Pirâmides de Gizé: o que saber antes de ir

Este é um post turístico, com informações práticas para visitar as Pirâmides de Gizé, no Egito, como preços de ingressos, lugares para comer e se hospedar, como chegar, o que mais fazer na região, e dicas para deixar uma das maravilhas do mundo antigo apenas com boas recordações.

pirâmides de Gizé

Acho que o Egito está na bucket list de todo mundo que curte viajar. É um destino clássico do turismo, berço de uma civilização intrigante, país de belezas contrastantes como deserto-mar vermelho, ou mesmo deserto-rio Nilo, além das diferenças culturais existentes entre Brasil e Egito, o que torna o destino ainda mais atrativo, na minha opinião. Além disso, conseguimos um excelente custo-benefício, com um grupo pequeno organizado por uma agência europeia, com guia falante de português que nos acompanhou a viagem toda.

O Egito era uma destino da minha ‘lista oficial’ de lugares para conhecer – um guardanapo onde estão rabiscados 20 lugares para conhecer antes de morrer, fruto do estado de espírito enebriante de Machu Picchu. Os demais estão no post Bucket List: Lugares Incríveis para Conhecer antes dos 60 Anos. Como os 60 estão logo ali na esquina, mal acabou a pandemia da Covid-19, aproveitamos a proteção das duas doses da vacinas para finalmente ficar frente às pirâmides de Gizé e outras maravilhas do Egito.

Viajamos no final de março, quando entra a primavera, uma das melhores épocas para a viagem ao Egito.

Confira dicas essencias que reuni no artigo Viagem ao Egito

As Pirâmides de Gizé

As 3 grandes pirâmides de Khufu, Khafre, e Menkaure, em grego Quéops, Quéfren e Miquerinos, respectivamente, são conhecidas como pirâmides de Gizé porque ficam neste município, a cerca de uma hora de carro do centro de Cairo, considerando trânsito pesado, embora a distância seja de apenas 15 km.

Giza, ou Gizé, era uma pequena cidade no lado Oeste do Rio Nilo, e com o crescimento do Cairo passou a integrar o Grande Cairo. Você também deve ter ficado surpreso quando viu (ou verá agora) o quanto as pirâmides de Gizé não estão ‘no meio do deserto’, mas ladeadas por construções urbanas. Tem até uma Pizza Hut com vista para as pirâmides, o que considero surreal, algo tão banal como uma franquia de pizzaria em frente a um monumento histórico desta categoria.

Mas diferente do entorno de outros marcos históricos, como a Torre Eiffel, por exemplo, em Gizé há construções muito simples no entorno e mesmo em frente à entrada do complexo das pirâmides. Segundo nosso guia, há intenção de desapropriação, mas ele não comentou se há ilegalidade ou não nessas construções. Ali ficam alguns hotéis mais simples. Veja mais abaixo sugestões de onde ficar.

pirâmides de Gizé

O lado Oeste do Nilo

Os antigos egípcios acreditavam que o rio Nilo era uma passagem entre a vida e a morte e é por isso que templos funerários, as pirâmides de Gizé e de Saqqara, o Vale dos Reis estão na margem oeste do rio Nilo, associação que faziam com o pôr do sol, o poente de nossas vidas terrenas.

Mapa do complexo onde ficam as pirâmides de Gizé

mapa planalto de Gizé

Note que tanto o mapa acima quanto o Google Maps ainda trazem o Barco Solar ao lado da pirâmide de Queops (Khufu), mas ele foi transportado em agosto de 2021 para o novo museu de Gizé, o Grande Museu Egípcio, cuja inauguração vem sendo adiada constantemente e agoara está marcada para novembro de 2022.

Além das 3 pirâmides e da Grande Esfinge, você verá mastabas, túmulos em que eram sepultados nobres do Egito Antigo – e faraós, antes da fase das pirâmides. Ir a Saqqara é muito legal para entender estas fases. Há também as pequenas pirâmides das rainhas e o Templo Funerário de Khafre no planalto de Gizé.

vista a partir do ponto panorâmico

Quem construiu as pirâmides de Gizé

Nem vou falar da teoria de os alienígenas terem construído as pirâmides de Gizé, mas que a gente fica intrigado com o tamanho dos blocos de pedra, dos obeliscos e sarcófagos de granito que eram feitos no sul do Egito e levados até o Norte, ah, isso a gente fica. E ver tudo ao vivo é tão maravilhoso! Que privilégio poder estar ali e (re)aprender tanto. Espero que você consiga também ter esta emoção em sua vida.

Crença relativamente recente é a de que foram escravos que as construíram. Em 2010 uma equipe arqueológica revelou vários novos túmulos que pertenciam aos trabalhadores que construíram as pirâmides de Queops e Quéfren. Escravos jamais teriam sido sepultados ali, alegam os egiptólogos.

Como Chegar às Pirâmides de Gizé sem tour

Em geral as pessoas fazem um bate-volta a partir do Cairo até Gizé e a maioria dos turistas viaja ao Egito em excursões por praticidade e segurança, ou viaja independentemente e contrata tours para visitar as pirâmides. Veja mais abaixo as sugestões de tours.

Quem vai totalmente sem apoio pode tomar um taxi ou Uber. Neste caso, combine com o motorista para deixar você dentro do complexo e compre o ingresso para o carro na mesma bilheteria (5 EGP) – e combine sempre antes de entrar no carro o custo da viagem de ida e de volta, pois é possível reservar o mesmo taxi para o dia inteiro, deixando-o esperando no estacionamento. Ou tomar um novo táxi perto da Esfinge. Eu prefiro o Uber, porque não tem que pechinchar, atividade que cansa depois de alguns dias no Egito.

Há duas entradas: a próxima da grande pirâmide a que fica perto da Esfinge. Nós entramos por uma e saímos pela outra.

Dentro do complexo é bom ter algum tipo de transporte, seja camelo, quadriciclo ou carro, porque as distâncias são grandes no calor do deserto.

Ingressos para ver as pirâmides e a Esfinge

Como viajamos com agência, nosso guia providenciou a compra dos ingressos. Achei engraçado que a atração mas popular do Egito tem o ingresso mais sem graça:

pirâmides de Gizé

O ingresso básico para entrar no complexo das pirâmides de Gizé pode ser comprado na bilheteria na hora da visita – mas há sempre filas. Custa 200 EGP e inclui ver de perto:

  • a Esfinge
  • a pirâmide de Quéops, a de Quéfren e de Miquerinos, e as pirâmides das rainhas
  • os templos funerários
  • o mirante panorâmico

Ingresso para entrar nas Pirâmides

Como estas pirâmides foram saqueadas, não há muito o que ver dentro delas (ou nada), mas quem disse que é preciso ter algo para ver? Pense que você estará num dos lugares mais incríveis do mundo! Dito isto, saiba que o acesso é bem estreito e pode causar problemas a quem é claustrofóbico. Optamos por não entrar porque ainda estávamos sob o domínio do Covid-19 durante esta viagem (março/22) e preferimos evitar um lugar tão fechado por onde circularam tantas pessoas por minuto. ode entrar nas pirâmides, mediante pagamento de uma taxa de 400 para a maior e 100 para cada uma das menores pirâmides. Deixamos para fazer isso nas pirâmides de Saqqara, qeu não são tão populares e ainda têm o que ver por dentro. Recomendo.

Ingressos para entrar nas pirâmides são opcionais e vendidos na mesma bilheteria do ingresso básico, então decida antes qual ou quais quer visitar.

  • pirâmide de Queops: 400 EGP
  • pirâmide de Quéfren: 100 EGP
  • pirâmide de Miquerinos: 100 EGP
pirâmides de Gizé
aquela foto horrível, mas inesquecível, no ponto panorâmico

Ingresso e transporte vendidos online

Caso você esteja viajando por conta própria, sugiro comprar o ingresso antecipadamente comercializado pela Tiqets, nossa parceira. É bem seguro, pode confiar que eu já comprei vários ingressos na plataforma deles.

Eles têm duas opções, o bilhete Grande Pirâmide de Gizé, que inclui:

  • Transporte de e para o hotel (Cairo e Gizé) em micro-ônibus moderno com ar-condicionado
  • Entrada para a área Pirâmides e Esfinge
  • Guia turístico licenciado em inglês
  • Passeio de 1 hora por Felucca no Rio Nilo

Outra opção é o Bilhete Planalto de Gizé:

  • Ida e volta de hotéis no Cairo ou em Gizé
  • Transporte em veículo com ar-condicionado
  • Tour de quadriciclo de 1 hora
  • Passeio de camelo de meia ou 1 hora (se selecionar um bilhete com passeio de camelo)
  • Especialista fluente em inglês
  • Água mineral
  • Taxas e custos de serviço

Horário de funcionamento

  • de abril a setembro, das 7 às 17h
  • de outubro a março, das 8 às 16h
  • durante o ramadã*, que em 2022 começou na noite de 2 de abril e terminou em 2 de maio, fecha às 15h.

Leia sobre o *ramadã e outros aspectos culturais em Viagem ao Egito

Melhor época para visitar as Pirâmides de Gizé

Por ser muito quente, a melhor época para visitar o Egito é durante o outono, inverno, ou início de primavera, ou seja, de outubro a março. Uma semana depois de nosso retorno, na segunda semana de abril, os termômetros dispararam. Leve esta dica muito a sério! O deserto é muito quente, e quanto mais ao sul, mais calor, como no Vale dos Reis. Se você vai ao Egito para curtir as praias do Mar Vermelho, esta regra pode ser desconsiderada. Mas acho que só europeu vai ao Egito para curtir apenas suas praias, não?

Quanto tempo reservar para a visita

Não se engane, além de o complexo ser grande e de você querer tirar zilhões de fotos, você ainda vai reservar – ou deveria – algum tempo para agradecer ao universo pela chance de estar ali, não vai? Encontre um lugar mais sossegado no complexo, absorva a paisagem e a energia local. Espero que você consiga, porque para nós foi muito corrido. Acho que não ficamos nem duas horas por lá, incluindo o passeio de camelo. Acho que ao menos 4 a 5 horas, dependendo do quanto você curte o destino.

Onde se hospedar: no centro do Cairo ou perto das Pirâmides de Gizé?

Hotel perto das pirâmides de Gizé

Escolher um hotel perto das pirâmides evita perder precioso tempo de turista no trânsito insano do Cairo, mas além das pirâmides ainda não há muito o que fazer na região. Ainda, porque está prometida para novembro/22 a inauguração do Grand Egyptian Museum, ou Museu de Gizé.

O entorno das pirâmides de Gizé é bem simples e pode até inibir quem não está acostumado a bairros mais pobres ou surpreender por haver tanta sujeira e miséria num dos lugares mais turísticos do mundo. Mas isso acontece também no Cairo…

entorno pirâmides de Gizé

Ficamos 5 noites no Hotel Steigenberger Pyramids, e embora nosso quarto não tivesse vista para as pirâmides de Gizé, a área de piscina tinha. A diferença de custo entre quarto com vista ou não das pirâmides é bem pequena, mas não nos beneficiamos do quarto com vista provavelmente por um acordo da agência e do hotel.

O hotel tem classificação 5 estrelas, mas na minha opinião é um 3. O quarto e banheiros são bem espaçosos, tem uma varanda legal, mas achei sujinho, o serviço ruim, a comida sem graça. Eu não ficaria de novo lá, diferente do hotel do Cairo, para onde eu voltaria sem pensar numa eventual nova viagem ao Egito.

hotel perto pirâmides de Gizé

Agora, se você puder, fique no Mena House, hotel lindo da rede Marriott, ainda mais próximo das pirâmides. Outra opção de hotel com vista para as pirâmides são o Pyramids View Inn e o Great Pyramid Inn.

Hotel no Cairo

Hospedando-se no Cairo, você enfrentará trânsito para ir a qualquer lugar, inclusive às Pirâmides de Gizé, por isso eu sugeri dividir sua base em dois lugares.

No Cairo ficamos num 5 estrelas de verdade, o Fairmont Nile City. É um complexo imenso, com vários restaurantes e bares, e ao lado tem um shoppinzinho com algumas opções de cafés/lanchonetes que ajudam quem prefere não ir ao centro do Cairo para comer, ou não quer comer num dos restaurantes do hotel.

Foi uma das melhores camas em que dormi na minha vida, até abracei o travesseiro na hora de ir embora ahaha. O café da manhã era bastante variado, e foi onde me senti segura para comer frutas in natura (por causa do receio de piriri, muito comum no Egito). Nosso quarto tinha vista para o Rio Nilo, e isso é meio hipnotizante no primeiro dia: “nossa, estou no Cairo, que coisa mais Indiana Jones!” ahaha

hotel Cairo
Vista para o Nilo, no Fairmont Nile City

O Conrad Hotel & Casino, onde ficaríamos se a agência Maktub não nos tivesse dado o upgrade para o Fairmont, e o St Regis, um pouco mais caro, estão localizados na parte norte do Cairo, onde começa/termina a ilha do rio Nilo onde fica a Cairo Tower, entre outras atrações, que aliás, acho uma ótima opção de hospedagem.

A parte sul dessa ilha, Gezira, tem a Opera House, o Museu Egípcio de Arte Moderna e os Jardins Horreya, tudo a curta caminhada da ponte Qasr, que leva até a praça Tahir, onde entre outras coisas está o Museu Egípcio. Um hotel acessível nessa vizinhança é o Sofitel Cairo Nile El Gezirah, mas se você quiser ficar como um faraó, The Nile Ritz-Carlton fica na Corniche, vizinho à Praça Tahir.

Conclusão

Se puder escolher, divida sua estadia nesta parte da viagem: fique 2 dias em Gizé (3, depois da inauguração do museu) e ao menos 5 no Cairo. E não resuma sua viagem apenas ao Norte do Egito. Não deixe de ir a Assuã e Luxor, também. Ainda não tinha escrito a respeito quando publiquei este artigo, então vá até a página-índice Egito para novas publicações.

Confira o roteiro de 15 dias no post Viagem ao Egito

O que fazer em Gizé, além das pirâmides

Além do complexo das pirâmides de Gizé e do Museu, visite as Pirâmides de Saqqarah, pouco mais de 20 km ao sul de Gizé.

Algumas lojas típicas como o Palácio do Perfume (nós visitamos o de Assuã) e o Museu do Papiro são algumas opções. É bacana, você aprende sobre o processo artesanal para fazer o papiro, mas faça uma pesquisa de custo, pois li avaliações de que há outros lugares com os mesmos produtos só que mais barato. Quanto aos perfumes, acho dispensável. Sem contar que é mais uma situação em que você precisará barganhar. Em geral os guias levam os grupos nesses lugares por conta das comissões que recebem, e isso é muito triste, tendo tantos museus e templos onde poderíamos aproveitar muito mais nosso tempo.

Onde comer em Gizé

Você pode visitar o único restaurante que fica no planaldo de Gizé e fazer fotos lindas no 9 Pyramids Lounge. É preciso fazer reserva. Funciona das 9h às 17h, mas o último cliente entra às 15h30. E como fica dentro do complexo, é preciso comprar o ingresso caso decida ir num horário diferente do da visita às pirâmides.

Nós comemos no shopping, como mencionei, e no hotel. O único almoço em Gizé foi no Hills restaurant pyramids, um restaurante simples, mas onde tem o melhor falafel da viagem toda (ou será que ter sido o primeiro motivou esta lembrança?). O almoço estava incluso no pacote, PF em geral de carne ou frango, com arroz e entradinhas típicas com pão pita, Babaganouch, homos e outros. De sobremesa banana. Bebidas pagas à parte. Em média, o refrigerante saía por 70 libras egípcias nesses almoços.

No shopping Mall of Arabia, há restaurantes fast food de rede, e foi onde preferimos comer. Dois whoopers com refrigerantes e fritas no Burger King saiu por 180 libras egípcias.

Noite em Gizé

À noite, você pode conferir um pouco da vida social dos egípcios no shopping Mall of Arabia, 20 km a oeste das pirâmides. Nós tomamos Uber a partir do hotel em Gizé.

Algumas colegas do grupo foram ao show de som e luz nas pirâmides de Gizé, mas eu acho que é pega-turista. Este era um opcional de nosso pacote, e pesquisei imagens e avaliações a respeito para decidir, que se mostraram controversas. As avaliações diziam que a tecnologia empregada no show é bem rudimentar, nada comparado a show de luzes da Disney, embora as pirâmides merecessem. Caso você decida ver, compre seu ingresso antecipadamente no site oficial e leve uma blusinha se for na primavera – e casaco, touca e luvas se for no inverno. As cadeiras são dispostas ao ar livre, e venta muito no local.

Mas dá pra ver de graça a partir de alguns terraços/bares e restaurantes de hotéis, como o Pyramids View Inn B&B ou o Panorama Pyramids Inn. Ou do Pizza Hut!

Pra falar a verdade, aproveite a noite para descansar. Uma viagem ao Egito é bem intensa e prioritariamente diurna.

pirâmides de Gizé
a estrela do Egito, vista de nosso hotel em Gizé

Além do Museu do Cairo, visite o Museu Nacional da Civilização Egípcia, e o Palácio Manial no Cairo

Outras dicas para sua visita às Pirâmides de Gizé

  • Andar de camelo. OK, pega-turista, mega turístico, exploração de animais, para alguns. Mas não me arrependi! Dá um pouquinho de medo porque é muito alto, mas depois a gente acostuma. Todos do nosso grupo foram e foi bem divertido. Entre na brincadeira, aceite a proposta de trocar X camelos pela namorada/esposa. Eu me diverti. Os donos ou tratadores dos camelos foram muito simpáticos, tiraram várias fotos, cantaram… Como o passeio foi contratado pela agência, não precisamos negociar o preço – e dizem que tem que deixar claro que é o preço para subir, andar e descer do camelo, porque alguns pedem mais dinheiro para fazer o camelo sentar e a pessoa poder descer.
pirâmides de Gizé
  • Há banheiros apenas perto da Esfinge e na entrada do complexo.
  • Use protetor solar, chapéu (ou touca no inverno), óculos de sol, roupas e tênis confortável e adequadas ao clima. No post Viagem ao Egito eu dou dicas completas de o que vestir no Egito, país majoritariamente muçulmano. Em resumo, nada de roupas acima dos joelhos, transparentes e/ou decotadas. Ombros também sempre cobertos.
  • Mochilas e bolsas maiores de 40X40cm não são permitidas no planalto de Gizé. Nem cães ou alimentos, exceto garrafas de água.
  • Confira no Facebook do Mulher Casada Viaja posts com dicas bem específicas, como água, comida, cruzeiro e também das pirâmides.

Outros bate-voltas pelo mundo

Confira outros lugares que podemos visitar e conhecer estando hospedados em locais próximos, sugeridos por blogueiros do grupo Pequenos Grandes Viajantes desta blogagem coletiva:

Planeje sua viagem aqui

Blogs de viagem são muito úteis no planejamento de viagem e gratuitos para o leitor, mas têm um custo para serem mantidos no ar – e posts como este levam muitas horas e às vezes dias até serem publicados.

Se você gostou das dicas do Mulher Casada Viaja, saiba que pode retribuir e contribuir para que as dicas continuem chegando gratuitamente a quem busca inspiração e informação de qualidade. Basta clicar sobre os links de nossos parceiros. Você planeja sua viagem e retorna a gentileza:

Booking.com: para fazer suas reservas de hotel, apartamento, B&B
Passagens Promo: pesquise e reserve passagens aéreas nacionais e internacionais
Rentcars: aluguel de carro, com possibilidade de parcelamento e isenção de IOF, no caso de aluguel no exterior
Seguros Promo: desconto de 5% em seguro viagem para leitores. Aplique o código CASADAVIAJA5
Chip de Viagem: compre seu simcard internacional e receba em casa antes de sua viagem
– para ingressos de atrações, excursões e tours, temos 2 opções para você escolher: a Get your Guide e a Tiqets.


9 COMENTÁRIOS

  1. Márcia, que demais esse seu post sobre as piramides de Gize. Sou louca para ir ao Egito esse destino está realmente no topo da minha lista e de muitas pessoas. Acredito que quando chegar ao lado dessas pirâmides vou viver uma grande emoção

  2. Que sonho de viagem. Eu sempre quis ir para o Egito, mas essa é uma viagem que quero fazer acompanhado. Adorei ler sua experiência e custos. Deve ser sensacional, alias, Macchu Picchu tbm está na minha lista… preciso comecar a agilizar isso ai haha
    E… Que contraste esse logo da Pizza Hut na foto, juro que não imaginava ver uma rede tão perto assim kkk

  3. Sempre sonhei em conhecer o Egito, acompanhei sua viagem pelas redes sociais e fiquei encantada com o que vi. Agora depois desse relato sobre as Pirâmides de Gizé vou acelerar o planejamento da minha viagem. Quero muuuito conhecer. Muito obrigada por compartilhar cada detalhe.

  4. Visitar as Pirâmides de Gizé e um sonho que ainda tenho. Já li outros artigos de sua viagem para o Egito e fiquei morrendo de vontades de me aventurar também.

  5. Tenho planos de conhecer o Egito nas minhas férias de 2023 e já vou guardar aqui essas dicas para as pirâmides de Gize! Adorei o post, obrigado por compartilhar!

  6. Super post necessário pra organizar uma viagem para o Egito! O Egito está na minha bucklist de viagem desde criança e ainda vou conhecer as pirâmides de Gizé de pertinho!

  7. Egito faz parte de destinos que desejo visitar e seu post será de fundamental importância quando chegar a hora. Excelentes dicas! Eu só vou num grupo pois sozinha acho complicado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui