O Vale de Lauterbrunnen na Suíça

Vale de Lauterbrunnen

Não tenho dúvida que meu lugar preferido na Suíça é o vale de Lauterbrunnen. Beleza natural é abundante no país, mas em Lauterbrunnen ela surge encantadora. Embora o poeta britânico Lord Byron tenha dito “ter entrado numa série de cenas além de qualquer descrição”, vou humildemente tentar descrever pra você as sensações de estar num lugar tão especial deste nosso planeta incrível. Se preferir pular para as dicas práticas, é só clicar no que te interessa abaixo:

O Vale de Lauterbrunnen nos passos da Márcia

Você desce do trem e da plataforma já avista o vale e toma aquele susto bom, quando o coração pula de emoção. Não é um vale qualquer, mas um vale estreito e ladeado por paredões rochosos de 300 metros de altura. Você segue pela rua principal de Lauterbrunnen e vê a Staubbach, a icônica cachoeira dentre outras 71 que despencam dos paredões.

Aí talvez você se emocione, pensando que viu aquela imagem tantas vezes e agora tem o privilégio de estar lá, num cenário que inspirou a Rivendell (Valfenda) de Tolkien, em O Senhor dos Anéis. Dá uma olhada e me diga: o real não é ainda mais lindo?

Desculpe por eu não te poupar os detalhes, mas um lugar encantador como este fez com que os mais banais movimentos e ações se tornassem um trecho de um filme que quero fazer você ‘assistir’.

Entenda esta viagem por inteiro lendo Suíça: Roteiro de 14 Dias no Verão

Perdida em admiração, caminhei até a pousada onde me hospedei por 2 dias, 650 metros acima da rua da estação. Pedi desculpas por chegar antes do horário de checkin e a simpática Kate (inglesa) rapidamente disse que o quarto já estava pronto. Subi a escada com minha malona enquanto os degraus rangiam a cada pisada. Quando reservei o quarto no Chalet Rosa, escolhi um com vista para a montanha – ou seja, qualquer janela teria vista pra montanha ali, mas Kate abriu as venezianas e eu vi, ali da janela do quarto que seria meu por duas noites, a cachoeira mais famosa da Suíça! Fiquei tão surpresa e feliz que num impulso a abracei em agradecimento e perguntei se ela sabia que vivia no paraíso – e se tinha uma vaga para eu trabalhar lá!

Caminhei uns 300 metros até a cachoeira Staubbach, onde montaram um banco enorme diante da cachoeira que faz a alegria de quem quer tirar selfies. Aliás, por que esse costume de bancos gigantes em montanhas??? Já vi na Itália e nos Estados Unidos…

Uma trilha e escadaria – não desista, a subida é dura, mas curta – nos levam até uma uma caverna – bem escorregadia, atenção ao calçado! – e chegamos a uma abertura na rocha, por trás do spray da cachoeira.

Vale de Lauterbrunnen cachoeira

Comi no pub/hotel vizinho ao Chalet Rosa e caminhei de volta à estação de trem, onde peguei o trem de cremalheira construído em 1893 até Wengen (incluso no Swiss Travel Pass), a vila à esquerda no alto do Vale de Lauterbrunnen.

O vale visto a partir de Wengen é igualmente impresionante (de Mürren deve ser também, mas quando fui o vilarejo estava mergulhado em brumas). Saindo da estação de trem, notei que à esquerda estavam os hotéis, lojas e restaurantes da cidade e segui à direita, caminhando pelas ruas livres de carro entre as casas com quintais decorados com legumes ou flores, uma ou outra vaquinha.

Cheguei a um banco com vista para o vale de Lauterbrunnen, onde Mike, um senhor de 71 anos do País de Gales, me recebeu com entusiasmo típico de solitários. Acabou me contando ser visitante frequente e que aquela era sua primeira vez ali sem a falecida esposa. Não sei se foi solidariedade ou a hipnose produzida pela vista e pelo movimento da água das cachoeiras, mas o fato é que fiquei um bom tempo sentada ali jogando conversa fora sobre lugares que visitamos e que queremos conhecer.

Até que ele disse: “Marcia, você tem que ver a vista a partir da igreja, vou te levar lá!”. Em poucos minutos estávamos sentados em outro banco, novamente fisgados pela paisagem, e eu me senti feliz por não ser uma das pessoas do grupo de turistas que ficou ali 5 minutos ouvindo a guia falar e partiu.

Tomei o trem de volta a Lauterbrunnen, comprei algo para comer à noite no Coop, e ainda extasiada pelas paisagens testemunhadas fiquei com a janela aberta olhando a Staubbach, que é iluminada à noite.

Vale de Lauterbrunnen à noite
vista da janela do quarto: só a Staubbach

O dia seguinte amanheceu com céu mais limpo e depois do café saí em direção ao fundo do vale para subir de teleférico até Mürren. Ao caminhar pelo vale pontilhado de casas alpinas, você perceberá que Lauterbrunnen não se rendeu ao turismo de massa e mantém o clima rural, com vaquinhas e cavalos e celeiros. Pela estrada afora, apenas eu – e era julho, alta temporada. Daqueles passeios prazerosos, despretenciosos, que não dão likes nas redes sociais, apenas em nossas almas.

O rio Lutschine desce pelo vale ruidosamente. No fundo do vale, parapentes brincam de tocar a cachoeira Murrenback e de se esconder entre as nuvens que parecem ser fabricadas no alto dos paredões verticais.

Vale de Lauterbrunnen
A Murrenbackfall

Depois de caminhar uns 5 km (mas há ônibus) cheguei ao fundo do vale, na estação Stechelberg , e tomei o primeiro teleférico, que em poucos minutos estava imerso nas nuvens. A vila de Mürren ainda dormia, quase tudo estava fechado, então tomei outro teleférico até Birg, onde uma plataforma envidraçada traz as maiores montanhas da Suíça pertinho de você.

Murren, sob as nuvens

Depois de explorar a plataforma panorâmica e a de vidro à beira do abismo (Birg Thrill Walk), tomei outro teleférico até o tal do pico 007, o Schilthorn Piz Gloria, onde a altitude de 2.970m fez a temperatura despencar.

Voltei a Mürren, tomei o trenzinho até a ponta norte da vila e o teleférico até a estação de trem de Lauterbrunnen (incrível a mobilidade nos Alpes Suíços!). Como no vale o tempo estava bem fechado e ainda era cedo demais para ir pro quarto, tomei o trem até Interlaken pois imaginei que longe dos picos o céu estaria mais aberto. Cerca de 90 minutos depois, estava no topo de outra montanha, a Harder Kulm.

A manhã seguinte teve céu azul, dia de partir para Lucerna. Mas não antes de visitar Trummelbach, a cachoeira tombada pela Unesco que fica dentro da montanha, a 3 km da estação de trem vale adentro. Antes de tomar o trem para Lucerna, me sentei num banco perto da igreja e olhando aquele céu azul, a água pura que despencava pelos paredões, a vida aparentemente tranquila dos poucos moradores que deixavam suas casas naquela manhã, não resisti a mais um pouco de emoção ao dizer adeus.

Esses parágrafos não foram apenas para saciar o prazer de reviver aqueles momentos, mas para inspirar você a visitar Lauterbrunnen com calma, pois muita gente vai ao vale apenas para ver a Staubbach e tomar o trem para Wengen e seguir até Jungfrau. Agora, fique com as dicas práticas para sua viagem.

Não se esqueça de que a Suíça é signatária do tratado de Schengen, que exige a contratação de um seguro viagem de no mínimo 30 mil euros. Confira as condições de nosso parceiro Seguros Promo, com descontos para leitores do Mulher Casada Viaja.

