Rota Romântica Alemã: que cidades visitar e outras dicas

Antes de conhecer a Europa, eu me encantei com os castelos e as casinhas cenográficos da Disney, mas depois de rodar pela famosa Rota Romântica da Alemanha e de conhecer castelos de verdade na França e na própria Alemanha, não tem mais graça beber coca cola na taverna do Gaston! Neste post você vai encontrar que cidades visitar na Rota Romântica, como chegar, como é esta road trip e outras dicas.

14 dias, 16 cidades, 3 países, 2 festivais de outono, 5 castelos, 4 lagos alpinos; números de nossa Eurotrip 2017, cuja protagonista foi a Rota Romântica Alemã, mas que pela proximidade de outros destinos rendeu uma viagem ainda mais rica. O roteiro completo, razão da escolha de carro para fazer o roteiro, custo de transporte aéreo e terrestre reuni no post Roteiro de 14 dias pela Baviera e Baden-Wurttemberg (Rota Romântica, Stuttgart) + Alsácia (França), publicado enquanto estava rodando por lá.

Como são as estradas da Rota Romântica
A Rota Romântica, ou Romantische Straße, é uma estrada localizada na região da Baviera, com 385km de extensão e que passa por 28 cidades alemãs que recebem 2 milhões de turistas ao ano  (chore, o Brasil inteiro recebeu 6,6 milhões em 2016)          que começa ou termina em Fussen (ao Sul) e termina ou começa em Wurzburg (Norte). Não é preciso se preocupar muito com o número da estrada, porque diferente de outras rotas turísticas, legais de fazer de carro (leia o post Road Trips que Marcaram e confira algumas) o interessante desta rota não é o caminho, mas as cidades que estão ao longo dela. Então se você traçar a rota através dos nomes das cidades, mesmo que o GPS te mande pra uma autoestrada não chega a ser um problema, porque não há muito para ver, principalmente a noroeste de Munique.

Ao longo da estrada você encontrará placas indicando a Rota Romântica, mas nós, em alguns momentos, fomos pela autoestrada, mesmo, por ser mais rápido e porque naquele trecho ou noutro não pararíamos em nenhuma cidade. Vimos fazendas ‘diferentes’: aeólicas e de energia solar: quilômetros de placas solares para produção de energia. Uma coisa bonita da estrada romântica é avistar as cidadezinhas, sempre com uma torrinha de igreja, casinhas em tons pastel e telhadinhos vermelhos e inclinados. E claro, os campos! Tive a sorte de encontrar um campo de girassóis e resolvi minha quase frustração por ter visto muitos deles na Itália e nunca ter conseguido parar.

Nós alugamos o carro com a Hertz, e utilizei o serviço da Rentcars, pagando o valor em reais e em parcelas, ficando livre do IOF.  Veio uma diferença no cartão de crédito relativa a pedágio e taxas de seguro extra, então fique atento na hora de retirar o carro, porque eu não li que tinham incluído os seguros opcionais e assinei – até fiz reclamação por escrito, mas tendo assinado, parece que não há muito o que fazer…

Leia mais em Dirigir na Alemanha, onde compartilho as dicas sobre aluguel de carro, pedágio, sinalização, combustível.

Quantos dias na Rota Romântica e quando ir
Se você só tem disponibilidade para fazer a rota, ou seja, uns 5 ou 6 dias livres, fora os 2 de viagem intercontinental, sugiro que comece em Wurzburg, chegando via Frankfurt, e termine o roteiro em Fussen, pegando o vôo de retorno em Munique, que fica a 130 km de Fussen. Li muito sobre fazer a rota em 4 dias, mas eu acho muito corrido e sugiro ao menos 5 noites, 6 dias.

Entre abril e meio de outubro, você encontrará atrações abertas, além de clima mais favorável, mas mesmo assim, leve um guarda-chuva! No inverno, alguns castelos fecham, tours não são oferecidos, mas os Mercados de Natal continuam movimentando o turismo. Fique atento aos feriados nacionais. Estávamos na Alsácia, região vizinha da Alemanha, na França, no dia da unificação da Alemanha, que é 3 de outubro, data em que ‘caiu’ o muro de Berlin, e enfrentamos muitas filas no final de semana prolongado.

Tempo fechado em Wurzburg

Confira aqui a lista de feriados nacionais e regionais na Alemanha.

Que cidades visitar na Rota Romântica
Apesar de serem bem parecidas entre si – casas de telhados inclinados e cores suaves, gerâneos nas janelas, fontes, calçamento de pedras, placas de ferro fundido no comércio – cada uma das cidades em que paramos tem uma característica que a difere da outra, pode ser a praça central, uma torre ou o conjunto delas, ou algo que aconteceu durante a visita. 

Embora haja uma certa unanimidade nas ‘melhores’ cidades para parar, a surpresa vai acontecer se você tiver tempo e flexibilidade. Adorei uma cidadezinha que visitamos por acaso, Donauwörth, porque não é muito turística. Rothenburg é, sim, encantadora, mas a quantidade de turistas acaba incomodando um pouco e o ideal é ficar nas partes mais concorridas da cidade antes das 10h e depois das 17h, quando ela fica mais tranquila, assim como Veneza (Itália), Hallstatt (Áustria) e Bruges (Bélgica), para citar algumas muito frequentadas por quem faz bate-voltas ou está em grupos de excursão.

Rothenburg ob der Tauber

Para escolher onde pernoitar, além do fator ‘cidade com mais atrações’, usei o GoogleMaps para medir as distâncias entre as cidades, definindo rodar uma média de  140 km/dia.

Nosso roteiro foi um pouco diferente e não percorremos a rota de Nortea Sul ou  de Sul a Norte, como a maioria faz. Chegamos e partimos da Alemanha pelo aeroporto de Munique e fizemos a rota em 2 etapas:

dia 1: Munique-Augsburg (pernoite).
dia 2: Harburg-Donauworth-Dinkelsbuhl-Rothenburg (pernoite)
dia 3: Rothenburg-Wurzburg (pernoite)
dia 4: Wurzburg (deixamos a rota e fomos curtir o Festival de Cerveja de Stuttgart e depois a Alsácia, ana França)
dia 8: chegamos em Schwangau (2 pernoites)
dia 9: Castelo de Neuschwanstein e cidade de Fussen

Considere ficar mais tempo no Sul, pois há muitas atrações próximas a Fussen, como a Highline 179, uma ponte suspensa sobre a estrada de mesmo número, na Áustria, mas a 25 min de distância; o Palácio Linderhof, o lago Plansee, a linda cidade de Garmisch-Partenkirchen.

O Palácio Linderhof

Para dicas e inspirações, leia o post Bate-voltas a partir de Fussen ou Munique.

 

Abaixo, as cidades mais visitadas da Rota Romântica. Marco com asterisco as “imperdíveis”, para um roteiro mais enxuto, de 3 noites:

  • Wurzburg (1 noite) *
  • Rothenburg ob der Tauber (1 noite) *
  • Dinkelsbuhl
  • Donauworth
  • Harburg
  • Augsburg (1 noite)
  • Landsberg am-Lech (estava no roteiro, mas tivemos que cortá-la pelo atraso de 1h30 na entrega do carro no aeroporto)
  • Schwangau ou Fussen (2 noites) *

Veja hotéis em Wurzburg aqui, em Rothenburg aqui, Augsburg aqui, e em Fussen aqui.

Telhadinhos em Donauworth

A imagem abaixo exibe a rota completa:

Como chegar à Alemanha para a Rota Romântica
Dois aeroportos ficam próximos da rota: o de Frankfurt (ao norte da Rota) e o de Munique (ao Sul da Rota).

A Rota Romântica de trem
Não há linhas de trem que seguem a rota de Norte a Sul, ou vice versa, mas é possível visitar algumas cidades maiores da rota, como Wurzburg e Augsburg, onde param trens de velocidade e os regionais (inter cities). Linhas regionais param em Rothenburg ob der Tauber, Bad Mergentheim, Tauberbischofsheim, Weikersheim, Nördlingen, Harburg, Donauwörth, Landshut, Schongau, Peiting, e Füssen. Pesquise no site oficial da companhia férrea alemã

Castelo de Harburg

A Rota Romântica de ônibus
Nas minhas pesquisas li que há um ônibus turístico que percorre a rota diariamente, de abril a outubro, chamado Europabus Romantische Strasse. Parte de Wurzburg pela manhã e chega a Fussen no início da noite ou vice-versa, e inclui um serviço de áudio a bordo. Para mais informações, leia o website oficial.

Vista do terraço do Neuschwanstein

Mas afinal, o que é a Rota Romântica Alemã?
Esta rota existe desde os tempos do império Romano, mas sua popularização como destino turístico – e nome atual – veio através de artistas que buscavam suas paisagens e cidades para suas pinturas românticas. Oficialmente, a Rota Romântica se estabeleceu em 1950, com o Grupo de Trabalho da Rota Romântica, formado em Augsburg, com o intuito de colocar a Alemanha no mapa do turismo mundial. Inicialmente divulgaram o destino entre os americanos, os primeiros turistas, muitos deles soldados que levavam suas famílias para orgulhosamente exibir o que lutaram para conquistar, talvez? 
Os japoneses vieram depois – e continuam a ir! – e uma pesquisa dos anos 1990 feita entre frequentes turistas revelou que 93% deles conheciam a Rota Romântica. 

Panfleto para divulgar a Rota Romântica nos anos 1950

Ou seja, um destino não se torna popular da noite pro dia, como ensinam todos os países que têm um programa sério de divulgação do turismo, o que não acontece no Brasil. Além das belezas do campo, da história e arquitetura das cidades, dos castelos, fortalezas e palácios, há organização, limpeza, segurança, estrutura para o turismo.

Encontre na página-índice da Alemanha todos os posts sobre as cidades da Rota Romântica e sobre as regiões da Baviera e Baden-Wurttemberg

Tem alguma pergunta? Deixe aí nos comentários que terei prazer em ajudar! Se gostou das dicas, colabore com a manutenção do blog organizando sua viagem através de nossos parceiros, o site de busca e reserva de hotéis, B&B e apartamentos Booking.com, de locação de veículos Rentcars.com e de seguro de viagem Mondial Assistance Allianz. Para isso, é preciso utilizar os links deste parágrafo ou clicar nos logos dessas empresas presentes aqui no blog. Você não vai pagar nada a mais por isso e faz um gesto simpático – e eu agradeço!


Anúncios

10 comentários sobre “Rota Romântica Alemã: que cidades visitar e outras dicas

  1. Viviane Carneiro 7 de novembro de 2017 / 15:50

    Que cidade mais linda e que fotos maravilhosas! Já quero fazer essa rota romântica pela Alemanha. Adorei as dicas!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Fabia Fuzeti 8 de novembro de 2017 / 10:47

    Que lindeza essa rota! Só lugar maravilhoso. Parece mesmo que carro é a melhor opção aqui. E como as distâncias não são enormes não deve ser cansativo. Amei e vou guardar o post para fazer essa rota.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Sy 8 de novembro de 2017 / 16:12

    Muita vontade de fazer essa rota, perfeita, vou colocar na minha listinha, que esta ficando enorme rssss

    Curtir

  4. Juliana Rios (Juny) 8 de novembro de 2017 / 20:02

    Ainda não tinha visto muito sobre essa rota e deu para perceber que é maravilhosa! ❤
    Se os castelos fakes da Disney ja são o máximo, ver esses castelos de verdade em meio à belas paisagens deve ser uma experiência inesquecível!
    Quero um dia poder fazer esse roteiro!

    Curtir

    • Marcia 15 de novembro de 2017 / 21:25

      Vai sonhando que uma hora o roteiro rola, Juliana!

      Curtir

  5. MBnuhrich 8 de novembro de 2017 / 21:18

    Wow!!!!
    Sabes da logística para fazer a pé?! Adoraria…

    Curtir

    • Marcia 15 de novembro de 2017 / 21:27

      As cidades são bem próximas umas das outras, então acho que dá pra fazer a pé, sim, mas não sei em quanto tempo. Se não me engano li em algum lugar que esta rota era de romeiros…

      Curtir

  6. Paula Oliveira Abud 9 de novembro de 2017 / 9:41

    Que sonho de passeio, Márcia! Eu amo roadtrip, ainda mais nessa linda Rota Alemã ❤ Amei suas fotos, a Alemanha já tem um charme e glamour a mais, né? Sou louca pra conhecer, e o que mais gostei foi saber que em 14 dias dá pra fazer tudo isso!
    Beijos.

    Curtir

    • Marcia 15 de novembro de 2017 / 21:29

      Foi corrido, mas sempre é quando se gasta em dólar ou euro, né? Olha, a Alemanha me conquistou, já quero voltar pra fazer outra região!

      Curtir

Vamos trocar figurinhas! Deixe seu comentário ou dúvida:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s