vila Núbia.

Espero que você não seja tão cordeirinho como fui na hora de fazer compras no Egito. Se bater os olhos e quiser parar para negociar e comprar, faça, porque a viagem é sua! Os guias se preocupam em fazer tudo no relógio, e entendo ser parte da obrigação deles, mas chega a ser frustrante essa correria.

Aliás, seu guia provavelmente levará o grupo a lugares onde o relógio parece passar bem mais devagar, como a loja de papiros, a oficina de alabastro e a de perfumes. Fiquei muito incomodada com a demora na loja de alabastro, depois de termos corrido tanto nos templos. Pra demonstrar meu descontentamento, entrei na van depois de tempo demais numa loja.

Na loja de papiros, em Gizé, foi interessante ver como o papiro era e é feito artesanalmente. As pinturas feitas sobre o papiro são todas com o tema egípcio, então pense antes de comprar se combinarão com sua decoração ou se ficará perdido no armário. O Museu do Papiro de Gizé fica na 112, Al Nil.

Em Assuã, os guias te levarão ao Palácio dos Perfumes e você assistirá a uma apresentação a respeito das propriedades de óleos essenciais e perfumes famosos. Lá também vendem delicadas garrafinhas de vidro soprado. Ali também é possível barganhar.

compras no Egito  palácio dos perfumes

Outro local geralmente incluído nos roteiros onde os turistas aproveitam para fazer compras no Egito é a fábrica de alabastro. Mineral local que quando trabalhado se transforma em peças utilitárias ou decorativas muito bonitas, mas é bem pesado, olha a franquia da bagagem! Na entrada da loja que visitamos tem uma encenação engraçadinha em que as etapas para se fazer um vaso são mostradas. A loja é grande, com várias peças de outros materiais, também. Uma sala especial tinha réplicas de objetos expostos no Museu Egípcio. Lindas!

Compras nos museus do Egito

No Museu Egípcio do Cairo e no Museu da Civilização Egípcia há lojas com produtos de boa qualidade, mas como toda gift shop de museu os preços são mais altos. Você encontrará livros, peças decorativas, muitos tipos de souvenirs.

compras no Egito  museus

O Souq Khan El Khalili

compras no Egito

Depois de passear no tão-perfeitinnho-que-parece-parque-da-Disney souq de Doha, foi um desafio percorrer as ruelas do mercado do Cairo. E nosso guia nos levou pela manhã, quando ainda estava tranquilo, mas por outro lado tinha muitas lojas fechadas. E infelizmente a mesquita vizinha, a Al Azhar, estava em obras e tudo estava mais empoeirado do que o normal – eu acho.

O mercado Khan el Khalili é o mais antigo souq do Egito e tem de tudo um pouco. Mesmo, até raposas e coelhos empalhados tocando instrumentos musicais – eu vi com meus próprios olhos. De lá eu trouxe uma lembrancinha típica, uma pirâmide para um sobrinho de uma amiga. Meu marido quis uma lamparina do tipo de Alladin e não é que ficou bonita junto a garrafa e copos bico de jaca?

Não deixe de visitar, nem que seja apenas para olhar. Algumas lojas têm produtos lindos, mas outras vendem tanta coisa, tudo junto e misturado que cansa só de olhar. Para meu contragosto, o grupo não quis se aventurar pelas ruelas empoeiradas, estreitas e sob os olhares masculinos egípcios, então ficamos pouco tempo.

compras no Egito alabastro

Compras durante o cruzeiro no Rio Nilo

Nos navios de cruzeiro é comum ter uma lojinha e aproveitamos para encomendar um anel com meu nome em hieróglifo e uma pulseira para o maridão do mesmo tema. A encomenda ficou pronta em menos de 24 horas.

A experiência inesquecível de compras no Egito foi durante o cruzeiro no Rio Nilo, na aproximação da eclusa de Assuã. Compramos uma toalha de mesa com motivos egípcios, muito pela situação inusitada da aquisição: os vendedores anunciam seus produtos em barquinhos a remo ao lado dos navios, gritam o preço, a gente grita de volta um valor menor, eles jogam a mercadoria para atingir o quarto nível no navio antes de fecharmos o negócio. O navio vai se aproximando da eclusa e nada de o negócio se concretizar. Nervos de aço. O barquinho entra na eclusa junto com o navio! Finalmente acordamos um valor e jogamos de volta o dinheiro embalado em um segundo pacote que ele havia jogado. Uma viagem ao Egito é viver fortes emoções até pra comprar um souvenir!

Ainda não sei se ao comprar desses vendedores embarcados em canoas é uma boa ação ou não. Por um lado contribuímos com sua renda, por outro mantemos viva uma tradição que é perigosa e com certeza envolve propina.

compras no Egito

Compras na Vila Núbia e no Copto

Este em geral é um passeio pago à parte. Eu não me vi muito atraída, mas no final foi um passeio bem legal. Quando publiquei este post ainda não tinha escrito sobre esse tour, por favor procure na página-índice Egito.

Na Vila Núbia as ruas de terra são tomadas por barracas e você vai encontrar um pouco de tudo: roupas, acessórios, alimentos. Mas o melhor souvenir com certeza serão as recordações desse passeio: o perfume de incenso pelas ruas, o passeio de barco pelo rio Nilo, a contemplação das margens do rio, a visita a uma escola e casa-pra turista-ver.

Foi lá que as meninas do grupo fizeram tatuagens de hena, e compramos as túnicas para a festa árabe no navio de cruzeiro no Rio Nilo. Também comprei garrafinhas de vidro soprado com areia do deserto. Minha cunhada tinha encomendado areia do Saara de lembrança, e aproveitei e comprei meia dúzia, uma para cada cunhada! A negociação foi rápida.

compras no Egito

No bairro copto, o bairro cristão do Cairo, tem muitos livros em que o Egito é o tema principal, e acho uma ótima lembrança pois são informativos e têm imagens lindas que nem sempre conseguimos tirar. Uma loja enorme de souvenirs me fez pensar que Michael Jackson compraria tudo ali. Até réplicas de tronos dos faraós! Mas há peças pequenas e acessíveis, também.

Shopping center no Egito

Visitamos dois shoppings na grande Cairo, um em Heliópolis e outro em Gizé, respectivamente o Citystars e o Mall of Arabia. Seguem o formato dos malls ocidentais: têm lojas de grandes marcas internacionais e lojas locais e praça de alimentação (leia Comida no Egito). O Mall of Arabia é num plano só, e estava bem cheio na noite em que fomos, mas não gostei muito das lojas. O CityStars tem vários níveis e é bem grande, com muitas lojas boas. Se tiver que escolher apenas um, visite este, embora seja bem distante.

Como foi minha primeira vez num país árabe, visitar o shopping foi uma boa chance de observar as pessoas num lugar menos turístico. Foi no shopping que vi homens de mãos dadas, um costume nos países árabes.

Quanto a compras em shopping no Egito, roupas e calçados ocidentais não vale a pena. Os preços são equivalentes ou ainda maiores que no Brasil, em lojas como Zara e Gap.

compras no Egito

Supermercado

Essencial numa viagem a qualquer lugar é dar uma passadinha no supermercado e ver frutas, legumes, verduras e produtos industrializados, também. No Egito tem Carrefour e visitamos um em Gizé, com o apoio de nosso guia que esperou pacientemente na van (mas teria sido legal se ele nos apresentasse as coisas…).

Não achei frutas ou legumes muito diferentes dos daqui, não. Muitas marcas internacionais, como Oreo e muita coisa da Nestlè são reconhecidas nas prateleiras. É divertido ver produtos conhecidos com a escrita árabe, como a batata Lays.

Percebi que as embalagens dos produtos são bem grandes, porque as famílias são numerosas. A margarina deve ter dois quilos! O que chama à atenção, além do tamanho das embalagens, é a quantidade de temperos e outros produtos vendidos a granel, espelhando os mercados de rua.

Como estávamos às vésperas do ramadã, havia um espaço no mercado específico com produtos consumidos nesse período, muitas frutas secas, como damasco, uvas passas (vi vermelhas!) e alfarroba, que também não conhecia e descobri que é um substituto para o chocolate. A bebida sobia, à base de arroz, coco em pó e laticínios, também é típica.

Falar sobre compras no Egito é algo muito amplo, e procurei compartilhar um pouco do que vi por lá. Espero ter ajudado. Bom Egito pra você!

Marcia Picorallo

Marcia Picorallo

Escrevo o Mulher Casada Viaja com carinho desde 2014, compartilhando minhas impressões dos lugares por onde passei, inspirando e ajudando leitores a planejar suas aventuras.

Índice

Márcia, a viajante

Márcia, a viajante

Bem-vindo a bordo - e nem precisa apertar os cintos! Escrevo o Mulher Casada Viaja com carinho desde 2014, compartilhando minhas impressões dos lugares por onde passei, inspirando e ajudando leitores a planejar suas aventuras.

SAIBA MAIS

Assine a Newsletter

Resolva sua Viagem

Hospedagem

Faça suas reservas de hotel, apartamento ou B&B

Aluguel de Carro

com parcelamento e isenção de IOF, no caso de aluguel no exterior

Viagem Segura

Viaje com Seguro, viaje tranquilo!

Roteiro Personalizado

Não pode planejar tudo sozinho e prefere contar com minha ajuda? Clique .

Artigos Recentes

Leia Também

Siga no Instagram

Planeje sua Viagem Aqui

Blogs de viagem são muito úteis no planejamento de viagem e gratuitos para o leitor, mas têm um custo para serem mantidos no ar – além do trabalho para edição. Se você gostou das dicas do Mulher Casada Viaja, saiba que pode retribuir e contribuir para que continuem chegando gratuitamente a quem busca inspiração e informação de qualidade. Basta clicar sobre os links de nossos parceiros. Você planeja sua viagem e retorna a gentileza:

Aluguel de Carro

com parcelamento e isenção de IOF, no caso de aluguel no exterior

Hospedagem

Faça suas reservas de hotel, apartamento ou B&B

Ingressos sem Fila

Ingressos de atrações, excursões e tours

Viagem Segura

Viaje com Seguro, viaje tranquilo!

Roteiro Personalizado

Não pode planejar tudo sozinho e prefere contar com minha ajuda? Clique .

COMENTÁRIOS

10 respostas

  1. Caramba Márcia, você me transportou para a minha lua-de-mel no Egito há ziliões de anos. Também achei cansativo ter que barganhar tudo, até uma garrafa de água, mas como estava com um grupo que não falavam inglês acabei por servir de intérprete. Comprei mais para os outros do que para mim (incluindo algumas toalhas na eclusa). Mas até hoje tenho um papiro da Nerfetiti que é lindo demais

    1. Não foram zilhões de anos, Ruthia ahaha. Lembro que há uns anos compartilhamos destinos que gostaríamos de conhecer, já visitados por colegas, e o Egito foi o que escolhi dentre suas viagens maravilhosas.

  2. Eu ado saber o que vale apena trazer dos destinos que vou, muito legal as sugestões do que comprar no Egito, essa é uma viagem que quero muito fazer.

  3. Ao ler o seu post fui transportada para uma viagem que fiz á Tunísia onde tive que fazer várias negociações para comprar os meus souvenirs. Percebo perfeitamente quando diz que cansa porque realmente torna-se extremamente cansativo cada vez que gostamos de algo ter que entrar nessa disputa.

  4. Amo seus posts sobre o Egito, Márcia! Mas confesso que esse das compras me deu uma certa preguiça, porque barganhar é algo que me dá uma preguiça imensa – especialmente quando é praticamente obrigatório e ainda em outra língua. E como vc fez para negociar com quem não falava inglês?

    1. Também tenho pouca disposição para barganhar, ainda mais quando vemos como as pessoas são simples e dependem daquilo, então a barganha é rapidinha, só pra manter a tradição. Quando não falavam inglês, ou eles chamavam alguém que falasse (quando estávamos sem o guia) ou nós chamávamos o guia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa Newsletter!

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos por e-mail.