Como chegar ao vale de Lauterbrunnen

O Vale de Lauterbrunnen (=muitas fontes) fica na região de maior altitude do cantão de Berna, mas é mais conhecida por estar na região do Jungfrau (4.158m), o ‘Topo da Europa’, e das motanhas vizinhas Eiger (3.970) e Mönch (4.107m).

Lauterbrunnen fica a 12 km de Interlaken e 67 km de Berna. De Lucerna, são 78 km. A maneira mais fácil de chegar a Lauterbrunnen é de trem. Independente de onde você venha, terá que trocar de trem em Interlaken Ost. De lá são apenas 20 minutos até Lauterbrunnen. Caso você não esteja viajando com o Swiss Travel Pass ou o Berner Oberland Regional Pass, que incluem transporte ilimitado durante o período de validade, pagará pelo bilhete cerca de CHF 8. Minha chegada foi mais complicadinha, porque saí de Zermatt e tive que trocar de trem 3 vezes, mas o sistema de trens, informações e disposição das plataformas na Suíça não fazem disso um problema.

Vale de Lauterbrunnen trem
estação de trem em Lauterbrunnen

Caso você esteja pensando em alugar um carro na Suíça, saiba que ali no Vale de Lauterbrunnen ele passará boa parte do tempo estacionado, pois em Murren e Wengen, por exemplo, não há carros. No Vale de Lauterbrunnen a diária do estacionamento fica em CHF 17 e é possível reservar online pelo site oficial do Jungfrau. Há bolsões de estacionamento pagos perto da estação de trem, da cachoeira Staubbach, da cachoeira Trummelbach e da base de paragliding e acesso ao teleférico a Murren. Lauterbrunnen tem apenas um posto de combustível.

Seja de carro ou de trem, estar conectado é essencial. Eu usei muito o app da SBB, que traz informações de horários e linhas, e até de que plataforma partirá o trem. E são poucas as cidades que disponibilizam wifi, então ter usado o chip da Viaje Conectado foi fundamental para evitar dores de cabeça. Ele funcionou em todos os lugares que visitei na Itália e na Suíça, durante um mês desta eurotrip.

Que tal se cadastrar para receber novas inspirações e dicas de viagem do Mulher Casada Viaja? Aproveite, porque poucas coisas na vida são gratuitas!

O que Fazer no Vale Lauterbrunnen

Lauterbrunnen pode ser um lugar para encontrar sossego: caminhar pelo vale despretenciosamente ao som dos pássaros e das águas das cachoeiras ou do rio, e pode ser o ponto de partida para visitar picos de montanhas ou abraçar atividades radicais – tem até via ferrata com ponte nepalesa!!!

Staubbach

A cachoeira mais fotografada da Suíça tem 297 metros de altura e pode ser visitada mais de pertinho: uma escadaria conduz a um corredor onde você recebe seu spray geladinho. Na base, um banco enorme de madeira onde todo mundo faz uma foto, ao menos. A minha é um exemplo de como é ruim viajar sozinha e tirar suas próprias fotos (OK, peguei a pior de todas) – Já leu o post Viajar Sozinha não é um Divisor de Águas, sobre inha experiência sozinha na Suíça?

Com a cabeça na cachoeira ahahaha

Trummelbach, patrimônio da Unesco

São dez cachoeiras internas, provenientes do degelo das montanhas Eiger, Monch e Jungfrau, que carregam 20 mil litros de água por segundo, eu nem consigo imaginar o que é isso, mas pelo volume que vi é muito!

A experiência é muito diferente de quando se visita outras cachoeiras, pois parece que estamos entrando numa mina, tudo escuro, elevador com cara industrial. Subi 100 metros até o último andar e fui descendo por túneis, galerias e plataformas. Imperdível, e tive a sorte de ser a primeira a chegar, não havia ninguém! Prepare-se com roupas impermeáveis e toucas quentinhas, porque a temperatura é bem baixa lá.

Vale de Lauterbrunnen
uma das poucas quedas com luz natural

Para chegar lá, você pode caminhar até o fim do vale de Lauterbrunnen (5 km) ou tomar o ônibus 141, única linha do vale. O bilhete não está incluso no Swiss Travel Pass, e custa CHF 11. O complexo abre das 9 às 17h, de abril a início de novembro. Em julho e agosto, das 8h30 às 18h.

Radicalize: parapente, via ferrata, mountain bike

Para a galera esportiva, saiba que Nova Zelândia é aqui! Sim, Lauterbrunnen e Nova Zelândia têm algo mais em comum além do Senhor dos Anéis: mountain bikers descem as trilhas sinuosas, parapentes colorem os rochedos, base jumpers se arriscam numa descida radical inúmeras vezes ao dia e, claro, se há neve, há esqui: pistas para todos os níveis, algumas com mais de 17 quilômetros de comprimento. Snowboarding, icetubing, iceshoeing, muitos nomes desconhecidos de nosso usual vocabulário tropical.

Para quem não tem medo de altura, uma boa dica é fazer a via ferrata de nível K3 (fácil a moderada) e atravessar a ponte nepalesa entre Murren e Gimmelwald. Vai encarar?

Wengen

Apenas caminhei pelas ruazinhas estreitas e residenciais de Wengen, mas seu centrinho tem um bom comércio e restaurantes. Como já falei, indico a vista a partir da igrejinha. Se você tiver mais tempo, pode visitar Männlichen, montanha de 2.300 metros. Além disso, muita gente passa por Wengen para chegar a Jungfrau, montanha de 4.158 metros. Para chegar a Wengen, tome o trem construído em 1893, na estação de Lauterbrunnen. Bilhete incluso no Swiss Travel Pass.

Mürren

Mürren se desenvolveu no século 19 quando turistas britânicos fundaram a maior corrida de esqui amador do mundo, que acontece todo janeiro, a Inferno Race. Achei Mürren mais bonita do que Wengen, pena não poder opinar sobre a vista, pois só vi nuvens! Há vários restaurantes com terraços com vista para o vale e para a Jungfrau, e caminhar pela rua principal do vilarejo foi um prazer, observando a arquitetura e as flores alpinas.

Há duas maneiras de chegar a Mürren: de teleférico, no final do vale de Lauterbrunnen, ou de teleférico + trem, partindo em frente da estação de trem de Lauterbrunnen.

Birg e Schilthorn – Piz Gloria

Um novo teleférico em Mürren te leva a Birg (guarde seu bilhete para apresentar a cada nova estação). Tive muita sorte! Assim que cheguei à plataforma a quase 2.677 metros, com vista para os 3 grandes Jungfrau, Eiger e Monch, o céu estava limpo e consegui fotografá-los. Poucos minutos depois, não se viu mais nada até o final do dia.

Um outro teleférico e alcanço 2.970 metros, no 007 Walk of Fame, mas uma vista daquelas nem precisava do apelo do filme A Serviço Secreto de sua Majestade do James Bond dos anos 1960. A dica para este e qualquer pico de montanha é conferir na estação do teleférico o monitor que exibe imagens ao vivo do pico, para saber se vale a pena subir ou não, pois o custo é salgado. Dicas completas de minha visita ao Schilthorn Piz Gloria você encontra na página-índice Suíça.

Onde Ficar para Conhecer o Vale de Lauterbrunnen

Com acesso fácil de trem, é possível ficar no vale ou perto dele, acima das montanhas ou em Interlaken. Amplie o mapinha abaixo para você entender melhor a região. Circulados em amarelo estão os pontos que visitei no Vale de Lauterbrunnen:

Lugares que visitei nos dois dias que passei em Lauterbrunnen

Mürren ou Wengen

Até cogitei ficar acima do vale, em Mürren ou Wengen, mas uma opinião em um fórum de viagens orientou minha escolha: se estivesse tempo encoberto, as vilas gracinha de Wengen ou Mürren ficariam literalmente nas nuvens e eu não enxergaria nada, o que realmente aconteceu na manhã de meu segundo dia em Lauterbrunnen, quando subi para Mürren.

Se você decidir ficar em Mürren ou Wengen, lembre-se de que não circulam carros por lá, e diferente de Zermatt não vi carrinhos elétricos para carregar malas e, se você se hospedar longe da estação de trem, enfrentará algumas ladeiras consideráveis, situação em que mesmo mala de rodinhas pesa.

wengen
Wengen

Interlaken

Caso prefira um lugar menos bucólico, Interlaken pode te agradar, pois tem uma avenida central com vários restaurantes e lojas de souvenirs. A cidade é uma gracinha, entre dois lagos coloridos e navegáveis, Brienz a Leste e Thun a Oeste. Eu a visitei num bate-volta de Berna, quando além dos passeios de barco conheci o interior dos castelos de Thun e Spiez.

Interlaken

No Vale de Lauterbrunnen

Acabei escolhendo Lauterbrunnen, reservando um quarto no Challet Rosa, com meses de antecedência, e descobri que se trata da segunda casa mais antiga do vale de Lauterbrunnen, com 360 anos. O wi-fi no quarto é bem lento, dependendo do horário é preciso descer até a confortável sala de estar.

Kate toca o negócio com carisma e pulso firme, conforme necessário. Presenciei um casal com filho de uns 10-12 anos que só tinha reservado para dois, e ela disse que isso é muito comum. O serviço é bem informal: na última manhã, a jovem que preparou meu café estava de pijamas e cabelos com cara de cama – mas pronta pra um bate-papo sobre a vida dela em Lauterbrunnen. Tem coisa melhor?

Vale de Lauterbrunnen ode ficar
O Chalet Rosa, em Lauterbrunnen

Veja outras opções de hotéis e B&B no Vale de Lauterbrunnen, em Wengen, e em Murren

Camping em Lauterbrunnen

Lauterbrunnen tem 4 áreas de camping para barracas ou motorhomes/traillers e ao menos uma delas tem cabanas de madeira, também. São elas: Camping Jungfrau, Schutzenbach, Breithorn e Ruetti.

Vale de Lauterbrunnen camping
camping em Lauterbrunnen

Mais informações sobre Lauterbrunnen

Onde comer no Vale de Lauterbrunnen – preços

A Suíça é cara para estômagos brasileiros e Lauterbrunnen não é diferente. Os restaurantes do vale em geral pertencem a hotéis e só há 13 opções. Eu comi um prato gigante de espaguete a bolonhesa mega apimentado no ‘melhor pub de Lauterbrunnem porque é o único’, o do Hotel Horner. Fazendo par com uma cerveja frutada, gastei CHF 21, ou seja, o dobro do que costumo gastar em outros países da Europa.

No segundo dia comi um hamúrguer + cerveja (CHF15) no terraço do Schilthorn – Piz Gloria, e à noite eu costumava comprar uma fruta (em média CHF 1,50) – os pêssegos são tão doces que parecem ser em calda – e um iogurte saboroso de 250 gr (CHF 1,85) na onipresente Coop, rede de supermercado suíça, que em Lauterbrunnen fica em frente à estação de trem. Nesta viagem de 14 dias pela Suíça, todos os dias eu parava em uma loja, que em geral fica dentro ou perto de uma estação de trem, e comprava uma salada (CHF 8, com frango), um dos deliciosos pães, queijos, iogurte e, claro, chocolate Lyndt ou toblerone (CHF 2,20).

Outra economia que podemos fazer na Suíça é com água, que pode ser consumida de fontes e da torneira do banheiro do hotel, geladinha até no verão.

Melhor época para ir e temperatura em Lauterbrunnen

Outono e inverno são perfeitos para ver a neve cair, a paisagem se transformar e praticar esportes de neve. As temperaturas médias ficam enrte 0 e -4 graus no Vale. No verão (jun-jul-ago) os dias longos permitem aproveitar melhor o tempo, e fazer caminhadas prazerosas pelas trilhas à beira dos penhascos, mas por outro lado são os meses mais chuvosos. Temperaturas médias entre 10 e 21 graus.

Bate-volta ao Vale de Lauterbrunnen

Eu passei dois dias inteiros, mas sem a menor pressa. Se você visitar Lauterbrunnen num bate-volta, sugiro já tomar o teleférico para Murren assim que chegar à estação de Lauterbrunnen, e visitar o Piz Gloria. Depois desce de teleférico na extremidade oposta, visita a cachoeira Trummelbach, toma o ônibus (uma só linha, a 14) até a cachoeira Staubbach e caminha até a estação de trem, mas é preciso começar a viagem antes das 7h e será bem corrido.

**********************

Se tiver alguma pergunta, eu trouxe bastante material a respeito desta região e talvez possa te ajudar, é só deixar seu comentário. Sei o quanto é difícil escolher que lugares visitar na Suíça, mas Lauterbrunnen não deve ficar de fora do seu roteiro, nem que seja para uma passadinha, afinal, são apenas 30 minutos de trem de Interlaken.

22 COMENTÁRIOS

  1. Márcia, que lugar é esse, maravilhoso!!! Fiquei aqui caminhando com vc por esse lugar através dos meus sonhos. Muito lindo, obrigado.

    • Pois é: ‘que lugar é esse?’ já é uma boa tentativa de definição. Difícil explicar Lauterbrunnen. Obrigada pela companhia virtual, Paulo, espero que um dia você possa sentir o mesmo que eu.

  2. É o seu lugar preferido na Suiça e eu mesmo sem conhecer ao vivo já acho que é o meu também haha. Que lugar lindoooo, as fotos estão muito boas e adorei o texto com todos os detalhes. Quero conhecer!

    • Que bom, Diego, agora é só marcar uma viagem ‘rapidinha’ pra Suíça, como esta que você acabou de fazer na Ásia ahaha

  3. Não é à toa que o vale de Lauterbrunnen virou cenário de filme, paisagens exuberantes da vida real. A Suíça é mesmo um encanto, mas como você disse, os preços acabam deixando essa viagem pra depois. Post completo pra guardar.

    • Nada como uma data especial para tirar a Suíça do plano dos sonhos, Fabíola. Já estou sonhando com o retorno…

  4. Que incrível este vale de Lauterbrunnen, na Suíça. Sou bisneta de suíços e ainda não visitei o país dos meus antepassados. Mas já amo Lauterbrunnen, mesmo sem conhecer! 🥰 obrigada pelas dicas, serão super válidas na minha viagem a Suíça. Ah fiquei feliz que tu conversou combo vovô… bjs

    • Que bom, Suriàn, vai anotando, porque ainda tem muita Suíça pra compartilhar aqui no blog. No próximo post vou falar sobre os ‘encontros’ emotivos que tive nesta viagem solo. Obrigada pelo comentário.

  5. Não lembro direito dos cenários de Senhor dos Anéis, mas fiquei louca pra conhecer a região do Vale de Lauterbrunnen mesmo assim! rs E dps q vc falou que é sua região preferida na Suíça e com essas fotos, aumentou a vontade aqui tb de ir logo pra Suíça! Agora falta só fazer mil simpatias no Ano Novo pro euro baixar! rs

  6. Sempre que vejo fotos do Vale de Lauterbrunnen fico pensando “isso se é um conto de fadas tornado realidade!”. Estou torcendo para dar certo de visitar esse país maravilhoso que é a Suíça agora em 2020, suas dicas vão ser muito bem vindas!

  7. realmente essa foi uma das regioes que mais amei visitar na suiça, muita natureza e coisas lindas para ver!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui