Bruges: sobre ursos, princesas raptadas e cisnes

 

Quando você visitar Bruges, poderá estranhar a figura de ursos em edifícios governamentais ou caixas de chocolates. Para entender, basta ler este post sobre lendas e historias que envolvem ursos, princesas e cisnes. Bruges lhe será ainda mais interessante.
Nunca ouviu falar em Bruges? Tudo bem, até o cartaz do filme In Bruges explica que fica na Bélgica, pra deixar claro!Bruges Bélgica

OK, você pode até não saber muito sobre Bruges, mas não é desculpa pra continuar assim. Além deste, leia os posts que escrevi sobre a cidade: Bruges, a Veneza do Norte e Bruges: o que Fazer e outras Dicas.

Sobre ursos e princesas raptadas
Pobre Judite. Casada aos 15 anos com um rei de 50 anos, aos 17 já estava viúva e de volta à casa do pai, o poderoso rei Carlos o Calvo, que a enviou a uma abadia até que lhe encontrasse novo marido.

Eis que no ano da graça de nosso senhor  de 861, um bravo guerreiro de nome Baldwin visita a abadia e conhece a jovem Judite. Duvido que tenha sido amor, mas vamos pensar que tenha sido. Ele a sequestra e se casam – e segundo rolou nas redes sociais da época, a moça o fez de bom grado, pois há registros escritos de que abandonara os trajes viuvais (que injúria!) e teria tido o apoio do irmão.

Origem de Bruges
Baldwin e Judite

O sogrão de Baldwin, nada satisfeito com a união, convenceu o bispo de Reims a excomungar o casal, que fugiu para o Norte e sem conseguir apoio do viking cristão que governava a região, buscou apoio do papa Nícolas I (nada mal uma lua de mel em Roma!), que intermediou a negociação com o rei careca, argumentando que o conde Baldwin poderia virar a casaca e apoiar o viking Rorik que governava o Norte e estava de olho na atual França.

O casal obteve a união legal em 862. O pai da noiva não compareceu à cerimônia.

Acho que você já se esqueceu do urso, mas ele entra na historia quando Judite e Baldwin retornavam a Bruges e foram atacados por um, que morreu pela espada feroz de Baldwin o Braço de Ferro – mas assiste a tudo e todos os turistas no edifício Poortersloge, na praça Jan Van Eyck.

A praça Jan Van Eryck

Assim como em Dom Casmurro e Otelo, quem decide se rolou isso ou aquilo na historia de Judite e Baldwin é você, leitor, mas o importante é que sem ela Flandres não teria alcançado o status de condado, alcançado quando o jovem casal se estabeleceu ali.

Sobre a praga dos cisnes
“Até o final dos dias, os cidadãos de Bruges terão que manter em seus canais e lagos cisnes brancos”. Não sei naquela época, mas hoje qualquer um agradeceria uma punição dessas! Pensando bem, dá uma olhada nessas penas pelo gramado!

Bruges o que ver e fazer
Cisnes em praças

Tudo começou quando o povo de Bruges rebelou-se contra a opressão imposta pelo império Austro-húngaro no século 15, capturou o imperador Maximilian e condenou à morte seu conselheiro Pieter Lanckhals – Corte-lhe a cabeça! Quando o imperador consegue escapar, lança a ordem citada acima e até hoje os cisnes reinam absolutos em Bruges, nos canais, nos gramados e nas lojas de chocolate!

Bem, se você como eu não sabe a língua complicada desse povo não entendeu nada, como eu, mas eu pesquisei: Lanckhals significa pescoço longo e o imperador sabia que cada vez que os moradores de Bruges vissem os cisne imediatamente lembrariam da morte de Pieter Lanckhals.

Bruges e a montanha russa de desenvolvimento

A região onde hoje fica Bruges havia sido habitada por Romanos e é interessante saber que no século 5 o Mar do Norte a invadiu e só 200 anos depois recuou, deixando terreno fértil que voltou a ser habitado e canais. Isso é Historia. Segundo outra lenda,  o primeiro habitante de Bruges foi um urso, mas esta eu nem perdi tempo pesquisando. 

Bruges historia e lendas
A região começou a se desenvolver comercialmente quando os vikings deixaram de governá-la no século 10 e 200 anos mais tarde Bruges ganhou status de cidade e o era parte do circuito de feiras integrado por países como França e Itália. Seus portos eram movimentados por comerciantes do mundo todo e só quando no século 14 Antuérpia, outra cidade belga, construiu um porto maior é que houve declínio no comércio, embora as Artes tenham continuado a florescer.

o Campanário da Markt

No final do século 19 Bruges voltou a brilhar, desta vez com o turismo de franceses e britânicos. Aconteceu que perder a crista da onda da Revolução Industrial manteve a arquitetura de Bruges na Idade Média de forma que não se vê em outras cidades, resultado também de restauros que tiveram início em 1965 e que culminou no tombamento do centro histórico de Bruges pela Unesco em 2000. Claro que não ter sido destruída pelas Guerras Mundiais, embora tenha sido ocupada pelos alemães nas duas ocasiões, contribuiu para a originalidade e essa sensação de viagem à Idade Média que temos ao visitar a cidade.

Das telas para a vida real

– It’s a fairytale fucking town, isn’t it? How can a fairytale town not be somebody’s fucking thing? How can all those canals and bridges and cobbled streets and those churches, all that beautiful fucking fairytale stuff, how can that not be somebody’s fucking thing, eh?
– What I think I meant to say was…
– Is the swan still there?
– Yeah, the swan’s…
– How can fucking swans not fucking be somebody’s fucking thing, eh? How can that be?

(diálogo do filme In Bruges – Na Mira do Chefe, de 2008)

Assine a nossa Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba dicas imperdíveis de viagem!

COMENTÁRIOS

  1. Ahhhh…. para mim, ele se apaixonou sim perdidamente por Judite; um amor eterno, intenso e profundo e num ato de valentia a salvou do urso e viveram felizes para sempre. Ou talvez como defensor do meio ambiente, ele pode ter encantado o Urso e todos viraram amigos. 🙂 Não conheço e já gostei de Bruges só por suas histórias e lendas: cisnes, mar do norte que avança e recua, sucesso e declínio comercial, cortem suas cabeças… já gostei, já gostei!!! bjs

  2. Que fantástico ler esse post agora! Eu acabei de voltar de lá, acredita? Que cidadezinha encantadora gente….. Eu dormi uma noite e se tivesse mais tempo ficaria até mais, eu amei!!!

  3. Já fui pegar meu mapa e marcar aqui para conhecer Bruges! Nossa viagem para a Europa, agora que eu sei de todas essas lendas, ficaria incompleta sem essa cidade super diferente haha 🙂

  4. Olha só que interessante. Pena que não li nada igual antes de ir, assim iria prestar atenção a estes detalhes, pois nem percebi os ursos pela cidade, hehehehe. Os cisnes sim. Aliás, achei lindo eles nadando no canal. Amei este lugar, quero voltar e lembrarei das curiosidades destes teu post. Beijos.

  5. Eu assisti In Bruges recentemente depois de ver outro filme do mesmo diretor e adoreeei o filme! Mas além disso, me fez ter ainda mais vontade de conhecer Bruges. Muito legal o post!

    • Obrigada, Katarina. Assisti ao filme enquanto escrevia o post e é de um humor bem diferente ao que estamos mais acostumados – sem contar que é um passeio turístico pela cidade.

  6. Que delícia de lenda, especialmente com os seus apartes, que tornaram tudo mais colorido. Vou à Bélgica em Outubro, mas não vai dar tempo para incluir Bruges, só Bruxelas e Ghent (que segundo a minha amiga que mora lá, é mais interessante).
    Mas espero provar esses e outros chocolates…

    • Que pena, Ruthia, mas eu também senti ter que excluir Ghent do roteiro. Cá entre nós, os chocolates são divinos, mas o que são aqueles waffles??!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui