Florianópolis: guia para planejar sua viagem

untitled-41
Gratidão, na Praia Armação

Diminutivos e apelidos carinhosos geralmente são reservados àqueles que amamos ou a pessoas especiais e esse costume vale também para bichos e… cidades. Florianópolis ganhou o apelido Floripa possivelmente para expressar o desprezo ao homenageado Floriano Peixoto, pois a llha de Santa Catarina era foco de resistência à república recém implantada no país. Mas cá entre nós, Florianópolis merecia mesmo um apelido por ser especial e tão querida. Primeiro porque se trata de uma ilha e ilhas trazem uma sensação de aconchego e proximidade próprios de vilarejos. Mas Floripa é especial nisso também. Sua dimensão, relevo, população e dificuldades de locomoção nas muitas rodovias-avenidas fazem com que haja várias Floripas na mesma ilha.

Neste post faço um mini guia da cidade depois de minha visita à ilha, em dezembro/2015, antes do início da temporada, quando fiquei hospedada em um hotel no Campeche, ao sul.

dicas de Florianópoils

Localização
Florianópolis é a capital do Estado de Santa Catariana, que pertence à região Sul brasileira.

Mais didático, impossível!
Mais didático, impossível!

Como Chegar a Florianópolis
🚗🚌 Quem chega de carro ou ônibus entra pela ponte Pedro Ivo Campos, que liga a Florianópolis continental à insular. A famosa ponte Hercílio Luz está numa encrenca de licitações-restauração- gastos que deixam manezinhos (como são chamados os locais) e moradores forasteiros (a grande maioria da população) descontentes a ponto de acharem mais fácil implodir a ponte. Que pena…

praias Floripa
Canto esquerdo da Mole, com vista para a Galheta

✈ Aviões pousam um pouco mais ao sul, também na costa oeste (continental), no único aeroporto da ilha. Obras de um novo acesso ao aeroporto prometem desafogar a rodovia, que em dia de jogos no Estádio da Ressacada dificulta a vida do viajante e dos torcedores do Avaí, o time local.
Se quiser ver Floripa de cima, no momento do check in escolha um assento no lugar esquerdo do avião, na ida, e do lado direito em sua partida, assim você ganha uma vista extra do centro-sul da ilha.

Como Circular
🚲 Há apenas algumas ciclovias como na Lagoa da Conceição e na Av. Beira Mar. Algumas avenidas têm tartarugas dividindo o asfalto, cedendo espaço pa
ra as magrelas, mas assim como o pedestre, o ciclista divide o mesmo asfalto com veículos em muitos pontos. Andar de bike nessas condições, na temporada, só se você for bike-ninja, na minha opinião.

O Terminal Rio Tavares
O Terminal Rio Tavares

🚌 Deslocar-se de ônibus é barato ($ 3,10), pois todos passam em terminais (são 6) e você paga apenas na primeira vez que entra no transporte, ou seja, dá pra ir de uma extremidade a outra por $6,20. Os terminais são limpos, bem sinalizados e todos têm sanitários e lanchonete. Nos pontos dos terminais há o horário de saída dos ônibus. Os pontos nas vias públicas são padronizados: bancos de tubos metálicos, painéis de vidro (ou acrílico, não sei) e cobertura e cada um tem uma numeração, o que facilita na hora de lembrar em que ponto descer.

👣 Seus pés são boa opção apenas se você estiver muito perto da praia que quer frequentar. As calçadas são estreitas, quando não existentes. No Campeche eu caminhei distâncias consideráveis e tive que dividir espaço com bikes e carros/ônibus, em ruas relativamente movimentadas e até em rodovias. Existe legislação para que haja sinalização para deficientes visuais nas calçadas, mas veja na foto abaixo como isso acontece na prática. Só fotografei porque o absurdo se repete em muitos lugares.

No meio do caminho, tinha um poste...
No meio do caminho, tinha um poste…

🚗  O carro acaba sendo uma boa opção fora da temporada, pois você pode ir do Sul ao Norte da ilha rapidinho. Na alta temporada, melhor ficar perto de seu hotel, pois enfrenta-se trânsito similar ao de grandes capitais como SP ou RJ. O hotel onde fiquei me indicou a Campeche Tur, administrada pelo Sr. Mazinho, que no início da semana me ofereceu um Palio com ar, direção, travas automáticas e alarme por $120 a diária. Acabei alugando só na quinta e sexta-feiras, quando ele baixou para $90/dia, com quilometragem livre. Ele levou o carro até meu hotel e o retirou lá também, mas pode-se retirar no aeroporto. O carro era novinho e estava bem limpo. O fone dele é 3338 2817 e seu email é mazinhocampechetur@hotmail.com

Mobfloripa é o site oficial da prefeitura com informações de linhas de ônibus municipais, intermunicipais e interestaduais, entre outras informações sobre mobilidade na cidade.

Hospedagem
Não faltam praias!A Costa Oeste é a chamada Mar de Dentro. Voltada para o Continente, as águas são mais tranquilas, assemelhando-se a um rio (me lembrou o Rio de la Plata, em Buenos Aires). As praias ficam mais bonitas ao Norte, a partir de Santo Antônio de Lisboa. A região do Centro Histórico fica muito deserta à noite, como muitos centros urbanos de capitais brasileiras, mas a Avenida Beira Mar pode ser uma opção pois os preços são mais acessíveis, mas não dá pra pegar praia ali.
O Sul da ilha é mais tranquilo e selvagem, e vai te proporcionar maior sossego e imersão na vida local. A água do mar costuma ser mais gelada e agitada nas praias da Costa Leste, de mar aberto.
O Norte tem mais turistas e  por isso mais estrutura, como oferta hoteleira, de restaurantes e comércio, mas algumas praias ainda são bem tranquilas, como Daniela.
A área da Lagoa da Conceição é uma delícia durante o dia e fica agitada à noite, com muitos jovens nos bares e restaurantes do local. É uma região legal para ficar pela localização central, mas ainda natural, para passear no Norte e Sul. Eu gostei muito da Barra da Lagoa, uma praia muito bonita, onde fica uma unidade do Projeto Tamar.

Falarei mais sobre as praias no post Florianópolis: Roteiro de 5 dias, que publicarei em breve.

Palácio Cruz e Souza, no Centro
Palácio Cruz e Souza, no Centro

Permanência
Há quem fique um fim de semana, há quem fique uma vida – e não são poucos! Tive 6 dias e ficou faltando um monte de coisas que eu queria ter feito. A ilha tem várias trilhas e algumas praias são acessíveis por elas apenas, como Saquinho e Naufragados, no Sul. A Ilha do Campeche, por exemplo, merece uma visita se você gosta de fazer mergulho. Uma moradora disse que é muito fácil fazer flutuação e ver cavalos marinhos! Se quiser uma experiência gastronômica, também tem os viveiros de ostras do Ribeirão da Ilha e de Santo Antônio de Lisboa. Ou você pode querer praticar esportes como standup paddle nas lagoas da Conceição ou na lagoinha do Campeche, sandboard na Joaquina ou kitesurf em quase todo lugar. Ô vento Sul!
Resumindo: o tempo para ficar depende do tipo de viagem que quer fazer.

Lagoa da Conceição

Língua
É Português, claro, mas os manezinhos têm algumas gírias locais que você vai acabar aprendendo, como eu: “
Istepô” e “tás tolo?”. Além disso, que delícia aquele jeito cantado de falar. No dia em que voltei me peguei falando cantado em várias ocasiões. “Tás tola, guria?”

Dinheiro
Cartões de débito e crédito são aceitos em lojas e restaurantes, mesmo em lugares onde o único acesso era de barco, como a Costa da Lagoa da Conceição.
Caixas eletrônicos estão em todos os shoppings da cidade, no aeroporto e na rodoviária, além de em alguns supermercados.  Se precisar de mais detalhes, envie a pergunta nos comentários que eu informo mais especificamente onde você pode encontrar um caixa eletrônico.

Preços em reais (em dezembro/2015)
– camiseta/survenir no Mirante da Lagoa: 35
– cerveja 600ml: 8 a 12
– suco natural: a partir de 6
– porção de fritas
– isca de peixe: a partir de 37
– filé de robalo/espada/linguado, com fritas, arroz branco e pirão (serve 2 ou 3 pessoas): 70
– 12 ostras ao bafo: 16
– estrogonofe de ostras: 50

untitled-83
Ducha quebrada e banheiro químico (azul à esquerda) na praia Daniela

Outras Dicas
Nesta temporada, banheiros químicos foram instalados em todas as praias que visitei. Algumas têm duchas, mas que não funcionam. Na Jurerê, você paga $2 por uma ducha que funciona, mas mantida por iniciativa privada. Na Santinho, a praia tinha meia dúzia de pessoas (multidão só perto do hotel no canto direito) e os banheiros estavam insuportavelmente fedidos pela hora do almoço.

Compras
Artesanato local pode ser encontrado em vários pontos e os mais representativos são a renda de birô e peças de cerâmica, tecido ou barro representando o Boi de Mamão, a versão local do Bumba-meu-boi. Se quiser saber sobre o folclore local, clique aqui. Se for sua praia, a Ilha tem 8 shopping centers.

artesanato Florianópolis

Bons lugares para encontrar peças artesanais são o Mercado Municipal, recentemente restaurado, e a Alfândega, ambos no centro da cidade, pertinho da Rodoviária e do Terminal de Ônibus A.
Agora, veja que história legal: Lá no Mercado, uma senhora com feições portuguesas trabalhava em sua renda de birô, tradição herdada pelos colonizadores açorianos (povo do arquipélago Açores, no Atlântico Norte, então pertencente a Portugual) que chegaram a Floripa no século XXVIIII. Nem lembro como chegamos a falar sobre isso, mas ela me contou que um dia foi convidada por um açoriano para ir aos Açores ensinar o povo de lá a fazer renda de birô. A tradição havia sido mantida aqui no Brasil, mas esquecida nos Açores e ela foi responsável pelo ressurgimento desta tradição. Me contou emocionada. Linda história, não?
untitled-20

O que Comer/Beber
Em viagens, minha comida preferida é um restaurante com um ambiente gostoso, de preferência com uma vista linda. Meu marido diz que eu me alimento de estradas e paisagens, mas em Floripa consegui unir boa comida a paisagens maravilhosas. Um desses lugares é o Freguesia Bar e Restaurante, em Santo Antônio de Lisboa, no Noroeste. Se você gosta de ostras, todo mundo fala do badalado – e caro – Ostradamus, em Ribeirão da Ilha, no Sul. Na Costa da Lagoa da Conceição (acessível apenas de barco), um serviço caprichado, comida deliciosa, cerveja geladinha e vista para o paraíso, no Restaurante Cachoeira. Dica de moradores e que eu aprovei é o Petiscão Porções, que tem um ambiente mais familiar, poucos turistas e um atendimento super simpático. Fica na Rod Dr. Antônio Luiz Moura Gonzaga, 4057, Rio Tavares. 

Passe no Centro de Informações Turísticas no Mercado Municipal e retire o panfleto Roteiro Gastronômico & Turismo, com várias sugestões. 

Em Santo Antônio de Lisboa: sombra e cerveja gelada
Em Santo Antônio de Lisboa: alimentando-me de paisagem


Distância de Floripa a… (em quilômetros)
– Balneário de Camboriú: 81
– Joinveille:98
– Blumenau: 70
– Beto Carrero World: 119 

Links para Outros Posts
Florianópolis: Roteiro de 5 dias (em breve)
Florianópolis sem Praia (em breve)

 

Anúncios

14 comentários sobre “Florianópolis: guia para planejar sua viagem

  1. palomadiasgarcia 4 de março de 2017 / 10:50

    Delícia de viagem! Estou planejando a minha e olhando as dicas aqui. Seu post ta bem completinho e ajudando muito 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. Lid Costa 4 de março de 2017 / 16:50

    Não é o Rio, mas é uma cidade maravilhosa! Adorei as praias, o povo… A praia da Joaquina, apesar de ter a água mais geladinha, tem um espaço especial dentro do meu coração rs

    Curtido por 1 pessoa

  3. quartodeviagem 4 de março de 2017 / 19:41

    que interessante Marcia, não tinha ideia que a cidade tinha esse apelido por conta de cunho histórico. Eu passei pela cidade, mas não tive a sorte de conhecer as praias, quero mudar isso em breve, não vejo a hora de viajar mais pelo Brasil!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Leo Vidal 5 de março de 2017 / 11:30

    São belas demais as praias de Florianópolis, mas algumas me deixaram decepcionado pelo preço. Sem dúvida a melhor forma de circular é de carro, mas em épocas muito festivas pode ser mais “lento”por conta dos engarrafamentos.

    Curtir

  5. Adriana Magalhães 5 de março de 2017 / 12:15

    Eu adoro Floripa de coração. A única coisa muito ruim são os engarrafamentos intermináveis!

    Curtir

  6. LondresPraVocê 5 de março de 2017 / 13:45

    Ah, FLoripa, quantas saudades. Seu post está incrível, super completo! Fiquei interessadíssima no estrogonofe de ostras… vou ter que voltar lá pra provar!

    Curtir

  7. paulaugot 5 de março de 2017 / 13:55

    Excelente post! Um guia para quem quer conhecer essa cidade exuberante, achei tão legal que vou compartilhar lá na fanpage do meu blog!

    Curtido por 1 pessoa

  8. Keul Fortes Ana Raquel 5 de março de 2017 / 15:25

    Ah.. Que saudade me deu de Floripa ao ler esse post. A cidade é realmente lindaaaaa! Fiquei apenas uma semana lá e não conheci nem metade. Lendo esse post percebi que preciso urgentemente voltar!

    Curtido por 1 pessoa

  9. sisiblum 5 de março de 2017 / 15:48

    Adorei o post e as dicas. Ainda não conheço Florianópolis e já marquei este post pra servir como referência caso algum dia eu tenha a chance de visitar a cidade!

    Curtido por 1 pessoa

  10. Juliana Rios (Juny) 5 de março de 2017 / 18:21

    O post ficou super completo, boas dicas!
    Tenho muita vontade conhecer Floripa, parece ser uma das cidades mais bonitas do Brasil! ❤

    Curtido por 1 pessoa

  11. Paula Abud 5 de junho de 2017 / 16:58

    Adorei o post, Márcia! Dia 14 chego em Floripa e já me foram úteis as dicas pra fechar nosso roteiro.
    Super essencial suas dicas, parabéns!

    Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s