Pela França de Carro: aluguel, pedágio, combustível

Todas as fontes dizem que é loucura dirigir em Paris. Acho que eles não sabem que dirigimos na caótica São Paulo! Claro que alugar um carro para circular por Paris é uma grande besteira pois o melhor é caminhar ou usar o metrô, que chega a todo canto, e o trem para bate voltas a Versailles e Giverny. Mas se você vai explorar o interior por mais de um dia, alugar um carro é o ideal e foi o que fizemos: saímos de Paris a Giverny para visitar a antiga morada do pintor impressionista Monet e no mesmo dia seguimos para a região dos Castelos do Vale do Rio Loire. Deixo aqui as dicas de pedágio, combustível e estacionamento em Paris.

Fiz a reserva de um carro com a seguinte descrição: compacto, 4 ou 5 portas, manual com ar condicionado. Renault Captur ou similar. Escolhi a loja da Hertz mais próxima do hotel em que estávamos em Paris, perto dos Jardins de Luxemburgo, para retirá-lo e optei por devolvê-lo no aeroporto, para então pegarmos nosso voo de volta a SP.

Estacionamento em Paris
Quando você sai com o carro do aeroporto, tem a vantagem das escadas rolantes e dos elevadores para auxiliar com a bagagem, mas em Paris o carro fica em um estacionamento público próximo à loja – e não na loja como em outros países, então mais uma vez você precisa arrastar mala escada abaixo – mas pra baixo todo santo ajuda!  Depois do primeiro lance de escada, que sai da superfície, tem um elevador de 7 andares, ou seja, são 8 andares abaixo da superfície parisiense. Fiquei impressionada com mais esse queijo suíço!

Na loja, além da documentação você recebe o bilhete do estacionamento já pago pela locadora, que é validado na máquina. Não há funcionários por lá, então é preciso verificar se o carro tem amassados ou arranhões, a fim de se isentar de possíveis danos anteriormente causados ao veículo.

aluguel de carro em Paris
O carro alugado no estacionamento público de Paris

estacionamento em Paris

Enchendo o tanque
Seu carro já virá com o tanque cheio, e você pode optar por devolvê-lo com o combustível restante e pagar por isso diretamente à locadora (nunca faço isso pois costuma ser mais caro) ou parar em um posto e reabastecê-lo pouco antes da devolução.

Na viagem toda, usamos um posto no Vale do Loire e um em Paris próximo ao aeroporto. No Loire tivemos que pedir ajuda à atendente da loja de conveniência, pois o equipamento era antiguinho e foi ela mesma quem abasteceu, não soube se por falha de comunicação (ela não falava Inglês, eu não falava Francês) ou se era mesmo sua função, pois só ao fazer este post traduzi a expressão “Ne pas se servir” , que é algo como “não é self service”. ao contrário, em Paris, a gente abastece (tem luvas descartáveis disponíveis na bomba) e depois se dirige à loja de conveniência para pagar. Adorei! Confiança em cidade grande – a gente vê por ali! Nosso carro era bem econômico, movido a diesel. Rodamos mais de 800 km e além do tanque cheio usamos mais um, ou seja, gastamos cerca de 50 euros com combustível. Mas nos perdemos bastante, então você que faz sua lição de casa e usa direitinho o GPS não vai se perder!

20140604_141450.jpg
Bomba antiguinha, perto de Amboise
como abastecer o carro na França
Bomba em posto próximo ao aeroporto CDG
Combustível França
Posto no Vale do Loire

Estradas na França
Paris tem um anel circundando-a e vários acessos (portes) para entrar e sair da cidade. O trânsito é bastante intenso nesses trechos. As estradas são muito boas e existem dois tipos: as que se iniciam com a letra A, que são autoestradas pedagiadas, e as D, que são estradas regionais, não pedagiadas, que no Vale do Loire não passam de ruas, muitas vezes bem estreitas, e por isso mais lentas. O limite de velocidade nas que se iniciam com A é 130 km/h, mas poucos obedecem essa marca, pelo que vi.

Pedágio
Quando você passa pela primeira praça de pedágio, retira da máquina um bilhete parecido com um ticket de estacionamento de shopping – e não paga nada nesse momento. Ele será utilizado ao deixar a estrada, quando então lhe será cobrado o pedágio de acordo com a quilometragem rodada. Por isso, guarde-o! Tivemos um problema danado nessa hora, pois eu não achava o bilhete e então nos foi cobrado o valor total de 64 euros! Pedi explicação para a monitora através de um comunicador da máquina do pedágio, mas nossa comunicação foi meio completamente difícil. Uma fila de motoristas buzinantes foi se formando, então acabamos pagando o valor total com choro, mas sem vela. Na volta, como já sabíamos como funcionava, foi mais simples. De Blois a Paris, o pedágio foi de 16 euros, tendo rodado 148 km na estrada pedagiada. Pague sempre em dinheiro, pois seu cartão de crédito brasileiro não é aceito. Por isso, não entre na faixa que só aceita cartão.

peágio na França

postos de gasolina na França
Máquina de Pedágio. Foto de unfolding-europe.blogspot.com

Estacionamento no Vale do Loire e em Giverny
O estacionamento próximo à casa de Monet é gratuito, assim como os dos castelos do Loire que visitamos. Nas cidades, como em Tours, é preciso pagar para estacionar no centro, através de parquímetros. Em Amboise, onde nos hospedamos, o carro ficou na rua do B&B que apesar de ser atrás do castelo não tinha cobrança.

combustível na França
Parquímetro


Nosso roteiro
Escolhi fazer este trecho de carro por três motivos:
1. por achar mais prático, sem ter que carregar malas por estações de trem, pois isso já tínhamos feito bastante nessas férias;
2. pela liberdade que um carro proporciona, permitindo parar em uma rua pitoresca ou em um campo para fotografar;

aluguel de carro na França
Campo de papoulas no interior da França

3. no Vale do Loire, se estivéssemos sem carro, teríamos que ficar em Tours, pois é a cidade que tem estação de trem, e teríamos que contratar excursões para visitar os castelos, o que pode ser legal pelo guia e pela comodidade, mas também limita seu tempo de apreciação e tira sua liberdade.

Valor do aluguel de carro
Fique atenta aos seguros oferecidos na locadora. Se você já fez seguro de viagem não precisa incluir cobertura de danos pessoais no seguro do veículo.  Os três dias sairiam por €106 euros, mas com o acréscimo dos seguros pode chegar a mais de €300.

Se você vai alugar um carro pra rodar por lá, faça sua cotação na Rentcars.com, um site de busca de preços com as locadoras mais relevantes de cada região. E se você decidir fazer a reserva, faça pelo link acima ou clicando no logo presente aqui no blog, ois assim eu recebo uma pequena comissão. Não vai render uma viagem (rsrs), mas ajudará a pagar a manutenção ao servidor. Mercy!

Habilitação
Este tópico é sempre controverso. Fiz uma pesquisa sobre a necessidade ou não de portar uma permissão para dirigir internacional – nunca a usamos no Canadá, Itália ou Estados Unidos – e decidimos arriscar.  Na locadora não houve qualquer menção e a Habilitação nacional foi aceita. Quem emite a Permissão é o Detran de seu Estado.

E você, tem alguma dica sobre estradas, pedágios na França? Deixe nos comentários, pois muita gente pode aproveitá-las. Abraços!

Links para posts relacionados à França (clique sobre o título):

 

3 comentários sobre “Pela França de Carro: aluguel, pedágio, combustível

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s