Lucerna: dicas e roteiro na Suíça Central

lucerna
Lucerna vista a partir da muralha da cidade

Saiba o que fazer em Lucerna e em seus arredores, com sugestões de passeios de barco, visitas a montanhas próximas e dicas práticas de viagem. Você também encontrará links para informações de outras cidades da Suíça, além deste conteúdo:

Chegar a Lucerna desencadeou sentimentos opostos: minha viagem sozinha pela Suíça começava a chegar ao fim e minha favorita região dos Alpes ficara para trás. Por outro lado, havia entusiasmo por estar em uma das cidades mais bonitas da Suíça. O caminho entre Lauterbrunnen e Lucerna descortinou vistas lindas, e quando cheguei o Monte Pilatus me fisgou por suas formas e majestade. Apesar disso, sentia uma falta de energia que pesava: os dias quentes e o ritmo intenso desta Eurotrip de 30 dias começavam a cobrar de meu corpo. Lucerna merecia mais entusiasmo, que cidade charmosa ela é.

Algumas coisas de que mais gostei foi observar a animação em torno do lago, de turistas sentados à sua beirada ou ocupando as mesas de restaurantes. Surpresas como bicicletas enfileiradas perto da Ponte da Capela, sem cadeados ou amarras. Suspiro de tristeza por não termos esta tranquilidade.

Geograficamente situada numa rota comercial entre o Alto Reno e Milão, Lucerna cresceu entre os séculos 12 e 14 graças a isso, e foi nesta região da Suíça, no século 15, que os 3 reinos que dominavam a região do lago Lucerna começaram a desenhar a Suíça como um estado.

Esta localização estratégica faz de Lucerna uma ótima cidade para montar base e visitar outras cidades da Suíça, embora eu prefira eleger várias cidades como base, fazendo um roteiro circular sempre que possível.

Confira Suíça: roteiro de 14 dias no verão para entender a viagem completa e começar seu planejamento

lucerna

Desembarquei na estação central de Lucerna e fui ao Centro de Informações Turísticas, que fica convenientemente no andar térreo da estação de trem, ao lado do Burger King. Lá peguei um mapa da cidade e outros panfletos de atrações e eventos e retirei meu Tell Pass, o passe de transporte e atrações da região central da Suíça, sobre o qual falo mais adiante.

Tá gostando, mas sem tempo para ler tudo agora? Salve a foto ao lado no Pinterest. Ainda não conhece? É um site de buscas como o Google, mas através de imagens. E você salva o que te interessa para ler ou usar depois. Perfeito para dicas de viagem, pra você usar quando a data estiver chegando.

O que Fazer em Lucerna

Roteiro de 1 dia

Se você tem apenas umas 5 horas em Lucerna: concentre-se nos arredores da estação de trem-lago-pontes. Veja abaixo as principais atrações do centro.

Caso tenha 8 horas ou mais: comece com um passeio de barco no Lago Lucerna até Vitznau e suba o Monte Rigi. Se não tiver o Swiss Travel ou o Tell Pass, compre o bilhete no escritório de turismo na estação de trem. Depois de curitr a vista, por volta das 13h, tome o trenzinho para Kaltbad e desça de teleférico até Weggis, onde tomará o barco de volta a Lucerna. Passeie pelo centro histórico por uma hora e por votla das 16h caminhe pelas muralhas da cidade.

Principais atrações de Lucerna

Aqui estão as principais atrações de Lucerna. Fiz quase todas em 3 dias, dedicando 1 dia para o centro da cidade, outro para o Monte Titlis e o terceiro para Monte Pilatus e Stans. Escolha o que quer fazer e distribua em seu itinerário:

Arco da estação, lago e KKL Luzern

Quem chega de trem a Lucerna dá de cara com um arco, único elemento remanescente da linda estação original que sofreu incêndio em 1971. É um ícone da cidade e você vai querer sua fotinho ali.

Lucerna, estação trem

Ao lado da estação, vemos o KKL Luzern, centro de cultura e congressos de Lucerna. A sala de espetáculos foge do padrão clássico de teatros-ópera, com um ar clean e moderno. Três vezes ao ano (Páscoa, Verão e Novembro), você pode conferir a programação do Festival de Lucerna.

Uma boa maneira de conhecer o centro histórico é com ajuda de um guia, que em geral fala inglês (ou alemão no caso da Suíça). Como em muitas cidades, Lucerna tem free walking tour, passeio organizados por guias locais que ao final recebem uma caixinha dos turistas (acima de $5). Ou você pode garantir e comprar antecipadamente no Get your Guide, pois os ‘gratuitos’ não acontecem todos os dias.

Ponte da Capela

A ponte da Capela é um ícone de Lucerna e se você já viu uma imagem daqui, com certeza foi esta. A ponte de madeira coberta é da primeira metade do século 14, e fazia parte da muralha medieval. Tem 170 metros e leva este nome porque fica perto da Capela de São Pedro.
A torre se chama Torre da Água, tem 43 metros de altura e apesar do nome nunca armazenou água, mas serviu como prisão, torre de tortura e arquivo da cidade.

ponte Capela Lucerna

Ao cruzar a histórica ponte da capela sobre o rio Reuss (leia Róiz), você terá a oportunidade de ver pinturas originais do século 17, feitas sobre madeira triangular seguindo o desenho da estrutura da ponte da Capela, que é o exemplar mais antigo do mundo deste tipo de arquitetura. Entender as pinturas é um pouco mais difícil para quem como eu não sabe nada da história de Lucerna e da Suíça,

Em 1993, um incêndio atingiu a ponte e destruiu ⅔ das pinturas. Algumas foram recuperadas, outras se perderam para sempre. Me pergunto se elas não deveriam estar protegidas num museu e ser substituídas por réplicas, como acontece com tantas outras obras expostas em lugares públicos. Afinal, nós brasileiros sabemos bem a dor de incêndios destruindo nossos museus.

Igreja Jesuíta

Depois de cruzar a ponte da Capela, a primeira atração a visitar é a Igreja Jesuíta do século 17, considerada uma das mais bonitas da Suíça e foi a primeira maior católica construída no país. Lucerna se aliou à Igreja Católica contra a Reforma, talvez por isso.

Lucerna Suíça

Ponte de Palha (Spreuerbrücke)

Uma segunda ponte de madeira sobre este trecho do lago é menos festejada, mas não deveria, pois guarda também pinturas medievais.

A ponte da Palha e uma das torres da muralha

Museggmauer, Muralha Medieval

A menos de 1 km da ponte da capela você encontra parte das muralhas e torres defensivas originais do século 14. Existem 9 ainda em pé, e podemos visitar três delas logo depois da ponte da Palha: Schirmer, Zyt e Männli. O acesso às torres é gratuito e permitido das 8h às 19h, mas só de abril a outubro. A foto inicial deste post foi feita de uma das torres, valeu a pena subir os degraus estreitos para ter a vista da cidade. E para quem nunca teve a experiência de caminhar sobre muralhas medievais, é imperdível!

Muralha de lucerna

Monumento do Leão Morimbundo

Você pode vir a Lucerna, olhar a escultura do leão moribundo, tirar uma foto, mas sem entender a história por trás dele, não vai ser assim uma Brastemp (entreguei a idade, agora). Então vamos lá!

Eu sabia que o Vaticano é protegido pela guarda suíça, mas nunca entendi direito porquê e muito menos como igreja e exército mercenário suíço estão ligados. Desde o século 15 os suíços conquistaram respeito na formação de soldados e treiná-los para servir a outros países, como mercenários, era uma prática comum e lucrativa para importantes famílias da Suíça Central, onde fica Lucerna. Uma figura poderosa do exército suíço na época da Reforma Protestante tentou acabar com este ganha-pão e acredita-se que esta tenha sido uma das razões pra que a região central da Suíça não aderisse à Reforma Protestante, mantendo apoio a Roma.  

De volta ao leão. Na época da revolução francesa, muitos suíços mercenários que trabalhavam no exército francês morreram, segundo a inscrição do monumento do Leão, 760, enquanto apenas 350 sobreviveram. A inscrição em latim acima do leão moribundo entalhado na rocha significa ‘à lealdade e bravura dos Suíços’.

Este lugar onde fica o memorial era privado, mas a cidade de Lucerna o adquiriu um ano após a inauguração do monumento e hoje é uma das principais atrações da cidade. A escultura foi desenhada por um artista dinamarquês e esculpida por um alemão em 1820 nesta antiga pedreira, e tem 6 metros por 10.

Museu do Transporte

O Museu Suíço do Transporte exige uma visita de várias horas e embora eu estivesse hospedada perto dele, preferi fazer atividades ao ar livre. Custa 32 francos (12 para quem tem entre 6 e 16 anos), e oferece desconto para portadores de passes.

museu transporte lucerna

Lido de Lucerna

Não sei se foram os dias não tão quentes, mas achei o lido bem vazio, tendo como comparativo Zurique. É ali o trecho onde são permitidos banhos no lago de Lucerna e há uma faixa de areia para esticar sua toalha e tomar sol diante do lago. A entrada custa CHF8 e há estrutura de piscina aquecida, playground, quadras de esporte, aluguel de SUP, uma ótima opção para quem está com crianças ou quer passar horas com locais.

Passeio pelo Lago Lucerna e trilhas

Em frente à estação de trem fica o terminal de barcos que fazem o passeio pelo lago Lucerna. Tomei no Verkehrshaus Lido, perto do hotel onde me hospedei, e desci numa estação. Você pode subir e descer em vários pontos do lago, onde há cidadezinhas fofas, ou pode permanecer e apenas curtir a vista. Eu aproveitei para passear de barco na ida a Stans e ao Monte Pilatus, pena que o dia estava cinzento.

a torre Schnitz, em Stansstad, onde desci do barco

O bom é que os passeios estão inclusos no TellPass e Swiss Pass! Veja abaixo o mapa dos pontos turísticos/cidadezinhas, de embarque/desembarque dos barcos e das trilhas próximas ao lago:

lago Lucerna
o Lago Lucerna, os picos, e a cidade, no meu rabisco vermelho ovalado

Montanhas e picos perto de Lucerna

Monte Rigi e Stanserhorn

Não tive tempo de visitar o Rigi (1.798m), mas cheguei perto de subir o Stanserhorn (1.898m). Infelizmente começou a chover quando eu estava na praça central da cidade de Stans, então desisti. Uma frustração, já que para chegar ao topo a gente pega o único teleférico ao ar livre do mundo e eu adoraria ter tido esta experiência!

Stanserhorn: único teleférico ao ar livre do mundo

Monte Pilatus

Esta montanha pode ser vista de Lucerna, e toda vez que a fitava sentia algo de enigmático. E eu sem sabia das lendas relacionadas a ele, que vão de sepultura do Pôncio Pilatus a dragões. O Monte Pilatus tem 2.128 m de altitude e pode ser alcançado por teleférico. Além da vista, oferece atrações para o dia todo e se você está com crianças, recomendo muito!

monte pilatus

Quando publiquei este post, ainda não havia escrito em detalhes sobre minha visita ao Pilatus, então por favor procure na página Suíça.

Monte Titlis

Passei o dia no Monte Titlis e foi um dos mais prazerosos da viagem à Suíça. O Titlis tem 3.238 metros de altitude e 82 km de trilhas e pistas de esqui. Pela altura, tem neve o ano todo, então quem vive em países quentes aproveita para fazer Olafs e bincar na neve. Fica em Engelberg, a 35km de Lucerna. Escrevi um post completinho: Monte Titlis, Suíça: mais do que neve o ano todo.

monte titlis

É fácil ir sozinho/a, mas se você preferir, compre um passeio da Get your Guide:

Transporte em Lucerna

ônibus

Como em todas as cidades turísticas da Suíça, o sistema de transporte público é invejável. Não há trams como em Zurique e Berna, mas os ônibus são frequentes, pontuais e bem sinalizados, e todo mundo usa, com malas ou sem. O passe diário para a zona 10 custa CHF 8,20 e o bilhete único válido por 1 hora custa CHF 4,10. Crianças até 6 anos não pagam e dos 6 aos 16 anos têm desconto. Os bilhetes podem ser comprados com dinheiro ou cartão de crédito em máquinas presentes nos pontos de ônibus.

Bem em frente à estação de trem, fica o terminal de ônibus que usei para ir e voltar ao hotel onde me hospedei, em frente ao lago Lucerna e perto do Museu de Transporte. Não tive dificuldade em colocar minha mala no ônibus, ou de me localizar para descer no ponto certo, pois os ônibus têm monitores eletrônicos que sinalizam o trajeto e os nomes das paradas.

trem

Lucerna tem conexão de trem com as principais cidades da Suíça ao menos de hora em hora. Você pode comprar os billhetes nos caixas eletrônicos das estações ou nas lojas da SBB. Eu usei o app da SBB para conferir horários e linhas e achei excelente. Visite o site da SBB para mais informações e para planejar seu roteiro e descobrir se vale a pena comprar o Swiss Travel Pass ou não. Assim como nos ônibus, crianças até 5 anos não pagam, e as de 6 a 16 têm desconto.

Viajando de trem e ônibus de graça

Portadores do Tell Pass não precisam comprar nenhum tipo de bilhete para circular pela zona 10, onde fica o centro expandido de Lucerna, inclusive o Monte Pilatus e Rigi e o Monte Titlis, em Engelberg. E se você se hospedar em Lucerna, receberá gratuitamente um cartão do seu hotel, o Visitor Card Lucerne. Com este cartão você viaja de graça em trens e ônibus da zona 10.

Diferente dos trens, não vi nenhum fiscal nos ônibus, mas se você não tiver um passe ou cartão numa eventual fiscalização, terá que pagar uma multa de CHF 90!

Onde ficar em Lucerna

Eu sempre prefiro ficar no centro ou o mais perto possível, mas a localização idílica em frente ao Lido de Lucerna me seduziu. Me imaginei tomando o barco para ir e voltar do hotel, mas na realidade usei o ônibus, mesmo.

Minha estadia no Richemont Hotel teve altos e baixos. O café da manhã foi o ponto alto da estadia. Eles são especialistas em pães, então se você também adora esta maravilha dos carbos, aproveite e deleite-se com as variedades que mudam a cada dia. Paguei CHF 317 para 3 noites, em julho, confira os preços atuais no link acima.

Mas acho que os pontos negativos superam o delicioso café da manhã. Tomar o ônibus 24 era até prazeroso pela pontualidade e conforto, a apenas 3 km da estação de trem central de Lucerna. O quarto era grande e espaçoso, mas todas as noites eu tinha que matar os pernilongos antes de dormir! A recepção do hotel funciona somente até as 17h e depois desse horário é preciso entrar por uma porta lateral e usar as escadas para ir até o segundo andar, onde ficam os quartos. E não havia nenhuma informação a este respeito no site do Booking ou do próprio hotel, imagine se eu tivesse algum problema de mobilidade reduzida! O hotel também não tinha wifi próprio, oferecia o wifi da cidade de Lucerna e como meu celular tem uma segurança rígida em redes públicas, não consegui conexão e gastei meus dados do plano da Viaje Conectado.

Com tudo isso, imagino que você prefira um hotel diferente do que eu fiquei. Veja a lista que selecionei:

Onde Comer em Lucerna

A Suíça é carinha, especialmente para brazucas. Assim como em outras cidades, em Lucerna também usei e abusei do Coop, supermercado que vende pratos prontos (saladas, lanches). Talheres você retira no caixa. Tem um no subsolo da estação de trem. No meu único almoço em Lucerna (passei os outros dois no Titlis e no Pilatus) comi no La Barca Vincafé. Uma cerveja Lager para acompanhar espaguete a bolonhesa saiu por CHF29. À noite enfrentei um happy hour sozinha no Mr Pickwick Pub e matei as saudades de um fish & chips por CHF25. Ambos ficam no centro antigo, em frente ao lago de Lucerna.

Mas Lucerna tem inúmeros restaurantes estrelados, em hotéis ou castelos. O guia oficial da cidade traz dezenas de sugestões, não esqueça de pegar um no Escritório de Turismo na estação de trem.

Outras dicas de Lucerna

Quantos dias ficar em Lucerna

Lucerna é uma ótima opção de base para conhecer outras cidades da Suíça, como Zurique a apenas 39 km, Berna a 85 km, ou para subir até o Monte Titllis, a 35 km, percursos feitos nos pontuais, limpos e confortáveis trens.

Apesar de estar perto de Zurique, não caia na tentação de fazer apenas um bate-volta. Lucerna é linda e precisa de algumas noites para ser vivida. E se quiser alcançar o topo de montanhas de 2 ou 3 mil metros, comodamente transportado em teleféricos, vai precisar de ao menos 2 dias. Se puder, o ideal é passar 3 dias em Lucerna: 1 para o centro histórico, outro para o passeio de barco no lago e subida ao Monte Pilatus. E um terceiro para o Monte Titlis. Caso disponha de apenas algumas horas, é possível conhecer o filé da cidade num ritmo mais rápido. Veja abaixo.

Bagagem – Lockers nas estações de trem

Caso você tenha que apenas passar por Lucerna, pode deixar sua mala nos lockers. Todas as principais estações têm armários de 3 tamanhos e preços diferentes, de CHF 6 a CHF9 para o período de 24 horas. Apenas moedas são aceitas e há instruções de uso em inglês, além das línguas oficiais da Suíça.

Banheiro público

Em geral, banheiros públicos são pagos na Europa, mas são incrivelmente limpos. Sempre aproveito para usar banheiros de restaurantes ou atrações, e na Suíça aproveitei para usar os dos trens, também. No terminal de ônibus em frete à estação de trem tem um quiosque/wc e no subsolo também. Lucerna tem desde 2016 um programa de incentivo a lojas e restaurantes que permitem uso de seus banheiros mesmo para quem não está consumindo no estabelecimento. Estes são identificados com um adesivo vermelho:

Passes de transporte público na Suíça

Todo mundo que tive notícia e viaja pela Suíça de transporte público compra o Swiss Travel Pass, e eu também fiz isso. Como eu tinha 14 dias na Suíça, comprei o STP de 8 dias, começando no segundo dia da viagem, pois em Zurique fiz tudo a pé. Na região de Lucerna usei o Tell Pass por 3 dias. Nos últimos 2 dias na Suíça, usei o Ticino Card para o transporte, que ganhei porque me hospedei em Lugano. E em Berna acontece o mesmo, mas lá não ganhei porque fiquei em B&B, não em hotel. Em Lucerna você terá direito ao Visitor Card Lucerne, apresentando sua reserva no Escritório de Turismo ou na recepção do hotel.

Tell Pass X Swiss Travel Pass?

Para quem vai especificamente para a Suíça Central e vai curtir os picos, o Tell Pass é a melhor opção. Com o Tell Pass, ingressos e transporte para os Montes Pilatus, Rigi e Titlis são inteiramente inclusos, enquanto o Swiss Travel oferece apenas descontos. Por isso é uma excelente ideia combinar os dois passes, como eu fiz. O custo do Tell Pass para a temporada de verão/2020 (abril a outubro) é CHF190 (2 dias), CHF220 (3 dias), CHF240 (4 dias), CHF250 (5 dias) e CHF320 para 10 dias. Compre-o em qualquer estação de trem de cidades grandes, nas lojas da SBB. Ao usá-lo em atrações e transporte, apresente também seu passaporte.

Transporte na Suíça Central incluso no Tell Pass

Não deixe de incluir Lucerna em sua viagem pela Suíça e se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários, terei prazer em ajudar.

Blogs de viagem são muito úteis no planejamento de viagem e gratuitos para o leitor, mas têm um custo para serem mantidos no ar. Se você gostou das dicas do Mulher Casada Viaja, saiba que pode contribuir com a manutenção do blog e consequentemente para que as dicas continuem chegando gratuitamente a quem busca inspiração e informação de qualidade. Basta clicar sobre os links de nossos parceiros. Você planeja sua viagem e retorna a gentileza:
Booking.com: para fazer suas reservas de hotel, apartamento, B&B
Rentcars: aluguel de carro, com possibilidade de parcelamento e isenção de IOF, no caso de aluguel no exterior
Seguros Promo: desconto de 5% em seguro viagem para leitores. Aplique o código CASADAVIAJA5
Chip de Viagem: compre seu chip e receba em casa antes de sua viagem

19 COMENTÁRIOS

  1. Que cidade apaixonante! Lucerna me parece uma boa pedida. Ainda não tive a oportunidade de conhecer a Suíça, mas não tem como não se encantar pelas suas paisagens, que parecem saídas de um filme.

    • O segredo é ir na época certa. Vi imagens de cidades suíças no inverno e elas parecem tão tristonhas. O verão na Suíça me surpreendeu!

  2. Amei suas dicas de Lucerna e sugestão de roteiro. Com certeza não vou cair na besteira de fazer só um bate-volta como você recomendou. Pena que o cansaço da Eurotrip começou a bater em você por lá… Mas ainda assim você aproveitou muito!

    • Preciso mudar o ritmo de minhas viagens, mas até que pra 50 anos eu aguentei bem os 30 dias intensos.

  3. Nossa, que cidade maravilhosa!! Eu não conheço nada na Suíça, infelizmente, me despertou a curiosidade! Aliás, seu post está super completo. Parabéns!

    • Obrigada, Sandra. Te convido a seguir os demais posts, fiz um giro legal pela Suíça, você vai adorar.

  4. Como Lucerna é linda!!! Amei suas dicas e roteiro e me apaixonei pela Ponte da Capela e pelo Monte Pilatus e suas histórias. Morrendo de vontade de conhecer a Suiça depois de ler seu post. Obrigada por compartilhar.

  5. Quando cheguei em Lucerna nao tinha ideia do quanto era procurada por turistas, tinha muita gente! Os precos ate eram maiores do que em Zurique, mas n tinha associado um ao outro. Tem muita coisa legal para fazer ai!

  6. Teu post me fez ficar com uma saudade de Lucerna, fui em 2012 e só fiquei um dia, fizemos o passeio de teleférico que é muito legal (olha a desculpa para você voltar). Agora fiquei com vontade de retornar para mostra-la a minha filha.

  7. Que roteiro mais completo e inspirador, daqueles que a gente já quer arrumar as malas e ir. As fotos estão lindas.

  8. Ótimas dicas, eu sempre tinha lido sobre bate e volta até Lucerna, mas já mudei de ideia qndo for visitar e ficarei pelo menos alguns dias. Paisagens incríveis como a do Monte Titli e o Pilatus.

    • Não gosto de bate-voltas, evito ao máximo, acho que perdemos a sensação de pertencimento, mesmo que irreal. Vá, sim, Diego, a Suíça inteira tem paisagens incríveis.

  9. Infelizmente Lucerna ficou de fora de minha viagem à Suíça. Como gosto de ficar mais tempodias nas cidades, não tive tempo de a visitar. Uma pena porque, que cidade linda!!!!! Gostei de conhecer a história do leão moribundo. Adoraria gastar as solas de meu sapato passeando por Lucerna. Quem sabe um dia eu não volte e siga os passos aqui sugeridos?! 🙂 bjus

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui