Bate-voltas a partir de Salzburgo

salzburgo bate-voltas

Muita gente conhece Salzburgo em bate-volta a partir de Munique ou mais radicalmente a partir de Viena. Este post sugere algo diferente: bate-voltas a partir de Salzburgo, ou como fizemos, viagens a partir da Salzburgo de Mozart e Noviça Rebelde, próxima dos Alpes, de lagos-espelho, vilarejos lindos e florestas. Nem todas estão em território austríaco, e sim alemão, devido à proximidade.

Salzburgo nos escapou quando visitamos Viena em 2015, nossa primeira vez na Áustria, mas não perdi a chance de colocá-la no roteiro pelo Sul da Alemanha em outubro de 2017, junto com os lugares que listei aqui e que vale a pena conhecer. Leia Roteiro de 14 dias pela Baviera e Baden-Wurttemberg (Rota Romântica, Stuttgart) + Alsácia (França) e Tirol (Áustria) para entender a viagem completa e quem sabe inspirar a sua!

Hallstatt em bate-volta a partir de Salzburgo

Hallstatt é minha primeira sugestão de bate-volta a partir de Salzburgo. Fica a 72 km de Salzburgo e é uma vila deliciosa para se passar o dia, navegar pelo lago, caminhar por ruelas medievais. Se você preferir se hospedar na vila, prepare-se com meses de antecedência. Leia mais em Hallstatt, a vila encantada da Áustria, onde compartilho informações de o que fazer, sobre o vignete (selo-pedágio), como chegar de trem, e outras.

Salzburgo a Hallstatt

Untersberg, a mais próxima de Salzburgo

Visitar Untersberg nem chega a ser um bate-volta de Salzburgo, pois fica a apenas 9 km, no distrito de St. Leonhard, Grödig. Para quem nunca subiu uma montanha alpina de teleférico, a experiência já vale o passeio. No dia em que subimos o tempo estava bem fechado e só nos primeiros minutos do passeio no teleférico conseguimos avistar algo. No topo, uns 2 metros de visibilidade, apenas, e temperatura de -1. Se você tiver melhor sorte, ganhará uma vista espetacular dos alpes. O bom é que o ingresso ao teleférico Untersberg está incluso no Salzburg Card, que dá direito a visitar museus e todas atrações de Salzburgo, como a imperdível Fortaleza/castelo/museu.

Nossa visita a Untersberg teve duas surpresas: a primeira foi a neve que havia caído durante a madrugada no alto da montanha, a primeira da temporada, ainda em outubro. A segunda surpresa foi um evento em homenagem aos mortos na Primeira Guerra Mundial, com descentendes vestindo os trajes da época. Confira o post Salzburgo: cena de Guerra em Untersberg.

Salzburgo untersberg montanha

Se você vai dirigir pelo Sul da Alemanha e por esta região da Áustria, não deixe de ler o post Dirigindo na Alemanha: aluguel de carro, sinalização, estradas, combustível…

Berchesgaden, apenas 30 km de Salzburgo

Se você quer ter uma autêntica experiência alpina, visite Berchesgaden, seja em bate-volta a partir de Salzburgo ou não. Eu queria tanto isso que recusei o bate-volta a partir de Salzburgo e não satisfeita escolhi um hotel fora da cidadezinha: dormimos no meio do nada, com apenas algumas poucas casas-fazendas vizinhas. Tomei café da manhã ao som de sinos de vacas pastando e caminhei rodeada de montanhas por todos os lados.

que visitar perto de Salzburgo

Dicas completas em Alemanha: a linda região de Berchtesgaden e os Lagos Konigssee e Obersee

Konigssee e Obersee, 2 lagos alpinos

Também a 30 km de Salzburgo ficam dois lagos alpinos que você pode conhecer num tranquilo passeio de barco, no parque nacional Berchesgaden. Em dias secos e quentes deve ser uma delícia tomar uma (ou várias) cerveja no biergarten que fica entre os dois lagos. Fazer caminhadas nas trilhas também é uma boa opção para quem tem mais tempo.

salzburgo a Konigssee

Ninho da Águia

Se você acordar cedo, pode fazer no mesmo dia os lagos Konigssee e Obersee e o Ninho da Águia (Kehlsteinhaus). Além da vista fantástica, tem uma construção suntuosa que foi presente de 50 anos a Hitler, a 1.834 metros de altitude. Abre apenas entre meados de maio a outubro. No dia em que visitamos a região estava chovendo, então não subimos. O link acima é uma sugestão para quem está sem carro, pois é de um bate-volta ao Ninho da Águia a partie de Salzburgo, de ônibus de excursão.

Acima de 100 km de Salzburgo

Munique, Fussen e Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha, e Inssbruck e Viena, austríacas, são cidades turísticas um pouco mais distantes, mas que podem ser usadas em esticadas a partir de Salzburgo, seja de carro ou trem.

Confira o roteiro completo desta viagem, assim como dicas de planejamento, no post Alemanha (Baviera), Áustria (Tirol) e França (Alsácia): planejamento e roteiro

Onde Ficar e o que fazer em Salzburgo

Estas informações já compartilhei no post Salzburgo: o que Fazer e Roteiro de 2 Dias, te espero por lá!

Não tivemos muita sorte com o tempo nestes dias em que visitamos Salzburgo, Hallstatt e a região de Berchesgaden, choveu em parte do dia, todos os dias, mas chuva e céu fechado não foram suficientes para roubar a beleza destes lugares, que sugiro você conhecer em bate-voltas a partir de Salzburgo.

Planeje sua viagem aqui no Mulher Casada Viaja: fazendo suas reservas e compras pelos links abaixo você garante boas condições e preços e ainda contribui com a manutenção do blog, contribuindo para que as dicas continuem chegando gratuitamente. Se tiver alguma dúvida, deixe no comentário, terei prazer em ajudar.

14 COMENTÁRIOS

  1. Salzburg é puro charme, o beer gardem da cervejeira Algostiner, numa tarde, com moradores da cidade foi inesquecível. O bete volta em Halsttat é imperdível.

    • Oi, Paulo, tem toda razão, Salzburgo esbanja charme. Tinha a expectativa de curtir biergartens, como tinha feito na Alemanha, mas a chuva atrapalhou um pouco. Obrigada pela dica, abraços

  2. Márcia. Manhã de domingo gelada no em Santa Catarina. 3 graus centigrados. Levantei cedinho, abri minha caixa de emails e me deparo com este post maravilhoso.
    Estou fazendo pesquisas sobre uma possível viagem para a Europa entre maio e junho do próximo ano. E um local que não quero perder é Hallstatt. E naturalmente, Salzburg. Como adoro interior e montanhas, e meu fraco é fotografia, penso que num bate-volta estarei bastante limitado quanto ao quesito fotografia. Nada como poder parar e registrar os locais maravilhosos. Então pergunto: que tal alugar um carro?
    Outra região que vou fazer de tudo para colocar nesta viagem, são os Dolomitas, onde também, quase que necessariamente, vou precisar alugar um carro.
    Em 2015, fui para Barcelona, e lá aluguei um carro e fomos para os Pirineus. Alguns passeios tive que pular, por conta de bloqueios por neve, apesar de ter sido maravilho pegar muita neve . O Pic du Midi estava maravilhoso, e gostosamente muito frio. Então, entre maio e junho não tem mais estes problemas de corte de rodovia por neve, mas poderei me deparar com o oposto? A falta de neve nas montanhas? Esta branquinha que tanto maravilha a vista. Ou talvez, Na região de Salzburg e Dolomitas, seria mais interessante antecipar para abril/maio?
    Tenho a esperança que ainda vamos trocar muitos emails sobre a organização desta viagem.
    Bom domingo, Márcia.

    • Oi, Agostinho, em SP também fez frio, mas nem tanto. Muito obrigada pelo comentário, foi até uma surpresa porque achei este post bem simples ahaha.

      Sim, alugar carro é o ideal, principalmente se você curte fotografia, porque vai querer parar em vários lugares pelo caminho. Foi o que fizemos nesta viagem, e se você pretende ir para os Alpes, talvez possa incluir o Sul da Alemanha, também. Para quem gosta de montanhas, a região de Fussen e Schwangau, Garmisch Partenkirchen e Berchesgaden é imperdível. https://mulhercasadaviaja.com/alpes-alemaes/

      Quanto às Dolomitas, sou suspeita: ainda não estive em nenhum lugar que me encantasse tanto, e tenho destinos de peso no currículo, como Alasca, Alpes suíços, alemães e austríacos. Já tenho dicas das Dolomitas e em breve publicarei mais, sobre a viagem de junho de 2019. https://mulhercasadaviaja.com/category/europa/italia/dolomitas/

      Esta questão de neve é bem complicada, porque pode mudar de uma semana para outra. Este ano eu acompanhei o clima na Suíça, e quando as flores abriram na primavera, de repente nevou. Mas nas Dolomitas é bem possível encontrar neve – no topo das montanhas e não nas estradas, em maio, sim. Este ano ainda tinha muito gelo no final de junho, na trilha de Tre Cime, por exemplo, mas os picos não estavam branquinhos ou mesclados. Em 2015, fui no início de junho e peguei frio, então tinha mais gelo nos topos, deixando as fotos mais bonitas. Eu apostaria na segunda quinzena de maio, se você deseja neve no topo e estradas livres.
      Sim, vamos trocando mensagens, terei prazer em ajudar!

  3. Adorei as dicas de bate-volta a partir de Salzburgo. Não imaginava que havia tantas opções e como pode ser uma alternativa bem mais interessante do que conhecê-la a partir de Munique. De fato, merece mais do que um simples bate-volta e ser, sim, cidade-base para o roteiro. Encantada com os cenários de lagos, montanha e verde.

    • Tantos lugares valem mais que um bate-volta, né? Importante a gente saber das opções antes de rascunhar um roteiro, pois ele vai crescer!

    • Eu nunca tinha ouvido falar de Berchesgaden, e foi um blog gringo que me deu a dica. Mas não é só uma cidade, e sim uma região da Alemanha, que antes pertenceu à Áustria.

  4. Adorei a ideia de fazer bate e volta a partir de Salzburgo! Cada cidade linda. Essa região é um encanto mesmo. Obrigada por compartilhar!

  5. Ahhh Salzburgo é uma delícia, né?
    Pena que fiquei só 2 dias na cidade e não consegui conhecer muita coisa do entorno. Só fui pra Berchesgaden e visitei os lagos Konigssee e Obersee. Lindos, né?
    Mas ainda quero conhecer Hallstatt e esses outros lugares que vc citou no post. Vai ficar pra próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui