Jardins de Luxemburgo em Paris: as rainhas empoderadas e outras estátuas

Visitar os Jardins de Luxemburgo em Paris sabendo o que representam as estátuas, a fonte e ‘aquele palácio lindo’ vai transformar sua experiência. Não vai a Paris? Não faz mal, venha conhecer virtualmente o segundo maior parque parisiense e se inspirar. Sonhar ainda é de graça e manter o sonho costuma ser o melhor impulsionador para torná-lo real. Sim, Paris ainda desperta suspiros, mesmo depois de várias visitas e de muuuita gente.

 Jardins Luxemburgo Paris

O portão do parque tinha acabado de abrir naquela manhã fria de primavera e éramos os únicos por ali, muito diferente da primeira vez em Paris, quando o dia estava quente e o parque cheio de vida, com música ao vivo no coreto, parisienses tirando um cochilo nas cadeiras verdes metálicas e crianças brincando com seus barquinhos de vela em volta do lago, tulipas colorindo os canteiros em frente ao Palácio de Luxemburgo, atual sede do senado francês. 

Jardins Luxemburgo Paris
Paris Jardins Luxemburgo

Mas naquela terceira vez nos Jardins de Luxemburgo em Paris não tive muitas distrações e parei em frente à estátua de Marguerite como quem encontra a foto de um velho amigo e fica a sorrir relembrando os momentos compartilhados. Infelizmente não tenho máquina do tempo nem o dom de Claire Fraser para voltar séculos atrás e viver uma historia em que ninguém acreditaria. Foram os romances históricos de Jean Plaidy sobre a saga dos Plantagenetas que me permitiram conhecer um pouco sobre os primórdios da monarquia na França e Inglaterra.

Paris Jardins Luxemburgo

Marguerite é apenas uma das 20 rainhas francesas escolhidas pelo rei Luís Felipe em 1843 representadas em estátuas nos Jardins de Luxemburgo, e muitas delas foram o que hoje se gasta chamar de empoderadas, em séculos em que as mulheres, inclusive rainhas, apenas sonhavam com direitos iguais entre os sexos, mas algumas reinavam com mão de ferro quando o rei por uma razão ou outra não o fazia. Sugiro que assista na Netflix ao documentário She-Wolves para saber sobre algumas delas.

Além das 20 estátuas reais, os Jardins de Luxemburgo têm outras dezenas de esculturas e monumentos que foram sendo acrescentados ao longo dos anos, como o primeiro estudo da Estátua da Liberdade, uma versão francesa da Boca da Verdade e bustos de escritores e cientistas. Confira abaixo tudo o que o Luxemburgo tem a oferecer:

Uma figura marcante e controversa que ganhou uma estátua nos jardins é a escritora/marquesa de Dudevant, Amantine-Lucile-Aurore Dupin (1804-1876), que usou não apenas um pseudônimo masculino, George Sand, mas circulava por Paris com roupas masculinas, fumava em público e dividia opiniões de ilustres escritores, como Baudelaire e Balzac.

francesas no Luxemburgo

A escultura abaixo é muito fotografada por causa do Pantheon que aparece imponente ao fundo. Representa um ator grego ensaiando suas falas, com o manuscrito em mãos e uma máscara que usará durante a apresentação. A pomba, bem, a pomba também está fazendo seu papel…

Jardins Luxemburgo Paris

No outro extremo do gramado, outra estátua popular, o Fauno DançanteNão sei se você conhece o Conexão Paris, um blog escrito por mãe e filha brasileiras que compartilham dicas da cidade onde vivem. Foi lá que li há alguns anos a historia sobre a estátua do fauno. Assim como o ator grego, esta talvez seja um ator representando um fauno, que é uma figura mitológica metade humana e metade bode, sempre tocando uma flauta. Reproduzo aqui o trecho curioso de uma lenda um pouco mais urbana e contemporânea, com a licença concedida pelo autor, na época em que li o post: 

“Desde que aí ele foi colocado, testemunhas afirmam que à meia noite em ponto ele dança. As testemunhas afirmam também que para vê-lo dançar é necessário beber um odre de vinho. O odre é feito de couro de bode ou de cabra. Em seguida o couro é curtido com azeite. Uma vez cheio de vinho, é extremamente difícil se equilibrar em cima dele. Nas Dionisíacas na Grécia, as festas de Dionysos, o deus da uva, do vinho e do excesso, havia um prêmio para quem ficasse mais tempo em equilíbrio sobre o odre cheio.”

Tenho certeza de que você vai se lembrar disso quando estiver frente a frente com o fauno. Pena que à meia noite o parque está fechado, mas se você tiver bebido um odre de vinho, pode tentar ver a dança pelas grades na Rue de Médicis.

estátuas luxemburgo Paris
Paris Jardins Luxemburgo

Os Jardins de Luxemburgo são um parque, então além de espaço contemplativo da natureza e de arte, oferece quadras de tênis, pomar de maçãs e peras, café com mesas ao ar livre, teatro de fantoches e carrossel, um gramado pequeno onde se pode pisar, sentar e deitar para tomar sol, e música ao vivo no coreto durante o verão.

Paris Jardins Luxemburgo

A Fonte de Médici

Se você não tiver muito tempo para explorar os Jardins de Luxemburgo, visite ao menos a fonte de Medici, desenhada pelo florentino Tommaso Francini em 1630. Dois séculos depois estava em ruínas, tendo sido recuperada por Napoleão Bonaparte em 1811, quando foi transportada para a atual localização no parque.
O lugar é bem sombreado pelos plátanos (lindos no outono!) e acabei estourando a foto, mas assim dá pra ver as heras pendendo em arcos adornando o entorno do espelho d’água, e o reflexo de elementos do mito grego. Preciso ir de novo para fazer uma foto melhor, ehehe.

Paris Jardins Luxemburgo

O grandão aí é o ciclope Polifemo, espiando sua amada Galateia e Ácis curtindo uma daquelas lindas praias gregas, antes de esmagar o pobre jovem com uma rocha – se fosse nos dias atuais, o alvo teria sido outro e Polifemo teria cometido feminicídio…  A mãe de Àcis, ninfa dos rios, o transformou em um rio e o lançou ao mar, para nunca mais retornar à terra.

Paris Jardins Luxemburgo
detalhe da Fontaine de Médicis

O começo dos Jardins de Luxemburgo

E já que falamos em rainhas, o Luxemburgo foi construído por uma, na primeira metade do século 16, a florentina Maria de Medicis, logo após seu retorno do exílio de 4 anos. Sua intenção era ter perto de si uma referência a sua antiga residência, o Palazzo Pitti, mas não conseguiu impor o estilo arquitetônico tão característico de Florença, tendo no máximo convencido o arquiteto a italianizar alguns detalhes. 

Jardins Luxemburgo paris

Depois de servir como palácio para a aristocracia francesa, o Luxemburgo transformou-se em prisão durante a Revolução e tem sido a sede do Senado desde 1852 e a residência oficial de seu presidente. Quintalzinho legal, esse, não?

Paris Jardins Luxemburgo
Eu, na primeira primavera em Paris, em 2009

Horário de Funcionamento dos Jardins de Luxemburgo

Pra ir entrando no clima, tabelinha em francês:

Como Chegar aos Jardins de Luxemburgo

O Luxemburgo fica no ‘meu’ bairro preferido de Paris, o 6º, bastante central e cheio de pontos turísticos, mas se você preferir pegar o ônibus, use as linhas 92 ou 85, e de trem desça na estação Luxembourg (RER B).

Paris Jardins Luxemburgo
Felice a Parigi!

Paris tem muitos turistas e fugir para um de seus jardins é uma boa para relaxar um pouco. Confira outros jardins de Paris sugeridos pela Luciana do blog Let’s Fly Away.

Afinal, tem planos de ir a Paris? Confira as dicas da capital francesa na página-índice Paris e na da França, caso vá esticar a viagem.

Planeje sua Viagem a Paris e pra onde mais o universo te permitir

Além de receber dicas gratuitamente, o blog ainda oferece a oportunidade de planejar sua viagem por aqui, com segurança e descontos. Clicando em um dos links abaixo, pra reserva de carro, apartamento ou hotel, compra de chip de celular, ingressos, tours ou seguro viagem, o blog recebe uma pequena comissão que ajuda a pagar as despesas de manutenção no ar  – sim, tem custo, mas você não perde nada, pois a comissão sai do bolso dessas empresas, não do seu. Um reconhecimento delas e seu, do quanto o blog contribui com o seu planejamento.

Só faltou a passagem aérea e bilhetes de trem, mas se precisar de ajuda, me chama nos comentários aqui, na página do Facebook ou no Instagram.

Au Revoir!

1 COMENTÁRIO

  1. Legal suas dicas dos Jardins de Luxemburgo, acho imperdível pra quem visita a cidade, ficou uma dúvida pra mim sobre as entradas dos Jardins, uma vez que vc citou que na sua última visita o portão tinha acabado de abrir. Qual o período que fica aberto? Tem muitas entradas?
    Desculpe as perguntas, e parabéns pela postagem. Obrigado.

    • Oi, Paulo, não conheço todas as entradas, eu sempre entrei pelo mesmo portão, na Rue de Médicis, mas li que tem um perto do Museu, na Rue de Vaugirard. O horário de abertura varia de acordo com a estação do ano. Atualizei o post com estas informações.
      Não há o que desculpar, eu agradeço pela interação, abraços!

  2. Saudades de Paris, teu post me trouxe lembranças… Ia direto ao Jardin du Luxembourg espairecer quando morava em Paris. Amei o post e as fotos ♡ e tenho uma pergunta: essa imagem do drone é sua?

  3. Este tbm é o meu bairro favorito
    hehehehehehe
    Queria ter aproveitado mais minha visita aos Jardins de Paris….. mais um motivo de que eu preciso voltar…. Fiquei apenas 1 dia no verao (para voltar pro Brasil) e passei todo meu perìodo no inverno… nem sentar nas cadeirinhas verdes conseguimos…. nao haviam flores, as esculturas estavam cobertas e nem bebendo muitos odres de vinho eu iria conseguir ver Fauno Dançar
    😉

  4. Muito lindo os Jardins de Luxemburgo, dei uma passada muito rápida quando fui a Paris e não tive tempo de aproveitar com tranquilidade! Adorei saber mais da estátuas e das rainhas poderosas…

  5. Os Jardins de Luxemburgo são lindíssimos! Um excelente lugar para sentar e observar a vida passando (como muitos em Paris). Mas confesso que o que gostei mesmo foi de encontrar uma referência a Outlander nesse texto… hahaha

    Beijo!

  6. Estive diante desse fauno e a sensação é real: parece que ele vai começar a dançar a qualquer momento e levar-nos junto no seu frenesim. Lindos detalhes do meu jardim preferido de Paris.
    Não sabia um monte de coisas sobre ele

  7. Que coincidência! Minha primeira vez em Paris foi em 2009, mas no verão. Adorei a sua abordagem! Normalmente as pessoas passam por essas estátuas e não dão a devida atenção, ou não sabem a que elas se referem.

  8. Eu não sei o que mais me impressiona, se são as flores tão bem cuidadas ou se são as estátuas que parecem de carne e osso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui