Viagem ao Egito: dicas essenciais e roteiro

Se você está planejando uma viagem para o Egito por conta própria este artigo vai ser de muita utilidade. Se prefere a comodidade de viajar para o Egito com o apoio de uma agência brasileira ou local, ainda assim sugiro que você leia bastante a respeito do destino e compartilho sugestões de agências para contratar. Apesar de toda informação, apesar da tecnologia, apesar de tudo, viajar para o Egito não é como viajar pelo Brasil, para Europa ou América do Norte. E mesmo lendo e assistindo a vídeos, nada vai se comparar a viver a experiência de estar no Egito, então vale muito investir nesta viagem, que até em termos financeiros é ótimo custo-benefício.

O encontro com a protagonista. Foto de nosso guia, o incansável fotógrafo Amir

Neste post você encontrará respostas para muitas das dúvidas que tive enquanto namorava o destino, e mesmo durante o percurso de 15 dias da terra dos faraós.

Conteúdo ocultar

Melhor Época para uma Viagem ao Egito

A primeira coisa para planejar uma viagem é saber qual a melhor época para ir. De acordo com o destino, isso afetará imensamente sua experiência, e uma viagem para o Egito isso deve ser levado em consideração mais que em outros casos. O bom é que a alta temporada, a melhor época, coincide com férias escolares, olha que coisa boa!

Egito no Inverno

O Egito fica no hemisfério Norte, então as estações são opostas às nossas no Brasil. Os meses mais frios, de novembro a março, são os ideiais para uma viagem ao Egito, embora sejam os meses com mais turistas, principalmente entre dezembro e janeiro.

Estivemos lá entre o fim do inverno e início da primavera, em meados de março. A princípio pegamos dias bem frios, principalmente pela manhã, quando foi preciso usar uma jaqueta corta vento. Nesta época, se você puder, programe-se para visitar museus pela manhã, principalmente no Cairo, quando a neblina do inverno prejudica a qualidade das fotos, deixando os passeios ao ar livre para a tarde. Além disso, estará protegido do frio.

egito abu simbel
Meu Indiana Jones em Abu Simbel, no sul do Egito

Egito no Verão

Os meses mais quentes, que vão de maio a outubro, não são os mais aconselháveis para ir ao Egito clássico, aquele dos templos e pirâmides. No verão as temperaturas podem variar de 40o a 55o, que somadas à aridez do deserto, principalmente mais ao sul, em Assuã e Luxor, tornam sua viagem ao Egito um literal sufoco. Por outro lado, esse calorão é perfeito para aproveitar os destinos de praia do lindíssimo Mar Vermelho, como Hurghada, Marsa Alam, Sharm el-Sheikh.

Caso você esteja se perguntando sobre chuvas, lembre-se que no deserto também chove, embora muito pouco. O mês mais chuvoso é janeiro, quando chove a média de 1.3 dia (rsrs). Veja tabela abaixo:

Temperaturas médias do Cairo

Coloquei apenas a tabela de temperatura do Cairo, pois o clima não muda muito em todo Egito, embora seja mais calor no sul, obviamente.

Ramadã no Egito

Considere também o período sagrado muçulmano, o ramadã, que tem data móvel, e em 2022 foi entre Abril e Maio. Pode ser algo interessante estar lá nos primeiros dias ou nos finais, para presenciar a festa mais importante da religião muçulmana. Casosua viagem inteira seja durante o ramadã, a vantagem é de poder observar os costumes locais, e a desvantagem são as horas reduzidas no comércio e em outros estabelecimentos – por mais que eles insistam em dizer que a vida do turista segue normal.

Nós estávamos no Cairo nos primeiros dias do ramadã e vimos a decoração de ruas com estrelas e luas, bandeirolas em ruas mais simples e restaurantes e supermercados apresentavam um mesmo padrão de estampa nos tecidos onde eram colocados os alimentos.

ramadã no egito
decoração de ramadã em shopping de Cairo

Foi uma feliz experiência ver ruas, lojas, restaurantes e hotéis decorados para o ramadã, conhecer os alimentos típicos desta data e observar o comportamento das pessoas. No aeroporto do Cairo, por exemplo, vi um monte de alimentos no chão do hall dos banheiros perto do portão de embarque. Depois de usar o banheiro, já eram umas 18h15, o sol tinha se posto, e 3 ou 4 funcionários se sentaram para um picnic improvisado. Por Alá, podiam oferecer para estas pessoas um lugar mais digno para comer.

Durante o ramadã, o horário de pico do trânsito maluco do Cairo é antecipado, pois os muçulmanos, que são maioria no Egito, devem fazer jejum absoluto do nascer ao por do sol. Então evite estar num carro ou van entre as 15h e 18h, principalmente no Cairo que já tem trânsito pesado, quando a maior parte da população está se deslocando para casa para o iftar, o desjejum.

Eu pensei que em todo lugar o iftar tivesse um cardápio mais ou menos fixo, como nosso peru de Natal ehehe, mas os cardápios seguem o tipo de comida oferecida pela restaurante. Se é italiano, o cardápio do iftar será italiano. Veja o cardápio do café O Sole Mio, num shopping pequeno dentro do hotel Fairmount:

Visitamos o Museu Nacional da Civilização Egípcia durante o ramadã, que estava incrivelmente vazio. Antes do início do ramadã, vimos muitas excursões escolares nos pontos turísticos, então talvez seja uma boa época para evitar ainda mais aglomeração. Mas tehna certeza de que no final da tarde tudo estará fechado, e a vida volta ao normal após o pôr do sol.

viagem ao egito museus
Museu da Civilização Egípcia

Resumindo:

  • assim como o comércio, museus fecham mais cedo, e li que alguns podem abrir à noite, depois de terminado o jejum diário. Sugiro que entre no site do museu que pretende visitar durante o ramadã para confirmar o horário.
  • mesquitas já ficam fechadas para turistas durante as 5 orações diárias, que levam 5 a 10 minutos, segundo soube. Mas as mesquitas abertas ao público, como a de Mohamed Ali, conhecida como a Mesquita de Alabastro, fecham durante a principal oração do dia, entre 12h e 14h.

Quantos dias para uma inesquecível viagem ao Egito?

Confesso que cheguei a questionar se 15 dias não seriam demais, se eu não ficaria cansada com tantos templos funerários e religiosos que requerem atenção, como uma aula de História. No final eu estava satisfeita, mas se tivesse tido ao menos mais 2 ou 3 dias eu teria curtido, também. Porque mesmo tendo visto zilhões de templos, museus, palácios e mesquitas, eu queria ter visto outros tantos que não tive oportunidade, principalmente entre Assuã e Luxor. Explico o porquê.

Entre Assuã e Luxor estávamos em cruzeiro e por isso o tempo era contadinho, tudo cronometrado para sair do navio e voltar a tempo de recomeçar a navegação. E é justamente nesta região que fica o Vale dos Reis, muitos templos ruínas e museus, e só vimos uma parte disso tudo, além de não termos tido tempo para explorar as cidades por conta própria, o que considero fundamental em qualquer viagem.

Para não ficarmos cansados mentalmente, o segredo é diversificar o roteiro com atividades diferentes, intercalando pirâmides com passeio em oásis, cruzeiro no Nilo com visitas a templos, praia no Mar Vermelho e aventuras no deserto. E pelo que pesquisei, os roteiros de 15 dias são sempre assim.

Considere também que uma viagem ao Egito é muito intensa, eu não a escolheria para descansar. Cairo é caótica, barganhar o tempo todo foi exaustivo, a pobreza que vemos em muitos lugares também dá uma baixada na bola. Você está passeando, mas ao mesmo tempo sua atenção está voltada a aprender sobre uma civilazação incrível. E esse processo cognitivo também cansa. Por isso, nos meus sonhos, uma segunda viagem de igual tempo, mas conhecendo outros lugares, seria o ideal.

Caso você disponha de apenas 7 dias, também é possível visitar o Egito clássico das pirâmides, museus e templos, mas vai faltar muita coisa, ainda. Mas como eu sempre digo, um pouco é melhor que nada. Go for it!

viagem ao Egito passeio barco
barco se aproxima do Templo de Philae, em Assuã

Roteiro de viagem ao Egito

Deixo aqui um resumo do nosso roteiro de 15 dias de viagem ao Egito, mas procure na página-índice Egito os relatos de visitas aos templos, cidades e museus.

  • dia 1 – chegada no Cairo à noite
  • dia 2 – Cairo: museu egípcio e Pirâmides de Gizé
  • dia 3 – pirâmides de Saqqara e Memphis
  • dia 4 – Oásis de Fayoun
  • dia 5 – Cairo: Mesquita de Muhammad Ali, Fortaleza de Saladino, Mercado Khan el Khalili, bairro Copto
  • dia 6 – Voo Cairo-Assuã, Templo de Philae, obelisco inacabado de Assusã, Vila Núbia e cruzeiro no Rio Nilo
  • dia 7 – Abu Simbel, templo Kom Ombo e cruzeiro no rio Nilo
  • dia 8 – Templo de Edfu, eclusa de Esna, templo de Luxor e Avenida das Esfinges. chegada a Luxor, pelo cruzeiro no rio Nilo
  • dia 9 – check out do navio, Templo Karnak, colossos de Menon e Vale dos Reis e viagem a Hurghada
  • dia 10 – resort em Hurghada
  • dia 11 – Hurghada: quadriciclo no deserto
  • dia 12 – Hurghada: passeio de barco no Mar Vermelho até Orange Bay
  • dia 13 – Voo Hurghada-Cairo
  • dia 14 – Cairo: Museu Nacional da Civilização Egípcia e Palácio Manial
  • dia 15 – voo retorno ao Brasil
os lugares que visitamos nesta viagem ao Egito

Confira alguns clips do cruzeiro e de todos os lugares que visitamos nesta viagem ao Egito salvos nos destaques do Instagram.

viagem ao egito templos
Impressiona ainda haver cores nos templos do Vale dos Reis

Como chegar ao Egito

Não há voos diretos ao Egito a partir do Brasil, mas você pode optar por várias companhias aéreas para chegar ao Cairo. Se não souber por onde começar, use os sites Kayak, Skyscanner ou Google flights. Eles te mostrarão algumas possibilidades.

E se puder, é sempre uma boa oportunidade para um stopover. Nós aproveitamos o voo da Qatar com stopover gratuito em Doha. Quando escrevi este post, a Iberia tinha stopover gratuito em Madri, a TAP em Lisboa ou Porto, a Turkish em Istambul, Emirates em Dubai, por exemplos. Caso você não saiba do que se trata, stopover gratuito é quando você não faz apenas a troca de avião para pegar outro voo (conexão), mas sai do aeroporto e passa uma ou mais noites na cidade ao mesmo custo do voo de conexão. É uma boa quando você não tem um grande interesse no destino, ou quando gosta tanto que quer mais um gostinho dele!

Do aeroporto do Cairo ao centro e vice-versa

22 km separam o aeropoto do centro do Cairo. Nós usamos a van contratada pela agência na chegada e no retorno ao aeroporto, mas deixo aqui algumas outras sugestões, para quem vai por conta própria. Não alugue carro! Leia os motivos no final deste post.

Transfer privado e assistência na imigração

Sempre sonhou em ver seu nome numa plaquinha na chegada ao aeroporto? Torne-o realidade por um valor acessível contratando o serviço da Get you Guide. Também há opção de contratar o serviço de apoio no processo de desembarque junto como transfer, veja abaixo as sugestões que selecionei:

Transporte público

Eu não usei transporte público no Egito, e fui desencorajada pelo guia a fazer isso, mas se você precisa economizar ou quer ter esta experiência de viajante raiz, no terminal 1 tome o ônibus das linhas 11 e 381 até a estação de trem Ramses, bem no centro do Cairo. Custa EGP 5.

Taxi do aeroporto ao centro do Cairo

Os taxis oficiais custam EGP200. Eu não usei o serviço, então esta dica não é em primeira mão, mas sugiro que antes de entrar no taxi você pergunte o valor e combine direitinho.

Uber

O aplicativo funciona bem no Cairo, usamos para circular pela cidade, mas não a partir do aeroporto. Fica mais barato que o taxi, EGP120.

Documentação para viagem ao Egito

Passaporte e Visto para o Egito

Como sempre, passaporte válido a 6 meses de vencer. O visto de entrada no Egito é comprado no aeroporto, ainda dentro da área de segurança, por US25, um selo que você mesmo aplica no passaporte.

Seguro Viagem

Nunca, jamais, never viaje sem cobertura de seguro. Em se tratando de Egito, principalmente, pois o serviço público é muito ruim. O seguro viagem serve não só para questões de doença e acidentes como em caso de cancelamento de voos, perda de malas, etc. É uma parte chatinha do planejamento e que encarece o orçamento, mas se algo der errado você ficará grato por ter feito a lição de casa. Leia atentamente a cobertura – inclusive se tem cobertura para Covid-19, e registre os canais de atendimento numa nuvem ou outro local de fácil acesso.

Nesta viagem ao Egito, viajamos com o seguro oferecido gratuitamente por nosso cartão de crédito, que funciona por sistema de reembolso. Ou seja, a gente não paga nada, mas se precisar de atendimento médico, precisamos ter uma reserva para pagar e esperar meses pelo ressarcimento dos valores gastos.

Caso seu cartão de crédito não ofereça este benefício ou você não possa desembolsar os valores de uma eventual internação, confira os planos em nosso parceiro Seguros Promo, um site que busca vários planos de diversas seguradoras. E tem desconto para leitores do Mulher Casada Viaja, confira!

Em tempos de Covid-19

Estivemos no Egito em março/22, ainda dentro da pandemia Covid-19, e tivemos que apresentar o Certificado de Vacinação contra Covid-19 com QR Code em inglês e impresso, emitido pelo app ConectSUS.

Viajantes não-vacinados teriam que apresentar resultado negativo do teste PCR para coronavírus impresso em inglês, realizado em até 96 horas antes da chegada ao Cairo. Importante verificar o prazo exigido por sua companhias aérea, que pode ser diferente. Nós voamos de Qatar e o prazo era de 72 horas.

Também recebemos da agência uma Declaração de Saúde, mas quando fomos não nos foi solicitada pelos funcionários do aeroporto.

Formulário de entrada no Egito

Como muitos países, será necessário preencher a bordo do voo Brasil-Egito um formulário com dados básicos de identificação, em árabe – calma, só queria ver se você estava prestando atenção, tem em inglês, também.

viagem ao Egito oasis
Almoço beduíno no oásis de Fayoum

Como é a Imigração no Egito – e a segurança em aeroportos

Passamos pela imigração sem tropeços, o problema foi depois. Imediatamente depois, tipo dois passos, um senhor sem uniforme, sem crachá, e sem uma mesa ou algo que o fizesse parecer oficial pediu nossos passaportes e anotou dados em árabe num pedaço de papel, fazendo algumas perguntas. Fiquei muito incomodada e pedi sua identificação. Ele disse ser da polícia turística e apresentou um cartão magnético, que muito bem poderia ser original ou falso. Não estava esperando por isso, e como sabia da corrupção e afins por ali, e histórias de outros lugares que prendem seu passaporte para extorquir turistas, fiquei tensa. O senhor contratado pela agência e que nos acompanhava desde a área de segurança do aeroporto (algo impensável em outro país) não nos passou segurança suficiente para não hesitar – aliás, talvez por ser um país ditatorial, os guias parecem sempre se portar com obediência servil. Quando viu nossos questionamentos, ligou para o gerente da agência que acabou dizendo ser um procedimento normal, que alguns sul-americanos são escolhidos para ser questionados, por causa de drogas. Graças a Deus fomos logo liberados. Mas que tal contar para os clientes que pode haver uma recepção assim, hein, senhores agentes de viagem?

Além do voo de chegada ao Cairo, tomamos dois voos domésticos no Egito (Cairo-Assuã e Hurghada-Cairo) e o internacional em direção a Doha no Catar, onde fizemos conexão. Prepare-se! Chega a ser irritante a quantidade de vezes que temos que passar em raio-X, ter malas abertas, o corpo escaneado. O procedimento padrão de tirar calçados, cintos, lenços, toucas ou chapéus, cachecol a que estamos habituados se repete a cada poucos metros em algumas situações. E a conferência de documentos também. Por exemplo, você está já no portão do embarque, a comissária confere seus dados e você acessa a passarela pra tomar um ônibus que te levará ao avião. Antes de embarcar no ônibus, apresenta passaporte e cartão de embarque de novo. Nunca reclamo dos procedimentos de segurança em aeroportos, por mais exaustivo e desagradável que seja, mas no Egito é outro nível, viu? Desde nossa viagem a Cusco no Peru não tive que abrir minha mala no aeroporto. Então fica a dica: faça sua mala bem bonitinha, pra não passar vexame se tiver que abri-la na frente de todo mundo. Sim, porque lá não tem salinha, não, é na esteira de raio-X mesmo, na frente de todo mundo.

Leia sobre segurança nos passeios e nos hotéis, mais abaixo.

Aeroporto do Cairo

Não tivemos muito tempo para explorar o aeroporto, mas ele é moderno e limpo e fica a 22 km do centro do Cairo.

Tem wi-fi no aeroporto do Cairo gratuito por 30 minutos. Leia sobre a compra de chip de celular mais abaixo.

Durante a espera do voo de retorno ao Brasil, aproveitamos as lojas do free shop para comprar as últimas lembrancinhas – e o fato de não afetarem a franquia de bagagem, ehehe. Tem de tudo um pouco, mas escolhemos caixas de chocolate cujos bombons vêm embalados em papel com figuras do Egito Antigo, tão lindas que dá dó de jogar fora depois de comer o conteúdo.

Viagem ao Egito durante a pandemia Covid-19

Além das informações para entrada no Egito, tenho algo mais a dizer a respeito de uma viagem ao Egito durante a pandemia: se a gente não teve Covid-19 lá, nunca mais teremos! A bricandeira tem motivo: as pirâmides e muitos templos têm salas pequenas, são fechados e sem circulação natural de ar, e uma multidão circulando, a maioria sem máscara.

No começo da viagem ainda usávamos máscara, mas é tudo tão corrido, até pra tirar foto, que a gente acaba desistindo desse tira e põe. Além disso, estávamos viajando em grupo, pessoas com quem você no mínimo almoça – também sem máscara, mas com quem compatilha o ar circulando na van durante toda a viagem.

Não me lembro de ter visto álcool em gel nos templos, nem nas mesquitas. Leve o seu – por causa do Covid-19 e por razões higiênicas.

Egito por conta própria ou com agência?

Em geral, nós viajamos por conta própria, eu faço todo a pesquisa, roteiro, mapas com percursos e reservas, mas para o Egito preferimos viajar ’empacotados’ por vários motivos. E são tantas as vantagens e também as desvantagens que valem um post exclusivo, onde também compartilho agências e guias que organizam viagem ao Egito, além da que contratamos. Por favor encontre o post na página-índice Egito.

o melhor de viajar em grupo foi conhecer pessoas tão especiais. Nosso pequeno grupo durante passeio Vila Núbia

Dinheiro e Câmbio no Egito

A moeda do Egito é a libra egípcia. As notas são de 1, 5, 10, 20, 50, 100 e 200 libras e vêm escrito em árabe e inglês. As moedas são de 5, 10, 20, 25 e 50 piastras (centavos) e 1 libra, mas não colocamos a mão em nenhuma moeda durante os 15 dias de viagem!

Quando escrevi este post, 1 libra = 0,28 reais. Para facilitar a conversão, a gente dividia o valor por 3. Leve dólares ou euros e faça o câmbio por lá.

Caixas Eletrônicos no Egito

O Egito é um país seguro e os caixas eletrônicos ficam nas calçadas, como na Europa. Algumas delas têm um guarda ao lado, é verdade, e talvez isso é que tenha nos passado a impressão de segurança. E o bom é que esses ATM trocam dólares por libras egípcias. Eles funcionam 24 horas e têm opção para ser adminsitrados em Inglês.

Também encontramos caixas eletrônicos nos hotéis em que ficamos no Cairo, Gisé, e em Hurghada e fizemos a troca por lá mesmo.

Atenção: fomos aconselhados a não usar cartão de crédito no comércio, pois o número de fraudes de clonagem de cartões é grande.

Gorjeta no Egito

2 dollars. Você vai ouvir muito isso. Para qualquer coisa. Dentro de templos e túmulos – e até na mesquita do Palácio Manial no Cairo, você encontrará um egípcio dando algumas explicações sobre o espaço em troca de 1 ou 2 dólares. Nas mesquitas podem pedir 1 ou 2 libras egípcias para cuidar de seus sapatos, ou para fazer coisas não permitidas, como fotografar um sarcófago em algum tempo do Vale dos Reis. E não é considerado propina, embora o sentimento seja este. Entender a cultura de outro país não é tão simples.

Em nosso pacote todas as gorjetas e o passeio de camelos em Gisé estava incluso, mas mesmo assim deixamos 2 dólares de gorjeta. Você dará com vontade, eles parecem precisar muito e são simpáticos. Aliás, é sempre bom ter dinheiro trocado para estas muitas ocasiões.

Nos restaurantes em que comemos sem o grupo do pacote, isto é, no nosso tempo livre, a gorjeta, ou taxa de serviço, já vinha descrita na contacomo porcentagem do valor da conta, mas algo em torno de EGP 3 ou 5 num restaurante simples, ou o dobro num mais chique.

Onde Ficar no Egito

Caso você esteja viajando por conta própria, poderá escolher em que cidades montar base, se é melhor ficar em Gisé ou no Cairo, em que parte do Cairo ficar, decidir entre base terrestre ou em cruzeiro no Sul do Egito. Ou seja, são várias informações, então escrevi um post todinho sobre isso, por favor encontre-o na página-índice Egito. Ali também avalio os hotéis em que nos hospedamos no Cairo, Gisé e em Hurghada e dou outras sugestões.

O que Colocar na Mala e que Roupa Usar no Egito

A gente fica impressionada com os vestidos esvoaçantes nos templos e com as pirâmides de Gisé ao fundo que vemos nas redes sociais – e também queremos a nossa fotinho assim ehehe. Mas as meninas do grupo tiveram que usar calças longas e casaquinhos no dia do encontro com as pirâmides de Gisé, pois ventava muito! Fomos logo depois da tempestade de areia que chegou até a Europa.

Vestir-se para o encontro com o Egito é muito legal, a gente logo pensa em Indianna Jones, em Laurance da Arábia, e fotografar acaba sendo bem divertido! Invista em chapéus e echarpes.

O tradicional hijab para as mulheres e o lenço branco e preto usado pelos beduínos para os homens são bem acessíveis e vão ajudar a compor a cena.

Preparei looks para não levar nem roupa a mais nem de menos. Gente, que nerdice, coloquei um papel com a data e fotografei os looks dia a dia – e adivinha? Deu tudo errado, o tempo ficou mais frio do que esperávamos e tive que mudar tudo.

É importante lembrar que o Egito é um país muçulmano. Embora menos radical que outros países, ainda assim é importante respeitar a cultura local, tanto homens quanto mulheres. Então, para ambos os sexos, considere o comprimento de calças, bermudas, saias ou vestidos, que deve ser abaixo do joelho. Ombros sempre cobertos. Veja abaixo as dicas específicas para mulheres.

Calçados

Leve um tênis bem confortável e mais o par que você usará no voo. Você vai pisar em areia o tempo todo e mesmo no Cairo, há muito pó, você vai querer poteger seus pés. Se puder levar dois pares, melhor, pois eles ficam bem sujos nos passeios ao oásis e mais ainda no passeio de quadriciclo perto de Hurghada. Eu lavei o meu na banheira do hotel!

Também levei duas rasteirinhas, além de havaianas para o resort no Mar Vermelho.

A mala feminina para uma viagem ao Egito

Além do comprimento de saias e vestidos abaixo dos joelhos, evite fendas profundas. Tem quem use roupas curtas? Tem, mas não aconselho. Na casa dos outros, siga as regras da casa. Além do fator cultural, você se sentirá mais segura. Depois não adianta voltar falando que foi importunada, que sofreu assédio, etc.

Evite roupas justas, decotes e transparências.

Nos resorts do Mar Vermelho você pode ficar um pouco mais à vontade. Eu preferi levar maiô e as meninas do grupo usaram biquinis, mas daqueles modelos grandes que estão na moda agora.

Para circular pelo resort, a maior parte das mulheres usa vestidos longos ou abaixo dos joelhos, ou caças largas. Nos passeios de barco, saída de praia comportadinha.

Este pararíso chamado Mar Vermelho

Como se vestir para entrar em mesquitas no Egito

Para visitar mesquitas, as mulheres devem cobrir os cabelos e tanto homens quanto mulheres precisam tirar os sapatos. Nós deixamos os nossos do lado de fora e ninguém mexeu, mas talvez o guia tenha providenciado algum ‘fiscal’. Na dúvida, leve uma sacolinha para guardá-los com você. Um par de meias mais grossas também é bom, eu passei um frio lascado de pés no mármore. A regra de pernas e ombros cobertos vale aqui, também.

Meninas, sempre levem um echarpe na bolsa/mochila para entrar nas mesquitas de cabeça coberta.

E o que usam os egípcios?

Alguns egípcios usam roupas ocidentais e outros a túnica tradicional, principalmente mais ao sul, em Luxor ou Assuã. Segundo nosso guia, quanto mais religiosa for a pessoa, mais tradicionais serão suas vestes. As egípcias também usam roupas ocidentais principalmente no Cairo, algumas com a cabeça coberta com o hijab (lenço), mas vimos muitas completamente cobertas, tanto na capital quando ao longo desta nossa viagem ao Egito.

Onde comer, o que comer e beber no Egito

Outro item que merece um post próprio, onde falo sobre alimentação e bebidas no Egito e cuidados gerais, listei os lugares em que comemos, compartilhei preços e sugeri bares. O link está na página-índice Egito.

Compras no Egito

O que comprar no Egito, como é a doce-amarga tarefa de barganhar, que souvenirs trazer na mala, como são os modernos shoppings centers do Cairo e os milenares mercados. E o que esperar de uma visita ao Carrefour local. Como você vê, são muitos detalhes, então vou te direcionar para o post O que comprar no Egito, e acho que você já entendeu, encontre-o na página-índice Egito.

compras na viagem ao egito
Tenda na Vila Núbia, em Assuã

Costumes locais e o que não fazer no Egito

De minha observação, interação com o guia egípcio e breve pesquisa, apresento alguns costumes que são diferentes dos nossos.

  • tem item próprio sobre roupas neste post, mas vale lembrar que, além dos resorts do Mar Vermelho, ombros devem ser cobertos paara ambos os sexos, e coxas não devem estar à mostra.
  • os egípcios gostam de tocar. Eles te seguram pelo braço, aproximam-se bastante para falar. Respeite, mas se incomodar abra o jogo e explique seu incômodo.
  • homens se beijam no rosto, andam de mãos ou braços dados. A princípio, quando vi, achei que fossem gays e fiquei até contente em ver essa demonstração de carinho em público num país muçulmano, mas provavelmente eram apenas amigos ou parentes.
  • evite beijos e abraços calorosos em público, seja você homo ou hetero.
  • não fotografe os policiais militares ou as instalações militares.
  • não beba em público. Fumar tabaco pode, e eles fumam bastante.

Cruzeiro no Rio Nilo

Se você puder, não deixe de fazer um cruzeiro pelo rio Nilo, entre Assuã e Luxor, pelo menos. Além da sensação incrível de estar navegando pelo todo poderoso Nilo, a viagem é linda, pois vamos avistando das margens templos, vilas, praias, ilhas. Como é um cruzeiro fluvial, não há ondas altas então o navio não balança. Além disso, os navios são pequenos se comparados aos verdadeiros edifícios que são os transatlânticos.

Confira algumas sugestões de cruzeiros com nosso parceiro Get your Guide:

Nosso pacote incluía apenas 3 noites a bordo do Esmeralda, de Assuã a Luxor. Achei bem corrido, então se você puder escolher, prefira mais 2 ou 3 noites ou adicione ao cruzeiro um hotel em Luxor, que é uma cidade agradável para passeios, inclusive bate-voltas para lugares não inclusos no nosso pacote, como o templo de Dendera. Veja como era nossa cabine, neste clip que publiquei no Facebook, onde tem mais dicas e vídeos do hall de entrada e do restaurante do navio Esmeralda – e outras tantas, claro! Siga a gente lá, o link é este acima.

Ao longo do Rio Nilo há vários portos onde param dois ou até três navios um ao lado do outro, então a gente passa por dentro de outro navio para embarcar/desembarcar, dependendo da posição em que o nosso ancorou.Os navios têm 4 andares ligados por uma escadaria. No nosso, havia cabines no mesmo andar da recepção, boas para quem tem dificuldade de locomoção, e um lounge/bar onde houve apresentação de danças árabes e festas promovidas pela tripulação, e dois andares mais com cabines. No deck inferior ficava o restaurante, cozinha e mais algumas cabines. O terraço é área de lazer com bar, mesas e cadeiras e piscina. Todas as cabines têm vista para o Rio Nilo e suas margens. Vi que alguns navios tinham até varandas, e outros tinham janelas fixas, que não se abriam.

Outras dicas para uma viagem ao Egito sem perrengues

Dias úteis no Egito

Países islâmicos têm dias úteis diferentes dos nossos, sabia? No Egito, o final de semana é às sextas e aos sábados, então domingo é um dia útil. Isso faz uma diferença grande no caótico trânsito do Cairo, então circular pela cidade aos sábados é uma ótima opção.

Banheiros no Egito

Leve papel higiênico/lenço umedecido, álcool em gel/sabonete na bolsa/mochila. Muitos banheiros têm um atendende à porta que oferece papel em troca de uma gorjeta (EGP 5 ou 10), mas fiquei surpresa ao usar o banheiro do Museu Egípcio, ao lado da loja de souvenir, e descobrir que não tinha papel, nem sabonete, nem gel.

Nas Pirâmides de Gisé, uma colega de viagem disse que o banheiro estava limpo, com sabonete e papel higiênico, e que pagou 1 dólar.

Tomadas e voltagem no Egito

A voltagem local é 220V e a tomada de dois pinos redondos. Algumas são rasas, outras mais profundas, como a da direita, abaixo.

Nem todos os hotéis terão tomadas de todos os tipos como o 5 estrelas Fairmont Nile City, entao leve seu adaptador.

tomada egito

Voo de balão no Egito

No Vale dos Reis, em Luxor, é possível ter a incrível experiência de voar de balão. Foi minha primeira vez e gostei tanto que achei rápido demais! A agência organizou nossa chegada até o local antes do sol nascer, um espetáculo! Se você vai por conta própria, veja estas opções:

Língua e Comunicação

Dos vendedores nos mercados aos condutores de camelos/dromedários, todos arranham o inglês. Isso não significa que você conseguirá ter uma conversa ‘normal’ com a maoria deles, mas que o papo se resumirá a barganhar custos, perguntar algo bem básico – que em geral vai ser uma resposta um pouco diferente do que você perguntou rsrsrs. Houve momentos em que desisti de tentar descobrir algo com motorista de Uber ou monitores que ficam dentro de tumbas e pirâmides e que trocam algumas informações por 1 dólar ou 2.

E quando passamos pelos mercados, é comum que os vendedores usem um chamariz como “Palmeiras?” ou “São Paulo?” Até “Palmeiras não tem mundial” ouvimos!!!!

Sem dúvida estar com um guia é essencial numa viagem ao Egito também no quesito comunicação. Em cada cidade que entramos há uma guarita militar inspecionando quem chega, e nosso guia sempre falava em árabe com eles. Duvido que soubessem inglês.

O bom é que, diferente de outros países, no Egito há vários guias que falam português.

Assédio Sexual no Egito

De acordo com uma pesquisa, 98% das mulheres estrangeiras que visitaram o Egito sofreram algum tipo de assédio. A ideia de que mulheres ocidentais são ‘fáceis’ se comparadas às mulheres muçulmanas não é justificativa, mas é o que pensam ao nos ver bebendo álcool, fumando, usando roupas decotadas (normais, para nós) ou transparentes. Deve-se evitar até ser simpática com os homens e sorrir, pois pode ser interpretado como uma abertura. E não estou falando do fato de eles te tocarem quando conversam, estou falando de propostas, convites, mesmo, além de olhares desconfortáveis.

Wi-fi e 4G durante a Viagem ao Egito

Tem wi-fi no aeroporto do Cairo gratuito por 30 minutos e não tivemos dificuldade para usá-lo.

No saguão de desembarque do aeroporto do Cairo há dois balcões de venda de chip/simcard: da Orange e da Vodafone. Nós compramos o plano de 10gb da Orange, por US17 apenas mensagens, sem voz. O do marido acabou antes de chegarmos a Hurghada, ou seja, durou apenas 10 dias. O meu sobrou.

O wi-fi do hotel em Gizé e no cruzeiro pelo Nilo estavam muito ruins e tivemos que usar o 4g. Apenas no hotel do Mar Vermelho conseguimos usar o wi-fi.

Por outro lado, o sinal no Egito é tão bom que pegava até no deserto, no Oásis de Fayoum, assim como em todos os templos ao longo do Nilo.

chip celular Egito

Descontos para estudantes e crianças na viagem ao Egito

Em geral, crianças de 6 a 12 anos têm desconto de 50% na maioria dos locais turísticos, como museus, templos, túmulos e pirâmides, e crianças menores de 5, entrada gratuita. Estudantes de 12 a 30 anos podem se qualificar para um desconto de 50% ao apresentarem a Carteira de Identidade de Estudante Internacional

E tem City Pass no Egito?

A agência providenciou a compra de todos os ingressos de templos, pirâmides, museus, e em nossos dias livres compramos os ingressos diretamente na bilheteria. Mas fazendo pesquisas para compartilhar dicas aqui, achei um artigo de 2018 da Nile FM falando sobre o Cairo Pass.

Passes de Fotografia

Em muitas tumbas, templos, pirâmides e museus você precisará comprar um passe de fotografia caso queira usar uma GoPro, filmadora ou câmera. O celular é liberado (!). Os passes custam EGP300 em média, em cada lugar.

Dirigir no Egito? Nem a pau, Juvenal!

Em quase todas nossas viagens alugamos carro, pois gostamos de rodar por cidadezinhas e lugares remotos onde o transporte público é inexistente ou nos roubaria o precioso tempo das férias. Mas uma viagem ao Egito tem muitos obstáculos para isso.

O Cairo é uma boa introdução para visitar a Índia. O trânsito é caótico, os motoristas buzinam o tempo inteiro, apesar de parecem calmos e não vermos insultos. Devem ser as 5 orações diárias dos muçulmanos! Vimos tuks-tuks, carroças e carros andando na contra-mão numa avenida em Gizé, como se não fosse nada demais. A maior parte das ruas e avenidas não têm faixas nas pistas e os carros invadem o espaço um dos outros continuamente. Quase não há faixas de pedestres ou semáforos. E há muito trânsito. Muito.

Além disso, nas estradas e a cada ‘fronteira’ com uma nova cidade há postos de controle de segurança onde o guia falava em árabe – a única coisa que entendi era que ele especificava o número de pessoas no grupo e nossa nacionalidade. Imagino que os guardas não falem Inglês e isso já seria um problema para quem se atreve a dirigir no Egito.


Só um lembrete: não deixe de ler os posts indicados aqui, que são complementos importantes de planejamento a uma viagem ao Egito. E os links abaixo também podem te ajudar, na compra de seguro viagem, tours e ingressos.

Planeje sua Viagem aqui

Blogs de viagem são muito úteis no planejamento de viagem e gratuitos para o leitor, mas têm um custo para serem mantidos no ar – e posts como este levam muitas horas e às vezes dias até serem publicados.

Se você gostou das dicas do Mulher Casada Viaja, saiba que pode retribuir e contribuir para que as dicas continuem chegando gratuitamente a quem busca inspiração e informação de qualidade. Basta clicar sobre os links de nossos parceiros. Você planeja sua viagem e retorna a gentileza:

Booking.com: para fazer suas reservas de hotel, apartamento, B&B
Passagens Promo: pesquise e reserve passagens aéreas nacionais e internacionais
Rentcars: aluguel de carro, com possibilidade de parcelamento e isenção de IOF, no caso de aluguel no exterior
Seguros Promo: desconto de 5% em seguro viagem para leitores. Aplique o código CASADAVIAJA5
Chip de Viagem: compre seu simcard internacional e receba em casa antes de sua viagem
– para ingressos de atrações, excursões e tours, temos 2 opções para você escolher: a Get your Guide e a Tiqets.


18 COMENTÁRIOS

  1. Marcia, que post minucioso! Perfeito para quem pensa em conhecer o Egito – com certeza é uma viagem bem diferente de explorar Europa ou qualquer lugar no Ocidente. Por isso é importante se planejar bem e estar preparado física e psicologicamente. Morro de vontade de conhecer esse destino tão rico, embora me dê uma certa preguiça pesar os contras (pobreza, machismo, barganha o tempo todo) – apesar que seu relato sincero dá um fôlego e convence que vale a pena.

    • Vale muito a pena! Afinal, a maior parte dos ‘melhores’ destinos turísticos tem sempre um preçoo a pagar ao ser conhecido, não é mesmo?

  2. Márcia, não imaginei que para viajar para o Egito precisaríamos de nós atentar a tantos detalhes. Amei seu artigo, super completo.

    • Oi, Carol. Olha, eu sempre digo que quanto mais a gente souber sobre um destino, maior a confiança durante a viagem e melhor ela será aproveitada. E como é um país muçulmano, é bom estudar um pouco antes.

  3. Ai, que sonho ir pro Egito!!! Eu estava planejando ir esse ano ainda, mas quando vi as temperaturas do verão por lá, desisti. Adoro frio e não faço questão nenhuma de calor, então acho que vou em janeiro ou fevereiro 😀 já salvei seu post para ler muitas vezes e planejar minha viagem

    • O inverno é escolha certa, Marcela. Mas como eu queria conhecer o Mar Vermelho, foi bom ter ido às portas da primavera.

  4. Egito é um dos meus maiores sonhos de viagem e só fico adiando kkkrying Super post esse daqui com as dicas mais essenciais para conhecer meu destino sonhado!

  5. O Egito está na minha lista há um tempo mas sempre fico protelando essa viagem. As suas dicas estão completíssimas e certamente ajudarão bastante. Vou criar coragem para começar a desenhar a realização desse sonho! Ótimas dicas!

    • Acho que os ataques terroristas de anos passados trouxeram um medo coletivo de ir para o Egito, mas há muita segurança em todo lugar.

  6. O Egito é um dos top 10 destinos na minha lista. Adorei suas dicas e roteiro, muito esclarecedoras e com detalhes que com certeza fazem a diferença na programação. Já favoritei porque com certeza vou voltar a ler quando estiver com a minha viagem programada. Eu pensava em 10 dias fossem suficientes para um roteiro desse, mas vi que precisarei de mais dias.

    • Cynara, eu também achava que 15 dias seriam demais, mas faltou tanta coisa, ainda! Não é surpresa, afinal, que não se conheça um país em 15 dias, né? Abraços

  7. Que baita post! Amei todas as dicas de planejamento e roteiro pelo Egito, ele estava na minha lista para ir logo! Super vou aproveitar tuas dicas! Parabéns pelo excelente post com tudo que precisamos para visitar o Egito!

  8. Adorei o seu post. Super completo e bem explicado. Ideal para quem vai para o Egipto sem grande ideia do que vai encontrar.

  9. Olá, Márcia. Parabéns pelo site. Adorei o conteúdo, super rico em detalhes. Não consegui encontrar o post no qual você informa as sugestões de agências de viagens no Egito. Poderia me ajudar? Obrigado.

    • Oi, Luís Felipe, eu ainda não escrevi este post, porque além de listar quem faz Egito, gostaria de dar detalhes. Nós fizemos com a a Maktub, mas daqui do Brasil tem a Camila do Acordei Quero Viajar, e um grupo de produtor de conteúdo, o Louco por Viagem. Se você entrar em contato com elees, por favor mencione o Mulher Casada Viaja.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui